Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

sábado, 1 de fevereiro de 2014

DASDÔ



Como não acreditar na imortalidade se é dali que ela se diz?
No transcrever de sentidos abaulados, transfigurados como forma de letra no abandono do sentido.
É no silêncio da nomenclatura que se diz, dos exemplos dos restos, do vazio. É através do sóbrio, como sobra, que bordejamos o que nos foi deixado de herança nas entrelinhas da vida.
A água escorre como se tentasse limpar toda dor ainda morada.
A esperança se agarra no fio que tece a vida! 
(Imagem: google)

16 comentários:

  1. Linda reflexão e imagem. E nunca podemos ficar longe da esperança! beijos, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Olá, Rê!
    Uma profunda homenagem à Dasdô...
    Aliás, sempre fui encantada pelos apelidos e abreviações inventados pelos mineiros. São de sublime poesia.

    Até mais.

    ResponderExcluir
  3. Se ainda há um fio impede o fim de tudo, amém!
    Dasdô que pegue o rumo e se vá, oxente!

    Beijo, galêga.

    ResponderExcluir
  4. Saudações à rainha felina das Alterosas...
    Voltando devagarinho pra rever as erupções de filosofia e conversa desfiada na mesa...
    Bjs, Rê!

    ResponderExcluir
  5. Oi,
    Lindas palavras e bela reflexão!
    Uma ótima semana, bjos
    Sheyla.

    ResponderExcluir
  6. Bela imagem ... belas palavras!!!
    Lindo post!
    Fica bem.

    ResponderExcluir
  7. Olá,RÊ!

    Que nunca se desista da esperança, o sentimento que dá sentido à vida.

    Um bom restinho de Domingo, e boa semana.
    Beijinhos amigos
    Vitor

    ResponderExcluir
  8. Maravilhoso a esperança de encontrar....
    Beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  9. "A esperança se agarra no fio que tece a vida! " Acredito muito nisso, pois às vezes é o que resta.
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
  10. Rê, sabedoria filosófica.
    És mesmo maravilhosa.
    Não esqueço daqui nunca!!!
    Aliás sempre penso em você, por que será?
    Xeros

    ResponderExcluir
  11. Rê, li e reli.
    Texto de reflexão numa bela prosa poética.
    Bjuzz :)

    ResponderExcluir
  12. Minha querida

    Se não acreditar-mos que existe algo além, a vida realmente não fazia sentido. Um texto profundo.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  13. Querida Rê: vi seu comentário e achei que iria gostar de ler uma coisinha verídica que relatei no post anterior ao poema...
    http://portate-mal.blogspot.pt/2014/02/cronica-de-um-insolito-anoitecer-na.html
    Foi "gostoso" este encontro...:)

    ResponderExcluir
  14. te convido pra fazer parte de um grupo de divulgação de blogs do face: https://www.facebook.com/groups/405760246235096/ bjs

    ResponderExcluir
  15. Oi, Regina!
    Porque não acreditar na imortalidade? Sendo assim, tudo se torna mais fácil!
    "O homem é mortal por seus temores e imortal por seus desejos" [Pitágoras]
    Beijus,

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget