Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

quinta-feira, 11 de março de 2010

COMEÇAR DE NOVO...E CONTAR COMIGO

Estava numa festa quando ela chegou para me cumprimentar. Desde a formatura de nossos filhos, no ensino fundamental, não tinha tido notícias. Ela me pergunta:
- Você sabia que estou com um bebê de sete meses?
- Não! Como assim?
- Gabriel nasceu ano passado!
Nome de anjo pensei.
- E que me separei ainda grávida?
A música alta e os copos de bebida em nossas mãos silenciaram meu assombro. Não perguntei os motivos... continuei ouvindo.
- E que o Luis está repetindo o ano? Tomou bomba em português.
- Não acredito! Ele sempre foi tão estudioso.
- Ah Regina, ano passado foi difícil para todos nós, inclusive para ele. Acho que foi reflexo de tudo: separação, nascimento do irmão. Você entende muito disso. Escuta sempre casos assim na sua clínica!
- E como você está?
- Ah, estou ótima! Inclusive saí do emprego também.
- Não acredito! Vinte anos de empresa, um super salário...
- Começar de novo, Rê, tudo novo. Cansei do que era, como estava...
Fiquei com um gosto de Malu Mulher na alma. Esse seriado foi um grande sucesso da TV Globo. Malu é uma mulher que acabou de sair de um casamento frustrado e decidiu pelo divórcio, em uma época de muito preconceito contra as mulheres separadas. Ela tem uma filha adolescente, que sente todo o turbilhão da crise antes e depois da separação de seus pais. A série mostra a vida de uma mulher recém separada e suas dificuldades, tristezas e é claro, alegrias, enfrentando um mundo preconceituoso e machista, na virada dos anos 70 e para os 80.
Decisões desse porte requerem coragem, garra de guerreira, de mulher com M maiúsculo. Nessa semana de tantas homenagens fica, aqui, a minha admiração por você, amada! “Começar de novo e contar comigo, vai valer a pena ter amanhecido!”

6 comentários:

  1. Sim, eu e Deus somos maioria absoluta hehehehe. A mulher com fibra sempre vai tecendo fios e depois desmanchando, lembra A moça tecelã de Marina Colasanti?? É a nossa história contada tão como é. Bjus.Iremos dominar o mundo - para melhor é claro. Te amo!!

    ResponderExcluir
  2. Começar de novo requer sempre uma grande dose de coragem e de loucura no bom sentido do risco, especialmente quando o caminho percorrido não é curto. Admiro as pessoas que dão esse passo, em vez de se conformarem a uma vida, a um trabalho, a algo que já não lhes dá prazer, onde não encontram mais sentido, agarrando-se a pequenos detalhes, desculpas para reforçar a sua falta de coragem. Foi bom ainda reforçar esse tema belíssimo da Simone, uma das primeiras vozes a despertar-me para a música brasileira. Um bj, amiga.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia, amada!

    Começar de novo, sempre!

    Começar e recomeçar! O importante é não parar, é seguir em frente... nem sempre é fácil, mas necessário!!

    Bom lembrar de "Malu Mulher"... ela representou um marco na TV e mais que isso, toda uma geração de mulheres que abriam as portas, partiam... e fechavam a porta atrás de si, como a "Nora" da "Casa de Bonecas" de Ibsen...que no século XIX desiste da "felicidade no lar" para conquistar a independência pessoal, para espanto do marido "Helmer" que pergunta:
    - “Nunca foi feliz?”.
    Nora responde:
    - “Não, só alegre”.

    Sutil diferença...

    Credo! hoje tô com a corda toda, amiga...falei demais...rsss

    Abraços cheios de carinho pra você...
    Lia♥

    ResponderExcluir
  4. Adoro a canção e de certo modo, faz 16 anos que também tive de começar de novo, na altura com uma filha de 14 anos, foi difícil, mas valeu a pena :-)

    ResponderExcluir
  5. Olá Regina!

    Aprende-se com a vida que nesta há problemas para os quais não há nenhuma boa solução.E o acto de cortar com o passado para começar- tentar - de novo é muitas vezes um acto de desafio do destino: trocar o certo pelo incerto.
    Estar-se preso ao que não se gosta é doentio, e ás vezes só falta mesmo aquela pontinha de coragem para dar o salto, para o que muitas vezes se parece com o vazio - que assusta e causa inibição, levando a que tudo continue na mesma.
    Que viva a gente corajosa que aceita o desafio, e ousa dar esse passo; por ela tenho uma imensa admiração!

    Beijinhos.
    Vitor

    ResponderExcluir
  6. Mariza, amada!
    Pelo que vejo está bem melhorrrr, né? Yessss!!!
    Beijuuss n.c.

    Miguelito, duplo anjo, amado!
    É algo realmente que são pouqúíssimos que conseguem fazer...dar essa reviravolta em suas vidas...não é prá quem quer, é prá quem poooode mesmo!
    Beijuuss n.c.

    Pode parar com essa história que falou demais. Aqui num tem disso naummmm, Lia! Super bem lembrado essa "sutil" diferença, amada.
    Beijuuss n.c.

    Isa, amada!
    Quando tomamos uma decisão, a princípio é tão difícil, doloroso...questionamos, ficamos em alguns momentos com certas dúvidas, mas com o passar do tempo sentimos e vemos QUE VALEU A PENA!
    Beijuuss n.c.

    Vitor, amado!
    Como disse o poeta: navegar é preciso, viver não é preciso... Mas estamos sempre insistindo com os mapas, bússolas e todo aparato possível para termos a tal da garantia!
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget