Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

segunda-feira, 1 de março de 2010

ÁRVORE GENEALÓGICA




Mãe, vou casar!
Jura, meu filho ?! Estou tão feliz ! Quem é a moça ?
Não é moça. Vou casar com um moço. O nome dele é Murilo.
Você falou Murilo... Ou foi meu cérebro que sofreu um pequeno surto psicótico?
Eu falei Murilo.. Por que, mãe? Tá acontecendo alguma coisa?
Nada, não... Só minha visão que está um pouco turva. E meu coração, que talvez dê uma parada. No mais, tá tudo ótimo.
Se você tiver algum problema em relação a isto, melhor falar logo...
Problema ? Problema nenhum. Só pensei que algum dia ia ter uma nora... Ou isso.
Você vai ter uma nora. Só que uma nora... Meio macho.
Ou um genro meio fêmea. Resumindo: uma nora quase macho, tendendo a um genro quase fêmea... E quando eu vou conhecer o meu. A minha... O Murilo ?
Pode chamar ele de Biscoito. É o apelido.
Tá ! Biscoito... Já gostei dele.. Alguém com esse apelido só pode ser uma pessoa bacana. Quando o Biscoito vem aqui ?
Por quê ?
Por nada. Só pra eu poder desacordar seu pai com antecedência.
Você acha que o Papai não vai aceitar ?
Claro que vai aceitar! Lógico que vai.. Só não sei se ele vai sobreviver... Mas isso também é uma bobagem.. Ele morre sabendo que você achou sua cara-metade. E olha que espetáculo: as duas metade com bigode.
Mãe, que besteira ... Hoje em dia ... Praticamente todos os meus amigos são gays.
Só espero que tenha sobrado algum que não seja... Pra poder apresentar pra tua irmã.
A Bel já tá namorando.
A Bel? Namorando ?! Ela não me falou nada... Quem é?
Uma tal de Veruska.
Como ?
Veruska...
Ah !, bom! Que susto! Pensei que você tivesse falado Veruska.
Mãe !!!...
Tá.., tá..., tudo bem...Se vocês são felizes. Só fico triste porque não vou ter um neto ..
Por que não ? Eu e o Biscoito queremos dois filhos. Eu vou doar os espermatozóides. E a ex-namorada do Biscoito vai doar os óvulos.
Ex-namorada? O Biscoito tem ex-namorada?
Quando ele era hétero... A Veruska.
Que Veruska ?
Namorada da Bel...
"Peraí". A ex-namorada do teu atual namorado... E a atual namorada da tua irmã . Que é minha filha também.. Que se chama Bel. É isso? Porque eu me perdi um pouco...
É isso. Pois é... A Veruska doou os óvulos. E nós vamos alugar um útero.
De quem ?
Da Bel.
Mas . Logo da Bel ?! Quer dizer então... Que a Bel vai gerar um filho teu e do Biscoito. Com o teu espermatozóide e com o óvulo da namorada dela, que é a Veruska.
Isso.
Essa criança, de uma certa forma, vai ser tua filha, filha do Biscoito, filha da Veruska e filha da Bel.
Em termos...
A criança vai ter duas mães : você e o Biscoito. E dois pais: a Veruska e a Bel.
Por aí...
Por outro lado, a Bel...,além de mãe, é tia..... Ou tio... Porque é tua irmã.
Exato. E ano que vem vamos ter um segundo filho. Aí o Biscoito é que entra com o espermatozóide. Que dessa vez vai ser gerado no ventre da Veruska... Com o óvulo da Bel. A gente só vai trocar.
Só trocar, né ? Agora o óvulo vai ser da Bel. E o ventre da Veruska.
Exato!
Agora eu entendi ! Agora eu realmente entendi...
Entendeu o quê?
Entendi que é uma espécie de swing dos tempos modernos!
Que swing, mãe ?!!....
É swing, sim ! Uma troca de casais... Com os óvulos e os espermatozóides, uma hora no útero de uma, outra hora no útero de outra...
Mas...
Mas uns tomates! Isso é um bacanal de última geração! E pior... Com incesto no meio..
A Bel e a Veruska só vão ajudar na concepção do nosso filho, só isso...
Sei !!! ... E quando elas quiserem ter filhos...
Nós ajudamos.
Quer saber ? No final das contas não entendi mais nada. Não entendi quem vai ser mãe de quem, quem vai ser pai de quem, de quem vai ser o útero,o espermatozóide... A única coisa que eu entendi é que...
Que... ?
Fazer árvore genealógica daqui pra frente... vai ser foda.
(Mais uma do meu amado Luiz Fernando Veríssimo! Êita homem divertido esse!!! Começar a semana e o novo mês sorrindo...arma poderooooosa)

10 comentários:

  1. Olá Regina!

    Este tipo de árvore é, definitivamente de uma nova espécie e, ao que parece, cada vez mais plantada ...
    E não posso deixar de sentir pena da pobre mãe, ao tentar perceber como poderá crescer esta árvore, com ramagem tão emaranhada; coitada da senhora ... para o que uma mãe cria um filho!!!

    Beijinhos, com boa disposição!
    Vitor

    ResponderExcluir
  2. Olá Rê querida amiga,
    Assim é! Multiplicidade de opções, gradientes e arco íris e muito boa disposição. Por alguma razão lhe chamam gays.
    Faço muito dos meus trabalhos para essas comunidades também. Gente... o mundo é para se viver na intensidade e colorido que cada um quiser implementar, o que não faz parte da minha ementa é a iguaria de outrem.
    Boa disposição, porque no melhor pano pode cair a nódoa.
    Kandandos a atravessar tanto mar e a unir os continentes!

    ResponderExcluir
  3. Confesso que dei muitas risadas!!!
    Pobre mae..... endoidaram o cabecao dela!
    Comecar a semana assim e' tudo de bao!
    Beijos minha linda!
    Paty Amada

    ResponderExcluir
  4. Vitor, amado
    Nós mães, criamos nossos filhos para estarem e serem felizes! Detalhes que envolvam essa conquista pertencem a eles, vc não acha?
    Beijuuss n.c.

    Kimbanda, amado!!!
    No marcador Psicologia já escrevi sobre o tema homossexualidade, esclarecendo, denunciando preconceitos que infelizmente, até hoje, no séc XXI, ainda sofrem os homossexuais; tanto quanto o índio, o negro, o judeu, a prostituta e tantos outros...

    Paty Amada minhaaaaa!!!!
    Que saudades docê... Veríssimo é mesmo uma "piada" e vale para rirmos...não deixa de ser uma confusão que temos que nos habituar, sempre! Os meus, os seus, os nossos e por aí vai...rsrs
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir
  5. Caos é o nome de qualquer ordem, que produz confusão nas nossas mentes .

    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Manuel, amado
    Por aqui a gente diz isso assim: é o ó do borogodó!!!rsrs
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir
  7. Olá Regina!

    Após alguma hesitações ente responder, ou não, ao seu comentário acabei por decidir fazê-lo.A princípio pensei tratar a sua pergunta como sendo apenas de retórica, depois achei que ficaria melhor comigo mesmo se não deixasse em aberto a interrogação.
    Regina, eu concordo em absoluto que os filhos não são propriedade dos pais, e que têm todo o direito do mundo em procurar ser felizes à sua maneira.Mas também é verdade - que não colide com as duas anteriores - que a forma como os filhos possam alcançar essa mesma felicidade nem sempre faz a felicidade dos pais - neste caso da mãe.E foi só isto que eu quis dizer,sem intenções de julgamentos de valor de outra ordem.O que então disse, mantenho - acrescido desta adenda - e que, no fundo, segue a linha de pensamento de quem esvreveu, lindamente, esta episódio em registo de paródia, embora ele se possa prestar a abordagem mais séria.
    Bem, fico melhor depois disto, e espero que a Regina também.
    -Beijinhos, com boa disposição.
    Vitor

    ResponderExcluir
  8. Vitor, amigo e amado meu!
    Está tudo muito bem explicado... L.F.Veríssimo é um escritor fantástico, filho de outro amado Érico Veríssimo, que trata de assuntos bem atuais e reais com esse humor único. Às vezes somos mal interpretados com nossa escrita ou posições que defendemos...não foi esse o caso. Mas reitero: batalho e muito para que meus filhos estejam bem e sustentem qualquer escolha que façam diante da vida.
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir
  9. Assim não há árvore genealógica que aguente, nem mãe. Um retrato de um tempo menos distante do que possamos pensar, apesar de levado - com mestria - ao exagero por esse grande mestre do humor.

    ResponderExcluir
  10. delícia de texto, Regina! Sabe que isso é bem real? É um drama danado quando o filho resolve assumir a homossexualidade. Meu irmão sofreu muito com isso enquanto minha mãe era viva. Ela não conseguia aceitar e ele ficou engavetado e tomando antidepressivos. Agora é casado e feliz com um cara muito legal. Meu pai faz que não vê. Não diz que sim, nem que não. Mas o que importa é que agora estão todos felizes com suas verdades.
    Beijinho.

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget