Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

sábado, 25 de fevereiro de 2012

CHÁ DE SUMIÇO


Sumiu tudim!
Um dia se tiver que aparecer aparece...
Mas agradeço os que se mantiveram/mantêm garradim n’eu...
Nada de quantidade, só mesmo a qualidade amorosa de pouquíssimos.



(Imagem: Roziane Faleiro/http://casadazi.blogspot.com/)

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

QUEM ESPERA SEMPRE ALCANÇA?!

 
  "Ninguém irá conceder seus sonhos. É melhor você fazê-los acontecer!"

Liberdade? Que liberdade? Você está preso(a) às suas circunstâncias e compromissos. Você tem responsabilidades. Há pessoas e lugares que você ama e de que precisa. Há pessoas e lugares que o(a) amam e precisam de você (será???).Como você pode ter liberdade e manter o que lhe é essencial? O que vem a ser liberdade, afinal?  Amor e liberdade são a mesma coisa... Um não pode existir sem o outro! A sensação de ser parte de algo é um fator essencial na qualidade de qualquer relação. Se você achar que está no lugar errado, ainda que não saiba precisamente onde quer estar (não, não sei mesmo!),saiba que essa incerteza faz parte do movimento evolutivo atual da humanidade. Ah é?! Finalmente, vamos todos acabar num lugar que vai parecer correto para nós,desde que tenhamos a intenção firme de encontrá-lo.Mas, de boas intenções dizem que aquele lugar também está lotado! Então, vamos combinar? Não é só intenção. Isso poderá acontecer neste ano, se não se deixar guiar na direção errada pela impulsividade e o medo! Vou ali, então, em busca de um GPS...Enquanto isso me dê sua mão?!(RR)
Dias, semanas, bem difíceis mesmo. Então, conto com o carinho, a paciência amiga  e compreensão amorosa, de cada um de vocês, nesses tempos de ausência compulsória.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

*ROTA 66 BARCELOS

Dezessete de janeiro de 2012. Abro minha caixa postal e lá encontro um convite tentador: Vem! Rodolfo e Ricardo (pai e filho) CONVIDAM VOCÊ para um churrasco em comemoração aos nossos 106 ANINHOS. Contamos com sua presença. Traga quem você quiser (se for um batalhão, favor avisar pelo tel., para que possamos calcular o volume a mais de água no feijão). O crime será cometido no dia 21 de fevereiro, TERÇA FEIRA GORDA, com o seguinte planejamento:
11:00 horas: Reabertura do fabuloso PARQUE AQUÁTICO, composto por uma piscina de 20.000 litros e uma mangueira de jardim. Solicita-se o uso de traje adequado nas dependências.
12:00 horas: Acendimento solene da pira inaugural da fantástica CHURRASQUEIRA e início das provas de halterocopismo, mastigação olímpica e arremesso de papo-furado.
13:00 horas em diante: A cargo da Providência.
Como manda a etiqueta o anfitrião envia a tentação com um mês de antecedência e eu assustada penso: UAU! Já passou um ano desde seu último natal? Não é possível???  Faço pesquisa nos arquivos e constato a veracidade do fato, e por conseguinte do convite.  Lembrei-me da cor que usei ao ver as fotos dele com a amada Si. Ano passado roxeei total! Percorri a estrada do tempo encontrando seu primeiro pit-stop por aqui. Numa rota fraternal – desde outubro de 2010 - fomos juntos dividindo emoções: sonhos, preocupações, torcidas, puxões de orelha amorosos, cutucões, saudades e muita poesia. É. Comentários que ele, Bruxo amado, quando não os transforma em versos é a prosa-tradução de nossa alma:
 “Regina, você é uma gaivota, namorada do Fernão Capelo, que eu gosto de seguir em seus vôos loucos, pois quando vem a tormenta você é um guia seguro - e às vezes solta umas penugenzinhas que eu recolho: são o ingrediente principal das minhas poções do bem.
Beijos.”

“-Animais têm músculos, anjos têm intelectos.
- Animais têm instinto, anjos têm vontades.
- Seres humanos estão no meio do caminho...
- Alguns empacam no início, outros vão mais além.
- Você está quase lá. Estou tentando te alcançar. Mas não espere por mim.
- Só deixe umas migalhas de pão para marcar a trilha.
- (como essa postagem)
- Eu chego lá. Vontade não me falta.
- Abraços, moça-quase-anjo. Suas asas estão crescendo lindamente.”

“- Achei um dia bastante
- Crer num Deus assado e assim;
- Hoje me é mais importante
- Que Ele acredite em mim.”

Hoje é seu natal. Nessa rota 66 que inicia desejo-lhe saúde, pequenos deleites transformados em versos e muiiito amor transbordando em cada parada/poema. Felicidades Rodolfo/Bruxo amado nosso!!! “It’s a long, long Road...”
Ao meu amaaado, amigo generoso, artista único Xipán/Tatto meu OBRIAGADA por mais essa arte que fez atendendo meu serzinho pidão!
*Rota 66: http://pt.wikipedia.org/wiki/U.S._Route_66

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

INS_PIRAÇÃO

Imagem Wilma Didou...uma fotógrafa que dispensa legendas
Imagem que seduz
Luz que reduz
A inevitável distância...
Não vejo mais coelho* na lua e o gato sabe-se lá por onde anda?! (fev/2012)
Como toda boa leonina, regida pelo sol, adoro o mar, a praia, o dourado da pele e de dourados na pele.
Sem abandonar meu astro rei, confesso descaradamente: sou fascinada pela lua cheia! Seu brilho, luz e uma certa magia me seduzem e me transforma... Nunca saí uivando por aí, mas que transformações acontecem, ah acontecem! Terça-feira foi dia de lua cheia...
Como suas quatro fases – nova, crescente, cheia e minguante - vou acontecendo diferentemente em cada uma.
A lua nova marca o início de um novo ciclo, simboliza uma oportunidade de recomeço e crescimento. As ideias que borbulham em nossas cabeças devem ser retomadas para, se possível, serem postas em práticas nas próximas fases. Temos uma tendência de ficarmos mais indecisas e introspectivas – caso ou não caso, viajo ou não viajo, mando meu chefe e o meu trabalho para Júpiter ou deixo-os aqui mesmo na Terra? E atenção: nenhuma tomada de decisão nessa fase é recomendado!
A crescente como o próprio nome já diz, é o período de crescimento, de vencer aqueles obstáculos não resolvidos. Nossas ideias e emoções vão se tornando mais claras... Nos tornamos mais sociáveis e capazes, até mesmo, de perdoar aquela criatura que nos fez debulhar em lágrimas.
Aí é chegada a lua cheia, plena, nos iluminando... Sensação de realização, satisfação garantida ou seu coração de volta. Estamos mais receptivas e conseguimos até ver “coelho na lua!” Não se anime taaanto... Pois como dizem por aí : “tudo que é bom dura pouco!" Mas enquanto dura... atinja o nível máximo de sua potencialidade e criatividade!
Com a lua minguante paramos para avaliar aquilo que foi feito. E por favor, sem arrependimentos! Somos desafiadas ao crescimento interno e a querer mudar... Ficamos sensíveis, emotivas, a ponto de três dedos cortados em nossas madeixas, no lugar do famoso “só dois dedinhos nas pontas”, ser motivo suficiente para romper relações com nosso cabeleireiro de anos.
Das fases lunares fica o seguinte: enquanto renovamos nosso compromisso com o curso da vida, o curso da vida renova-se em nós, em qualquer fase. Mas cá entre nós: prefiro ficar magicamente vendo coelho* em dia de lua cheia.(RR) 
P.S:*para se ver coelho, na lua cheia, há que se estar apaixonado(a).


(Imagem: Wilma Didou)

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

LARGANDO A BANANA


Ouvi uma história muito curiosa e que me trouxe um certo alívio. Disseram-me que uma antiga tribo africana utiliza um método bastante diferente para capturar macacos.
Como os macacos são muito espertos e vivem saltando nos galhos mais altos das árvores, os nativos desenvolveram o seguinte sistema: pegam uma cabaça de boca estreita e colocam dentro uma banana, amarram-na no tronco de uma árvore frequentada pelos macacos, afastam-se e esperam.
Então acontece o seguinte: quando os nativos vão embora, um macaco curioso desce... Olha dentro da cabaça e vê a banana. Enfia sua mão e apanha a fruta, mas como a boca do recipiente é muito estreita, ele não consegue tirar a banana, segurando-a.
Surge um dilema: se largar a banana, sua mão sai e ele pode ir embora livremente, caso contrário continua preso na armadilha.
Após um tempo, os nativos voltam e tranquilamente capturam os macacos que teimosamente recusam-se a largar as bananas.
O final é meio trágico, pois os macacos são capturados para serem comidos.
Talvez como eu, você deve estar achando inacreditável o grau de estupidez destes macacos, afinal basta largar a banana e ficar livre do destino de ir para a panela. Fácil demais.
O problema deve estar no grau exagerado que o macaco atribui à banana. Ela já está ali, na sua mão. Parece ser uma insanidade largá-la.
Achei essa história engraçada porque muitas vezes fazemos exatamente como os macacos! Você nunca conheceu alguém que está totalmente insatisfeito com o emprego/trabalho, mas insiste em permanecer mesmo sabendo que está cultivando um infarto?
Ou casais com relacionamentos completamente deteriorados que permanecem sofrendo, traindo e sendo traídos?
Ou pessoas infelizes por causa de decisões antigas que continuam adiando um novo caminho que trará de volta a alegria de viver?
Somos ou não somos os macacos?
A vida é preciosa demais para trocarmos por uma banana que, apesar de estar na nossa mão, pode levar-nos direto à panela. Nem sei, mas deve ter sido por milagre que não virei manjar. Insana ou não larguei a banana. Fácil? Nem um pouco!

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

PALAVRAS EMUDECIDAS

As palavras um dia paridas de mim
cortaram o cordão 
                      e apartadas 
voam livres por aí
                              Enquanto as procuro
Faço meu dicionário
                   vivente
SILÊNCIO.(RR)


Ocorreu um erro neste gadget