Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

quinta-feira, 7 de abril de 2011

BT


Ontem ouvi na CBN que nos EUA proliferam-se bancos de tempo. Fiquei numa curiosidade só... Acreditando que tivessem descoberto a economia desse que é a carência de todos. De fato é muito mais interessante que um saldo milionário em sua conta-corrente. Tudo bem que não faria mal algum em termos muitos dígitos na nossa. Funciona assim: fiz 10 horas de atendimento. O gerente do banco busca os pacientes para confirmação dessas horas trabalhadas. Tudo ok depositam na minha conta esse tempo. Um marceneiro fez 15, um bombeiro 20, um técnico de informática 05, um sushiman 08 etc. e tal. Aí acontece um vazamento em casa, ou meu PC dá outro tilte. Pronto. Chamo os correntistas e estão resolvidos meus problemas. O sushiman não sabe se casa ou se troca de casa. Angustiado – pobrezinho - procura terapia. Tempos de crise diz o jornalista.  “O Banco de Tempo é uma rede de infra-estruturas de apoio social baseada da gestão do tempo para troca de serviços. Propõe-se estimular, apoiar e organizar iniciativas que visam à criação de novos modelos de vida em sociedade, a valorização das pessoas e a revitalização das comunidades.”(Fonte:www.bancodetempo.net)
Não é algo sensacional?  Dou o que tenho e recebo o que preciso! Não é voluntariado. Em outros tempos recebia o nome de escambo e as sociedades funcionavam de uma maneira mais harmoniosa. O bacana também é que esse banco não corre o risco de quebrar. Talvez no mundo corporativo modernizaram o escambo para as tais “parcerias”. Sei bem que são as relações que criam vida! Se começamos pela Era do fazer para sobreviver, enveredamos na Era do ter, para galgar o poder, definitivamente entramos na Era do ser: em busca do conhecimento, da comunicação e da cooperação! Fritjof Capra em O ponto de mutação nos ensina. Uma nota musical isolada não é nada, mas conectada a outras se formam acordes; a duração e a freqüência destes acordes criam a harmonia que nos embala. Uma semente isolada é algo seco e sem vida; conectada à terra e à água transforma-se na árvore que dá vida, sombra e alimento para o deleite de todos. O mesmo acontece conosco. Conectados harmonicamente com o todo, somos D’us. Minha conta-corrente está aberta e a sua? (RR)
(Imagem: www.opcaopmemais.com)

25 comentários:

  1. o banco de tempo é um jeito moderno, mais humano e harmônico de se trabalhar e viver em sociedade. quem dera virasse regra... precisamos aprender a viver, não apenas lutar para acumular coisas e ... tudo sem essência.

    bacana mesmo

    ResponderExcluir
  2. Deveras interessante!

    Investir no Banco Tempo seria o meRmo que dizer:-
    "Quem não investe ESTA PERDENDO TEMPO"

    P.S.- Aqui nóis fais BARGANHA !!.. rsrsrs

    Deusssssssssskiajude
    Tatto

    ResponderExcluir
  3. É um jeito antigo de se aproximar mais das pessoas em tempos modernos.
    Seria isso o verdadeiro socialismo?

    Bj.

    ResponderExcluir
  4. Legal dona Rezininhaaaaa, precisamos urgente de sabedoria para os nossos ticos e tecos.
    Beijosss minha flôr.

    ResponderExcluir
  5. A MINHA TAMBEM...NOSSA DAI EU IA DAR BANHO NO MAX? TOSAR...FAZER CARINHO...FAZER HIDRATAÇÃO E TUDO QUE ELE TEM DE DOREITO E VOCE IA ME TIRAR TODAS AS CARAMINHOLAS DA CABEÇA?COM TERAPIA??OU CHOQUES??POR QUE DO JEITO QUE MINHA CABEÇA ESTA ACHO QUE SO O TAL DE ELETROCHOQUES OCE TEM O APAREIO??!!!! SSRSRSR QUERIDA NOSSA VIDA JA É UMA ETERNA TROCA ..ESSAS PALAVRAS QUE VOCE NOS DÁ ASUQE CONSEGUE TIRAR DA GENTE..ALIVIA DEMAIS O CORAÇÃO DEPOIS QUERO SABER QUAL MEU SALDO NEGATIVO??TEM JEITO DE RENEGOCIA??
    BJS QUERIDA

    AH SE TUDO VOLTASSE COMO ANTES...SERIA BOM DEMAIS...

    OTILIA BJS

    ResponderExcluir
  6. Ler a Rê de qualquer jeito é bom..
    Ainda que fale desse dito cujo que nem
    gosto! Mas em analise é bem verdade ...

    beiJO linda minha...

    ResponderExcluir
  7. Querida amiga, excelente postagem, tomara que vire regra para todos. Beijocas

    ResponderExcluir
  8. Muito legal esse banco do tempo nde devemos ser responsáveis e sabê-lo bem administrar...beijos,chica

    ResponderExcluir
  9. - Atualmente, tenho superabundância de tempo - que, segundo Mark Twain não é dinheiro - e aceito assessoria para investi-lo. Ofereço Mt$ 15,00 (quinze minutos) por dia.
    - E já me considero seu devedor, Rê.
    - Beijos (esses vão como amostra grátis).

    ResponderExcluir
  10. Isso tudo reflete mesmo uma mudança de paradigma. Já não era sem tempo, sem qualquer trocadilho. Estamos descobrindo maneiras novas de lidar com os aspectos materiais, para que nos sobre mais tempo para a dimensão espiritual em nossas vidas. Vou abrir uma conta dessas já! Beijinhos, Angelinha
    Tô com tanta saudade de você...

    ResponderExcluir
  11. Haveria uma certa utopia ? A vida materializa o pensamento, e este é sensacional.

    Felicidade e luz em sua jornada.

    ResponderExcluir
  12. Interessante o conceito de BT, eu tinha lido a respeito mas fazia um tempo já e foi meio que por alto, logo logo vou abrir uma conta dessas também com certeza.

    ResponderExcluir
  13. Parece que é tempo de reaprendermos a viver e a doar o nosso tempo, recebendo-o em troca e com maior quantidade.
    Isto é realmente viver. Amealhar bens imateriais e de um valor incalculável.

    ResponderExcluir
  14. No Brasil não existem Bancos de tempo? Cá em Portugal existem e funcionam muito bem. Podes ver aqui
    :) Beijinhos

    ResponderExcluir
  15. Oi Regina como estás?

    Sabe minha amiga que eu vi em uma reportagem há algum tempo uma comunidade de uma cidade pequena (não vou me lembrar a cidade... rsrsr... memória pessima) que eles tinham um Banco desse tipo que trocavam além de produtos serviços... E nessa cidade quase não havia movimento de dinheiro!!
    Em um mundo tão capitalista a solidariedade e a troca mutua ainda pode funcionar... mesmo que seja em algum cafundó...
    Beijinhos minha amiga!!

    ResponderExcluir
  16. Rê minha amada

    "Uma semente isolada é algo seco e sem vida"

    A minha semente já está no seu banco...

    beijocas

    Loisane

    ResponderExcluir
  17. Dou jeito que euzinha sou desorganizada da silva, será que pelo menos nesse banco eu saberia o que fazer?

    Até minhas emoções são confusas, nunca sei controlá-as pra não doar em excesso ou em falta. Mas tô dentro dessa "sociedade alternativa", como diria Raulzito.

    Beijos.
    Saudades.

    ResponderExcluir
  18. Interessante essa ideia,,,agora,,,temos que aprender a administrar esse nosso banco do tempo...grande beijo de bom final de semana pra ti querida.

    ResponderExcluir
  19. Abrirei uma conta neste banco, para fazer investimentos, pois como o Barcellos, hoje tenho tempo!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  20. Tempooooo...
    Tudo que eu tenho é ter tempo sem achar que tenho, quando vejo que tenho não sei como usar por que acho que não vai dar tempo...

    beijos Regina saudade docê... Bom fim de semana.

    ando preguiçosa para escrevinhar...

    ResponderExcluir
  21. Excelente ideia!
    A minha está aberta também.
    Bjs, fica bem.

    ResponderExcluir
  22. TOC TOC TOC....QUEM BATE??SOU EU ....CADE ANJA SUMIU?? O ANJA CADE VC EU VIM AQUI SO PRA TI VERRRRR DEU SARDADEEEE
    BJS
    OTILIA

    ResponderExcluir
  23. ...e as relações são complementares...eu te dou o que tenho e recebo o que preciso...adorei essa reflexão...e a minha conta-corrente está sempre aberta, irmiga!!!

    Um lindo fds procê, beijãozão!!

    ResponderExcluir
  24. Achei o máximo essa ideia...baseada na antiga moeda de troca que existia...não circulava dinheiro, mas sim troca de serviços.
    Nas pequenas aldeias do interior transmontano (Portugal) ainda subsiste esta ideia de solidariedade e entre-ajuda entre os habitantes, em que se ajudam uns aos outros nas tarefas/lides agrícolas e não só.
    Haja boa vontade!
    E em tempos de crise, muitos vão recorrer a esse banco do tempo! eu alinho!;)

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget