Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

DINHEIRO COMPRA FELICIDADE?


Foi essa pergunta que estampou – semana passada - a capa de um semanário daqui. Feita pela consultoria de investimentos Skandia International em 13 países e divulgado recentemente, o estudo “Monitor do Sentimento de Riqueza” mostra que 93% dos brasileiros (a média mundial é 80%) acreditam que o dinheiro, traz, sim, felicidade.
Não fui entrevistada, mas faço parte desses 93%! Não há estado de espírito e nem luz interna que resista a falta dele para pagar as contas nossas de cada dia. Ah não tem mesmo! 
Ok. Que ser rico não é sinônimo de ser/estar feliz até concordo. Mas uma boa quantia na minha conta bancária me ajuda a sofrer lá em Paris, Arapiraca ou qualquer outro lugar, onde a angústia pela sobre_vivência não tem moradia. 
A pesquisa ainda mostra que os brasileiros consideram que seriam felizes com cerca de 25 mil por mês. Se considerarmos esse valor e que segundo o IBGE o valor médio mensal dos assalariados é de R$1.800,00, menos de 1% da população brasileira é feliz. Então, nem careço dizer da minha infelicidade! 
Valores são mesmo relativos. Tudo depende do que a gente consome e de que como administramos o que conquistamos. E isso já é uma outra história. 
Eu sigo por aqui, batalhando pela dignidade em viver, por um emprego honesto e justo (Sabem de algum? Podem me indicar?) que me possibilite ir para além do sobre_viver. Aí estarei feliz. Pois felicidade, senhores, é um estado passageiro conduzido pela quantidade de zeros de nossa conta bancária. Vai dizer que não?!
Nunca vi muito dinheiro
Trazer felicidade pra ninguém

Dinheiro vai!
Dinheiro vai!

Dinheiro pela frente
Dinheiro por de trás
Me diga qual o bem que isto faz
Dinheiro pelo sim
Dinheiro pelo não
No fim são sete palmos de chão

Dinheiro vai!

Dinheiro com dinheiro
Querem se juntar
É só multiplicar e somar
Guerreiro com guerreiro
Só querem guerrear
Só fazem zig zig zig zá

Dinheiro vai!

As coisas são mais fáceis
Pra quem se chama Onassis

Dinheiro pelo sim
Dinheiro pelo não. (Vinicius de Moraes)   

19 comentários:

  1. Este texto me induz à reflexão:
    Qualquer coisa pode trazer felicidade, desde que precisemos ou estejamos em falta dela!
    Se a falta de uma coisa nos traz insatisfação, a sua oferta sem dúvida nos trará alívio, ou até mesmo a sensação de felicidade...
    Como o dinheiro pode ser convertido em muita coisa, em alguns casos pode sim nos trazer momentânea felicidade!
    Belo post, Rê!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Depende do conceito de Felicidade e do "espaço cultural" desse conceito.

    Num programa de TV (cá) mandaram algumas pessoas conhecidas viver 2 semanas numa tribo em África.
    à chegada disseram que passaram muita fome e lhes faltava tudo, no entanto, nunca tinham visto pessoas mais felizes no mundo !!!
    O dinheiro se para além da "conta" poderá até ser origem de muita infelicidade !!!
    Na medida certa talvez sim, ou não. De acordo com o "ditado", "o dinheiro não traz felicidade, ... mas ajuda ! :)) "

    Creio que será mais um conceito "cultural" que outra coisa !
    Depende do "meio" ! Quem não conhece a "fartura"
    e feliz com nada e quem a conhece e não tem é infeliz com tudo !

    Portanto, NÂO é, em termos absolutos, mas apenas relativos !

    Beijinhos, Rê, querida ! :)))
    .

    ResponderExcluir
  3. Faz pensar teu texto, mas acho que não precisamos muita grana pra ser feliz..

    Mas precisamos um pouco, o suficiente, pois sem ele, cadê saúde atendida e tantas cositas mais,né? beijos praianos,chica(Tb praciso de grana pra estar na praia,rssr)

    ResponderExcluir
  4. A felicidade
    Também pode ser um caminho
    Em que se sente que se vai subindo
    Em direcção a esse mínimo digno

    É que sempre me pareceu
    Que o dinheiro, nem é dado, nem cai do céu

    ResponderExcluir
  5. Regina, claro que uma boa quantia de dinheiro em nossa conta bancária ajuda muito, mas penso não ser sinônimo de felicidade.
    A minha está mesmo nas coisas mais simples como apreciar momentos na natureza, saúde, alegria dos filhos...
    Mas um dinheiro ajuda sim.

    Dá uma olhadinha nesse vídeo aqui. Postei a pouco no FB:

    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=qmaq15qL7Q8

    Um xero grande

    ResponderExcluir
  6. Regina, uma quantia fixa mensal ajuda muito, pois sabemos que viveremos dentro daquele orçamento.
    Quanto ao tamanho deste montante, depende de cada pessoa em cada região.
    Difícil mesmo é quem angaria aqui e acolá, no incerto...
    Grata pela reflexão, um grande abraço.

    ResponderExcluir
  7. Oi rê!
    Sou da mesma opinião sim!
    Embora não aspire a fortunas, deixar de esticar o mês, encurtar férias (quando as há!!), enfim, seria bom mesmo.
    Bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  8. Olá, RÊ!

    Não será exctamente como numa equação, em que a mais dinheiro corresponderá mais felicidade. E também não será verdade que sem dinheiro não se possa ser feliz.E no meio ficará a verdade: De que não comprando a felicidade, o tê-lo poderá ajudar a consegui-la, torna a vida mais segura e confortável- o que já não será coisa pouca...para quem não se sinta feliz...

    Beijinhos amigos e bom fim de semana, com muito ou pouco dinheiro...
    Vitor

    ResponderExcluir
  9. Re,
    Também acredito que não dá mais para se viver sem o danado do vil metal, ele rege tudo na vida da gente e para uma aceitação de vida sem as facilidades que o mesmo oferece, é preciso fazer uma imersão total, voltar aos primórdios dos tempos e esquecer totalmente o que o dinheiro pode comprar ou fazer para a gente.
    Gostei muito da musiquinha, não a conhecia. Pro Onássis e toda geração dele é bem mais fácil mesmo.
    beijinho carioca e bom final de semana!


    ResponderExcluir
  10. Comprar a felicidade ele jamais irá o fazer,,,felicidade é um estado de espírito bem mais amplo do que as coisas materiais...mas que o dinheiro facilita o caminho...isso é fato...é complicado isso....beijos de bom sábado numa BH chuvosa...e linda...

    ResponderExcluir
  11. Rê, amo este seu jeito lúcido de falar das coisas que, ainda que alguns neguem, são absolutamente imprescindíveis! Como ser feliz devendo, com fome, sem lazer, sem poder prover o mínimo para a família, sem poder se vestir decentemente até para conseguir o tal famigerado emprego? Dinheiro não compra felicidade, mas compra aquilo que nos faz felizes, com toda certeza! Que venha muito, muito dinheiro! Porque distribuição de renda em nossa linda terra brasilis não é repartir as grandes concentrações de riqueza, mas tirar da classe média, para criar outra classe média, ambas abaixo da média. Beijos, Angelinha

    ResponderExcluir
  12. Essa polêmica transcendental existe desde que a ciência descobriu que a Terra é redonda e gira em torno do dinheiro. Felicidade é artigo de alta cotação no mercado de "commodities" porque:
    1. É altamente perecível. Não dá pra estocar.
    2. É facilmente falsificável. E a garantia de qualidade é precária.
    3. A procura é muito maior que a oferta. A inflação por demanda é inevitável.
    Portanto, uma boa barganha com o vendedor é imprescindível...

    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Faz muitos anos que um amigo brasileiro definiu a relação de felicidade e dinheiro.
    Dizia ele que dinheiro era só 50% da felicidade,os outros 50& eram gastar todo esse dinheiro...
    Penso que o dinheiro não compra a felicidade, ele serve sim para resolver os problemas que todos nós temos e se for muito dá para gastar a nosso bel prazer e pode ser motivo de muita felicidade sim, mas não compra não...
    beijo

    ResponderExcluir
  14. Felicidade eu não sei, mas educação.
    Forçada ou espontânea eu estou convencida que sim.
    Ontem ouvindo um comentário de uma amigo tive a certeza.
    Eu moro em frente a praia da Mococa, que é bem charmozinha fora de temporada, a próxima praia é a da Tabatinga, Praia de Mulheres Ricas e algumas bem famosas, gente que chega de helicóptero, babas para crianças, garçons,salva vidas o ano todo, funcionários para transportes de barcos e iates, coisa e tal.
    E toda a mordomia que muito dinheiro proporciona.
    Meu amigo reparou, o que eu sinto muito principalmente na temporada.
    Limpeza, sonora e física das praias.
    Entre a Mococa e a Tabatinga.
    A areia limpa, sem milhos, copos, garrafas, latas, vendedores, ambulantes, som alto, Funk, Pagodão, frescobol, na sua cabeça, Futebol na sua cara,
    A diferença não é o dinheiro e sim a educação que ele impoe e exige.
    Nesse ponto ele não traz felicidade ele impõe a limpeza e educação.
    Beijos
    Wilma
    www.cancerdemamamulherdepeito@blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Hahaha... Paris ou Arapiraca? Venha pra cá com muita grana pra comprar uma cisterna de uns 10 mil litros d'água, aí sim posso pensar que será feliz.

    Ah, eu acho que não ter grana é ruim sim, mas não imagino com grana demais, eu não saberia o que fazer. Talvez dinheiro compre a tranquilidade, sob certo aspecto. Tem muita gente rica e infeliz... Por que será?

    Enquanto isso, sigamos enchendo porquinhos sem saber direito o que comprar.

    Beijos.
    E venha pra Arapiraca!

    ResponderExcluir
  16. Nos tempos em que estamos, é preciso dinheiro. Se não, não se pode ser feliz, pois há contas para pagar. Depois, depende muito das circunstâncias e do que gostaríamos de fazer se se tivesse uma conta bancária folgada. Viajar, por ex, conhecendo outras culturas não são momentos de felicidade???
    Portanto, concordo que ele ajuda...A felicidade em si é um nome abstrato, concretiza-se com uma série de fatores.

    Bjo, querida RÊ :)

    ResponderExcluir
  17. Sem dúvida, Regina. Dinheiro traz sim felicidade. Nada mais prazeroso do que vc poder comprar o que quiser e ainda ajudar quem precisa. O dinheiro não traz plenitude, porque sempre faltará alguma coisa na vida das pessoas. Mas felicidade traz. Beijos e bom domingo.

    ResponderExcluir
  18. Regina, precisamos do dinheiro para uma vida pelo menos digna: casa, comida, escola, contas pagas.
    Não acho que ele nos faz mais ou menos felizes. Se assim fosse, todo ricaço seria muito feliz e sabemos que não é assim. As dores que atacam os homens são as mesmas, sejam ricos ou não. Chorar em Paris não é menos doloroso que chorar na nossa cama. rs
    Escrevi sobre isso, aqui: http://www.luciahsoares.com/2012/11/ela-anda-por-ai-bem-perto.html
    Felicidade, afinal, é pessoal, cada um sabe o que o faz feliz. Mas certamente não tem dinheiro que a compre.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  19. A primeira frase que me veio à cabeça, lendo o título, foi uma que a gente ouve muito em tom de brincadeira: "não trás, manda buscar"...depois lendo tua deliciosa reflexão, lembrei de outra: "entre curar minha depressão em Paris e {...} (qualquer lugar considerado "chinfrin"...), mil vezes Paris, meu bem"...e, finalmente, lendo os comentários dos amigos sempre presentes deste divã, elaborei aqui com meus botões o meu pensar, que resumi numa ideia central: o dinheiro favorece, permite que a gente possa realizar alguns sonhos, propicia momentos bons, nos tranqüiliza frente às necessidades e esse conjunto de fatores traz sensações generalizadas de prazer, alegria, conforto, que a gente traduz como felicidade, muitas vezes. Quando os pais têm meios para ajudar seus filhos a realizarem sonhos ou iniciar a vida adulta (projetos, casamento, cursos), todos ficam mais leves, o bem estar é uma realidade para essa família, certo? O dinheiro é um meio para que um fim seja atingido, e o resultado final vem pelas sensações e pensamentos de satisfação...esse conforto gera a felicidade....mas, ser feliz é muito, muito mais do que isso...e não é algo permanente (como nada nessa vida, exceto a mudança), logo, quem tem dinheiro sempre, não é sempre feliz, não se sente feliz o tempo todo, pq tem coisas que ele não compra, e como bem disse nossa Mi_nina querida, tem muita gente rica infeliz, né irmiga?

    Saudade docê...aqui aquela correria natural de recém chegado ao mundo!!!
    Bjãozão!!

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget