Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

quarta-feira, 1 de abril de 2009

PARA VOVÓ

Na segunda-feira 02/03, meu sobrinho Gustavo fazia 30 anos, e escrevi sobre o aniversário dele e a ausência da mamãe. Nem imaginava que na sexta-feira 06/03, ela seria internada e de lá só sairia para sua derradeira viagem. O Gu esteve com ela de maneira especial, todos os seus trinta anos de vida. O neto de cabelo de "mercúrio cromo" vai se casar em 2010 com a "branquinha"(Ilana) e minha mãe queria muito ter essa alegria. Você mãe, vai ter. Vai assistir de camarote especial: ao lado do CRIADOR dessa grande peça de nome VIDA!







À minha família,

Envio, em anexo, o texto que escrevi para a vovó e li hoje na casa dela, durante a reza. Registrei neste texto as mais vivas e fortes lembranças que me ocorreram assim que iniciei a jornada solitária de volta da China, logo após a triste notícia do seu falecimento. É claro que tem muito mais coisa para falar, para lembrar, para escrever, afinal de contas, como ela foi tão capaz de proporcionar à nossa família momentos tão plenos de integralidade familiar (mesmo sem a presença do vovô), alegria, festejos e união! Além disso, cada um de nós também tem as suas memórias e passagens individuais com ela que, com certeza, são todas muito preciosas e não tenho como desvendar... Essas devem ser guardadas (e porque não, reveladas ao longo do tempo?) com muito carinho por nós! Espero que este texto possa nos trazer conforto, ajudar-nos a relembrar de outros tantos momentos felizes que vivemos com a presença dela e que contribua para mantermos acesa a chama de sua memória e de nossa ligação como família!!! Tentei condensar na poesia, principalmente, a força, os valores, as atitudes e o amor que ela me ensinou enquanto esteve aqui conosco! Com o aprendizado, com certeza, ela mantém-se viva aqui dentro do meu coração. Para que conheçam a história desta poesia, foi escrita nas longas horas de vôo que tive e, logo que cheguei de viagem, na sexta-feira, a Ilana me buscou no aeroporto e fomos juntos diretamente para o cemitério, onde visitamos a vovó, fiz-me presente, a posteriori, em sua despedida da família, rezei um Shemá Israel para ela, li para a vovó a poesia e rezei um Kadish pra ela. Ao final, antes de ir embora, depositei a poesia onde ela está. Com isso, senti como se tivesse participado da despedida dela com vocês... Boa leitura e boas memórias!


Amo vocês.


Beijos, Gu.


“Madre”
Vida e Reencontro
Uma simples homenagem para minha amada Vó!


“Madre”, ela dizia!
em suspiros bem seguros,
ao longo de toda a vida,
para espantar os seus apuros,
era a força da minha vó querida,


“Venham todos”, brilhando os olhos!
sentar em volta de uma farta mesa,
“pepinicos” com sal, “huevos” de sexta-feira ela fazia,
“tomates reinados”, mas que beleza,
santa rita durão, era um pra meio-dia,


“Madre-Mia”!
dirigindo o fusca ia sempre em frente,
para dedicar-se à nossa alegria,
“Shemá Israel” à noite, era a D’us temente,
agradecendo e para o novo dia,


“Vá tranqüilo”, foi com firmeza,
em minha mais difícil decisão,
de ir embora para viver só,
o seu apoio foi o empurrão,
ao chorar o neto no colo da vó,


Quatro anos havia se passado,
e, no Rio, foi me visitar,
já não era a mesma, pude perceber,
de mãos dadas, na praia do Leme, entramos no mar,
papéis trocados, não dá pra esquecer,


“Madre-Mia Piedosa”!
mais freqüente e frágil o seu suspirar,
o apoio mudou de lado, sinal do tempo,
animando-a a se levantar e ajudando-a a caminhar,
é muito forte o meu sentimento,


Eu estava longe, você foi embora,
estou voltando logo, mas vou sentir saudade,
o que conforta é que é chegada a hora,
de reencontrar-se, enfim, com sua tão chamada “Madre”!


Vó, te desejo o mais lindo dos lugares...
Com todo o meu carinho e admiração,
Te amo eternamente.


Gustavo Rozenbaum Bcheche, 26-27/03/2009
Pequim/Paris/São Paulo/Belo Horizonte,
nos céus deste mundo, de algum lugar bem perto de você,
senti que nos encontramos enquanto eu voltava e você subia.
A sua força estará sempre comigo!
PEK-CDG-GRU-CNF
AF 0125 – AF 0454 – GOL 1648
13:45 (Beijing Time) 26/03 – 11:50 (Brasília Time) 27/03




Um comentário:

  1. Regina, voce sabe que faco parte do fa clube dos seus sobrinhos. MEUS NETOS como diria nossa QUERIDA D.LUCY. Sem falar da lembranca da nossa visita no SAO LUCAS, para ver aquele pequeno, tao fofo e diferente de cabelo de fogo! Achei lindo o escrito do Gustavo!Tao jovem com tanta maturidade e lucidez!
    Beijos Venica

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget