Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

ALEGRIA/FELICIDADE=todentro


Recebi um vídeo hoje do Rogerinho que me pareceu coisa encomendada. Como vocês sabem, para me manter “conservada”, faço ginástica a muitos anos numa mesma academia. A fidelização tem um nome: “Ratthão”. Professor quarentão, saradão, sempre bem humorado, prepara as aulas com carinho e competência. Depois de tantos anos juntos, já nos acostumamos com o entra e sai de alunos e com a maneira de ser de cada um. Somos amigos. Hoje saí incomodada da aula.
Malhar às 7h da matina não é fácil. Requer uma pitada, pelo menos, de bom humor para aguentar os abdominais, agachamentos, quatro apoios, alteres, caneleira, step, jump, corrida, ufa!!! Carrego além de toalha e garrafinha de água, muita alegria. Sinto que assim os exercícios ficam mais leves e que além de endorfinar o físico, a alma e o coração saem em forma.
Começo minha série com um sonoro Boooommm Diiiiiaaaa Flor do Dia, para as meninas da recepção que, ainda sonolentas, despertam sorrindo e me respondem que nem uma dupla sertaneja. Vou subindo as escadas no ritmo da música que já está tocando e brincando com os colegas que estão indo embora.
Na hora dos abominais faço a mulherada cantar: “gordurinha, gordurão, to te queimando de montão”, nos exercícios para trabalhar o peitoral digo - vamos lá meninas, hora de colocar o silicone no lugar e assim entre uma brincadeira e muitas risadas terminamos nossa hora na academia.
Descobri lá, que alegria incomoda. E bom humor irrita (Fernanda Young que o diga). Quando a Sônia soltou, tempos atrás, lá do fundo da sala em tom de brincadeira - Odeio gente feliz, às 7h da manhã!- comecei a perceber como é difícil estar alegre, feliz, sem motivo. Tem que ter alguma razão, depender das circunstâncias, ser resultado de um evento. Se não você é taxada de “doida”. E no meu caso então, está explicado: é psicóloga!
Claro que, como qualquer mortal, tenho problemas no trabalho, na família, nas relações, na vida. Muitas vezes fico de mal dela e, até fazermos as pazes novamente, prefiro ficar no meu cantinho. É uma escolha. Outros já se sentem no direito de espalharem seu mau humor, sua tristeza ou infelicidade em tudo e em todos.
Quase todos nós pensamos na alegria, na felicidade, como uma reação ao que acontece externamente, mas ela é na verdade um estado mental que tem muito pouco a ver com o que se passa à nossa volta.
Ouço todos os dias dos meus clientes, de que seriam completamente felizes quando conseguissem uma determinada coisa e vejo como se surpreendem ao constatarem, que ficaram insatisfeitos e infelizes quando aquilo que desejavam aconteceu. A viagem dos sonhos, a compra do carro zero, a eliminação das rugas, o emprego arrumado, o salário aumentado, dão uma alegria temporária, mas a emoção passa rapidamente e logo voltam a ser tão felizes ou infelizes quanto eram antes.
Fomos treinados para nos sentirmos mais à vontade com a infelicidade e a tristeza. Ninguém se irrita quando você está triste. São tão solidários... E ninguém acha que você está doido!
Por estranho que pareça, não estamos acostumados à felicidade, à alegria: às vezes ela incomoda, é como se não a merecêssemos. Então a escondemos, para não criar inveja, para não gerar perguntas.
Algo a respeito do significado da vida muda quando compreendemos, profundamente, que não vamos durar para sempre. Quando aceitamos como somos, com nossos limites e talentos. A vida é longa, mas o tempo é curto.
A felicidade, a alegria não depende tanto do que acontece quanto da maneira como lidamos com o que ocorre. Elas são determinadas pelo modo como percebemos, interpretamos e assimilamos o que acontece com nossas emoções. E a nossa forma de perceber as coisas depende de nosso empenho. Estamos empenhados em ver o pior ou o melhor nas pessoas e nas situações? Cada um que tome sua decisão.
Ratthão saiu de férias. Durante um mês estaremos com a nova professora, que apesar de bem nova, já se irritou com a minha alegria às 7h da manhã. Talvez um dia ela descubra que, para alcançar a alegria, só tem que fazer que o quando seja agora.
Assim que abri o computador para escrever isso, dei uma checada no meu e-mail e recebi esse presente que ilustra, sem palavras, tudo acima descrito. Rogerinho, Obrigada!!!

SHOW SURPRESA NO METRO DE LONDRES
Olhe o que aconteceu numa estação de metro de Londres.
Foi numa segunda feira de manhã, e todos foram trabalhar numa energia maravilhosa depois. São 70 bailarinos misturados com passageiros e esses acabam interagindo nas danças.
O "show" foi planejado e ensaiado durante 8 semanas, sem o conhecimento do público.

http://www.youtube.com/watch?v=VQ3d3KigPQM

Veja também o making off:

http://www.youtube.com/watch?v=uVFNM8f9WnI&feature=channel

A alegria é contagiante (?!). Eis a prova.






3 comentários:

  1. Alegria/felicidade.nossa!! acho que neste texto voce disse tudo,e è tudo isto que mais prezo na minha vida alegria e felicidade.sabe Re,procuro a felicidade nas pequenas coisas que vivo a cada dia ao lado desta pessoa maravilhosa que ganhei de presente de minha sogrinha....o sorriso dele,o abraço.o carinho,o abrir a janela de meu quarto pela manha e ver que estou viva para contemplar mais este dia,o dar bom dia aos meu funcionario(que faço otdas as manhas antes de tomar meu cafe)e saber que DEUS esta todos este momentos ao meu lado me trazendo um pouquinho de cada coisa.isto para mim è a felicidade que eu gostaria de repassar a todas as pessoas que amo muitooooooo....mas as vezes è dificil.
    beijao lindinha e um final de semana lindu e feliz para voces.santinha(mary)

    ResponderExcluir
  2. Oi Regina!
    Amei o blog! Com certeza vou divulgar e visitá-lo outras vezes!
    Felicidade prá mim está na paz do que foi conquistado, mas também na euforia do novo.
    Sou muito feliz graças a Deus e a mim também. Acredito na “lei do retorno”, então fazendo o bem, coisas boas vão acontecendo na minha vida!
    Que sua vida seja repleta de felicidade!
    Paula Seabra.

    ResponderExcluir
  3. AI RE
    AGORA FAÇO TERAPIA AQUI .QUE DELICIOSO LER TUDO QUE VOCE ESCREVE.BEIJAO

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget