Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

CAVALO SELADO E ALADO


Tornei-me especialista em não perder cavalos – oportunidades – selados. Desfilam na minha frente, rapidamente, e lá estou eu montando-os como se fosse uma amazona desde sempre.  É, a vida muda e a gente se transforma com ela, adequando-se à realidade. Vou ser repetitiva. Escrevo o momento que a história me concede como vivente e senhora que constrói com sua lucidez e com suas buscas o que há de melhor para se viver intensa e livremente. Estou correndo o sagrado risco de ser. Estou substituindo o destino pela probabilidade. Quantos cavalos assim passarão à minha porta? Quais as chances? Antes eu pensava que latejar era ser uma pessoa. Só meu pensamento me salvava. Então, escrevia... Escrevo. Transcrever pensamentos é uma oportunidade de risco; mas não há riscos em todas as oportunidades? Os pensamentos não são abstratos, mesmo porque eles são frutos da memória. É possível imaginar o todo para conhecer o fundamento das partes. Entretanto, engana-se aquele que tenta a análise pela síntese. Não há futuro ou condicional em mim. Só o presente me conforta, me realiza, me dá vida e se impõe delicada e firmemente em cada coisa que me acontece. No Confins o presente tem e assume o jeito TAM de voar. Inferno astral? Que nada! Paraíso!!! Voo nesse cavalo alado em postura gratidão. Obriagada mamita Raquel!

19 comentários:

  1. Oi Regina!
    Eu também tento descrever meu momento presente, com as diversas fases e momentos que vivo e desejo viver.
    bela reflexão!

    ResponderExcluir
  2. Temos mesmo mais que viver o presente! E que teu voo seja lindo !Aproveita bem! beijos,chica

    ResponderExcluir
  3. Vejam só! Sai da gripe voando!... Abra bem as asas e aproveite tudo. Vá com Deus na alma e alegria no coração. Quando voltar, conte como foi. Beijos, Angelinha

    ResponderExcluir
  4. Oi RÊ , aceite o presente com alegria e curta.....
    IA TE PERGUNTAR ONDE COMEMORARÍAMOS E VEJO QUE ESTÁS LONGE.
    Por sinal, onde é seu lugar de curtição?? Se quiseres dizer ,claro!!!!
    bjos

    ResponderExcluir
  5. Excelente tarde, Regina!
    A efemeridade do presente é que força a vida no passado ou futuro.
    Respirar o momento, estar absoluto nele, nos traz a leveza necessária para voar.
    Vá para o ideal "swtsyfdl", ou qualquer outro "planeta", e viva lá uns segundos, caso cá haja caos.
    Irá voltar renovada para estar no mundo real, e melhor desfrutá-lo.
    Meus respeitos a todas as leitoras,
    Cri.

    ResponderExcluir
  6. Alô, amazona!
    Os cavalos às vezes se assustam com as felinas, hábeis caçadoras!
    Leoas podem meter medo!
    Ainda mais as grandes e bonitas!
    Pronto, falei!
    E apareci, afinal!
    Bjs, Rê!

    ResponderExcluir
  7. Acabo de ler:

    "Vivo sempre no presente. O futuro não conheço. O passado, já não o tenho"
    Fernando Pessoa

    ResponderExcluir
  8. Re,
    os cavalos alaos vão ficando raros com o passar do tempo, aproveitar quando passam é o melhor a fazer.
    Divirta-se!
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
  9. Oi minha Regina iluminada,

    ando assim vivendo o presente.
    Creio que ainda não consigo pular num cavalo alado. Amiga, descobri que eu tento ... mas dóiiiiiiiii!!!!
    Tenho tantas coisas prá fazer, amiga. tantas.
    Mas ainda não posso assumir legar o comando da minha nau.
    Ainda preciso reaprender a caminhar, devagar.
    Aii... e como é difícil não ter pressa quem viveu a correr a dar conta do recado.
    Bem, fico voando na minha vassoura de bruxa, tá boa ainda.
    Quem eu eu para cavalos alados.
    Isso é aventura , é salto para minha Regina Rezinha!!!!
    Amate,
    Izabel

    ResponderExcluir
  10. Oi Rê, olha eu aqui de volta rs.
    O que seria de nós pobres mortais se nos fosse tirado esse poder magnifico de transformar nossos sentimentos, experiências, dores, tristezas e alegrias em texto, poesias, e histórias para que todos possam nos ler. Eu acredito que escrever é dividir a carga, é sonhar acordado, é compartilhar alegrias, é ser o que quisermos ser e fazer.

    Bjos

    ResponderExcluir
  11. Eu acho que você já deve ter um haras de cavalo-alado-selado, tal é a quantidade surgida ultimamente.

    Que bacaninha, né?
    Que venham outros tantos, que venham!

    Beijo, Regina!

    ResponderExcluir
  12. Teus Pégasos tenham nas vogais
    EAO o seu destino de estranhos nomes
    E nas consoantes
    GPS só para a volta.
    Assim poderás ir ao Estranho, ao Além, à Oportunidade,
    Mas voltarás (se quiseres) para nós...
    E tu, que já foste indomada fera,
    Gaivota-irmã, mãe-coruja e outros bichos,
    Voarás em lombo de corcel alado
    E serás feliz.

    Leva meu beijo em teu farnel!

    ResponderExcluir
  13. Minha querida

    O presente é hoje e devemos viver sempre intensamente, como se não houvesse amanhã.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  14. Querida Rê!
    Tens razão, nada de perder o cavalo alado! E isto serve para todos nós que temos o privilégio de ter uma página para escrever e dividir com outros nossos sentimentos, indignação, alegrias, tristezas, esperanças.
    Escreva Regina, escreva!
    beijos grandes, cariocas



    ResponderExcluir
  15. É a vida amada Rê, com toda sua beleza, surpresas e afins...o presente se apresenta hoje, a oportunidade está a porta, ou como você diz o cavalo alado. Então é fazer a escolha e ir em frente com muita fé!!!! Um lindo fim de semana para você cheio de muita paz!!! Bjssss

    ResponderExcluir
  16. Olá Rê!
    Lindo este teu texto, gosto muito quando "apanhas" este cavalo alado da inspiração.
    Quanto à vida ... bom se ninguém fica cá para contar a nossa aventura terrestre, então temos de viver dia após dia como se fosse o último (e não sabemos!).
    Força aí, tens lugar para mais um nesse teu alado?!!
    Bjs, fica bem.

    ResponderExcluir
  17. Rêgina querida.
    Alguma coisa está acontecendo no reino zodiacal.
    Uma Leonina esta saindo do casulo e se transformando em uma autêntica sagitariana.
    Com seu centauro aflorando a pele.
    Nesse corpo metade cavalo metade homem.
    Trouxe sua parte terrestre/celeste.
    Mensageira de uma boa nova.
    É preciso caminhar com os pés, pensar com a cabeça e agir com o coração.
    Voa menina, voa, bem vinda ao clube.
    Beijos
    Wilma
    www.cancerdemamamulherdepeito@blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Tenho um amigo que me costumava dizer: a Graça sofre por antecipação e não sabe se tudo isso vai acontecer.Pois é, eu também mudei!
    Não sei se foi algum cavalo alado que passou à minha porta mas, desde que eu passei a viver apenas o dia de HOJE, o dito alazão...levou-me para o mar da tranquilidade, das horas vividas completamente preenchidas e saboreadas...Amanhã?
    Se houver...saberei também agradecer.
    Mil beijos e uma semana cheia dessa força tão bonita.
    Graça

    ResponderExcluir
  19. Regina, tudo bem?
    Parabens! ...se perguntares pelo 'quê', pelo tudo, pelo todo. Parabéns por existir, por ser, por fazer, por fazer acontecer, por anular, cancelar, insistir e até desistir. Parabéns por viver.
    De forma curta e direta define bem a transcrição de F.Pessoa pelo Rogério, aí acima. Até no filme 'Kung Fu Panda II' há uma menssagem sobre isso,bem bacana...mas direi de mim:
    Parece obvio, e até é...mas não procedemos a entender assim, cito:
    todos nós vivemos apenas o presente. O presente é igual para todos. Todos vivem exatamente o mesmo tempo, porque neste exato instante que está lendo isso, agora, o seu instante de vida é o mesmo de outros zilhões de pessoas. Não importa quantos anos tenham na bagagem ou quantos tenham para viver. Vale o instante que estão vivendo. E nesse instante que está agora aqui nessa linha está se processando sua escolha, assim como a minha enquanto estou escrevendo. Enquanto estou aqui, pode ser o meu ultimo instante, ou, o ultimo instante de minha mãe, de um de meus filhos, de um amigo, de algo. Enquanto estou aqui teclando poderei estar deixando de partilhar tal instante final do outro...e que jamais será preenchido novamente.
    O que quero dizer é que fazemos escolhas, e algumas imutaveis (boa parte delas). Se entendermos o valor de cada instante e de cada escolha poderemos enfim viver com maior riqueza e propriedade e não tratar a vida com a banalidade de um acaso. Ninguém vive mais do que ninguém. Dizer-se-á que uns aproveitam melhor a vida, com mais intensidade do que outros e tal...mas digo que precisamos comer, beber e dormir diariamente. Não importa quantas pizzas voce ja comeu na vida, se agora tiver o desejo de comer uma de nada valera já ter comido uma centena! E assim é para tudo que nos permeia o desejo e a vontade. Então Re, não importa quantos digitos tenham a sua casa da dezena, importa é esse agora.
    Quem vive planejando o futuro e pensando nele, não vive, porque o futuro, jamais chegará. O passado é distante o suficiente para não mais ser capaz de saciar-nos. Viver é presente. Agora. E isso é para todos. Porque de fato todos nós, sem exceção vivemos um dia apos o outro.
    Tentei ser breve e talvez tenha ficado confuso, porque é um texto extenso para expressar meu pensamento. Mas como a intensão é ir ao encontro de seu pensamento, creio ser entendível.
    beijos
    'bons voos'

    PS: A gripe me pegou. Meu aeroporto ainda está fechado. Estou doido para voar. Espero que seja em breve.

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget