Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

QUE CALOR!



Pra quem não conhece mamona
O prato do dia tem sido o calor. Só varia os graus. Sempre pra mais. Bem poderia ser o calor humano, o calor de uma discussão ou o calor das ideias, mas é esse dos bravos, que dizem rachar mamona ou fritar ovo no asfalto o assunto diário. Acho que nunca vi uma mamona rachada. Também nunca fiz o teste de fritar um ovo... Desperdício não é comigo. Se encontrarmos alguém na rua, na fila de banco, no supermercado, no sacolão, a primeira coisa que se diz é: mas tem feito calor, hein?! Não se entabula uma conversa, sem antes fazer esse comentário. E nem carece de resposta. Estou lá, com semblante denúncia: suando em gotas por todos os poros!  Cada época tem o seu assunto.  Cada tempo, o seu mote. Mas que tem feito calor, isso tem!  Sol de estourar mamona.  Coisa antiga!  Tenho a impressão de que nem existem pés de mamona, nos quintais de hoje.   E tenho, ainda, a impressão de que ninguém usa mais esse dito popular, que se usava nas roças, ou até na cidade, num tempo em que se tinha tempo pra observar as coisas simples da vida.   Num tempo em que meninos brincavam de fazer guerra de mamona, brincadeira ingênua, muito antes de eles ficarem colados no computador, brincando com a modernidade desenfreada, que vem atropelando o mundo. Se alguém falar em “guerra de mamona” para um menino de hoje, pode cair no ridículo.  Assim “calor de rachar mamona” faz parte do rol das expressões, que ficaram lá atrás, no baú do esquecimento... Hoje eles verão no FB a nova estação criada: EUTONO INFERNO! E curtirão ou não.  Volto ao nosso calor, aqui dessa Beagá que um dia teve montanhas, clima propício para recuperar a saúde debilitada de alguns, e festivais de inverno!!! Sim, in-ver-no. Coisa também pertencente ao baú. Jamais imaginei que iria me refrescar – neste calor brabo e desmedido de primavera(?) – num Banco. Seja qual for. Nem precisa ser cliente.   Entrar num Banco é um alívio.  Um refrigério.  Não no sentido metafórico, mas no mais legítimo sentido da palavra.  Está andando na rua, a cabeça torrando? Entre num Banco.  Sente-se uns minutos.  Ninguém vai impedir, vai questionar, vai barrar.  Vão achar que você está ali para sacar um dinheiro, abrir uma conta, pedir um emprestimozinho básico para quitar um descontrole do já final de ano...  Entre como se fosse um cliente, como se fosse aumentar o lucro dos banqueiros. Entre despistando e fique ali parado, sentindo as delícias de um ar condicionado gelado.  Depois, volte para a rua e vá torrar os miolos, enquanto caminha olhando as vitrines ou paga as contas do mês. Cuidado só com o tal choque térmico. É um bafo que a gente recebe nas fuças... Será que abri foi a porta do inferno?! Mas, como tudo no mundo tem o seu reverso, enquanto reclamamos do calor, as sorveterias tiram o atraso...   Haja sorvete e picolé para tanta sede, tanto calor!  E haja cerveja gelada pra refrescar nos fins de tarde desse horário detestável de verão.   Bom mesmo é uma garrafa de água gelada do lado. No carro, no trabalho, na caminhada e onde mais for possível carregar esse artigo de sobrevivência. Bom também não se esquecer de se lambuzar de bloqueador solar, que é pra evitar danos à pele, já que o astro-rei não está pra brincadeira! Colhemos o que plantamos, né?! Incrível: de tanto falar em calor, a tela do meu computador está ficando embaçada.  Deve ser a evaporação saindo dessas ideias fervilhantes! Eis que de repente o céu nublou e o vento deu o ar de sua força. Soprou levantando poeiras estagnadas. Ameaçou chuva. Saio pra fechar as janelas escancaradas e recolher as cortinas que insistem em alçar voo. Ameaça é mesmo uma coisa besta de se fazer. Não esperava isso de São Pedro. Umas gotículas contidas foram tudo que me ofereceu. Amostra grátis? Declino da oferta num xingamento encalorado e pensando no poeirão – casa adentro - que terei amanhã para faxinar. De qualquer maneira vou fechar com algo bem original: mas tem feito calor, hein?!
ovo frito no asfalto de Teresina
           
           
"Está tão quente, que se alguém me tratar friamente, estará me fazendo um favor" (frase colhida no FB)
Imagens: google

18 comentários:

  1. Regina! Mamonal é o nome da roça da família...
    Dormi lá final de semana e estava também um calor de rachar mamona!
    Quente numa serra de 1.500 metros, na borda dos "vulcões" de Poços de Caldas.
    Agora está fresquinho na Cidade, após o toró de ontem à noite!

    ResponderExcluir
  2. Minha doce amada iluminada,
    estou aqui a morrer de rir com você.
    Nenhum calorzãozão tira esta tua maravilhosa capacidade de nos fazer mais"leves" "fresquinhos" risos(pode me matar).
    Ah.... eu fazia Guerra de mamonas. Era muito bommmmmm, bem nem sempre, as vezes, um torpedo-mamona atingia nossa carinha dócil infantil!
    Amada, ando a pesar muito sobre os atuais acontecimentos , não só com a Tempestade/antes furacão Sandy, que mexeu de novo com o Coração Monetário Poderoso de Manhattan. Semana de eleições, um dos candidatos a dizer que , "o que significam, na construção de um oleoduto, vinte e poucos pássaros" E sugerindo terminar com o Fundo do Meio Ambiente. E as tempestades e destruições nas casa dos ricos países do primeiro Mundo(hoje nem tanto)?
    Será que vão conseguir ENTENDER OS SINAIS que a Mâe Terra está nos enviando?
    GAIA não é terrorista.
    GAIA é mãe generosa.
    Mas afinal, amada, eu não estou chateada co o calor, naum. Só porque vc esta! E se lhe incomoda, claro que não gosto!!!!
    Mas como carioca, parece que nasci preparada para calorzão.
    Eu gosto!
    Mas não dessa sensação térmica terrível que vivenciamos, que certamente é fruto do descaso do homem poderoso e dos pobrinhos tb que jogam lixo nos mananciais de água que bebem após.
    Mas isso vai melhorar!!!!
    Meu Oráculo do meu Pé de Jasmim me disse!!!!!!
    Beijos no cuore!

    Linda, já viu que estou no http://palavraincomum.blogspot.com? Tô escrevinhando... para refrescar a cabeça! ;))))))

    ResponderExcluir
  3. Por aí muito calor e eu liguei hoje o aquecimento central da minha casa, RÊ ! :))
    Sâo bem melhores os outros tipos de calor que referes, mas se queres ser tratada friamente, "tira o cavalinho da chuva", minha querida amiga ! eheheh ... manda para aqui algum " rrsrsrsr

    Beijiiiinho, Rê !
    .

    ResponderExcluir
  4. Minha querida, acho que tu não acendeu direito as velas do dia dos santos tudo, daí São Pedro deu de ombros pro seu pedido e ainda deu uma risadinha marota. Por aqui também tá de lascar o quengo, calor da gota serena e a gente não tem o que fazer a não ser vociferar inutilmente e passar o dia tomando chuveiradas, como dizia meu pai.

    Ah, saudadinha de te ver escrevendo assim, cheinha de riso. Se não os teus, ao menos está fabricando o riso alheio, o que já é bem massa.

    Beijo, beijo!

    ResponderExcluir
  5. Tu e teu bom humor sempre!Gosto de te ler e aqui hoje até que nem está um calorão assim.Ainda bem...beijos,lindo feriadão! chica

    ResponderExcluir
  6. Re.
    Hoje em Sampa refrescou.
    Mas na 4a. estava eu a caminho do médico em plena Paulista e lá estava estampado um 40 graus no marcador.
    A água que eu trazia já não pode ser bebida pois poderia me causal algum mal maior do que o que eu estava buscando no médico.
    Suei até.
    A mamona rachou e o meu côco (com acento sim) também.
    Beijinhos amadinha

    ResponderExcluir
  7. E que calor! Acho que, de ano para ano, só vai piorando: redução das áreas verdes, carros e mais carros nas ruas, poluindo, nada de chuva, cada vez mais escassa... afff! Você lembrou da mamona e eu me lembrei das bolhas de sabão que a gente fazia com os talinhos da dita cuja. Será que a meninada ainda brinca disso? Sei não... Outros tempos. Eu já estou cansada de tanto tossir com essa poeira, nem o umidificador de ambiente está ajudando. Chuva, venha, pelo amor de Deus!!! Enquanto isso, envio-lhe beijinhos e o desejo de bom feriado. Angelinha

    ResponderExcluir
  8. Olá, RÊ!

    Calor, por agora e por bastante mais tempo é problema que por aqui não irá haver.Fritar ovo, só na frigideira, e entrar no banco só mesmo para pedir dinheiro, coisa que por aqui vai faltando...E quanto a isso de "guerra da mamona" confesso que não sei o que seja; nem sei por aqui haverá.

    Lindo texto, muito bem disposto; gostei de ler.

    Beijinhos amigos; bom fim de semana.
    Vitor

    ResponderExcluir
  9. Menina, calor, não, calorãooo!
    Temperatura cada vez mais quente, dá até vontade de ir morar em Tambaba-PB!
    RsRs

    Beijão!
    Alyne.

    ResponderExcluir
  10. Olá Regina
    Você é um encanto de bom humor, estou me derretendo de ri kkk.
    Tenha um final de semana mais fresquinho né? rs
    Beijos da Sol ( sol vc n quer né?)kkkk

    ResponderExcluir
  11. Bom de ver tua mandinga
    Extraindo do calor
    Fatias de bom humor
    Mesmo quentando a moringa!


    Abraços calorosos, querida.

    ResponderExcluir
  12. Querida Regina!
    Estás mesmo com as idéias fervilhantes, pois até com o calor você conseguiu extrair um belo texto como este.
    Por aqui a coisa foi feia na última semana, muito ar condicionado na cuca para refrescar, o pior mesmo era sair dele para a cozinha que não tem, mas um ventilador de teto, metido a besta, que o marido colocou no ano passado, tem quebrado o galho, mas se acendo o fogo, fica mais quente ainda a cozinha. Odeio, odeio calor! Eu não consigo raciocinar, fico lesada completamente. hehe
    Neste momento em que te escrevo estou no meio da neblina com a temperatura em 17 graus, mas daqui a pouco quando descer a serra, isso sobe para 10 graus a mais, considerando que possa estar em 27 graus lá no Rio, tá bom! Melhor do que os quase 40 da semana passada, né mesmo?
    um abraço grande, carioca da serra



    ResponderExcluir
  13. Re, que calor! Por aqui São Pedro também só tem mandado amostra grátis! Hoje é que está um pouco mais ameno.
    Boa semana
    Jussara

    ResponderExcluir
  14. Rê Amiga,
    Esteja o tempo que estiver eu aceito. Não dá para contrariar o tempo. Mesmo esse calor de "rachar mamona" como aí se diz é arejado
    pela sua prosa de boa disposição que nos transmite felicidade e bem-estar.
    Obrigado pela sua visita.
    Daqui vai o meu xião.
    J

    ResponderExcluir
  15. Eu também não gosto desse calorão mas fazer o quê?
    o Rio de Janeiro é quarenta graus no ver]ao é um sufoco...mesmo!
    Num aguento n
    ão!ah adoro o jeito teu de escrever "calor de rachar ...Conheço "é do tempo de meus pais; eta! Eu nem sabia o porquê de rachar ... A gente aprende na Blogosfera cada coisa, né?
    A e esse ovo aí eu adoro ovo* meu prato predileto; sou mesmo pauperríssima de marre´de si
    rs q me renrolei toda.
    beijinho*

    ResponderExcluir
  16. Bom mesmo,,,concordo,,,seria trocar esse calor pelo calor humano....beijos querida...linda tarde pra ti...com flores e versos....

    ResponderExcluir
  17. Os meninos que faziam guerra de mamona, agora fazem óleo de mamona. Vai entender esse mundo que por girar em torno do combustível, está virando um inferno!
    Curitiba a cidade mais fria do Brasil, estava com sensação térmica de 40°, imagina no alto verão? É rezar para as galinhas não fazerem greve, senão...
    Boa semana!! Beijus,

    ResponderExcluir
  18. Texto bem "calorento", amiga RÊ!
    Por cá, cada vez mais frio!

    Bjo :)

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget