Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

FIM DE ANO

O último texto escrito foi em julho. E assim passaram-se os meses, o ano! Hoje atravessei a rua. Não o fiz como quem segue com pressa para um compromisso. Atravessei a rua ciente dos meus passos, atravessei como escolha pelo diferente, para colocar a vida em movimento. Um exercício banal que desconsertou a rotina e tocou minha alma. Atravessar a rua me vez pensar.
Nesse ano, quantas ruas, avenidas e praças atravessei? Quantas vezes subi e desci escadas? Quantas vezes segui sem notar o tempo, os transeuntes, os cães, a morada do mendigo? Quantas vezes segui sem noção de que o tempo está no meu encalço e de que a pressa só nos torna mais íntimos? Quantas vezes segui sem saber que estava sempre no mesmo lugar? 
Hoje não! Atravessei a rua, segui ladeira acima e olhei para o céu, vi promessa de um dia quente; depois, olhando para baixo, vi meus pés. Um, depois o outro.
Adiante, vi uma moça seguindo tão rápido quanto um segundo. Aí, vi a vida passando. E vi que a vida pode ser simplesmente uma história de ruas e pontes, de estradas longas e atalhos, de escolhas, de erros e acertos, de seguir em frente e voltar atrás.
Posso falar de quedas, de cicatrizes, de tropeços e medos, posso falar de palavras e cabelos ao vento, de encontros e despedidas, de sapatos novos, apertados ou com a forma do pé; posso falar de lugares onde nunca estive, de lugares onde deixei pegadas e que deixaram marcas em mim, de lugares onde volto sempre e de outros para onde não desejo voltar.
Hoje, não fiquei preocupada com o ano novo que logo chegará, com o recomeço, com a novidade, não esbarrei na presunção de conhecer essa estrada ou no orgulho de uma trajetória enfeitada.
Estamos todos a caminho, vamos seguindo para algum lugar diferente, para outras conquistas ou, simplesmente, estamos voltando para casa. 2018 não é outro ponto de partida, é o destino se cumprindo. A história continua, a estrada continua e, agora, eu quero por os pés nos chão.
Um feliz natal a todos vocês, com muita LUZ e que a caminhada por 2018 se faça leve, mas com pegadas de amor e paz e para todos!!!

5 comentários:

  1. Que lindo dar-se conta dos nossos passos. Adorei te ler!

    Desejo um FELIZ NATAL e que em 2018 nos encontremos novamente com alegria e muita garra e saúde! beijos, chica

    ResponderExcluir
  2. Chiquita amada,feliz natal pra vc e sua familia tb! Um 2018 de alegrias, saúde, amor e paz! Bjao nocê

    ResponderExcluir
  3. Oi Regina!
    Que texto gostoso de ler menina.
    Eu vim aqui com aperto no coração, eu andei ausente e hoje fui no blog do Leonel, ia deixar uma mensagem de Natal, quando li seu comentário. Ah Regina, é verdade o que eu li? Nem consegui deixar comentário. Ele era um amigo muito querido. Nem sei o que dizer!

    Feliz Natal e um Novo Ano muito abençoado pra você e os teus. Que os sinos do Natal sejam mensageiros de Boas Festas, e que 2018 seja repleto de realizações.
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é...nosso querido tá brilhando em outra dimensão. Feliz natal pra vc e todos os seus amados! Que em 2018 as bênçãos do PAI continuem a se derramar e a lhe proteger. Bjao

      Excluir
  4. Oi, Regina!
    Com ou sem pressa o destino sempre se cumpre e eu fico sempre pensando nos motivos de ter tanta pressa e apego ao tempo. Os sonhos nos trazem objetivos, mas realizá-los não é essencial para viver. É como se os sonhos fossem uma ilusão para a vida ser alguma coisa além da realidade e a pressa apenas uma ilusão para não nos sentirmos inúteis.
    Vamos viver a vida!! Feliz 2018!!
    Beijus no coração!!

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget