Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

terça-feira, 23 de agosto de 2011

DESSES MILAGRES...


Ainda era uma quarentinha quando ganhei o livro: A Idade dos Milagres.  Destinado a mulheres com mais de cinquenta lia tudo, àquela época, numa distância semelhante a do Oiapoque ao Chuí e pior, sem entender dos tais. Ainda não compreendo. Mesmo que instalada nessa ótima ideia...51! Livro onde a autora diz que é o máximo envelhecer. É o máximo ser sensata e sábia e madura; é o máximo chegar ao ponto em que se sabe o que tem valor na vida. Quer saber? Não suporto gente que afirma tais coisas. Há todo tipo de livros escritos para mulheres mais velhas. São, a meu ver, igualmente otimistas e recheados de clichês e lengalengas lembrando que a vida pode ser muito agradável quando a pessoa se livra das cargas que são os filhos, as menstruações e, em alguns casos, os empregos de tempo integral. Por que existe gente que escreve livros afirmando que é melhor ser velha do que jovem? Não é não, ora bolas! Mesmo que você não esteja gagá, está sempre tentando se lembrar do nome do filme que assistiu anteontem. Mesmo que esteja em grande forma, não consegue picar uma cebola como antes e não pode andar quilômetros de bicicleta sem se tornar uma potencial candidata à fisioterapia.  Se trabalha fora, vive rodeada de jovens, geração Y, que estão ligados no mercado, no espírito do tempo (o tal zeitgeist), na gestão disso e daquilo; eles querem seu emprego e em breve irão obtê-lo. Se tiver a sorte de manter uma relação sexual com alguém, não terá o mesmo sexo que teve no passado. São tantas as variáveis intervenientes nesse quesito que é melhor pularmos essa parte. E mais, não pode usar mais biquíni. Ah, como me arrependo de não ter usado biquíni o ano todo quando tinha vinte e cinco anos. Se alguma amada – de vinte e poucos ou tantos – estiver lendo essas linhas, vá, imediatamente, vista um biquíni e não o dispa até fazer trinta e quatro anos. Vá por mim.
Compreendo que ninguém realmente quer ler que envelhecer é uma droga. Pertencemos a uma geração que aprendeu a acreditar que podemos fazer qualquer coisa. Somos ativas – ora somos proativas. Pensamos positivamente. Temos o poder. Levamos qualquer questão a sério. Se uma pílula ajuda, nós a tomaremos. Se fazer a dieta da lua ajuda, pisaremos nela e fincaremos bandeira no melhor estilo Armstrong de ser. Quando temos notícia de um creme facial recente e ridiculamente caro que supostamente faz o tempo retroceder, iremos comprá-lo mesmo sabendo que os últimos cinco em que acreditamos não produziram um tico de efeito. Faremos palavras cruzadas para afastar o velho alemão e comeremos seis amêndoas por dia para afastar o câncer; escanearemos o corpo para descobrir qualquer coisa que possa ser abortada no início. Estamos no comando. Ao volante. Na liderança. Fazemos listas. Buscamos opções. Navegamos na Internet. Blogamos!
Há, no entanto, algumas coisas que estão absolutamente, definitivamente, inteiramente, fora do nosso controle.  Numa manhã descobre-se que o dedo mindinho da mão direita está com um ossinho a mais. Em outra enxerga o que a dermatologista chamou de pintas senis em todos os quadrantes de seu corpinho já escaneado. E na seguinte o porquê do uso, discriminado, de blusas com gola alta, echarpes ou bijus envolvendo o pescoço de tantas amigas! Outro dia escrevo sobre eles...(é pescoço para todos os desgostos).
Milagres (?) que aparecem assim, num piscar de olhos. E podem ter certeza que sempre acreditei neles, mas de outros tipos! De qualquer maneira, vou fazer uma promessa para Nossa Senhora do Corpão Perdido, vai que ela me atende?!!!
Vergonha da idade - perguntam-me.  Inferno pós- astral? Crise?
Há muito tempo deixei a vergonha da idade para trás, se algum dia a senti. Estou feliz só de estar viva. E isso sim, creiam, é um verdadeiro milagre!(RR)
(Imagens: Internet)



17 comentários:

  1. Até que se prove o contrário..... Vamos usar de todos os meios, nénão?

    Gostosa leitura minha querida Rêzininha...rss

    Deussssssskiajude
    Beijo
    Tatto envelhecido no carvalho "carvalho"

    ResponderExcluir
  2. Eu não tive muitas crises existencias, sabe Rê...essa uma da idade, ainda não me pegou, nem quando entrei nos famosos enta...
    Eu tb acho uma chatice esse papo de envelhecer é bom - só acho positivo pq significa que estou aqui ainda. Eu posso sentir alguns efeitos da idade além desses que vc citou, assim como sei que os espelhos aqui de casa não mentem, e eu ame echarpes...desde que era novinha, acho que devo dar graças a Deus!...rsrs
    Mas o aspecto positivo da melhor idade chegando, acho que é olhar pra netos crescidos e filhos de cabelo branco (sacanagem, essa...rsrs) e sentir que valeu a pena a caminhada. A cada almoço de domingo em volta de uma mesa cheia na tua sala, deve dar uma sensação muito boa, pelo que sempre observei nos rostos das mulheres mais velhas. Quanto ao preencher o tempo com bobagens, nos dias atuais, só mesmo por escolha, diante de tantas possibilidades e ônibus de excursão...rsrsrs

    Como diz o Tatto, tô de brinks, mas ri à bessa com vc hj, irmiga, vô ticontá! AMEI!!!

    Bjãozão de uma ainda não velha irmiga tua...rsrsrrsrs

    ResponderExcluir
  3. kkkkkkk, eu com saudadesda mini-saia e você do biquini! Não acho que s mazelas de envelhecer sejam legais, mas vamos aprendendo a conviver com elas e rir, fazer o que?
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
  4. Vixe maria, viu? Onde arrumo um congelador de tempo?

    Amo esse teu escancarar de alma, é dizer o que sente e danem-se os clichês politicamente corretos, as chatices de auto-ajuda e afins.

    Essa é minha surtadinha. Quero chegar na idade da boa ideia assim, espirituosa... Mas tu me empresta um cadim dessa belezura?

    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Re
    vc com saudades do biquíni e eu do tempo em que não suava por conta da menopausa, só suava mesmo pelo calor do dia, fritando ao sol pra pegar uma cor. Eita tempo bão! Até que um dia descobri, lá estirada na praia, que não aguentava de dor nas costas - pra virar e fritar o outro lado era um sacrifício. Daí em diante, sol?, só sentada na cadeira e o biquíni virou lenda.
    Nunca usei cremes anti isto e anti aquilo, não tenho paciência pra isso.
    Se estou um pouco acima do peso a pele alisa e todo mundo diz que estou muito bem, - - pra idade - -, mas quando emagreço, nem me olho no espelho, pois a cara murcha de tal forma, que affff....
    É um tempo a ser vivido, afinal ultrapassamos meio século. Coisa horrível de se dizer nénão? Mas te digo que apesar de todas as limitações chegando, estou feliz nos meus 55.
    Sabedoria? Não, ao contrário, sinto que aprendo mais hoje com os jovens do que aprendi quando era uma.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Uma visão muito "aberta" e realista dos "cinquentas" e muito bem escrita ! :))

    Beijo ! :)))

    ResponderExcluir
  7. Tens razão: é um milagre a cada dia estarmos vivas...Linda postagem, verdadeira!beijos,chica( e se for por corpo expandido, sou sábia demais,rsrs)

    ResponderExcluir
  8. Amadamigaaaa,

    Maravilhoso post!
    Assino embaixo!
    Sempre comento, ao olhar, aquela rugas, "as coisas" caindo que deveríamos morar na Lua, onde não há gravidade.
    A culpa, amada, é da gravidade, que pxa tudo para baixo!!!
    Ainda vou escrver um livro de auto - ajuda sobre! "Gravidade, a Vilã" risadas
    OLha só, quando eu fiz 5 atá que acheu uma "boa idéia! Tenho Ascendente Capricórnio, creio que com 18 era mais exigente, séria que agora. Capricórnio como é regido pelo Senhor do tempo, vai ficado velho e até remoça(dentro dos limites normais, claro! sem milagres!)
    Hoje tenho 65 anos. E não suporto este povo que vive falando em "melhor idade". Melhor idade prá quê!? Para tomar de graça injeção para gripe? Eu não tomo, pois nestes tempos em que o povo lá de cima está doido para ficar com minha aposentadoria bem merecida... eu, hein? Querem mais que velho morra!
    Esse aumento de livros sobre estes temas , na sua grande maioria, são para consumo. Para enrolation.
    Só recomendo o da nossa Glorinha, Esquina do tempo, n° 50, pelo valor da nossa amiga!
    Aliás, já fui à uma Livraria bem grande , e fiquei pasma com tanta auto - ajuda.
    Todo mundo ensinando um Caminho, esquecendo que o caminho, a Lenda pessoal de cada um é diferente.
    Já disse pros meus filhos: o Dia que me ver com rouge vermelho na bochecha, baton fora da boca, e sombra azul nas pálpebras caindinhas... façam eutanásia em mim! Já morri em vida!
    não aceitam, pode? rsrsrs
    Gostoso é vc estar na fila dos 60 e perguntarem pra vc, gentilmente, porque está nessa fila que é preferencial, pois o moço foi tirado de lá... Nossa! Foi um luxo!!!! O maridão não gostou nada, pois foi um moço que falou.kkkkk

    A idade deve ser aceita, e respeitada por nós, pois é um camminho de ascensão espiritual.
    Envelhecer o corpo, não a alma!
    Meu filho caçula( nosso protetor, meio papai de mim e do maridão rs) fica danado da vida quando eu digo que estou me preparando para a morte. Ora, me preparando , sim, para não envelhecer ridiculamente, sem levar nada na minha bagagem pro outro lado!
    E me respeite, viu, mocinha, que sou muito mais velha que tu! rsrsrs
    Beijos, amadinha!

    Ei!!! Sobre o que mesmo vc estava falando lá em cima, heeeein!!!???

    ResponderExcluir
  9. Como dizia o meu pai "não lutar contra a idade, aceitá-la e vivê-la da melhor forma, seja ela qual for".

    ResponderExcluir
  10. querida e amada Rê!

    então vao lá...

    nada é comparável.
    os trinta e eins com os quarentas ou cinquentas.
    vejo coisas boas e diferentes em todas essas etapas que são uma gostusura conforme a idade vai aumentando.
    vivo em pleno os meus cinquentas.


    ganda mentiroso... lol!
    ainda ontem me surpreenderam as peles que vão descaindo por baixo do bicepes e onde ainda há pouco tempo era só músculo eheheh!

    tem dias, que só mostro a cara ao espelho para me barbear...

    haja boa disposição.

    beijo e kandandos meus a atravessar tanto mar...

    ResponderExcluir
  11. Verdade verdadeiríssima!!! Eu que já passei dos 60 conheço muito bem o tal ossinho a mais no dedo mindinho (artrose), as manchinhas senis salpicando a pele das mãos, o cansaço após tarefas que há alguns anos eu tiraria de letra, e uma preguiça... inclusive para a auto-ajuda dos livros que vendem milagres e enriquecem gente esperta. No entanto, apesar de tudo, acho que a vida, por si só, vale a pena; então quero ficar pergaminhada, encarquilhada e com um sorriso nos lábios - talvez porque a memória, afinal, seja seletiva e eu me esqueça apenas dos 'detalhes sórdidos' rsrsrs Bjins, Angelinha

    ResponderExcluir
  12. Gostei mais da postagem anterior... essa aqui tá com jeito de ressaca. Sinal que a festa foi boa.
    Abraço atrasado, leoa... torcendo pra net não cair. Beijão.

    ResponderExcluir
  13. Não, envelhecer não é "o máximo"!
    Também não é uma tragédia!
    É apenas uma coisa: inevitável!
    Tudo se trata de aceitar isso. Nada evitará que envelheçamos, a não ser a morte! A única forma de ser "forever young" é morrer jovem!
    De resto, temos que ter uma postura de aceitar as limitações que vão nos sendo impostas gradativamente, sem no entanto renunciar à vida!
    Algumas coisas tem que mudar, algumas atividades serão substituídas por outras e algumas coisas irão para sempre, como pele lisinha, vigor físico e a cor dos cabelos.
    A difícil questão é: se aceitar como se é agora!
    Abraços, Rê!

    ResponderExcluir
  14. Quantas vezes estamos tristes, desmotivados, meio perdidos ou até estamos passando por algum período de muito sofrimento. Coisas assim acontecem com todos, mas tenho algo a dizer para você. Não desista.Peça ajuda a Deus para que lhe guie e de sabedoria, porque Ele pode te ajudar quando você estiver triste e desmotivado. Peça a Ele para te dar mais força para você agüentar esse período difícil e para que não desista. Vamos, sei que você consegue. Fale com Ele.Estou em mudança em busca de meus sonhos vou ficar um tempo afastada mas volto logo. Deus abençõe vc bj no coração!

    ResponderExcluir
  15. Olá Regina,
    Meu Deus, afinal temos as duas 51? E pensamos exatamente da mesma maneira, nunca na vida achei nada de atraente em ser velhinha, nem todas essas coisas que se dizem para aí, tais como, que cada idade tem o seu encanto.
    A minha irmã, que é um pouco mais velha, vai fazer 59, diz que a alternativa, a não os fazer, não é agradável. Pois, concordo.
    Sempre me achei uma mulher feliz, apesar dos pesares, por isso acho um milagre o acordar todos os dias.
    Mas embora tenha o espírito jovem, esteja a maior parte do tempo a rir e na brincadeira e seja capaz de dizer e fazer quase tantas coisas loucas como os jovens com quem trabalho. Embora continue a estudar,(estou fazendo um Mestrado em Educação e Sociedade). Embora tenha energia para quase não dormir trabalhar num sítio, dar formações noutro (quando as há), estudar, ficar noites agarrada ao blog. Não acho graça àquelas gordurinhas que insistem em aparecer, nem ás rugas (aqui não se faz cirurgia como aí, até porque a grande maioria das pessoas não tem dinheiro para tal coisa. É muito caro aqui). Eu nem que tivesse muito dinheiro não faria, não gosto de operações e ainda que tente vestir-me e arranjar-me da forma mais juvenil possível, sem parecer ridícula, não gostava nada de ficar com cara de boneca, sem idade, com falta de expressão e com umas bochechas iguais a todas as mulheres da minha idade.
    Mas, na mesma continuo a não gostar de envelhecer, a já quase ninguém voltar a cabeça para olhar para mim (sou vaidosa, sabe, uma vaidosa normal sem ser tonta), a ter dores quando me levanto de manhã, ao meu corpo já não reagir da mesma forma. Enfim, a tanta coisa que vai mudando, quase sem darmos por isso.
    Eu sou uma mulher batalhadora e lutadora, mas estou numa fase em que acho que devo receber alguns créditos por tudo quanto investi em família, trabalho, estudos, amigos. Bem, talvez esteja um pouco em crise. Mas estou frmemente decidida a aproveitar tudo de bom que a vida ainda tem para me dar.
    Acho que nós duas somos mesmo muito parecidas e acho isso um espetáculo. (eu falo e escrevo muito, mas estou velha para mudar, ahah.) Bjs daqui, deste lindo pais á beira mar plantado, para esse si e para esse Brasil que eu adoro (estive aí em 2004, em Salvador e Porto Seguro, amei, como vocês dizem. Seria um dos poucos países em que seria capaz de viver, gostando). Até sempre Té

    ResponderExcluir
  16. Muito bom Rê...ainda bem que não disse nem uma vez sequer no meu livro que é melhor ser velha do que jovem! Cruisincredo....só se eu fosse louca!
    beijos,

    ResponderExcluir
  17. Ai Rô... como eu era uma bobona, me sentia horrorosa qdo mais nova, na adolescência me faltava bunda e peitos, como todas as outras meninas eram belas, acredite comecei a usar blusinhas regatas com 20 anos!!! Olha pra isso!! Dentro do biquini eu penava... a magrela, a sem graça... Hoje prestes a completar 38 anos, no dia 27/09 tá chegando...rsrsrs... Tô sentindo uma certa "bundancia" exagerada...rsrsrsrs... Os peitos juro que se tivesse coragem enchia uns cilicones...rsrsrs... Não é fácil comprar sutiã 38, qdo acho já compro um monte, um de cada cor...rsrsrs.... Mas já consigo enxergar uma "pançinha", sim ela existe....rsrsrs... é só exagerar nos doces... Aí nunca foi tão bom ouvir dos amigos, que a natureza foi generosa comigo, fico feliz qdo perguntam p minha mãe, sua filha já digiri?!?! Coitados!!! kkkkkk... Mas como ainda não sou mãe, fica uma certa decepçãozinha, pq o tempo não espera acontecer né... e queira ou não queira a idade tá chegando...rsrs... bjos amiga (uhuuuu desabafo...)

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget