Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

terça-feira, 3 de julho de 2012

ODOR RURAL


Céu de doer as vistas
Às vezes chego a pensar que em outras vidas fui da roça. Seja escrava ou sinhazinha bem no meio de uma fazenda devo ter vivido. Passar todo o final de semana (e voltar só na segunda) em meio aquele céu de brigadeiro, fogão de lenha, quitutes, pássaros, galinhas, bois e cavalos, espanta qualquer frio. É tudo tão simples e gratuito que a alma se sofistica. Sábado, na nossa capelinha, fizemos o ritual para o Conselho Cármico. “Os Senhores do Carma se reúnem, quatro vezes por ano: 31 de março, 30 de junho, 30 de Setembro e 31 de Dezembro, para rever petições da humanidade não ascensa, e assegurar dispensações, baseadas em merecimento individual de cada um. Esta é uma boa oportunidade para analisarmos nossa vida nos últimos três meses. É a hora certa de agradecermos aos objetivos conquistados e pedirmos aos Senhores do Carma, dispensações e orientação divina para a solução de problemas pessoais e planetários.” Uma energia maravilhosa nos guiou e pedimos ainda pela Paz e Cura universal. No inverno, as pessoas não hibernam, mas vão para dentro, e é aí que as grandes mudanças acontecem. Começa com um olhar bem de perto, que enxerga o que há de errado e de certo. Depois, há mais tempo e vontade de tentar algo diferente. As promessas de início de ano, não são nada se comparadas ao que se processa a partir de agora. Repara bem, repara que a mudança acontece. Sucos naturais, leite quente, cerveja, vinho, cobertor, lenha, fogo, mãos que se esfregam e tocam, caldo de mandioca e escondidinho, roupa bonita e quente, as horas passando calmas entre o presente e a memória evocada... Tudo isso entra em cena e marca a temporada. Claro que teve uns marimbondos e lagartixas para me desassossegar e o Brás inteiro conhecer minha voz, né Zé? Prefiro as galinhas d’Angola gritando bem cedinho tôfracatôfracatôfraca e eu respondendo: Booommm dia dia, Booommm dia céu, Booommm dia Zé e Syl, Booommm dia Santa Mathilde, Booommm dia Vida!!! Já fiz pré-reserva para final de julho. 
Salsinha fresca
Jardim de couve
Alface "panhada" na hora de fazer a salada!
Despertador matutino
Capricho de Syl
Escondidinho de mandioca...mandioca da fazenda. E a gente ACHA que já foi pro céu!

Max se esforçando pra namorar Luna... Ô cadela generosa!
Uma das lindezas floridas
Café da manhã bem mineirim de ser!

25 comentários:

  1. Bom dia, Rê!
    No ginásio você foi boa em redação, não foi?
    Você escreve e eu vou fazendo o cenário mentalmente, parece até que estive lá contigo, mas as fotos mais abaixo complementaram este lugar maravilhoso onde recarrega suas baterias. Que delícia!
    Por isso eu gosto tanto do inverno, porque é a hora que a gente bota um pouco o pé no freio e observa a vida por dentro e à nossa volta.
    Todos nós deveríamos tirar um tempo assim na vida, aliás já estou aqui traçando um tempo como este para meu final de julho agora, só que vamos botar os pés na água do mar, aproveitar que aquela galera louca por verão está bem distante neste período, não há melhor praia do que a de julho e agosto.
    beijos, muitos, cariocas

    ResponderExcluir
  2. Delícia de post e que vidinha essa mais ou menos, não é?? Amooo.. adorei ver a hortinha.. perfeita!!

    beijos e boa terça.

    ResponderExcluir
  3. Rê, minha irmiga, entendo ocê, mas viver no campo tem muito que se lhe diga e trabalhar nele ainda mais. Não que eu viva ou tenha trabalhado muito lá, mas já vivi alguns períodos e assiste ao trabalho duro. Claro fim-de-semana e bem acompanhado deixa aquela nostalgia. Eu adoro todos os meus fins-de-semana no campo e até penso que gostaria de me mudar para lá e de lá trabalhar, mas não tenho bem a certeza se estarei preparada para a dureza. Jinhos Enormes

    ResponderExcluir
  4. Ô sô!
    Vida na roça é bom dimais da conta!!!!!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Olá, Regina!
    Que maldade, na hora do almoço essas comidinhas deliciosas! Bem que poderia mandá-las por e-mail!kkkkkk
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  6. Um privilégio, ser fazendeira de fim-de-semana, e desfrutar de todas essas coisas bonitas e gostosas!
    Isto é que é um carma bem compensador!
    Bjs, Rê!

    ResponderExcluir
  7. Os ciclos da vida não se fecham: ou se abrem em espiral ou avançam em hélice. Ou os dois. Bela Arcádia mineira. Arranje um banquinho para o Max, coitado.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. A natureza é sedutora na sua graça e beleza singelas...como td que é bonito...que bom viver entre estes verdes de esperança, este perfume natural, este sabor de céu, na boca...que fica aguada diante desses quitutes, salivando contemplativamente...beleza de fds, Rê...quem conhece, bem avalia!

    Bjãozão, irmiga...de página vrada, visse???

    ResponderExcluir
  9. OI REGINA!
    QUE COISA MARAVILHOSA.
    A VIDA ASSIM É PARA QUEM GOSTA MESMO,EU TAMBÉM ADORO.
    ME REPORTOU A MEU TEMPO DE CRIANÇA.
    AS GALINHAS CANTANDO DE MANHÃ, "TÔ FRACO", O LEITE QUENTINHO, ESTA MANDIOCA, QUE AQUI SE DIZ AIPIM, MAS QUANDO EU MORAVA NO INTERIOR TAMBÉM SE DIZIA ASSIM.
    ABRÇS

    zilanicelia.blogspot.com.br/
    Click AQUI

    ResponderExcluir
  10. Que delícia!
    Sabes, querida Rê, que quando te leio ou leio alguém do Brasil nunca vos associo ao campo?
    Que tola que eu sou!
    Até parece que esqueci todas as telenovelas que vi.

    E, afinal, é para quando a vinda cá?:))

    mil beijinhos

    ResponderExcluir
  11. Que coisa linda,tantas fotos maravilhosas!!Lindo lugar!! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  12. Gostei de tudo o que li e do que vi, mas... aquilo é PÃO DE QUEIJO????????
    E aquilo é QUEIJO DE MINAS?????
    EU QUEEEEEEEEEROOOOOOOOOOO!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  13. Ai, eu queria sair sem comentar, de tanta invejinha (branca? rsrs)que senti dessa calmaria toda, dessa tranquilidade tão cheia de vida.

    Invejinha sim, mas cheia de contentamento por compartilhar desse teu momento tão bacana.

    E escondidinho, minha irmã faz um bacaninha.

    Beijo.
    me leve no final de julho, eu nem tenho medo de lagartixa.

    ResponderExcluir
  14. isso por aqui se chama a verdadeira qualidade de vida...
    adoro esse cenário, é um pouco o regresso a infância da casa de família lá no campo, com o leite ordenhado, fervido e logo bebido, com aquela nata deliciosa pintando a boca...
    Curte bem amiga

    ResponderExcluir
  15. É um aroma de vida,,,de paz,,,de serenidade de pensamentos,,,de muitas saudades,,,faz tanto tempo que não sinto esse odor do campo....beijos querida e um dia todo lindo e cheio de flores pra ti...

    ResponderExcluir
  16. Aiii que delícia, muito bom mesmo, respirar ar puro, conviver com os animais, despertador natural... e as comidas, nem se fale!! rsrs
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  17. Querida Rêzinha, só posso dizer 'Ameyn' na língua que Jesus falava e recebr, daqui, as bênçãos que vocês enviaram para todos nós. Beijos, Angelinha
    http://noticiasdacozinha.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Ô trem bão tudo isso aí hein Rê?

    Ficar de boa assim junto a natureza naum tem preço né loura, fala sério?!

    Céu, flores e frutos. Quietude e canto entre as árvores... Comidinhas e carinhos, tudo isso rendeu imagens além destas que nos mostrou (todas deliciosas).

    Ah, loura, vc e essa tua blogada me fizeram tão bem, nem imaginas...
    momento tudo de bom by Regina Rozenbaum.
    OBRIAGADA (com licença)kkk
    bacios caríssima!
    :D

    ResponderExcluir
  19. Oi Regina,

    Que post gostoso de ler! Minas é isso. Esse jeito simples, brejeiro, sem pressa e apaixonado pela natureza.

    Deve ter sido sim, muito bom!

    Beijos

    Leila

    ResponderExcluir
  20. Que belas fotos, Regina! Aliás, ficar nesse lindo lugar num friozinho de outono/inverno deve ser maravilhoso. Beijão e boa semana.

    ResponderExcluir
  21. Oi Re.... tudo bem??

    Enqunato eu lia o seu belo texto imagens se formavam em minha mente!!
    Fui na no campo com voce...Que delicia!!
    As fotos estao maginificas...
    Consegui imaginar o cheiro da natureza daqui..Um beijo...

    ResponderExcluir
  22. Re, acho linda a vidinha rural... por uma semana, kkk
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
  23. A vida no campo é realmente uma delícia, quando vou no sítio fico com o coração partido em ter que voltar, o céu azul, o verde, o colorido que tem lá faz um bem danado para a alma...E o inverno, com seus dias frios ou nublados são um excelente panorama para se olhar para dentro, rever a vida, refletir...
    Simplesmente uma delícia! a vida rural e o seu texto, recheado de belas fotos.
    Gd beijo

    ResponderExcluir
  24. Regina, que saudades de um tempo mais calmo que já experimentei! Cidade pequena, sítios, roça, horta, animais... queijo, leite, manteiga, tudo fresco. Fogao a lenha... bolos. Tantas estrelas no ceu que até confundem!!!!

    Olha, eu ADOREI o seu Despertador Matutino! MUIITOOOOO.....


    BEIJOS

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget