Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

MINHA PÃE




Digo sempre e reafirmo: minhas saudades são no plural. Não ligo para as regras do português. Não quando sinto o que carrego diária e a todo instante, em meu coração. Hoje, se estivesse por aqui faria 92 anos. Minha mãe, minha pãe amaaada! E como não acredito em coincidências, recebi ontem essa mensagem (desconheço a autoria) que diz um pouco de quem ela foi, é e sempre será:
“Mãe lê pensamento, tem premonição, sonhos estranhos. Conhece cara de choro, de gripe, de medo, entra sem bater, liga de madrugada, pede favor chato, palpita e implica com amigos, namorados, escolhas. Mãe dá a roupa do corpo, tempo, dinheiro, conselho, cuidado, proteção. Mãe dá um jeito, dá nó, dá bronca, dá força. Mãe cura cólica, porre, tristeza, pânico noturno, medos. Espanta monstros, pesadelos, mosquitos e perigos. Mãe tem intuição e é messiânica: mãe salva! Mãe guarda tesouros, conta histórias e tem lembranças. Mãe é arquivo! Mãe exagera, exaure, extrapola. Mãe transborda, inunda, transcende...”
Feliz Aniversário mãe! Com todo meu amor, recheado de doces saudades presentes e eternas... sua caçulinha.

14 comentários:

  1. Que linda e carinhosa homenagem e de lá, onde está, ela certamente pisca o olhinho,sorrindo! bjs, chica

    ResponderExcluir

  2. Amor de mulher, de mãe, filha, amiga, companheira.
    Sabemos que somos tudo isso e muito mais,
    Pois somos esperança, luta e superação,
    Porque a vida foi feita para ser conquistada
    E aprendemos sempre mais...
    Sobre a dor e o amor,
    E isso nós tiramos de letra. Parabéns por tão linda homenagem!... bjs

    ResponderExcluir
  3. Todo ano nos lembramos de sua pãezinha nas belas homenagens que você lhe faz. Desejo que ela esteja num lugar bem bonito, olhando você de lá. Beijinhos, Litle Angel

    ResponderExcluir
  4. Rê amiga,
    Mãe é tudo isso que a minha amiga evoca nas saudades que connosco partilha na sua bela homenagem. Saudades das vivências, por vezes, sublimadas pela gota de uma lágrima.
    O desassossego de uma mãe é permanente ao cuidar dos seus
    filhos. A sua intuição transmite-lhe discernimento para tomar as decisões certas.
    O meu xião,
    Jorge

    ResponderExcluir
  5. Rê, agora que perdi meu pai, consigo avaliar o que é sentir essa perda, literalmente!

    Pãe é definição que completa, um neologismo só teu - mantenha-o.
    Amei demais o texto, beijo enorme pra ti querida... E fazer o que com essa saudade né?
    Lu C.

    ResponderExcluir
  6. Mãe era pra não ir-se embora nunca. Mas não é da nossa autoridade esse querer. E se a saudade, pluralizada, já é doce, que bom!
    Um beijo, filha da pãe do sorriso lindo e eternizado.

    ResponderExcluir
  7. Olá, RÊ!

    Mãe é ser único e também mulher de muitos ofícios em vida.E ser que continua sempre presente mesmo quando já não mais cá mora...

    E esta bonita mensagem em forma de post, certamente que chegará ao destino.

    Beijinhos
    Vitor

    ResponderExcluir
  8. Este é um vazio que permanece para sempre, simplesmente porque não há como preenche-lo, depois que a ocupante se vai...
    A não ser com as gratas lembranças de um ente querido tão importante.
    Bjs, Rê!

    ResponderExcluir
  9. Que linda sua "Mapãe"... ela há de sentir muita falta da sua rapinha de tacho!

    Abração procê

    ResponderExcluir
  10. Linda homenagem!! Mãe é assim mesmo e ... deixa muitas saudades!!

    ResponderExcluir
  11. Oi, Regina!
    Também tive uma pãe e, como não lembrar da minha enquanto leio a sua homenagem? Emocionante!!
    As mães são eternas!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  12. Sempre me comovo com seus textos sobre a sua mãe!
    Ela deve saber o quanto a amou e ama. Como não sentir saudades?
    Meu beijo, querida RÊ

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget