Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

segunda-feira, 11 de maio de 2009

DIA DAS MÃES NO TOPO DO MUNDO

Hoje ao acordar não fui correndo prá casa da mamãe acordá-la com meus beijos e receber os dela. Hoje não pude receber as flores que, todos os anos, desde que me tornei mãe, ela sempre me deu dizendo da mãe maravilhosa(?!) que eu era! Hoje não pude brincar com ela falando - é mãe , vc não tem medida! (era prá falar da "gordura" que ela estava, junto com a minha incapacidade eterna de medir tudo que sempre fez e fazia por mim e pelos netos André e Daniela). Hoje não pude confidenciar a ela um segredo qq, só meu, e pedir-lhe que não contasse prás minhas irmãs, mesmo sabendo que assim ela faria.
Hoje ao acordar e receber os beijos de André e Daniela e chorar de emoção e gratidão por ser mãe, chorei mais uma vez por ela, chorei de alegria por ter sido sua filha e assim ser mãe!
Fomos hoje mãe, ao Topo do mundo. Reunidas em volta de uma mesa farta, como sempre você gostou, ouvimos o Gui cantar, a sua voz no celular da Lea, avisando-a de onde estávamos, ano passado, no Dia das Mães. Deixamos as lágrimas escorrerem, os sonhos serem ditos em voz alta, o sorriso de brincadeiras acanhadas. Lá no alto mãe, vendo os vôos humanos escutei você mais uma vez... Com aquele céu azul, o vento soprando e o sol me aquecendo, senti que você estava ali, ao meu, ao nosso lado. Obrigada! Aproveitei e fiz dessa oração o meu presente para você:
“Que a estrada se abra à sua frente,
Que o vento sopre levemente às suas costas,
Que o sol brilhe morno e suave em sua face,
Que a chuva caia de mansinho em seus campos...
E, até que nos encontremos de novo,
Que D’US lhe guarde na palma de suas mãos”.
(Prece Irlandesa)
Feliz dia das Mães! Amo você!

2 comentários:

  1. Oi Regina, adorei seu blog. Me emocionei em vários momentos... ;-)

    Prazer te encontrar aquele dia e vamos "trocando figurinhas".

    PS: Já está nos meus favoritos e vou ler sempre!!! Bjos

    ResponderExcluir
  2. Oi, também adorei seu blog e pelo jeito viemos em família comentar... ;-)
    Muito legal nosso encontro na vernissage do Richard e agora vamos estar sempre conectados.
    To adorando ler, sempre entro e leio um pokin...
    bjão!!!

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget