Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

PERDOAR É PRECISO!

"Você quer ser feliz por um instante? Vingue-se. Você quer ser feliz para sempre? Perdoe."
Tertuliano


Acredito que é do conhecimento de todos que o Yom Kipur (Dia do Perdão) é a data mais sagrada do calendário judaico. O feriado começa no pôr-do-sol que dá início ao décimo dia de Tishrei, o sétimo mês do calendário judaico, e continua até o final da tarde seguinte. O Tishrei corresponde no calendário gregoriano a um período compreendido entre os meses de setembro e outubro, sendo o calendário lunar judaico o Yom Kipur trata-se de uma data móvel, como ocorre, por exemplo, com a Páscoa dos cristãos.
O que comemora-se: Após o pecado do bezerro de ouro, Moisés rezou e, em dez de Tishrei, D’us concedeu pleno perdão ao povo judeu. Não é fácil perdoar. Eu acho. Quando uma pessoa perdoa outra, isto se deve a um sentimento profundo de amizade e amor que anula o efeito de qualquer mal que tenha praticado. Do mesmo modo, o amor Divino é expressão de Seu amor eterno e incondicional. Embora possamos ter transgredido Sua vontade, nossa essência, a alma, permanece Divina e pura. Yom Kipur é o único dia do ano em que D’us revela mais claramente que nossa essência e a Sua são uma só.
 Alguns Costumes
1. Na madrugada da véspera de Yom Kipur (ou nos dias precedentes) é realizado o ritual de caparot:
• Segura-se um galo branco (para os homens) ou uma galinha branca (para as mulheres), enquanto é recitada uma breve prece .
• As aves são ritualmente abatidas e uma soma equivalente a seu real valor é doada aos pobres.
• Pode-se também fazer caparot com dinheiro, doando-o a seguir para tsedacá.
2. Fazendo as Pazes
• Yom Kipur perdoa o pecado cometido contra D’us; transgressões praticadas contra o próximo são perdoadas somente após ter se desculpado pessoalmente. Temos que chegar cara a cara e pedir esse perdão. Senão não vale. E vou contar: já fiz mais de uma vez e não é nada fácil mesmo! Mas a sensação depois é de leveza. 
3. As Refeições
• Na véspera de Yom Kipur é mitsvá (mandamento) fazer duas refeições fartas – uma no almoço e outra à tarde. Dizem os sábios: “Todo aquele que come e bebe na véspera e jejua em Yom Kipur é considerado como se jejuasse dois dias seguidos.”
• Os alimentos desta refeição devem ser de fácil digestão. O jejum de Yom Kipur inicia-se antes do pôr-do-sol (de hoje 03/10) e termina ao completo anoitecer de amanhã.
Velas: Acendem-se as velas na véspera, do pôr-do-sol com as bênçãos apropriadas. Além de abster-se de comer e beber, em Yom Kipur também é proibido: usar perfumes, óleos, desodorantes, maquiagem ou loções. Lavar-se. Calçar sapatos de couro (mesmo que sejam parcialmente de couro). Manter relações conjugais. A saudação comum durante o período do Yom Kipur é "Que você seja inscrito no Livro da Vida".
Meu desejo e orações é sempre esse: que sejamos – todos - inscritos e selados no Livro da Vida!



(Fonte: chabad.org.br)
 

8 comentários:

  1. Olá! Gostei muito de aprender mais um pouco sobre a religião judaica, achei interessante. Perdoar não é fácil mesmo, mas como em tudo na vida, o tempo ajuda nesse sentido. Quando por vezes se olha para trás, certas coisas enormes parecem sempre mais e mais pequenas. Fica bem.

    ResponderExcluir
  2. É um ritual bonito. Não sei se apliquei bem o termo "ritual", mas você sabe o que eu quis dizer.
    Perdoar é, além de um gesto de amor, é também de muita sabedoria. Guardar rancores dilacera a gente por dentro, aos pouquinhos.

    E o que fazer para essa sua imagem linda um dia vire real?
    Torçamos.

    Beijo, galêga.

    ResponderExcluir
  3. É realmente muito bacana, os ideais são muito bons.....mas é uma pena que árabes e judeus nunca cheguem a um acordo pacífico para viverem em paz para sempre!

    Beijinhos e um ótimo final de semana Regina!!!
    Bia

    ResponderExcluir
  4. Você, com certeza está escrita no livro da vida, assim como nas minhas lembranças...
    As diferenças que separam os povos do oriente médio datam de muito tempo...Mas, se não fossem repassadas às crianças pelos mais velhos, elas cresceriam amigas...
    Na verdade, todos esses povos tem a mesma origem...
    Que a paz esteja conosco nesta data tão significativa!
    Bj, Rê!

    ResponderExcluir
  5. Olá, RÊ!

    Aparentemente, deveria ser bem fácil o acto de perdoar, mas na realidade parece tão difícil.Talvez porque muitos encontrem prazer na vingança, e encarem o perdão como uma derrota...

    Que haja paz neste mundo, e ele se torne melhor!

    Beijinhos; bom Domingo.
    Vitor

    ResponderExcluir
  6. Eu não conhecia o dia do perdão,Regina!
    E que belos rituais o acompanham...
    Noutro dia eu fui pedir perdão a alguém. acordei milhares de vezes na noite anterior - e na hora foi tão bom, tão leve. se não tivesse ido, estaríamos "de mal".
    Beijão, Rê

    ResponderExcluir
  7. Leio sempre atentamente mas as postagens sobre os vossos rituais, enriquecem-me. E têm sempre um significado relevante.
    (Quanto ao perdão, não é fácil...)
    Bjuzz, querida Rê :)

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget