Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

COINCIDENTEMENTE (?) CONECTADOS



Muito antes de iniciar minha caminhada pela espiritualidade já não acreditava em acasos. Você já passou por alguma situação de excepcional coincidência? Já conheceu alguém por acaso – ou encontrou-se em uma situação inesperada – que o/a fez pensar sobre a existência de um Poder Supremo? A maioria das pessoas já passou por esse tipo de vivência alguma vez, e para algumas delas esses episódios são verdadeiramente transformadores. Eles podem nos trazer um novo romance, uma amizade ou ainda criar uma oportunidade inesperada para o sucesso pessoal. Vários filmes de Hollywood já celebraram o poder das coincidências. Escrito nas Estrelas, com John Cusack, e Os Agentes do Destino, estrelado por Matt Damon e Emily Blunt, estão entre eles.
Mas será que o Universo tem, de fato, alguma influência sobre esses acontecimentos?
A cabala enfaticamente afirma que sim. De acordo com esses antigos ensinamentos, existe um plano divino para cada um de nós e as coincidências nos ajudam a ver tal plano em ação. As mensagens de vida advindas desses episódios são destinadas a nos guiar – exemplo do que os cabalistas chamam de Divina Providência. Esses eventos são misteriosos, surpreendentes ou espantosamente coincidentes. Quanto mais receptivos estivermos, maiores as possibilidades de crescimento espiritual. E o termo sincronicidade? Já ouviu falar? Ele foi criado pelo psiquiatra suíço Carl Jung para explicar o fenômeno das “coincidências significativas”. Assim como os cabalistas, Jung acreditava que o Cosmo é permeado por uma harmonia divina e que eventos como esses revelam que tudo está conectado. Como terapeuta, ele descobriu que as pessoas começam a vivenciar momentos mais repletos de coincidências quando estão em um período de transformação e crescimento pessoal. Jung estudou cabala e pode ter sido influenciado pelos ensinamentos desse fenômeno.
Portanto, na próxima vez que você tiver uma coincidência surpreendente, preste atenção. Essa pode muito bem ser uma mensagem sagrada para guiar sua vida em uma direção nova e benéfica. Eu estou atenta!  E você?
(Imagem: google)
Os links acima foram textos escritos sobre o tema em 2010. Muitos de vocês ainda não estavam por aqui. Para aqueles que se interessam pelo tema, penso que vale a leitura. Inté. 

15 comentários:

  1. Regina, esse assunto mexe comigo faz um tempão e no seguimento de seu post te recomendo este livro caso não o tenhas lido , como é óbvio.
    beijinho

    http://static.publico.pt/docs/coleccaoxis/JamesRedfield.htm

    ResponderExcluir
  2. Nossa, como eu presto atenção a isso!
    Eu acho que todos que passam por nossas vidas, são presentes divinos ou necessários para nosso crescimento espiritual. Dou sempre muita atenção às pessoas que conheço e que fizeram valor à minha vida. Você é uma delas, com certeza.
    um grande abraço, carioca



    ResponderExcluir
  3. Rêzininha,,,
    Tu sabe quêu não tenho duvidamentos sobre esses assuntos, apenas que somos muito distraídos e deixamos passar desapercebido.
    - Quando eu ia imaginar que escapar de um grave acidente foi pelo fato de, o atendente do pedágio demorar exageradamente com meu troco ? ??coincidência??

    DeussssssssssssssssKiajude
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Eu gosto de prestar atenção nas coincidências e muito. Estar antenados é legal. Vou te contar a última: Sonhei que estva diante de uma enoooooooooooorme sala de cirurgia, toda envidraçada. De lá podíamos assistir as cirurgias. A primeira, acabou e eles avisaram que a paciente morreu. A outra ,seria na minha mãe. Pois bem.Com aquela sensação ruim, acordei e falei para minhas irmãs.

    Ontem, recebo um telefonema de minha irmã avisando que a Sra. aquela que estava na mesa, de quem eu disse nome e tudo, havia morrido numa mesa de cirurgia.

    Mas o detalhe: Fazia mais de 30 anos que nunca sequer ouvi falar no nome dela. Pode? CREDO!!! beijos,chica

    ResponderExcluir
  5. Rê Amiga,
    Não e por acaso que eu venho aqui, de vez em quando, para refletir. Deixo uma pergunta: Poderá alguém resistir à inevitabilidade do acaso?
    Um xião,
    J

    ResponderExcluir
  6. Ah, Jung, adoro!
    Mais ainda do que dizes, minha amada, vale prestar atenção que, uma vez não recebida/percebida/entendida a mensagem, o universo, sistema infinitamente inteligente, envia, de outras formas e em diferentes situações, novo sinal...até que seja "visto"....eu creio nisso sim, e acho que coincidências e sincronicidades são o mesmo canal, e deixei há muito tempo, de me estressar ou zangar com atrasos ou inesperados acontecimentos que me detenham...os tenho como proteção!

    Vc sempre com abordagens tão interessantes e relevantes, Rê...bom demais me refrescar por aqui no seu Divã...num intervalinho de tanta atenção concentrada!
    Bjãozão procê, amada!

    ResponderExcluir
  7. Às vezes eu deixo de prestar atenção nelas a fim de não me impressionar com o que possa estar por vir. Sonhos, então, detesto interpretá-los. Fuga tola, eu sei.

    Beijo, galêga.

    ResponderExcluir
  8. Amadinha do meu cuore, coincidências de fato não existem: tudo tem seu propósito e estar atento é a maneira de perceber esses toques que a vida dá "assim, por acaso..." Eu tenho meus 'zoín regalado' porque não quero perder nadica de nada.
    Cabala? Sou fascinada, mas não tenho tempo de estudar com a seriedade que merece. Deixa eu ficar mais velha e mais aposentada... rsrsrs Beijinhos, Angelinha

    ResponderExcluir
  9. Já dizia o velho bretão, cofiando a barbicha: "Há mais coisas entre o céu e a terra, Horatio, do que sonha a nossa vã filosofia."(Hamlet, Ato I - Cena V).

    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Re eu acredito que o Universo conspira a nosso favor. Já tive provas disso.
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
  11. Mais um texto para profunda reflexão. Os "acasos" terão este nome porque nos surpreendemos com as circunstâncias que os ocasionaram. Nesse deslumbramento, parece-me, que ocorre mais uma etapa para nos "interiorizarmos", para prestar mais atenção em nós próprios, ao que nos rodeia, ao que acontece...E concordo com você...

    Bjos, querida RÊ :)

    ResponderExcluir
  12. Oi Regina!
    Então te conhecer pela net, não foi nenhuma coincidência...
    Beijos paulistas.

    ResponderExcluir
  13. Eu estou atento também!!!
    Há já algum tempo que me questiono sobre essas tais coincidências. Podemos até não acreditar nelas mas ... que elas existem ... existem.
    Bjs, boa semana pra ocê!

    ResponderExcluir
  14. Querida e amada Rê.

    Te lendo e reflectindo sobre um tema que não se esgota em si mesmo.
    Dou por mim a ler e reler e sempre me levando de cada vez, a me questionar de modo diferente.
    Atento eu penso sempre estar, até perceber como me escapam situações que até um invisual as sentiria no ar.

    Com carinho o meu kandando atravessando tanto mar.

    ResponderExcluir
  15. Regina, ultimamente tenho prestado bem atenção nesse aspecto, mas o segredo está no UNIVERSO.
    Xeros

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget