Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

domingo, 5 de maio de 2013

"ETERNA APRENDIZ"


O calendário mudou. Já é maio de manhãs esplendorosas. Percebi a transformação diária de um cotidiano que insiste nesse olhar. Novidade(s) instantânea(s). A vida do homem enquanto parte também se materializa em relações. Viver é relacionar-se. É estar em relação. Por isso a vida de qualquer um de nós não pode ser analisada pelo que supostamente somos, mas pelo que acontece conosco no mundo. Na medida em que somos efeito do mundo com o qual nos relacionamos. Como, a cada instante, o mundo se relaciona com o nosso corpo, age sobre ele ininterruptamente. Produzindo sobre ele efeitos. Por isso, também para nós, viver em relação é viver em transformação contínua!
Dessa forma, a vida pode ser alegoricamente comparada a uma trajetória de encontros com o mundo. Isso porque, enquanto houver algum vivente, haverá mundo para se relacionar com ele. Inferimos daí duas coisas: a primeira é que o mundo não para de nos afetar. A segunda é que não paramos de afetar o mundo. Diariamente e nesse cotidiano que (re)clama pela singularidade do nosso olhar. Mas nem sempre nos damos conta do mundo que nos afeta. Tampouco do afeto. Do efeito que o mundo determina em nós. Por isso, muitas vezes não percebemos a oscilação de potência de agir que o mundo determina sobre nosso corpo ao se relacionar com ele. Assim, não raro, um encontro nos apequena; e passa batido. E também acontece de alguma coisa - que se apresenta inesperadamente diante de nós - alavancar inesperadamente nossa potência; e também não atinarmos. Talvez, se a gente aumentar a capacidade de nos darmos conta de como o mundo nos afeta, poderíamos entender melhor nossas relações, reações, nossa vida em suma. E dar menos bola para explicações fundadas em outros mundos. PARE-OLHE-ESCUTE e SIGA nessa viagem de viver a vida. É o sinal. Simples assim!  

18 comentários:

  1. Lindo te ler e contigo refletir. Quando toca esse sininho, é hora de perceber, olhar, agir e viver!!! beijos,chica, linda semana!

    ResponderExcluir
  2. Texto primoroso como sempre Rê.Jean Le Loup diz que " ninguém sai ileso de um encontro" com a condição de que seja um encontro e não um esbarrão que se perde na multidão. Diante dessa sociedade tão marcada pela perdas de identidade e singularidade onde olhares se cruzam,mas não se vêem,nos resta ficar a vigilântes e buscar "saborear " tudo e todos,como nos ensina Inácio de Loyla.
    Obrigada pelo post.Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Texto primoroso como sempre Rê.Jean Le Loup diz que " ninguém sai ileso de um encontro" com a condição de que seja um encontro e não um esbarrão que se perde na multidão. Diante dessa sociedade tão marcada pela perdas de identidade e singularidade onde olhares se cruzam,mas não se vêem,nos resta a vigilância e buscar "saborear " tudo e todos,como nos ensina Inácio de Loyla.
    Obrigada pelo post.Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Oi Rê, como vai?

    Olha, você me fez lembrar de quando fui aluna de Carlos Rodrigues Brandão, onde ela afirmava ser ilusão a consciência do eu e do outro em separado.
    Desde que haja interação, há a fusão em maior ou menor graus, e então nos tornamos "EUTRO".

    Foi muito gostoso refletir contigo.
    Um beijinho interativo!

    ResponderExcluir
  5. E a vida... é bonita, é bonita e é bonita! E tudo é o Todo. E é sempre tão bom... Beijinhos, Litle Angel

    ResponderExcluir
  6. Sem dúvida, Regina. Muitas vezes deixamos passar momentos que não voltarão nunca mais. Viver é relacionar-se como bem disse. Lindo texto. Boa semana. bjs

    ResponderExcluir
  7. Bem reflexivo, né minha irmã siamesa!!

    ResponderExcluir
  8. A vida Regina, é um caminho esplendoroso, mas apenas para aqueles que são o que realmente são.
    (hoje sou toda filosofia) rs
    Também gostei muito de refletir para começar bem a semana.
    Um xero grande!!!

    ResponderExcluir
  9. Eis uma verdade que devemos observar.
    Lindo blog.
    Bjins

    ResponderExcluir
  10. É assim mesmo,pensamos, sentimos, existimos...
    As teorias e as filosofias são como roupas que nem sempre nos servem então é só ficar focado no presente e no sorriso do mundo, no sol que brilha e fugir a sete pés do que é negativo, palavras mais para quê ?
    beijo Regina

    ResponderExcluir
  11. Rê-cordar
    Rê-viver
    Rê-pensar
    Rê-começar
    Gostei de analisar esta tua ideia ou convicção, está por demais certa.
    Jinhos, fica bem.

    ResponderExcluir
  12. Fantástico momento de reflexão, querida Rê.
    bji

    ResponderExcluir
  13. Olá Rê, querida ! É bem como dizes ! :))
    Quanto melhor poderia ser o nosso relacionamento se o mundo não fosse tão grande ! Tão diverso, tão disperso ! Tão plenamente preenchido!
    Viver é relacionar-se, viver em relação, mas também o mundo nos afeta permanentemente e não nos deixa tempo para os nossos afetos, mesmo os mais próximos e presentes.

    O texto está fantástico e curiosamente muito a propósito das nossas queixas e lamentos ! ;)

    beijinho, querida Rê ! :)))
    .


    ResponderExcluir
  14. Olá, Regina!
    É... Parece que estamos perdidos nessa imensidão de terra. Precisamos urgentemente reencontrar a Essência... Abraço!
    www.beabadosucesso.com.br

    ResponderExcluir
  15. Bom te acessar e sentir presença tua

    Reginaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

    Viva La Vieeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee

    ResponderExcluir
  16. Mas, heim? Reflexiva que só essa galêga que me enche de tanto orgulho.

    Pois viver é assim, isso tudo que eu ainda não descobri direito. E se descobre por completo algum dia?

    Beijo, meu bem.

    ResponderExcluir
  17. Olá, RÊ!

    Frase sábia a do cartaz; se não nos comportarmos de acordo com o que somos não nos sentiremos bem.Mas, a verdade seja dita, neste mundo em que vivemos pôr em prática tal princípio nem sempre será tarefa fácil - já que não estamos sós...Dito isto, serão certamente mais felizes aqueles que conseguirem ser iguais a si mesmos - e é isto que devemos procurar ser...

    Tema interessante; gostei de ler.

    Beijinhos amigos; boa semana.
    Vitor

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget