Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Decisões para um novo ano...5776




Nesse último dia 13 comemorei o ano novo judaico. Como já escrevi, em outros anos de blog, todo o significado e simbologias envolvidas nessa data, não vou repetir. Se quiser se inteirar, é só ler aqui.   De diferente tem o número.
Para os cabalistas, o ano de 5776 é o ano da Sefirah Chesed, que carrega o poder dos 72 Nomes de Deus. Na Árvore da Vida, CHESED é a MISERICÓRDIA, o desejo de compartilhar a generosidade, a doação sem preconceitos, a compaixão. E isso me fez pensar em algumas coisas...
Se a única certeza da vida é que ela é finita, por que será que a maioria de nós se nega a pensar no assunto e, mais, finge que o tempo é algo relativo e que a velhice vai demorar a acontecer? Seguindo a máxima de que envelhecemos um pouquinho por dia, todo dia, o jogo de “faz de conta que não é comigo” é inútil. Com o aumento da expectativa de vida, cada vez mais precisamos nos preparar para chegar lá com saúde e dignidade.
Muito desse preparo está ligado às nossas escolhas. Em diferentes momentos da nossa linha do tempo, é preciso coragem para tomar decisões, às vezes radicais, e buscar propósito e sentido que realmente nos preencham. Autoconhecimento, disposição para correr riscos, ousadia para enfrentar o novo, sensibilidade para reconhecer nossas vulnerabilidades e nossas fortalezas são elementos importantes no processo. A satisfação de iniciar um movimento de mudança, por si só, já traz um enorme prazer. E, se não a certeza, ao menos a esperança de que, por vezes, vale à pena considerar sair daquele trilho que parecia tão reto. E isso é ter um novo ano, vocês não acham? Feliz novo ano para todos! Que sejamos inscritos no Livro da Vida!!! Essa que merece ser vívidamente vivida.


7 comentários:

  1. Feliz novo ano e que a vida aconteça assim:sendo realmente vivida e bem!! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Então, que seja: FELIZ ano novo Regina!!!
    A propósito, não sou afeta à relatividade das coisas, argh!

    Beijinhos Regina e um bom fim de semana!

    Bia
    www.biaviagemambiental.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Olá, Regina!
    Um maravilhoso ano novo judaico!

    Olha, se antigamente, com grandes famílias e baixa longevidade já era difícil conviver com a solidão na velhice, atualmente apesar dos avanços tecnológicos, as pessoas tendem a estar cada vez mais sozinhas ao fim da vida.
    Aprender a conviver bem com a própria solidão e fazer dela uma virtude é o desafio para o século!

    Beijão

    ResponderExcluir
  4. Olá minha querida ! :)) ...
    Antes de mais, os meus votos de "Um Feliz Ano Novo " !!! :)))

    No teu texto chamou-me a atenção a frase : "envelhecemos um pouquinho por dia " .
    Sabes bem que há duas formas de envelhecer : a física e a mental !
    Tu queres saber que eu sinto-me "hoje" muito mais "jovem de espírito" do que há 10 anos ? ... :))) ... e acho que devo isso às amizades criadas, conversadas e mantidas nos blogues !
    Manter as amizades e até desenvolvê-las, alimentá-las, é um factor decisivo !
    Olha que mesmo o envelhecimento físico não o sinto , talvez porque também "alimentado" pelo mental !
    Importantíssimo manter sempre um espírito positivo, optimista, de bem com o mundo, arredando (sempre que possível) para longe, tudo que nos possa influenciar negativamente !

    :))) ... Dirás tu : "mas ele está a ensinar o padre nosso ao padre" ! eheheh ... Sabes bem que as coisas funcionam assim ! rsrsrs

    Um Grande beijinho, Rê !

    ResponderExcluir
  5. "Amor-Vida é aquele que brota do tempo e não tem idade, pois só quem ama escuta o apelo da eternidade."
    Por Regina Rozembaum, 16/7/12

    Feliz ano novo!

    ResponderExcluir
  6. Eu gosto sempre dessas suas explanações acerca do judaísmo. Sempre aprendizado, sempre palavra boa.

    Feliz ano novo, meu bem.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  7. Um ótimo ano, querida Rê!
    Como sempre um texto pleno de sabedoria.
    Na verdade não é fácil esse "preparo"...
    A minha mãe tem 78 anos, sempre com uma vida cheia; há 5/6 meses ganhou uma tendinite calcificada nos membros superiores; veio para ficar, infelizmente. Este facto, bem visível pelas dores e pelo facto de não poder fazer muitas coisas, foi o mote para tomar consciência desta perenidade (afinal eu só tenho menos 20 anos do que ela). Isto para dizer que, muitas vezes, nem sequer temos tempo de nos prepararmos. As circunstâncias traem-nos, por mais preparação que tenhamos. Contudo, tens toda a razão: é preciso aceitarmos o processo de declínio com a "altivez" de que formos capazes. Estou nessa!
    BJuzz :)

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget