Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

terça-feira, 31 de julho de 2012

ESTRANHA PAIXÃO


Sabe quando a gente resiste a uma nova paixão? O coração acelera com um telefonema, as mãos suam diante da presença, a ansiedade aumenta no aguardo do próximo encontro, mas a gente resisti com medo de sofrer? Vai doer, é o pensamento. E mesmo assim queremos o próximo encontro. Contamos os dias para chegar a hora marcada. Masoquismo? Não. Como todo e qualquer desconhecimento, entramos receosas, molhando só os dedinhos dos pés. Aí, com o tempo, a gente mergulha. Pois vou contar: jamais imaginei que me apaixonaria por agulhas! Há milênios o homem utiliza esta técnica para amenizar sofrimentos, aliviar mal-estar, curar doenças. Uma coisa é fato: a gente vive correndo nesses dias que passam rápido e ficar deitada, quietinha, sem poder se mexer por causa das agulhas espetadas pelo corpo inteiro parece mesmo algo sem sentido. Haja paciência para dar conta de um certo desconforto inicial. E depois vem o aborrecimento de me acordarem. É que fico tão relaxada, tão zen, que apago por preciosos trinta minutinhos. Encontro rápido que já me queixei, né Dr.Flávio? Afinal, paixão carece de mais tempo.  E fico nesse estado Rê_zen de ser até o próximo. Confesso: não sei se é a acupuntura, a fisioterapia, os exercícios na academia, mas o problema do ombro está quase resolvido. É ou não é para se apaixonar?!

21 comentários:

  1. Rêzininha.....

    Eu tumêm tô fazêno algo parecido, mas como a grana tava curta... Optei por fazer um Perfil no FACEBOOK.. Lá as CUTUCADAS são DI GRÁTIS.... hehehehe

    Deusssssssssskiajude
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Regina que fantástico!
    Sou apaixonada por técnicas orientais. Acredito que o equilíbrio é a fonte de todas as nossas curas. Talvez não seja uma outra coisa, mas a junção de tudo que você esta fazendo deve estar trazendo o equilíbrio para o seu corpo e te curando! Que bom! bjsss

    ResponderExcluir
  3. Re
    é de apaixonar sim.
    O maridão é acupunturista e me socorre em tempo integral.
    Tem uns pontos que eu solto uns impropérios, mas ele não liga mais. Depois passa e o que fica é o equilíbrio.
    Técnicas apaixonantes!
    Sem elas eu estaria à mercê de antis isto, aquilo e os efeitos colaterais me judiariam demais.
    Haverá um dia em que o ser humano será tratado com a dignidade merecida, corpo/mente/espirito.
    Beijinhos e.... boas agulhadas

    ResponderExcluir
  4. AH! Voce me pegou pensei que a paixão fosse por outra agulha. Afiada, profunda e intensa.
    Estou bem, como pode ler.
    Na expectativa dos meus apaixonantes instrumentos cortantes.
    Espero sim me apaixonar pelo resultado deles.
    E assim seguirmos a vida como um casal moderno, gratos muito bem resolvidos e intensamente separados.
    Beijos
    Wilma
    www.cancerdemamamulherdepeito@blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Bom dia, Rê!
    Nossa que paixão! É bom demais estar apaixonada, nem que seja por agulhas ou por quem as espeta na gente.
    Esta técnica, quando bem aplicada, é fantástica, a pessoa se sente acarinhada, cuidada e por isso a retribuição só pode ser com amor.
    Linda troca esta!
    Tenha um lindo dia azul!
    Estou em Cabo Frio aproveitando uns dias de férias com o maridex, mas não consigo me desgrudar dos amigos virtuais.
    Se quiser ver mais coisas bonitas, não perca o vídeo francês que deixei lá no meu pedaço ontem.
    bisous carrioca

    ResponderExcluir
  6. Só paixão explica ficar lá deitada enquanto alguém enfia agulha na gente,kkk
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
  7. Má-nun-é? Agulhinhas santas! Tiram até dores atávicas... E vamos combinar: minimamente desconfortáveis e nada invasivas. TÔ DENTRO! Beijos, Angelinha
    http://noticiasdacozinha.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Dessa paixão estou livre... a não ser pelo amor a um risoto de camarão à base de arroz agulhinha.
    Boas alfinetadas, moça. Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Bem que me disseram que amar pode ser bem dolorido. Ai, me dá aflição daqueles troços de pé no corpo da gente, se sentindo bem a vontade como fosse dono de tudo.

    Bacaninha você ter enfrentado tudo e se entregado à paixão.

    Beijo, Rê_Zen.

    ResponderExcluir
  10. Desde que nos resolvam os problemas, ficamos bem,né?
    Eu não gosto de jeito algum de ser "fincada",por agulhas... beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  11. Assim como a Wilma pensei se tratar de outras agulhas rs. Mas esse seu post veio a calhar Rê, estou tendo muitas dores na coluna, pé e etc...coisa de DNA mesmo rs, mas vc me animou, é bom mesmo? Melhora a dor? Será que o convênio cobre? Se vc puder me responder agradeço, quem sabe esse não é o caminho para eu me aliviar dessas dores da hérnia de disco. Fico no aguardo!!! Bjssssssss

    ResponderExcluir
  12. Olá Rê
    Te confesso terminei minhas fisioterapias no ombro e me apaixonei pelos "chóquinhos" kkkk.
    Dores na vida e da vida...nem pesar né? pra quê? rs
    Beijos da Sol

    ResponderExcluir
  13. Olá Rê ! Como eu compreendo ! :))
    Passei uma fase em que adorava o shiatsu ! As dores da coluna desapareceram ! :))
    Inicialmente era como se se apanhasse uma tareia, o corpo ficava todo dorido, mas logo depois uma sensação de relaxamento total !
    Acontece que esse "japonês" usava uma técnica dupla, também com aplicação de agulhas em certos casos, em pontos previamente "queimados" com uma minúscula bolinha de qualquer coisa em "brasa" (???)... não me lembro bem !
    Foi fantástico ! Parece masoquismo, mas não é e vicia mesmo pelos resultados :)))

    Beijinho !
    .

    ResponderExcluir
  14. Toda paixão nos tira do eixo,,,nos faz tremer,,,sentir longe,,,é como fosse a primeira vez....beijos de lindo dia pra ti minha amiga querida,,,

    ResponderExcluir
  15. O bem estar é a melhor conseqüência dessa paixão toda, né' Rê? Que bom estar colhendo os frutos de todas as alternativas e entregas...os orientais têm essa magia e nós, os benefícios.

    Feliz por te saber bom, amada...tim-tim!!!

    Bjos

    ResponderExcluir
  16. Claro que sim Rê!
    Que bom estar a resultar!
    Pessoalmente sou fã destes tipos de tratamentos (sabedoria) orientais, vais ver que vais ficar muito bem.
    Mas olha ... a outra paixão também faz muito bem, não deixes de a experimentar, sempre que puderes.
    Bjs, fica bem.

    ResponderExcluir
  17. Regina,

    Nunca fiz, acredita?!
    Eu conheço muitas pessoas, inclusive minha irma, que já fizeram e sempre elogiaram os resultados.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  18. Minha nova paixão, faço ma vez por semana, ansiedade diminuiu,pressão arterial estabilizou,sono regular..não abro mais mão!Bjs.Sandra

    ResponderExcluir
  19. Um belíssimo final de semana pra ti minha amiga,,,muito carinho, paz e muitas poesias,,,,beijos e flores...

    ResponderExcluir
  20. Já ri até do Xipan ai encima kkk! Sempre muito bom curtir seus escritos você escreve fácil e gostoso minha amiga. Mudar é muito dificil ter que quebrar tudo retirar o entulho e contruir o novo mas chega um momento que precisamos fazer isso! Tudo de bom em tudo e sempre!

    ResponderExcluir
  21. Sem dúvida!!!

    (Sorrio com este post...)

    Bjo, Rê :)

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget