Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

sábado, 24 de março de 2012

TRÊS ANOS...



Não esqueci o seu rosto.
Ele me aparece vivo.
Não esqueci a sua voz.
Ela veste meus ouvidos.
Não esqueci o seu olhar.
Ele tornou-se verniz no meu corpo.
Não esqueci o seu cheiro.
Que como com deleite no meu paladar.
Se a saudade tivesse sentido
Sentiria minha guilhotina.
Veria eu em partes
Partituras de mim. (RR)

25 comentários:

  1. Olá, Regina!
    Estou feliz pelo belo poema, mas triste porque você não vem me visitar.
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  2. Regininha, belas palavras.Alguém muito especial sempre deixa lembranças e o bom é revivê-las.
    Você anda sumida, viu??

    Beijos, Sheyla
    http://blogdmulheres.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Daquele ser bem-amado
    Que doou amor em vida,
    Quanto mais amor doado
    Mais a saudade é doída...

    Um abraço cheio de carinho, Rê.

    ResponderExcluir
  4. Esteja ela onde estiver, estará muito orgulhosa de você.

    Beijo meu e bom final de semana

    ResponderExcluir
  5. Regina,

    Somos marcados por fases, por amor e por saudades. Espero que sua saudade não seja gerada por uma dor que não tenha volta, apenas retratos e pensamentos.... E que Deus acalente seu coração e de todos que amam.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Rêzinha, não sei o que deu na gente: nestes últimos dias também senti uma saudade enorme da minha mãe... Andam acontecendo coisas sem explicação... tem a ver com os tempos que estamos vivendo. Mãe faz uma falta... ai! Beijos, Angelinha
    http://noticiasdacozinha.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Que bom, ganhámos uma escritora e poeta!
    Por onde andavam elas?!
    Bjs, fica bem.

    ResponderExcluir
  8. dói, só de ler...
    te dizer esta migalhazinha, que o sol sempre volta para aquecer e iluminar...
    beijinho

    ResponderExcluir
  9. Para a saudade nunca haverá a cura, ainda bem. Mas para a tristeza, sim. Essa tem que ir embora e deixar espaço só pras lembranças que compuseram esse existir compartilhado.

    Sê paciente...

    Beijo, Rezininha.

    ResponderExcluir
  10. Difícil lidar com a ausência de alguém que nos é caro...
    Mas, transformar a dor em poesia é uma boa saída...
    Abraços!

    ResponderExcluir
  11. Nossa Mi_nina disse tudo...tocante esse amor, essa maneira como o transformou em palavras pra compartilhar conosco, querida...
    Amada minha, logo todos nos reunimos, então façamos da vida uma celebração que culmina com um banquete no céu...

    Um abraço beeemmm grande, pra carregar todo meu afeto e carinho!

    ResponderExcluir
  12. Re
    Ela está aqui, tão perto que tua pele capta a energia dela, teu coração palpita no ritmo do dela.
    Ela vive em ti.
    És parte dela também.
    Meu carinho e meu beijinho

    ResponderExcluir
  13. Querida e amada Rê.

    És pedacinho dela. Essa saudade é o legado presente em ti. Que tal suavize a dor e as lembranças sejam a tua força em seu exemplo de vida e amor.

    Beijo e kandandos a atravessara tanto mar...

    ResponderExcluir
  14. Esse poema tem um profundo sentido para mim...

    ResponderExcluir
  15. Querida amiga: acabei de ler as últimas postagens. Gosto muito do seu jeito de escrever. Ora estou séria, ora sorrio...
    Também tenho andado ausente de visitas a blogues, Motivo: trabalho profissional e atividades literárias e mais uns apêndices...
    Gostei dete Re-gresso! E que belo poema acabei de ler!
    Bjos, :)

    ResponderExcluir
  16. Encontrei-a por aqui e vim fazer-lhe uma visita.
    Continua a escrever com muita arte.
    Como poderemos nós esquecer aqueles que amamos ou que um dia nos marcaram com a sua amizade...?

    E sobra a cor do rosto, do olhar, do aroma e até do caminhar...
    Gostoso este recordar...

    ResponderExcluir
  17. Saudade é sentimento sem juízo,,,ela vem e nos corrói por dentro..mas ao mesmo tempo nos dá a esperança de ter tudo outra vez...beijos de lindo dia pra ti minha amiga querida.

    ResponderExcluir
  18. Olá, RÊ!

    Que forma doce e ternurenta de descrever saudade!
    Que é palavra pesada; às vezes sentimento amargo de impotência de não poder voltar a ter quem tanto se gostava.

    Muito bonito, e lindamente escrito.

    Beijinhos amigos, e boa semana.
    Vitor

    ResponderExcluir
  19. Que belas palavras você usou para falar da saudade. Algo que vive com a gente e que não passa, ainda mais quando perdemos quem amamos tanto...Desculpa pelo sumiço minha amiga, as vezes é preciso silenciar para poder nos encontrar, lá dentro, ficar em sintonia com Deus! Te desejo uma ótima semana e que Deus a abençoe e conforte seu coração! Bjsss

    ResponderExcluir
  20. Lindo poema!

    Se a saudade tivesse sentido
    Todos os outros sentidos se intimidariam diante dela

    beijos

    Leila

    ResponderExcluir
  21. Não esqueci o seu rosto.
    Não esqueci a sua voz.
    Não esqueci o seu olhar.
    Não esqueci o seu cheiro.

    Grande Beijinho e tem um óptimo fim-fe-semana

    ResponderExcluir
  22. (Ainda não entendi porque não aparece na minha página. Faço tudo direitinho... mas não vou desistir.)

    ResponderExcluir
  23. Querida amiga

    Há pessoas
    que escrevem
    o livro da nossa vida,
    com tintas
    de eternidade...


    Que haja sempre perfume
    de sonhos em tua vida.

    ResponderExcluir
  24. Rê,
    Que bom é sentir saudade. Isso quer dizer que foi bom e que nós vivemos coisas muito boas, com pessoas muito especiais. Tem momentos em que o que mais queríamos era, pelo menos por um momento, poder voltar a abraçá-los. Mas, a certeza de lhes demos o nosso melhor e que um dia voltaremos a estar juntos, ajuda-nos a recordá-los com um sorriso e a rir das coisas divertidas que vivemos juntos. Jinhos Tê

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget