Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

sexta-feira, 29 de maio de 2015

QUASE JUNHO


Na minha última postagem dava as boas vindas a maio e agora quase já terminado e nem uma postagem! 
Motivos vários, inclusive um computador no conserto, mas o mais importante foi cuidar de mim. 
Outro dia, numa dinâmica de grupo, fui desafiada a escrever num papel as coisas que gostaria de abandonar e as que gostaria de alcançar ao longo do mês. Travei. Queremos tanto o tempo todo, mas é difícil, de supetão, fechar o foco no essencial. A gente quer mais saúde, amor, dinheiro, tempo livre, mas a proposta/desafio ali era ser mais específica. 
O travamento, que depois destravou, me levou a outros pensamentos: será que ser super focada, com total clareza e determinação em relação aos próprios objetivos, nos deixa meio míopes para as surpresas que a vida planta em nosso trajeto? Algumas oportunidades inesperadas podem nos levar a um lugar bem mais interessante e feliz do que qualquer plano que tenhamos feito... E tenho certeza que, se você parar e pensar um cadim, vai se lembrar de vivências que aconteceram assim e foram maravilhosas.
Há muitas possibilidades entre o “sei exatamente o que quero” e o “deixa a vida a me levar”. 
Às vezes estamos mais abertas, mais flexíveis; em outros momentos temos alvo certo – e pressa para atingi-lo. É preciso reconhecer e respeitar nossas necessidades em diferentes fases, estar atentas a nós mesmas. Por isso gosto imenso do tal check-up emocional! Abrir um espaço no cotidiano para mergulhar em nós mesmos, entrar em contato com nossos desejos, nossas frustrações e insatisfações é tão importante quanto aquela bateria de exames para acompanhar o colesterol, glicose etc. e tal. 
Precisamos estar preparadas para responder a elas com honestidade, mesmo que não saibamos muito bem como atuar diante do “diagnóstico”. Uma coisa de cada vez, um dia depois do outro. E tudo a seu tempo! Que chegue junho e com ele a percepção das surpresas que a vida, com certeza, nos brindará.

16 comentários:

  1. É isso aí! Encarar a vida de frente, fazer uma pequena DR com a gente mesmo, sempre é bom, achamos alguma falha pra corrigirmos e novos caminhos a seguir. Como temos feito na malhação, né amiga?
    Simbora pro Junho e espero que ele seja ótimo pra todos nós!
    beijão carioca


    ResponderExcluir
  2. A vida é sempre surpreendente. Algumas coisas devemos planejar, algumas metas traçar, mas o resto vem por conta da surpresa. Leveza é fundamental. Beijinhos, Litle Angel

    ResponderExcluir
  3. Oi, Regina!
    Ando muito preguiçosa para fazer check-up emocional... Só em pensar no trabalhão que terei depois, fico cansada! (rs*) A vida tá boa, uma chateação aqui ou ali, mas "queremos sempre mais"... O ruim de tudo é que não vivemos cada um em uma bolha e toda mudança desencadeia uma desarrumação em toda a estrutura anteriormente arranjada. Na dúvida por onde começar, vou pelas rebarbas e não ao centro. Devagar e sempre é melhor do que de vez em quando...
    Beijus,

    ResponderExcluir
  4. Tens razão...Temos que sossegar o pito, ficar mais calmas e não querer tudo pra ontem. Aí ,já estamos num ótimo caminho pra que esse JUNHO não seja o último de nossas vidas,rs bjs, chica

    ResponderExcluir
  5. ..."Precisamos estar preparadas para responder a elas com honestidade, mesmo que não saibamos muito bem como atuar diante do “diagnóstico”. Rê Rosenbaum . Eu não sei se estou preparada para essa Catarse, Purificação ou Purgação total.
    Mesmo que breve.

    Bjs
    Wilma

    ResponderExcluir


  6. Vc me lembrou Guimarães Rosa, Rê, quando disse mais ou menos assim: "o correr da vida embrulha tudo, e a vida é esse esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem."

    A vida e suas fases, nós e nossas metamorfoses - cada momento requer um passo (adiante ou pra trás), e entre os planos engessados e as surpresas da vida, a gente pode flexibilizar um pouquinho e receber o que vem, agradecer o que tem, sonhar com o que falta e aprender com tudo que chega/vai embora...

    Expervivências diárias, o resultado somos nós... ;)

    Bjãozão, feliz junho procê, viu?

    ResponderExcluir
  7. Olá, Regina!
    Por vezes, a gente reluta em mudar a rotina, pois dá trabalho fazer diferente...
    Quando mudamos, mesmo que em algumas poucas coisitas, percebemos o quanto é importante inovar cá e acolá.
    Mudar rejuvenesce, traz um novo sopro de vida!

    Bjs interioranos

    ResponderExcluir
  8. Jájunho? E eu cátaça de chumpãnhe do reveillão na mão !!! vixi... E de que ano hêin ??? ....

    Bêjo Rêzininha da Grória.... e DeusssssssssssssssKiajude

    ResponderExcluir
  9. Tomei conhecimento de seu post "Quase junho" já em junho, por acaso no começo. O divã seu analisa tanta coisa, não é? Focar/ficar míope, achei uma boa sacada. As possibilidades entre o “sei exatamente o que quero” e o “deixa a vida a me levar” me deixaram tão travado como você ficou na hora de especificar o próprio querer. Tá bem, Regina, gostei de ter vindo hoje ao seu divã.

    ResponderExcluir
  10. É mesmo Regina, quantas vezes o inesperado me proporcionou momentos incríveis que jamais imaginaria! Mas por agora estou precisando mesmo planejar muito o que tenho pela frente, ou a vida passa rapidão.....e eu é que não quero ficar só olhando, hehe.

    Beijão <°)))<
    Bia

    ResponderExcluir
  11. Pois é Rê!! Eu também ando com alguma "Blogperguiça", mas ... são mil os projetos que tenho na cabeça e tenho de dar prioridades, e depois ... escrever por escrever ... Por norma na vida tenho sempre em mente aquilo que quero, mas por norma também eu espero que ela me dê uma dica sobre quando o devo fazer (ou não) e resulta sempre!!

    ResponderExcluir
  12. Tudo ao seu tempo....
    Beijo Lisette

    ResponderExcluir
  13. Fico impressionada com a rapidez do Sr Tempo. Já li recentemente que o planeta está com rotação diferente e com isso modifica o tempo. Sei lá, vejo que está puxado para todo mundo, todos se queixam e se espantam com os dias que já se foram. Bom, vamos viver.

    Bjs

    ResponderExcluir
  14. Seu divã segue sendo um templo das emoções e reflexões. A gente lê e está leve. Gosto disso, muito.
    Também andei ausente lá no meu canto, por motivos que vc conhece, também colhendo os frutos da minha caminhada, que não para. É pra sempre.
    Beijos, galêga.

    ResponderExcluir
  15. Não planeio nada em termos pessoais, deixo que as coisas fluam.
    Planear só mesmo algumas algumas tarefas de carácter obrigatório.
    É preciso ter o espírito aberto para a surpresa...
    Como sempre adorei ler-te.
    BJO, querida Rê :)
    (Espaçamento nas postagens, ok, mas não deixes este cantinho. Gosto muito de aqui vir.)

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget