Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

PERDÃO



Passado o ano novo, dez dias após, começa amanhã - ao cair da noite – o Dia do Perdão ou Iom Kipur. Como também já escrevi aqui sobre essa data tão importante no judaísmo, não irei repetir. Mas acho bacana refletirmos sobre o perdão diariamente. Perdoar não significa deixar as pessoas pisarem em nós.  Acredito que o perdão diz respeito à caridade no melhor sentido palavra. Quando perdoamos, nós nos lembramos de que a pessoa não estava no seu melhor momento quando nos magoou. Nos lembramos de que ela é mais do que seus erros. Ela é humana (como nós), comete erros (como nós) e já foi ferida (exatamente como nós fomos). De fato, o perdão acontece dentro de nós. Não temos que perdoar o comportamento que nos feriu, precisamos apenas perdoar a pessoa.
Não acho que seja fácil. Não acho mesmo! Às vezes é mais fácil tentar ignorar a situação. Muitas vezes sentimos o anseio de perdoar, mas o protelamos, permitindo passivamente que um fluxo de tormento corroa a nossa vida, a nossa alegria e felicidade. Às vezes só percebemos que não queremos viver dessa maneira quando a nossa vida enfrenta um desafio, quando nos damos conta de que talvez não tenhamos toda a eternidade para corrigir as coisas.
O perdão não diz respeito às pessoas que magoaram você; não se preocupe com elas. Pode crer, o que elas fizeram provavelmente estava mais relacionado com elas mesmas e com os problemas delas do que conosco! Quando nos desapegamos delas, nós encontramos a liberdade. Todo mundo tem que lidar com problemas, e o que realmente nos interessa é a nossa paz de espírito e a nossa felicidade! Então amados, bora lá exercitar o verbo perdoar em todas as pessoas, tempos e modos.

18 comentários:

  1. Olá, Regina, vim conhecer teu blog e avisar que acabei de ler o teu recado, e que prontamente estarei substituindo a imagem de capa da página. Como expliquei lá, a página foi criada tempos atrás por Wally Martins, que infelizmente faleceu cerca de dois meses atrás. Então, farei a substituição, conforme solicitas, deixando claro que eu nem sabia que se tratava de uma imagem que já estava sendo usada aqui em teu blog. Agradeço por avisar! Abraços azuis.

    ResponderExcluir
  2. Que texto lindo e falaste muito bem sobre o perdão, palavrinha tão fácil de ser dita,mas tão difícil de acontecer verdadeiramente! beijos,chica

    ResponderExcluir
  3. Querida Regina,
    Este é o dia mais lindo que considero a ser comemorado pelos seres humanos, pena que só no judaísmo é que existe uma data específica para lembrarmos deste ato.
    Tudo se copia neste país, por que não um dia como este?
    Lindo demais a gente praticar o perdão, pois é necessário para que sejamos leves, felizes.
    um beijo grande carioca



    ResponderExcluir
  4. O perdão é o maior ato de grandeza que uma pessoa pode praticar. Mas é perdoar mesmo, deixar a alma limpa, livre, das amarras do ódio. Eu me sinto uma pessoa imensamente livre, leve e abençoada, porque sei praticar bem esse ato.
    Obrigada pelo texto tão lindo e reflexivo amada amiga.
    Um carinho e um cheiro.

    ResponderExcluir
  5. Bora lá rapariga!!
    Gostei do post! Penso que perdoar é muito do que aqui dizes de facto!
    Para mim esse e´um "gesto" dificil (sou sincero!), não sou também de dar a outra face.Isto porque eu dou ... dou ... dou aos outros muito de mim, por isso quando me sinto aproveitado, explorado ou usado fico muito sentido.
    No entanto reconheço esse erro em mim, poderei quiçá num futuro próximo optar por este teu "apelo".
    Bj, fica bem.

    ResponderExcluir
  6. Acho que ainda não vivi uma situação tão forte para por em prática o ato de perdoar... ou não. Mas, das pequenas mágoas, o tempo sempre dá um jeito. Pelo menos até agora foi assim.

    Você é de alma tão linda, galêga.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  7. Alô, Rê!
    Pelo que eu li, já foi explicado e solucionado o problema do blog!
    E você deve ter perdoado, pois parece que a pessoa que atualmente administra não agiu de má fé...
    Te peço perdão se algum dia te aborreci...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  8. Tema profundo e de fundamental importância, né Rê?

    Desapegar é tornar-se livre, e isto acontece dentro da gente - perdoa-se com o coração, em gesto de paz de espírito pessoal que se estende àqueles que nos cercam.

    Vc já disse tudo!
    Bjãozão amada!

    * Vi aqui e no face que se trata de gente do bem, né? que bom....

    ResponderExcluir
  9. Nossa, Regina, você arrasa nas palavras.
    Acho que perdão tem que vir mesmo do fundinho do coração, do contrário nem é perdão.

    Bom final de semana

    Xerossss

    ResponderExcluir
  10. Oi, Mineirinha!
    Pedir perdão por algo que não julgamos ter feito por mal é até mais difícil.
    A dias, me deparei com uma situação onde a pessoa foi perdoar o outro.
    Aquele, por sua vez, se sentiu injuriado por não querer perdão algum.
    Dizia:
    _ Eu não te ofendi, você é que se sentiu ofendido. São duas coisas completamente diferentes!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Pratico sempre, assim não guardo rancor e bola pra frente!
    Lindo dia que devia ser comemorado e seguido por todos, em todos os continentes, todas os povos e assim não teríamos mais guerras!!!

    Beijinhos

    Bia

    ResponderExcluir
  12. Adorei ler esta postagem pela sua abrangência e profundidade. Penso muito na ato de "perdoar" e entendi muito bem o alcance do seu texto. Passamos por essas fases, sim, ignorar, etc. Há alguns atos a cujas pessoas tenho dificuldade em perdoar de fato; ou então não perdoei o comportamento (pois acho que agiram propositadamente)mas passei a tolerar a pessoa. Dentro do contexto que explana, acho que ainda não cheguei a esse patamar. Mas já cheguei ao patamar de ser assertiva o bastante para não ousarem me magoar. Parece contraditório, mas não é (a meu ver, claro).

    Bjuzz, Rê :)

    ResponderExcluir
  13. É Rê, perdão é fundamental para termos paz dentro do nosso coração. Já tive problemas demais com isso, sabe quando exalto muito o meu EU não consigo perdoar. Mas como vc diz é para por em prática todos os dias e em todas situações. Um grande abraço!!!

    ResponderExcluir
  14. Corri, rapidinho pra me explicar. Não quero confusão,sr Fui para o FB e tentei, Fiquei lá menos de 10 dias e coloquei minha última publicação aberta. Deixei apenas aos familiares, que já são tantos. Lá expliquei bem. Por isso, nem deu tempo.Minha passagem lá foi rapidinha,es beijos,boa noite, chica

    ResponderExcluir
  15. Olá, RÊ!

    Separar a mágoa do sujeito que nos magoou, não é tarefa fácil; direi mesmo que será necessário ter uma alma grande.
    Ainda assim, se o não perdoar nos faz sentir mal, que estamos a ser demasiado severos, então o remédio será mesmo perdoar - porque o mal feito não terá sido assim tão grande...

    Tema que dá pano para mangas, este.Bem interessante.

    Beijinhos amigos; boa semana
    Vitor

    ResponderExcluir
  16. Querida amiga

    Quando a alma tem fome de beleza,
    chegar aqui,
    sentir as palavras e o seu perfume,
    é encontrar o doce alimento da
    alegria...
    Alimento que me renova as energias,
    quando muito já silenciou pelos caminhos...

    A amizade é o alimento da esperança.

    ResponderExcluir
  17. Re,

    Amo seu blog!

    Sobre o perdão: eu creio que somente uma pessoa me prende o espirito. Só tenho dúvidas se o perdoei ou se se tornou indiferente. Como tenho certa dificuldade de esquecer tudo de ruim que fez, talvez seja indiferente a existencia dele. Contudo, tenho certeza, que Deus me perdoa por isso.

    Beijos

    ResponderExcluir
  18. É normal ficarmos magoados. Reação natural quando alguém pratica um ato que nos machuca. Mas ficar remoendo aquilo nos faz mal. Passado o momento, melhor nos colocarmos no lugar da pessoa para entender suas razões. E deixar tudo para trás, com esse maravilhoso perdão. Bjs.

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget