Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

sexta-feira, 29 de junho de 2012

MULHERES À BEIRA DE UM ATAQUE DE RISOS


                Esperta é a vaca que já nasce malhada e não precisa fazer musculação!

Quando quatro amigas - que há muito não se viam - sentam ao redor de uma mesa com comidinhas e bebidinhas deliciosas é prosa pra mais de horas. A língua chega a ficar dormente e as bochechas doloridas de tanta risada. Mas há que se ter um certo treinamento para acompanhar o conversê, pois da mesma maneira que fazemos quatro coisas ao mesmo tempo, os assuntos pipocam de forma desordenada. Uma começa, a segunda aborda outro assunto, a terceira responde perguntando a primeira e a quarta tenta coordenar a balbúrdia. Quem observa de fora é capaz de enlouquecer. Se for homem então? Sai de fininho com interrogação tatuada bem no meio da testa. Tudo começa bem civilizado. Teatro, cinema, viagens, trabalho, filhos, família, até chegar às últimas novidades descobertas com a idade. Virgínia* começa contando que estava no salão quando entrou uma senhorinha vendendo soutiens italianos. Curiosa foi logo se decepcionando com a falta de armação - ou sustentação se preferir – dos mesmos e lascou na moça vendedora:
“Minha querida, quem tem samambaias choronas jamais pode usar um desses!” Meus peitos já foram nomeados por quase todo o hortifruti – limões, laranjas, melões - mas de samambaia e chorona foi primeira vez. Lembrei-me da varanda da casa de mamãe e elas lá, caindo maravilhosas até o chão. Renata* desabafa sua insônia - e consequentes olheiras de urso panda – além de confidenciar que não usa mais camisolas de renda. Como assim? Perguntamos. “Você vai dormir lisa e acorda estampada. A renda fica desenhada no seu corpo. Aliás, até a fronha tem me marcado. Isso é coisa da idade – tudo marca!” E a moça ainda canta Chico: Quero ficar no teu corpo, feito tatuagem, que é pra te dar coragem, pra seguir viagem.... É, o tempo passa, mas também amassa! Letícia* dando outro tom na prosa – chorosa – diz estar se sentindo uma ONG. E nós: como assim? “Não sei explicar direito, mas é como se a gente deixasse de ser mulher pra virar uma entidade, uma instituição, uma organização, uma repartição pública, talvez. Sabe aquela coisa que tem uma função na sociedade, cumpre um papel, presta um serviço, mas a que ninguém dá atenção, ninguém admira, ninguém vê direito? É assim que eu me sinto. Sou uma boa profissional, uma ótima ex-mulher, uma amiga pra todas as horas, uma cidadã correta, mas, como mulher, ninguém me enxerga mais. Lembram quando uma mulher madura passava na rua e um ou outro homem brincava que não era rei, mas gostava de uma coroa? (Me lembrei na hora e nem faz tanto tempo assim...início do divã rsrs) Hoje, nem isso!”A gente tem que rir disso tudo. Senão, além de velhas, vamos ficar emburradas?! Esses desabafos - com a escuta solidária – servem mais que qualquer botox, preenchimento, aspiração, etc e tal. E não abro mão, viu mininas?! Sigamos em frente na arte de bem envelhecer. No cardápio diário muitos quilos de humor. Fica tudo tão leve que até nos esquecemos desses detalhes!
(* nomes fictícios)

19 comentários:

  1. Oi Re..tudo bem?

    Amei a Vaquinha.. bela ilustracao..super bem humorada..casou super bem com tua cronica.

    Acho que a maturidade da e tira. Ta certo que ja nao temos os seios empinados nem a bundinha arrebitada, mas sabemos o que queremos e que nao queremos.
    Penso que sensualidade independe de corpo malhado.
    Tem muito mais a ver com atitute..
    Todo dia eu eu digo isso pra mim..rs

    Um beijinho....obrigada elo carinho la no meu cantinho...

    ResponderExcluir
  2. E quantas e quantas histórias e dramas elas terão pra contar nessa fase da vida....beijos amiga e um belo final de semana pra ti.

    ResponderExcluir
  3. Olá Ré, minha irmiga querida. Sei, entendi todo o encontro, todas as conversas. Só mesmo mulher entende. Só mesmo mulher ri de coisas tão tolas, ou chora em sintonia com as dores das amigas Jinhos

    ResponderExcluir
  4. Aqui tem [bom] humor inteligente e amigos que complementam bem o que dizes...

    Rê, o ataque de risos ajuda a tirar o foco dessa "degradação" da matéria, mas concordo com a Ma, a maturidade nos oferece valores inestimáveis...tudo despenca pro lado de fora, mas dentro tudo se encaixa com mais precisão, mais rapidez e, que loucura, preenche os lugares cheios de dúvidas e medos...não há cirurgia estética que dê benefício semelhante, né?

    Malhadas e vazias? Não serve pra quem VIVE esta vida com gosto e sentido!

    Bjos da vó meio-malhada, mas feliz da vida!!!...rsrsrs

    ResponderExcluir
  5. Mas são exatamente esses momentos que nos tornam mais jovens, lindas, ricas e felizes.

    ResponderExcluir
  6. Não, não te vejo chorona,
    Serás, talvez, bailarina.
    No corpo não és matrona,
    Na alma és sempre menina!


    Beijo, samambaia-bailarina.

    ResponderExcluir
  7. Ai cara amiga, chega um dia que não tem plástica, nem botox que dê jeito na coisa. Como diz a Chica, uma blogueira das boas, a gente começa a crescer pros lados, rsrsrs, daí...
    Mas pelo menos rende conversa boa, risadas que lavam a alma, pena que não ajudam a desenrugar.

    Beijihos

    ResponderExcluir
  8. Regina a força da gravidade não poupa ninguém e o tempo marca e não tem como...
    resta a consolação de ter vivido intensamente e isso traz a paz perante essas coisas incontornáveis...
    quem botoxa, silicona, malha,viagra,que seja feliz nessa escolha...
    eu quero que o tempo se reflicta honestamente em todos os capítulos da minha existência...
    vivi plenamente este meu corpo e como tal estou pronto !!!
    beijo

    ResponderExcluir
  9. Ler você é como beber água fresca de uma fonte em dias de intenso calor!!!
    (Meu trabalho de correção de provas finais - exames nacionais, está quase no fim. Quero voltar para reler alguns posts...)

    Bjzzz, querida Rê :)

    ResponderExcluir
  10. Ai, já comecei rindo pelas vaquinhas da ilustração. fofys!
    Eu faço idéia!
    Mulherada junta em bate papo é uma das coisas melhores que se tem na vida, menos pra homens que não aguentam nos acompanhar. Tadinhos, ficam até cansados de nos ver falando! hehe
    Adorei essa de peitos-samambaias-choronas!
    Só pela tua escrita, deu pra sentir a intensidade desse encontro. queria estar lá!
    beijos cariocas




    (email respondido)

    ResponderExcluir
  11. Sigamos em frente mesmo amiga!
    Bjs, bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  12. Pra completar, pererequinhas de boca e assaduras de meia idade! KKKKKKKKKKKKKKK Bjins, Angelinha
    http://noticiasdacozinha.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Olá, Regina!
    Quero morrer amigo de todas vocês!kkkkkkkk
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  14. Amei!!!
    Mulheres,,, sempre Luz* *
    Um post leve "um humor delicioso... Tá demais!
    Adoro esse tipo de post; um relato(retrato*(?) de uma mulher q sabe das coisas.
    BeijoS. Bom domingo!

    ResponderExcluir
  15. Menina, mexendo nas minhas escritas antigas, cartas, e tals, tinha lá uma bobagem que a gente respondia, aquelas perguntas tolas e aborrescentes, e uma delas me questionava como eu esperava ser a velhice. E não é que está se cumprindo? Postei até essa resposta no Face hoje.

    Deve ter sido uma delícia esse papo de mulherzinha, regado ao melhor da vida, a capacidade de rir de si própria e lasque-se o resto.

    Beijo, Rê da Grória!

    ResponderExcluir
  16. O que me rio com os teus textos, Rê!
    Por cá, os momentos entre amigas também são assim...atabalhoados.:))

    beijinhos mil
    (estou a reunir toda a informação de que disponho, para o mail-não te querendo maçar, não queria deixar de aproveitar a tua oferta e saber a tua opinião. Obrigada mais uma vez, minha querida.)

    ResponderExcluir
  17. Muito bom amiga Regina!

    Já precisava de ler-te para rir um pouco!

    Obrigada!

    Um beijo enorme e boa semana.

    ResponderExcluir
  18. Queridíssma, lindo texto.
    E vamo que vamo! Envelhecer é uma arte e tem que ter sabedoria.

    bjokass carinhosas


    P.S - virei fã da vaqinha kkkkkk

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget