Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

sábado, 13 de março de 2010

VOVÓ

Querida Vovó,
É com um aperto no peito e um nó na garganta que te escrevo esta carta. E não teria como ser diferente. Afinal, não tem sido fácil conviver com a sua ausência. 12 meses já se passaram desde que você se foi e eu, que continuo aqui, tento levar minha vida como você bem me ensinou: com as rédeas na mão, muito trabalho e vibrando com tudo o que a vida me oferece. Mas principalmente agradecendo por ser quem sou, por estar vivo e ter uma bela família e bons amigos que hoje aqui se reúnem em sua lembrança.
Tive a honra e o privilegio de conviver quase 3 décadas com você e ter te visto sempre de pé para a vida, mesmo com todas as surpresas que ela te trouxe. Isso me ensinou a ter garra e fibra para o que der e vier.
Onde quer que você esteja, que você tenha encontrado seus pais, irmãos, seu marido, sobrinhos, primos e seus amigos que já não estavam entre nós. Que você esteja bonita, de cabelos arrumados e unhas pintadas, elegante, corajosa, de cabeça erguida e independente como sempre foi. E é assim que você fica vivamente guardada na minha memória.
A sua ida, Vó, alem de me causar dor, só me ensina que a vida é realmente o que temos de mais precioso.
Hoje, a única certeza que tenho é a de que os momentos que vivemos juntos serão sempre parte da pessoa em que me tornei. Sabe, quando vejo minha mãe e minhas tias, enxergo em cada uma um tanto de você e isso é, eternamente, a sua presença! Aliás, como você sempre dizia, o fruto num cai longe da árvore.
Do neto que te ama,
Guilherme.
Essa carta foi escrita e lida pelo Gui nesse "aniversário" de um ano de falecimento de minha mãe. Acredito que ela deve ter ficado feliz dimaiiisss e eu sou só saudades... AMO VOCÊ, MÃE!

12 comentários:

  1. Li e só posso acrescentar que tudo, o que me faz lembrar a minha avó, também me dá, um aperto no peito e um nó na garganta.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Que coisa mais linda.
    Arrepiante.
    Comovente.
    Puro amor!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Olá Regina!
    Com uma carta tão bonita e cheia de ternura, certamente que a vovó irá ficar contente, e continuar vaidosa do seu netinho.

    Gostei muito,porque não conhecia, da expressão "o fruto nunca cai longe da árvore" - certamente cunhada por gente do campo.

    Beijinhos, bom fim de semana.
    Vitor

    ResponderExcluir
  4. Guardada na memória de Deus esperando a ressurreição.
    Bjos no coração e bjos Gui.

    ResponderExcluir
  5. Com uma mãe dessas, seu filho só podia ser também uma pessoa maravilhosa, palpite que se confirmou após o relato dessa carta cheia de emoção. Um abraço enorme enorme.

    ResponderExcluir
  6. Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através do blog Amo Sim. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Eu sei que é um abuso da minha parte te mandar essa propagando control c control v, mas sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas no blog do Anderson Fabiano, ela inclusive é seguidor do meu blog, claro que ele faz isso mais por gentileza do que pela qualidade do meu texto, mas estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs


    Narroterapia:

    Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.


    Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.


    Abraços

    http://narroterapia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. A ausência é um sentimento terrível...a saudade aperta e não há como contentá-la...a não ser através das lindas memórias e recordações.

    um beijo grandeeeeeeeee

    ResponderExcluir
  8. Graças a Deus, ainda tenho me avó ao meu lado me ensinando o que é a vida, e como devemos caminhar por ela...

    Meus Pêsames por sua avó...

    Bjuxxxx

    ResponderExcluir
  9. Isa, amada!
    Essa é a vovó do meu sobrinho, minha mãe, que fez, nessa semana, 12 meses dessa ausência tão doída!
    Beijuuss n.c.

    Eiii Pétala
    A emoção é a tradução desse puro amor.
    Beijuuss n.c.

    Sabe Vitor, cresci ouvindo minha mãe falando essa expressão com as filhas em vários momentos... A natureza é sábia! E sim, minha mãe tinha um orgulho danado de seus netos.
    Beijuuss n.c.

    Sandra, amada!
    Brigadim por suas palavras...Sua luz ilumina minha alma.
    Beijuuss n.c.

    Miguelito, duplo anjo, amado!
    O Gui é meu sobrinho, filho de uma das minhas 05 irmãs...mas é como se fosse meu messsmo, tamanha afinidade.
    Beijuuss n.c.

    Fabrício, seja muito bem vindo. Vou lá te conhecer xácumigo.
    Beijuuss n.c.

    Isabel, minha diva, amada!
    Nem queira saber...como já escrevi por várias vezes, é uma dor que nunca havia sentido naãããooo.
    Beijuuss n.c.

    Ei Carlos, seja muito bem vindo!
    Essa é a vovó do meu sobrinho, dos meus filhos...Minha mãe, AMADA MINHA!!!!!!!!
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir
  10. São as marcas que ficam. O registro de sentimentos como esse enobrecem a alma e transmitem, em essência, o real valor de um homem!

    ResponderExcluir
  11. Dona Lucy deixou muitos ensinamentos para essa família, né? Lindas recordações.....
    Beijos com carinho,
    Paty Amada

    ResponderExcluir
  12. André, amado!
    É verdade...esse é meu conforto, todos os dias...
    Beijuuss n.c.

    Minha PATY AMADA!
    Você não crê como nessas semanas tô com o coração esprimido...Os motivos vc tá sabendo e aí a falta dela...putz...se torna MAIORRRR que de sempre. Você sabe que colo de mãe é diferente...é único!
    Beijuuss n.c. minha linda!

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget