Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

terça-feira, 8 de maio de 2012

VIDA QUE SEGUE


Nenhuma alteração se faz do nada, mas sempre retém e mantém parte das experiências vividas e dos valores acumulados. Na reconstrução é preciso reconhecer os ritos de passagem: quais os valores, traços e dimensões de práticas são mantidos e qual o peso específico que terá a ordenação do presente e do futuro.
É preciso identificar e analisar a natureza e a relação entre o descartado, o preservado e o incorporado. Há passagens sob o signo da ruptura e passagens que se dão entrelaçando acordos e compromissos orientados por uma envolvente mecânica de conciliação sob o signo do “novodorismo”.
Foram meses de perdas e como indica a Psicanálise, o luto não é apenas perder alguém/algo: é perdendo alguém/algo, perder um pedaço de si. Leva-se o tempo da singularidade do sujeito na elaboração.
Foram meses de ganhos também. De novas ideias, de pessoas novas, de entusiasmo novo e desenvolvimento repentino. A liberdade de ser eu mesma e de conduzir minha vida foi é agora uma questão de prioridade. Encontro-me numa nova situação. Uma mudança importante ocorreu e levo o tempo des necessário para absorver. O tempo se ocupa de ensinar a lidar com a solidão da(s) falta(s). Transitoriedade da vida!
As sôdades, doces, docês seguem diárias. Transitam impregnadas de bemquerência sempre! (RR)
Imagem: Karin Izumi

22 comentários:

  1. Ô sô, a gente entende!
    Sinta-se sempre muito amada!
    Vc é muito especial!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Sô um sodado cum sodade docê. Sodando e só dando doce procê. Saúde...

    ...e beijos mil, Rê!

    ResponderExcluir
  3. D´a Grória....

    Agora "deu cás déis"!!! Barcellão falâno iguar EU... ixê!!... rss

    Quem quê disse que ocê se foi... Foi não, tava aqui no meu coração.... rss

    Beijo e
    DeusssssssssssssssssssssKiajude
    Tatto

    ResponderExcluir
  4. Ai que delícia ler você, sinto saudades desse teu jeitinho mineirim, cheio de carim.
    um beijo a abraço apertado, cariocas

    ResponderExcluir
  5. A vida é cheia de contratempos, temos que ir aprendendo com os tombos, as pancadas,,,tudo é aprendizado e muitas vezes um novo caminho a se seguir,,,super beijo de linda tarde pra ti amiga...

    ResponderExcluir
  6. Olá, Regina!
    É bom lê-la novamente, e melhor ainda, é saber que estás bem. Sou mais um que torce fanaticamente por você.
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  7. Oi Re você é linda.Te adoro.

    Beijo meu

    ResponderExcluir
  8. Guria,querida!!Que coisa boa te ver! E as saudades eram recíprocas!

    O tempo passou, mexeu aqui e ali e o que importa é que voltas bem!! Vamos nos ver sempre,né? beijos,chica e tuuuuuuuuuuuuuuuuuuuudo de bom!

    ResponderExcluir
  9. Querida amiga, a vida é feita de reviravoltas. Ora tudo parece perfeito, outras... nem tanto, tristes, alegres. O importante é aproveitar os bons momentos, guardar com carinho a lembranda daqueles que amamos, e ser fortes para seguir em frente. É dificil algumas vezes, mas somos seres adaptaveis... vamos em frente!

    beijos

    ResponderExcluir
  10. Sei que cê vive...rsrsrs

    Essa tua fase, que tomo parte dela emprestada e, como vc, mergulho na transitoriedade sem sustos, avalio os aprendizados pelos meus próprios...o período requer silêncio interno, imagina à volta....

    falando em volta, que bom te ter aqui por perto de novo...mas como diz Tatto, do coração, lugar cativo, tu não sai!

    Bjãozão repleto da mesma bemquerência, amada minha!

    ResponderExcluir
  11. Olá, Rê, amiga!

    Bom tê-la de volta com esta escrita em tom animado. Diz-se que a passagem por aqui é curta, mas ainda assim às vezes não e mesmo nada fácil...
    E é bem verdade que quando perdemos alguém, também perdemos um pouco de nós: que foi a parte que de boa vontade demos...

    Mas a vida continua, e não espera por nós!

    Beijinhos amigos; fique bem

    Vitor

    ResponderExcluir
  12. Bem-vinda minha mana querida. Hoje mesmo estava pensando em si. Não mandei mensagens, nem vim escrever no seu blog, mas você ouviu meu chamado.
    Respeitar o silêncio, a ausência, ou o tempo que cada um precisar para se adaptar às mudanças, às perdas, aos lutos, faz parte da minha maneira de gostar dos outros.
    Porque minha irmã, eu sei que já aceitou. Só que esta "nova vida" ainda não é uma vida que a preencha, que seja verdadeiramente gratificante. Ainda, ou melhor, agora, é uma fase de desencanto. E para nos voltarmos a encantar vai ser preciso mais....O seu coração, o meu coração e sintonia. JInhos Grandes

    ResponderExcluir
  13. Uma bela quarta feira pra ti minha amiga, paz e carinho sempre...beijos e beijos.

    ResponderExcluir
  14. Às vezes penso que o meu gostar é torto, egoísta, descompensado... Careço aprender essa prática do respeito ao sentir alheio, à vontade alheia, preciso aprender.

    Muito bom te ver de volta e assim animada, Rê.

    Feito diz o bruxo, seja bem voltada.
    Beijo!!!

    ResponderExcluir
  15. Regina linda
    você é uma inspiração viva, te gosto muito
    não fique tanto tempo ausente, por aqui continuo tentando fintar esse adversário que você também enfrenta...
    beijo n. c.

    ResponderExcluir
  16. Hora de reconstruir, renascer, reformular...
    Com novas metas, novos sonhos, ou com novos caminhos para buscar os mesmos objetivos.
    Quem sabe?
    O importante é te ler novamente e saber que estás aí, do outro lado desta rede e ao alcance do meu teclado!
    Bjs, Rê!

    ResponderExcluir
  17. Li as últimas postagens (tenho que ir repartindo o tempo pelos blogues e outras páginas...)
    Texto de encantamento, de reflexão, de visão mesmo; apesar de não saber exactamente de que luto fala, só há passos em frente depois de aceitar e "mudar" a partir do interior. E, sim, é preciso tempo, o tempo que um processo de aprendizagem necessita, conforme a "matéria" a apreender...
    Mas é tão bom quando se atinge um certo patamar de sabedoria (a nossa)!!!
    Bjos :)

    ResponderExcluir
  18. Ah, esquecia-me...essa da verificação de letras, aborrece-me imenso. Muitas vezes leva-me também a não comentar...:)

    ResponderExcluir
  19. Noooosssa que feliz que voltou Rê!!!Você faz muuuita falta!!!!
    Que bom que gostou da mandala....

    Bjs

    Zu

    ResponderExcluir
  20. Minha querida

    Seja muito bem vinda, já tinha saudades de te ler.

    Deixo um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  21. Rê, não tenho o que comentar. Acompanho de longe/perto, entendendo a impermanência de quase tudo, para a permanência do que importa de verdade. Faxina de alma, perdas para haver ganhos. E segue a vida... Beijinhos, Angelinha.
    Aqui estou.

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget