Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

domingo, 3 de abril de 2011

BOLSAS SEM VALOR


Qualquer coisa é melhor que carregar bolsa. Se você for uma dessas mulheres apaixonadas pelas tais nem se dê o trabalho de continuar a ler.  Se for daquelas que tem uma de cada cor, tamanho, textura, modelo e etiqueta fashion muito menos! Uma para cada estação e outras tantas para cada ocasião de sua vida chinfrim, de-sis-ta da leitura.
Ontem no lugar de saber do meu sobrepeso pus na balança minha bolsa. Três quilos e  setecentos gramas ombreados diariamente. E estão doendo faz tempo. Alguém sabe me explicar o porquê de carregarmos tanta quinquilharia?
Fio dental, pasta e escova de dente, lenço, absorventes, moedeiro, carteira, escova de cabelos, kit costura, kit SOS (analgésicos para cabeça, cólicas e similares), balinhas e chicletes para tirar aquele gosto de cabo de guarda-chuva da boca, molho de chaves, papéis, caneta, perfume para disfarçar o prazo de validade do banho matinal e claro uma bolsinha própria e fundamental para alguns cosméticos.
Tem coisa mais bacaninha quando uma amiga descostura a roupa no meio do happy-hour e a gente sai em sua salvação com agulha, linha, botão e tesourinha em punho? Ou a outra que ficou “nos dias” e você doa um OB para seu mar vermelho? Ou ainda aquele amigo que sai do trabalho para encontrar a turma carregando uma dor de cabeça daquelas e você super-meiga lhe entrega de bandeja uma Neusa? Convenhamos, é estar na hora certa com a solução perfeita para obter um upgrade no ego: Uau! Só você mesma amiga. Essa bolsa é fantástica. Aí a moçada começa a acreditar que você tem de um tudo dentro da mesma e é a salvadora dos desprevenidos!
Agora me contem. Quantas vezes no ano isso acontece? Decidimos então esvaziar a tal e na primeira saída... pronto: é você que está com dor-de-cabeça!  E a gente se xinga toda jurando nunca mais trocar de bolsa e nem tirar um alfinete sequer dela. Tudo im-pres-cin-dí-vel!!!
Olhe para dentro da sua. Consegue compreender que sua bolsa, de forma chocante, é você? Ou como Luiz XIV poderia ter dito, mas não o fez porque era inteligente demais para usar bolsas, Le sac c’est moi.
A gente faz voto de organização. Começa jurando que desta vez vai ser diferente. Só as coisinhas fundamentais, absolutamente necessárias tipo a carteira e uma mini bolsinha para os cosméticos básicos que ganhou daquela amiga - competente - que usa para ter mais de uma bolsa por vez. Em questão de dias, poucos, a maldita já acumulou o lixo de uma vida inteira. E antes que a gente se dê conta “a” peso-pesado está lá nos cinco, seis quilos e fazendo você sentir dores nos ombros, correndo o grave perigo de arranjar uma bursite e precisar de uma cirurgia só por tê-la carregado. Todos os seus bens e males estão dentro da bolsa. Quando você a abre, no entanto, não consegue achar nada – sua bolsa é um grande buraco negro e denso em que você passa horas tentando pescar alguma. Uma lanterninha seria de grande utilidade, mas se você a guardasse na bolsa jamais encontraria. Qual a solução?
Das duas uma. Ou vou sair a La Caê – sem lenço e sem documento – ou arrumar aquele homem, cavalheiro, para carregá-la por mim! Procura-se. (RR)
(Imagem: www.defolga.com)

28 comentários:

  1. Olá Regina,

    Sou apaixonada por bolsas, mas é impossível não me dar ao trabalho de lê-la!

    Por aqui "procura-se" também... rs

    Grande beijo para ti!

    http://omundoparachamardemeu.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Rê como já tive séérios problemas de coluna...não carrego bolsa pesada não...e procuro sempre as mochilas...Mas mesmo assim carrego sacola pesadíssima com os livros para aula de pintura...se tiro para aliviar o peso, é justo aquele que não levei que preciso....kkkk
    Saudades
    Bjs
    Zu

    ResponderExcluir
  3. A minha é quase vazia,não posso carregar peso.Mas se saio com o maridão, ainda assim por vezes ele a carrega,srsr beijos,chica. Não sou de mudar de boldsas.Compro bem simples, clássicas que combinem com tudo e pronto. Quando estraga, lixo e compro outra. Não acumulo nada na minha vida( só o peso, infelizmente e anos,esses ainda bem,srsr) beijos,chica

    ResponderExcluir
  4. KKKK BEM COMEÇANDO A PERGUNTA QUE FEZ NÃO GOSTO DE BOLSA MAS PRECISO DE UMA FATO!!! SABE TENHO 5 BOLSAS ...NÃO TENHO COLEÇÃO TENHO 5 ...2 ESTÃO GUARDADAS NO ALTO DO GUARDA ROUPA POIS JA USEI DEMAIS E ESTOU ESQUECENDO PRA DEPOIS USAR DE NOVO...1 COMPREI SEMANA PASSADA POR QUE ESTAVA EM PROMOÇÃO E A COR ERA BOA ..BASICA .;;;ACHEI QUE PRECISAVA PRA UMA EMERGENCIA DE VIAGEM E A OUTRA ESSA AI A CRUZ DO DIA A DIA ESTA COMIGO ...É TANTA COISA É TANTO LIXO DENTRO QUE SO POR DEUS...UM TEMPO ATRAS ME MUDEI E TIREI OS CADEADOS DA CASA ONDE MORAVA E COLOQUEI NA BOLSA..COM TANTA COISA NA CABEÇA COM A MUDANÇA..QUE NADA MAIS NADA MENOS ERA DE 1600 KM ..LONGE CACHORRO PAPAGAIO PERIQUITO TUDO EU QUE ARRUMO JEITO..CHICO ENTRA NO CARRO E DIZ..!""VAMO EMBORA MUIE SRSR SRS"" POIS BEM ANDEI COM ESSES CADEADOS POR DIAS ..UM PESO QUE SE NÃO IMAGINA ..ATE EU IR NO BANCO DO BRASILE AQUELA MALDITA PORTA APITAR E ME TRANCAR !!O PIOR FOI QUE EU TIREI A CHAVES O CELULAR E A MALDITA PIMMMMMMM VOLTEI O GUARDA JA ME OLHOU DIFERENTE ..TIREI 1,2,3,4,5,6 .CADEADOS E O POVO DA FILA ME OLHANDO.NA CERTA ACHARAM QUE EU ESTAVA COM CADEADOS DE CATIVEIROS ..QUE EU FOSSE UMA SEQUESTRADORA ..POR QUE 6 CADEADOS NA BOLSA??E DOIS GUARDAS NA PORTA DO BANCO ESPERANDO EU ESVAZIAR A BENDITA? ENFIM QUANDO CHEGUEI EM CASA JOGUEI TUDO PRA FORA E JUREI NUNCA MAIS ENCHER ELA DE COISA ..NUNCA MAIS ..ATE ONTEM..ESTAVA PESANDO UNS 3 KILOS...ONTEM ARRUMEI..SEMANA QUE VEM..ARRUMO DE NOVO...SRSRS SRSR QUERIDA VOCE VE QUE A GENTE QUE ARRUMA DOENÇA SEM SABER NÉ?
    AINDA BEM QUE TEMOS UM PESSOA QUE PENSA NISSO E DA AS DICAS PRA GENTE PAPAR DE SOFRER...BJS BJS

    NO SEU CORAÇÃO NA SUA ALMA TAMBEM..

    SUITE MASTER PRA VC NA MINHA CASINHA DE FRENTE PRO MAR..EM CASA É ASSIM ..VISITA QUERIDA TEM O MELHOR LUGAR PRA DORMIR ..

    OTILIA

    ResponderExcluir


  5. adivinhe o que eu estava fazendo antes de ler seu post??

    isso...limpando a bolsa..rsrsr


    beijocas

    Loisane

    ResponderExcluir
  6. kkkkkk RÊ vou te contar, como me xingo vc nem acredita.
    Vez ou outra, dou aquela limpesa, e logo quando reparo, lá tá a porcaria me pesando no ombro.
    Já entreguei pra Deus, tem jeito não.
    Mesmo porque aquela verdade de sempre a gente tira, e quando precisa, kd? rssss, o raivaaaaaaa. rsss

    Arrumar um homem pra carregar, acho boa a solução rsss, mas ele quase sempre não está comigo quando preciso, tadinho do mala rsss.

    Beijocas, domingo maravilhoso pra vc.

    ResponderExcluir
  7. Grande sacada, Rê...estou trocando sacos-sem-fundo (essas malas disfarçadas que andam em moda) por bolsas menores, suprimindo a quinquilharia que já cabe na tal bolsinha diminuta...os ombros sofridos têm ficado gratos, tb pq lembrei que tenho duas mãos, e uma delas pode carregar uma pasta com acessórios diários indispensáveis, como agenda, pasta com papéis, bloquinho, o livro inseparável, etc...

    Mas aqui ó...adoro bolsas, ainda assim....rsrsrsrs

    Um lindo domingo, minha flor!
    Bjãozão procê!

    ResponderExcluir
  8. Regina, adorei seu post, também sou dessas que carrega, praticamente, um kit sobrevivência na bolsa. Vou deixar o link de um texto que escrevi sobre isso, já faz um tempo, talvez vc vai gostar de ler. Desculpe por estar usando esse espaço para fazer propagando dos meus textos, mas não resisti.
    http://eternosim.blogspot.com/2010/06/em-cada-bolsa-uma-historia.html

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Bom humor voltando... Engraçada demais essa postagem: nunca vi uma descrição tão perfeita do nosso 'apêndice' conhecido como 'bolsa'. Eu não sou ligada nelas, tanto que tenho só 4, mas carrego a mesma tranqueira, quando saio. Não tenho bolsinha de costura, mas levo meu pêndulo - just in case - e uns tantos objetos aos quais designei poderes mágicos - logo eu...
    Com uns anos a mais de idade, tenho também uns anos a mais de dor no ombro. Sina de mulher...
    Imagine quem carrega também o iPad: credo! Nós e as bolsas, mas uma tralha em nossas preciosas vidas... Beijinhos, Angelinha

    ResponderExcluir
  10. Minha preguiça não me permite ficar mudando as miudezas de uma bolsa pra outra todo dia. A minha judia um pouco da minha tendinite, é um tanto pesada, mas não tem essa bagaceira toda que tem na tua não. Coisinhas de costura? Misericórdia... Eu ajudava a Vó a colocar a linha na agulha, mas agora enxergo mais pra isso não... Melhor trocar por um grampeador. Rsrs.

    Beijo, Regina.
    Amo-te!

    ResponderExcluir
  11. Amiga eu li só o primeiro paragrafo, porque amo bolsas e tenho um monte, sou uma fã incondicional das bolsas e sapatos...Beijos achocolatados

    ResponderExcluir
  12. Amiga,

    Putz...eu havia escrito uma enorme resposta e na hora de enviar a internet caiu.....ningué merece!

    Bem......eu tenho coleções de bolsas, morando em Porto Alegre, umas para o verão, outras tantas para o inverno!A bolsa da vez é sempre o caos dos caos, por mais que eu tente me policiar, tem de tudo dentro...pior que cada vez que eu troco a bolsa tudo que estava em uma, migra para a outra! Eu não tenho jeito mesmo! Por sorte tenho minha filha que de vez em quando faz uma "faxina" para mim...mas depois de alguns dias tudo volta ao normal...rs
    Sou "ré confessa"!!!!

    Pode ser que um dia eu aprenda e não precise mais fazer fisioterapia por causa das porcarias que carrego!

    Beijinhosssssss

    ResponderExcluir
  13. - Assunto feminino. O único que se arriscou até agora - o Guará Matos - ficou no "to be or not to be", ou seja, em cima do muro.
    - Sigo espertamente o exemplo dele, declarando:
    1- Estou à disposição das moças para carregar seus apetrechos (até o máximo de 7 kg. Além desse peso, será cobrada uma taxa simbólica por excesso de bagagem);
    2- Não me responsabilizo pela busca e resgate de objetos que porventura estejam no interior dos referidos apetrechos.
    - Há braços. À braços. Abraços.

    ResponderExcluir
  14. As mulheres com as bolsas e eu com a minha mochila onde levo um livro pra ler no ônibus e os equipamentos de atendimento a domicílio como técnico em informática.

    ResponderExcluir
  15. De dentro das bolsas, dos corações e das cabeças das mulheres, ninguém consegue adivinhar o que pode sair!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  16. Bolsas...de mulher,nem se imagina a confusão que lá vai dentro.

    Beijo meu.

    ResponderExcluir
  17. eu sou das que adora bolsas....e das que tem não sei quantas....mas quem não adora??Será que há mulher que não gosta?? é possível???
    mas nem por isso deixei de ler post até ao fim...ahahha

    mas realmente abusamos...:) 1001 coisa no saco!!

    ResponderExcluir
  18. Formidável, Regina!
    Formidável!
    Quantas vezes já me disse: Basta!
    Mas de nada valeu...
    Ando constantemente com uma enorme bolsa pendurada no ombro esquerdo, justamente aquele mais baixo[ uns oito centímetros ].
    Com a dita cuja penso que poderia fazer o caminho de Santiago...
    Carrego tudo o que você diz, e ainda um celular, uma câmera fotográfica, um livreto intitulado Minutos de Sabedoria [ um dos conselhos deveria ser: não carregure bolsa muito pesada ], uma sombrinha e um casaqueto para o caso de mudança de temperatura... Pode?
    Abraço, querida amiga!

    ResponderExcluir
  19. Risos!
    Você descreveu exatamente o que toda mulher cuidadosa faz, quando vai a rua, carregando sua bolsa, que mais é uma "mala".
    Sinceramente, acho horrível sair de bolsa, nem sei andar-me direito com ela, preocupo-me com ladrões, sinto peso. Quando sento-me, não sei se a coloco no colo, ou se penduro na cadeira e fico toda hora olhando para não ser roubada. Interessante, que além do peso e da falta de jeito para carregá-la, ainda perco os " lances" de ver um "bonitão" passando por perto no barzinho, pois foi bem a hora que fiquei aérea olhando a bendita bolsa (risos). Mas sempre que posso, coloco documentos, dinheiro e cartão, em uma bolsinha de mão,e saio por ai, é mais leve.
    Mas já ando com dores nos ombros de carregar a bolsa da faculdade, recheada de códigos, cada um mais grosso que outro...mesmo que leve apenas o Vade Mecum, é uma grossura só... reclamo muito...
    bolsas...não é muito minha paixão, mas é um mal necessário.
    E quanto a um gentil cavalheiro para carregá-la... confesso que está difícil, (risos).
    Rê! Saudades...
    Uma boa noite, lindos sonhos.
    Abraços e afagos.

    ResponderExcluir
  20. ahahahahahahah, ai que hilário, Regina! Legal por demais esse papo de bolsa. Olha, pra te falar a verdade eu sou viciada nelas. Tenho muitas,de vários tamanhos, cores, texturas e etc..
    pra onde eu viajo eu dou um jeito de comprar uma bolsa kkkkkkk

    Adoro bolsa grande mesmo pra levar a casa dentro dela e não há como explicar isso. A mulher gosta e pronto!

    Eu morro de rir quando minha filha me diz: Lá vai minha mãe com a arca de noé a tiracolo.kkkk

    E é exatamente como tu falou, a gente enfia a máo e não acha nada. Dá um nervoso, ah se dá.Mas a gente continua ... loucura !

    Super legal essa postagem e viva as BOLSAS.
    BESITOS E UMA LINDA SEMANA LOIRUDA CHIC!

    ResponderExcluir
  21. Olá querida Amiga Regina,

    Estou aqui, distribuindo as flores da minha Primavera :=) e lendo-te... Até pensei que estavas a descrever a minha bolsa jajajaja... Levo tudo lá dentro, depois queixo-me das costas!

    Obrigada querida Amiga!

    Deixo-te um beijo enorme, analista de almas...:=)

    ResponderExcluir
  22. Olá querida Rê
    Nessa, felizmente, "Tô Fora" ! rsrsrs
    Eu sou como o Luis ! :))
    Será que pode haver mais desarrumação que bolsa de senhora ! rsrsrs
    Minha mulher tem o telemóvel (celular) na bolsa.
    Quando toca, vai procurar e quando atende já não está ninguém do outro lado ! rsrssr
    beijão, Rê ! :))
    .

    ResponderExcluir
  23. Olá Regina.

    Claro, você é a analista. Mas o motivo de tantos apetrechos no interior da bolsa, não seria uma maneira de atenuar a insegurança de muitas mulheres ?

    Estou de volta a este passeio de visões múltiplas e coloridas.

    Bjos.

    ResponderExcluir
  24. Eu já fiz muitos posts sobre esse enigma feminino que o gosto exagerado por bolsas. Nunca vou entender isso. Acho que só sendo mulher. Isso que nem falei dos sapatos...

    Beijos do Gaúcho.

    ResponderExcluir
  25. Uso meio que por obrigação as vezes na precisão..
    Mas nunca fui fã.
    Tenho preguiça delas, uma preta pra tudo ...

    BeiJO amada minha no Zóio munito...

    ResponderExcluir
  26. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  27. Uso a minha até esgarçar...Só de preguiça de mexer naquilo tudo que você falou. Outro dia comprei uma bolsinha apropriada, para colocar dentro da outra e tudo ficar organizado, com todos os itens nos devidos compartimentos. Conclusão: fiquei com tudo aquilo espalhado e mais a dita bolsinha.
    Será que tenho jeito? rsrs
    Gde abraço, em divina amizade.
    Sonia Guzzi

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget