Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

sábado, 31 de março de 2012

MUDANÇA(s)


OBRIAGADA POR TODOS ESSES ANOS!
 "Nunca se esqueça de que a mudança é uma força positiva que geralmente é para melhor e que a vida é uma representação para a qual não nos é dada a oportunidade de ensaiar." (Sally Brompton)
Já havia levantado fazia tempo. Quando ainda se tem um prédio em reforma (um ano!) nem o mandamento divino - descansarás no sétimo – é cumprido. Tenho feito o máximo para me adaptar a essa realidade de ninho vazio, mas tenho que dizer: né brinquedo nauuumm! O mesmo esforço dispenso as outras mudanças que ocorreram entre fevereiro e março. UAU! Escrevo o mês e percebo que hoje é o último dia. Quase não postei. Falta de inspiração? De verdade falta de ânimo. E de investir minhas horas na frente do computador. E isso inclui tudo: blog, redes sociais, caixa postal. Aliás, aproveito pra contar um segredim: não quero provar que não sou um robô! Ô coisa burricida de ser essa verificação de palavras. Alguém aí pode me dizer pra que serve? Além da obviedade de que não sou um robô? Pra mim só aumenta meu desânimo em deixar um comentário e as dúvidas em relação aos graus das lentes de correção visual. Mas vamos adiante.   
“Acorde. Saia dessa. Você nunca alcançará o seu destino se tiver medo de dar o primeiro passo. Há lugares para ir, pessoas a conhecer, trabalho a fazer (?) e possibilidades incomuns a explorar. Adote uma postura de eficiência, de profissionalismo, e siga as respostas que vem do seu coração. Você está começando a entender o enorme potencial que está à sua disposição pelas mudanças que vem ocorrendo nos seus relacionamentos e na sua vida em geral.” Lembro de que mu-dan-ça é a temática de todo esse 2012, mas que as mais importantes acontecerão interiormente. São tantas que já ocorreram que, em muitas manhãs como essa, perco alguns minutos a mais na frente do espelho tentando reconhecer quem é aquela com a boca cheia de espuma e sem o conhecido sorriso Colgate de não ser. Hoje, a pergunta que já fiz a tantos me é – incessantemente - direcionada: o que você quer? Vá atrás! Há oportunidades por toda parte, desde que estejamos receptivos o suficiente para reconhecê-las. Estou? Numa conversa intimista descubro com um amigo que o ciclo do 8 é cármico e nos dá em troca tudo o que fizemos no mundo. É um ciclo de recompensa pelas ações do passado e presente. As recompensas do 8 costumam ser de natureza financeira, material ou no trabalho, porque esses são os setores nos quais a maioria dos seres humanos deseja recompensa. PUTZ! Não é que fiz um tanto?! Ele me alerta para que fique atenta, também, a outros setores de minha vida que melhoraram de repente. Hum... Vou precisar prestar muiiita atenção mesmo! De qualquer maneira sinto satisfação causada por todas as melhoras. Satisfação significa que não estou mais ansiosa; não estou mais perdida; não estou mais procurando. E isso me basta só por hoje! Que venha abril e com ele todos os fins e conclusões. (RR)

21 comentários:

  1. Oi Regina,

    Muito bom seu texto!
    Algo nele me soa muito familiar. Talvez o fato de eu estar prestes a me mudar, talvez o cansaço dos controles que tentam assegurar que eu sou eu mesma mas não consegue nunca assegurar a verdade de cada um.
    Enfim, me identifiquei com alguma coisa...

    Que se encerre abril, que se encerre o ciclo do 8 e tudo mais que tiver de ser encerrado. Amanhã tem página nova, para escrevermos de forma diferente nossos velhos pensamentos...

    Adorei!

    Beijos

    Leila

    ResponderExcluir
  2. Mudanças sempre queremos pra melhor! Tomara também mude o mês e abril chegue bem legal pra todos!

    Fiquei contente em te ver!!!

    Meu filho e neto chega na 6 feira santa e fica 10 dias.Isso é uma mudança TRI LEGAL<rs beijos,ótimo domingo,chica

    ResponderExcluir
  3. Olá Regina!

    Começar seu maravilhoso texto com o pensamento de Sally Brompton, foi um bingo para uma pessoa importantíssima para mim.
    Essa força que você propõe e acredita é a que devemos enxergar e mudar.
    Que venha abril.
    Bom estar aqui.
    Xeros mil.

    ResponderExcluir
  4. Olá, Regina!
    Ufa, que alívio! Digito isso porque pelo comecinho do texto comecei atremer de medo pensando que "iria de aposentar", nos privando (ou seria melhor dizer castigar) de sua belas e sábias palavras. Mas não se preocupe "no final tudo vai dar certo, se ainda não deu é porque não chegou no fim!" kkkkkk
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  5. Minha querida

    Quando as mudanças são para melhor, é com alegria que se fazem, que seja assim.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  6. O importante é que apareceste de novo para nos brindar com mais ideias e especulações...
    No meu blog você não precisa provar que não é robô, nem que não roubou!
    Mesmo porque não existe leoa-robô, nem você está em Brasília, onde estão os que roubam!
    Abraços, Rê, desculpe as brincadeiras!

    ResponderExcluir
  7. Verdade, Rê, sincronismo puro, e não de tema, mas de vida - de ciclos, de estar "encontrada" consigo mesma, satisfeita, FELIZ, depois de tanta busca, tantos descaminhos, infinitos aprendizados - que nos levam a essa calmaria, a essa ausência de ansiedade...a tudo que já é...

    Há lugares para ir (bora???), pessoas por conhecer (huummm) e muito trabalho (lindo) a se fazer...né brinquedo naum, mas tudo dá certo um dia, ôxi...dá sim!!

    Bjãozão, minha irmiga, alma afim!

    ResponderExcluir
  8. Oi Rê,
    Gostei da mudança. Pois é minha irmiga, acontece que como vc bem sabe, não há varinhas mágicas para resolver as coisas. O segredo com a dor é a gente senti-la mesmo e depois começar a mudar o que tem que ser mudado e aceitar o que não pode ser mudado. Ás vezes a dor é tão violenta que por momentos deixamos de respirar. Mas, no final, acabamos por perceber que também essa dor um dia irá passar. Viver não é fácil, mas é muito interessante e muitas vezes divertido. Jinhos

    ResponderExcluir
  9. Só por hoje já é muito tempo para quem antes achava não querer nem um segundo. Amanhã também será "só por hoje", e assim, dia após dia.

    Quanto a estar um tanto reclusa, bom mesmo é não forçar a volta. Bom mesmo é redescobrir o prazer de estar presente, a magia da interação, a satisfação em dizer sei lá o quê.

    Do outro lado a falta é sentida, é claro, mas há que se compreender. Ou pelo menos tentar...

    Beijos.
    Fique bem.

    ResponderExcluir
  10. Belo alvorecer !
    Que bom está de volta e cheia de mudanças...noa abraçando sempre...
    bjs

    ResponderExcluir
  11. Somos obrigados a aprender com as mudanças...

    ResponderExcluir
  12. Mudar é sempre bom, muitas vezes preciso...uma linda semana pra ti minha amiga querida...beijos.

    ResponderExcluir
  13. "O sol é novo a cada dia."

    Beijinho minha querida.

    ResponderExcluir
  14. Olá, RÊ!

    Disse muito bem esses senhora de nome Sally: vida é coisa que não se ensaia, e também "peça de teatro" que não se pode repetir; convém que saia bem logo à primeira...

    Gente burra, só pode ser,essa que pariu a ideia de confirmar a identidade nos comentários; com aquelas letrinhas todas tortas, às vezes dá vontade de lhes bater ...

    E ainda bem que as coisas vão no bom caminho: Quando o Abril chegar ao cabo estará tudo no sítio certo - vai ver!

    Beijinhos amigos; bom restinho de Domingo.
    Vitor

    ResponderExcluir
  15. Regina,
    bom saber que você está terminando a sua travessia...
    essa viajem é longa e não é fácil poder dizer isso, pelo menos para mim tudo ainda está muito embrulhado dentro da minha tolinha...
    beijinho

    ResponderExcluir
  16. Querida Amiga,

    É com imsensa satisfação que te vejo retornando!
    É com imensa satisfação que vejo que estás conseguindo RE-VIVER!
    Sim, os ciclos acontecem....os filhos se vão...a vida dá voltas! Temos que reaprender a nos reinventar!
    Feliz...feliz...por ver que minha querida amiga está reagindo!

    Beijinhos no coração!!!!

    ResponderExcluir
  17. Re
    Se não mudamos, a vida se encarregar de nos mexer, nos sacudir. Daí dói.
    Que venha abril, e como sugere a oração à Mãe Maria, que se abram as portas e portões, estradas e caminhos, casas e corações.
    Um dia de cada vez, uma passo de cada vez, e logo estaremos em CASA.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  18. Há que ganhar força e coragem para permitir essa mudança, para dar o passo que nos libertará e devolverá o sorriso e a alegria de viver. A Rê tem tudo isso, basta abrir a porta!;)beijooo

    ResponderExcluir
  19. Se eu não estivesse enrolado (ainda) em minhas próprias mudanças, iria ali buscar a cadeira e o chicote prumodi a gente se divertir...
    Um beijão, querida!

    ResponderExcluir
  20. Ciclos, amiga querida. Princípio, meio e fim. Entendendo isto, ficamos menos ansiosos - apesar de ser difícil. Interessante: estava que nem franco-atiradora, procurando um trabalho remunerado em várias direções, de acordo com a experiência que o currículo revela. Descobri outras variáveis permeando esse currículo e só agora defini o meu nicho. Vou centrar minhas energias nele, mas sem estresse. Com calma e confiança. Vai acontecer. No tempo certo. Estou me preparando para ele, selecionando material, estudando, trocando ideias com outros profissionais. Este movimento tem uma dinâmica na realização do projeto.
    Será assim para você também! Beijos, Angelinha
    http://noticiasdacozinha.blogspot.com
    P.S. Você não é um robô! rsrsrs

    ResponderExcluir
  21. Rê, tens um modo especial de escrever!
    Ler-te é quase como estar a falar contigo pessoalmente (me parece!).
    Poucos escritores assim o conseguem fazer.
    Bom! Como sempre adorei este bocadinho, venha então Abril (não gosto, tem muita despesa!) e depois ... logo se verá não é?!!
    Bjs, fica bem.

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget