Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

terça-feira, 26 de novembro de 2013

NOTÍCIAS DE CÁ



Oi! Tudo bem? Quatro anos sem notícias suas é tempo demais! Não creio que seus afazeres, por aí, sejam tantos e sua agenda tão ocupada, que não possa tirar uns minutinhos para dar um olá. Ok. Paro de me queixar e tentarei fazer um resumão desse último ano. Sua bisneta é uma graça falante e observadora. Fez dois aninhos, mas parece que tem mais, tamanha esperteza. Canta as músicas da moda, tem uma memória associativa e lógica que nos deixa de queixo caído. Felipe e Henrique de uma inteligência bem característica dessa nova geração. Acho que nasceram com um tipo de chip até então inexistente em minha geração. Se te contar que Felipe – 11 anos - me corrige no inglês vai acreditar? Pois creia. Henrique – da altura de seus 07 – ensina que a vida não é fácil... Porque “minha mãe não me leva no hot zone”. Daniela entrou na faculdade de administração e André se forma em Ciências do Estado e Administração Pública quando dezembro chegar. Ambos namorando e com isso tenho mais uma função: sogra. Ainda não me acostumei com esse status. Ou seria com a designação? Juliana fez 40 e é a mais nova loba da família. Um dos genros 70. E assim tivemos muitas celebrações de vida. Umas doenças, nada grave, humores deprimidos, dores de alma. Nada que algum tipo de tratamento e medicações específicas não resolvesse. A vida, por aqui, vai seguindo seu curso. O trabalho doméstico exaustivo (já desisti de me acostumar com essa nova realidade) e em muitos momentos me lembro de falas históricas: “um (a) só pra fazer e um batalhão para desarrumar”... “cozinha pra um é igual cozinha pra muitos”... “lavo hoje o que não sei se posso fazer amanhã”... É bem isso. As angústias inerentes ao como será o amanhã, o que irá me acontecer...  Tento deixá-las para o dia seguinte e a vivência nossa, surpreendente, de cada dia.


Agora vamos à saudade. Essa danada que não desinstala e pulsa diária. Hoje mais. Hoje imaginando o que estão preparando para você por aí. Quase todos os irmãos (Tio Juca teve uns probleminhas, mas sei que vocês o ajudaram), amigos, Vovó e seus dois amores, enfim uma galera para celebrar seus 91. Ah que festa hein??? E nem para enviar um convite... com RSPV. Você sabe que eu teria que declinar, tenho ainda muito a aprender, vivenciar, por aqui, mas ficaria honrada só com o convite. De penetra, como você ensinou, jamais. Desejo que seja assim, uma alegria de celebração como você bem gosta! Feliz Aniversário Mãe!
Com amor eterno de sua filha “caçulinha”
Regina
PS: "Mande notícias de lá".
 

21 comentários:

  1. Lindo e quanto aconteceu nesse 4 anos.Tanta coisa que ela perdeu fisicamente... Mas a mensagem chega até ela que adorará saber das notícias do outro lado! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Assim bem assim lindo demais traduzir esta saudade.
    Mande noticias do mundo de lá... assim falava uma canção que expressa esta relação com o ausente, mas o tempo não apaga, nem desinstala,apenas fazer crescer e provar que é muito bom cada instante.
    Saudade daqui.
    Um abração Regina.
    Bju de paz e luz.

    ResponderExcluir
  3. Minha irmiga querida,
    Faça um pouquinho de silêncio e escute, tenho a certeza de que sua Mãe lhe está dizendo ao ouvido "Não há tempo, nem distância, apenas meu amor por ti"
    Abraço Grande, Grande

    Teresa

    ResponderExcluir
  4. Mães não se vão, na verdade;
    Elas transformam-se, um dia,
    De presença em saudade,
    De ternura em poesia...

    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. Lindo o que o amigo, ai de cima escreveu R.R.Barcellos.
    Bem, Regina eu tenho absoluta certeza que sua mãe, recebeu os cumprimentos e as novas, aliás o engano é só nosso em pensar que eles não estão fazendo parte ativa em nossas vidas, o nosso futuro é contado a eles primeiro e vivido por nós depois.
    Um beijo querida filha, um beijo querida mãe.
    Wilma

    ResponderExcluir
  6. Assustei quando vi "quatro anos"... o que nunca surpreende é tua sabedoria, esse querer sem medida expressado sem moderação, e teu olhar amoroso sobre todas as "atualizações" para a querida d. Lucy... quem te conhece acompanhou cada passo dessa revisão, sentiu os suspiros e a valentia, sabendo que a expervivência te faz mais forte, porém, não menos capaz de tanta sensibilidade...

    Bjãzão caçulinha, mais um abraço bem grande e apertado, soprando pra ela um beijo e pra ti um "te amo lindona!"

    ResponderExcluir
  7. As notícias que mandas são mais para animar tuas boas recordações...
    Tenho certeza que ela sabe de tudo o que se passou por aqui depois de sua partida...
    Ainda mais com esta presença que permanece nos teus pensamentos...
    Mas, foi bom compartilhar das tuas lembranças!
    Bjs, Rê!

    ResponderExcluir
  8. Quantas coisas seguiram seu caminho, estamos conectados com um todo sempre...
    Beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  9. Eu acho que ela te manda notícia todo dia. Toda vez que vem o Sol, brando e aconchegante. Toda vez daquela estrela brilhar mais forte que as outras. Até quando vem chuvinha boa, sem desvario, tem notícia dela dizendo amor e zelo.

    Tão lindo, Rê.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  10. À quanto tempo! Saudades de passar por aqui.

    Abraço

    ResponderExcluir
  11. Querida Re!
    Também tenho muitas saudades da mamae. Passei o dia inteiro lembrando-me dela. Se estivesse viva com certeza iria comemorar. Vc. se lembra bem o que ela dizia: "comemorar a vida é um privilégio". Eu acendi um vela colorida pra ela , pois tenho certeza que de lá, onde ela estiver comemorou e dançou muito com papis, seus irmãos e pais Também ... mais da metade da família Pitchon está com ela!!!
    O seu texto está lindo. Compartilhei com dor no coração pois tb. tenho muitas saudades dela. Para mim, os piores dias são os finais de semana , quando me pego tendo vontade de ligar p/ Belô p/ saber como ela está passando. Apesar dos 4 anos já passados tão rápido, tenha certeza que de onde ela estiver, suas asas estão abertas protegendo toda sua adorável família.
    Coragem!!!
    Estou com saudades suas. Beijuuusss carinhosos da sua irmã Mary

    ResponderExcluir
  12. Oi Re,
    Escrevi um texto lindo mas parece que na hora de postar , fiz algo errado e ele desapareceu. Uma pena!!!
    Beijuuus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desapareceu não! Tá aí acima. Sim, minha irmã querida, também sinto que ela está, diariamente, com suas asas e-nor-mes e sempre protetoras nos iluminando, guiando, abençoando! Mas a saudade...essa é diária.
      Beijuuss e fica bem.

      Excluir
  13. OI, saudades de você. Passei aqui para revigorar minha alma. Mil beijos

    ResponderExcluir
  14. Olá Rê!
    Saudades heim?!! É danadinha essa saudade ...
    Vi muito carinho, muito ... coração!
    Que bom!!
    Bj, fica bem.

    ResponderExcluir
  15. Oi, Regina!!
    Sua mãe fez o melhor nessa vida, plantou saudades! E você e seus familiares fazem-na reviver a cada lembrança, um pouco dela em cada um de vocês.
    Sinta meu abraço apertado :)
    Beijus,

    ResponderExcluir
  16. Minha amada,
    que conversa mais gostosa essa sua com sua mãe!
    Eu tenho certeza que ela ouviu. E quem sabe em sonhos, esse cunversê tenha sido a motivação de vc estar aqui nos contando.
    Vou te contar uma coisa que aconteceu comigo há muitos anos atrás quando meu filho do meio tinha 6 aninhos.
    Meu pai viajou em 1961. Eu por muito tempo o sentia perto de mim. uma vez, recebi assim do nada uma mensagem de um médium que nem me conhecia falando sobre onde meu pai estava morando no plano espiritual. E me deu dados muito precisos. Nem precisa dizer que acreditei, embora nesses assuntos, seja eu cética até porque tenho muita sensibilidade e encaro com seriedade. Não preciso de provas, eu sinto .
    Voltando ao meu filho. Estava eu, enquanto meu caçulinha dormia , na minha cama sentada , livros espalhados fazendo um trabalho. Ao meu lado, brincando com carrinhos , espalhados no piso, estava meu filho do meio. Bem, ninguém conheceu meu pai, pois ele faleceu qdo eu tinha 14 anos. E esse meu filho nunca me perguntava sobre ele. Tinha os outros avós.De repente, me veio uma onda de saudade, uma vontade de chorar,parei e meu coração se encheu de ternura.
    parecia que meu peito era um pássaro a bater asas. Parei, emocionada, e fiquei a conversar com meu pai.
    Olhei( olha a cética rs) para meu marcelo e perguntei: filho, você tem saudade de alguma pessoa? Ele, distraído, continuando a brincar, falou: sim, mãe, eu me lembro tanto do meu vô Alberto. Ele era bonzinho, né?
    E só!
    Eu fiquei tão mais emocionada.
    Eles, do lado de lá, sempre estão conosco, principalmente, aqueles que já atingiram evolução espiritual.
    por isto devemos er esse respeito, sempre enviar para eles vibrações de muito amor. É como rezar a deus, ele nos escuta. E responde. nós é que não paramos para ouvir as respostas.
    Obrigada, minha iluminada-mada por sempre falar dessas coisas da alma.
    É tão bom, refrigera-nos e acalma!
    Beijos,
    Te amuuuuuuuuuuuuu

    ResponderExcluir
  17. Emocionante, no mínimo, Rê...
    Linda a "carta" que lhe escreveu dando notícias e depois o seu sentir... E é bem verdade, só existe saudade quando algo nos marcou de forma extraordinária!
    (Penso que muita gente gostaria de ter uma mãe como a sua...)
    Um BJO especial, Rê

    ResponderExcluir
  18. Olá, RÊ!

    Amor, saudade e muita imaginação deu neste lindo texto.Que me deixaria confundido não soubesse eu que a sua mãe já tinha partido, de tão real e bem escrito que está.

    Saudade dói sempre, quando nos lembramos daqueles momentos felizes, que tendo ido, não voltarão mais...

    Bom restinho de Domingo, continuado numa boa semana.
    Beijinhos
    Vitor

    ResponderExcluir
  19. É para mim uma honra acessar ao seu blog e poder ver e ler o que está a escrever é um blog simpático e aqui aprendemos, feito com carinhos e muito interesse em divulgar as suas ideias, é um blog que nos convida a ficar mais um pouco e que dá gosto vir aqui mais vezes.
    Posso afirmar que gostei do que vi e li,decerto não deixarei de visitá-lo mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Aproveito para lhe desejar um feliz Natal e um Ano-Novo cheio de felicidades.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se ainda não segue pode fazê-lo agora, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.
    Que a Paz de Jesus esteja no seu coração e no seu lar.

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget