Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

CHOVE CHUVA E MANDA ESSA GRIPE PRA LONGE

Lá no sul chove. E fiquei sabendo, ainda agorinha, que nas Alagoas também. Submersas ficam as construções, as conquistas de uma vida e muitos sonhos. Minha avó diria que lá tá chovendo canivetes (raining dogs and cats). Nem tão distante estou para não receber respingos. Lá, chovendo sem parar e aqui, uma secura de rachar mamona. É a natureza imitando a vida ou seria ela plagiando? 
Tá chovendo na sua horta? Na minha não. Em nenhum aspecto. As folhas começaram a se levantar fazendo redemoinhos. O vento balançava as flores das árvores transformando as calçadas em tapetes desalinhados. Nuvens apareceram e pensei: finalmente vai chover! Logo elas se dissiparam. O ar ficou parado e a poeira de meses, sem gota d’ água, ficou ainda mais suspensa. Um sufoco. Desse seco e sem graça que atacam em formas de ites (rinites, sinusites, amigdalites) crianças, jovens e velhos. Quase choveu. Ainda não foi dessa vez. 
Dias assim me lembram alguns momentos da vida, quando tudo fica, ridiculamente, estagnado e não pinga um instantezinho sequer de alegria. Ou a tal paz de espírito que também serviria. E a gente no sufoco do viver diário.
Desde segunda-feira sentia a garganta pinicar e o corpo fazendo mole. Gripe e resfriado me levam pra lona. Calço minhas luvas para combatê-la: banho quente, moletom velho, quentinho, folgado e macio, chá, torradas e uma leitura bem leve. Não é tempo de pegar pesado.
Pensei que havia vencido os dois primeiros dias-rounds, mas ontem cheguei em casa, à noite, querendo além de chuva, sopa, suor e cama. Não necessariamente nessa ordem. Afinal, ao ler no livro - Você pode curar sua vida -  a tradução para gripes e resfriados, percebo que é muita coisa acontecendo ao mesmo tempo, confusão mental e desordem que provocam os tais. Dispensei, momentaneamente, a busca pela organização interna. A febre e o corpo bem amolecido anunciam a vencedora desse embate. Pelo menos, por hoje, deixo-a nessa crença. Ainda tenho fôlego sufocado e resguardado para mais alguns golpes.
Clarice já escreveu sobre esta necessidade de chuva. Sua personagem sofre com a secura e o calor num final de dia e seu "estado gripal" catártico se dá assim:
Ela só percebe que agora alguma coisa vai mudar que choverá ou cairá à noite. Mas não suporta a espera de uma passagem, e antes da chuva cair, o diamante dos olhos se liquefaz em duas lágrimas. E enfim o céu se abranda." 
Queria ser índia nesses tempos. Saber a dança da chuva e da cura gripal.  Quem sabe a vida ia chover em novidades? Na minha, na sua e na horta do mundo inteiro também...E eu cantaria e dançaria no melhor estilo Gene Kelly de ser!(RR)
P.S: Há que se ter paciência pra carregar o vídeo, mas vale cada segundo de espera rever esse genial da dança!







25 comentários:

  1. Doce Regina
    Muita coisa acontecendo ao mesmo tempo e a gente querendo resolvê-las, criando desordem na nossa cabeça.
    A vida nos obriga a parar e ver tudo passar, por mais que doa, vai passar, como tudo na vida.

    A chuva virá no momento certo, enquanto isso, faz o que a vida te orienta. Para e espera, confia, tem fé.

    Vou aí te fazer uma chazinho....

    ResponderExcluir
  2. Quisera eu uma chuvinha...para aplacar a poeira, para umedecer esse ar irrespirável, para ter um pouco de esperança...fique bem Rê amada...procurarei ficar tambem

    beijos

    ResponderExcluir
  3. Que tempo é esse que estamos vivendo.
    Estamos na mesma região sudeste e
    aqui em Ubatuba não para de chover.
    Tudo dentro de casa, incluindo os donos estão com cara de mofo.
    Estou apelando para Santa Clara e suas simpatias.
    Santa Clara clareou
    São Domingos iluminou
    Vai chuva, vem sol.
    Vai chuva, vem sol.
    E dá-lhe ovo em cima do telhado, espero que resolva até o final de semana.
    Bjs.
    Wilma
    www.cancerdemamamulherdepeito@blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. São tantas coisas juntas...E por vezes ficamos sem defesas... A gripe me pegou faz um tempão e não quer me deixar...Fica bem, beijos,chica

    ResponderExcluir
  5. Aqui tá uma seca daquelas mais de 100 dias sem chover, um beijão Regina :-)

    ResponderExcluir
  6. Ei Regina!
    Realmente vale super a pena ver esse musical, já o vi algumas vezes mas é sempre uma maravilha ver de novo.
    Em alguns momentos o corpo precisa de descanso, mas não esquenta não uma hora dessas vai chover muito na sua horta!
    Gd beijo

    ResponderExcluir
  7. Olá, RÊ

    Quem me dera que rinite e sinusite foi coisa só trazida pela falta de chuva, pois que aqui até está calor, e eu estaria bem melhor ...

    Mas também a mim me dava jeito que chovesse, pois poupava água a regar o quintal - e também na conta...

    Valha-nos o Gene Kelly, que dança lindamente, mesmo quando chove a cântaros.

    E veja lá se se põe melhor, tá bem?

    Beijinhos amigos!
    Vitor

    ResponderExcluir
  8. Esse tempo seco castiga mesmo e gripe ninguém merece hein. Fico fascinada pela sua escrita, como escreve bem, com leveza, humor! Olha melhoras viu? Essa fase aí sem chuva( em todos os sentidos) Vai passar. Dias melhores virão. Um forte abraço! Bjsssssss

    ResponderExcluir
  9. Rê, um furo de reportagem, depois de chafurdar, cantar e dançar na chuva para esta cena, o velho Gene Kelly passou uma semana de cama, tomando aspirina para curar o resfriado que pegou!
    Hehehehe!
    Mas, valeu vê-lo de novo!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  10. Oi Regina,acho que a natureza resolveu fazer uma rebelião heheheh, né?
    Assim mesmo desejo a você um final de semana azul e bem florido.
    Beijocas da Sol

    ResponderExcluir
  11. Moça, prepare o guarda-chuva e as galochas. Estou providenciando uma chuvinha pra você dançar. Se ela demorar a chegar aí, ponha a culpa na greve dos carteiros.
    Beijos molhadinhos.

    ResponderExcluir
  12. Rêzininha....

    Na maior malandragem paulista, chamaria de "umachuvinhaemcima" cura a secura e aquece a alma.... Tô fora.. rsss

    Mas to com o véi bruxo alí... Só proDívenciando uma chuvarósca!
    Mó sacanagem tá ligada... rss


    Deusssssssssssskiajude
    Beijo
    Tatto

    ResponderExcluir
  13. Ai amiga, tá melhorzinha?! Gripe com tempo seco ninguém merece né... Aqui tá uma dó a vontade de chover, e nada dela aparecer... Então flor, mudando de assunto...rs... eu te procurei no face, mas nada de achar ocê...rs... seu nomezinho não aparece, vc registrou com nome diferente?!! rsrs Vou tentar de novo, ok!! Ahh... Outra coisinha, aproveitando o quadrinho que ainda tem espaço para escrever..rs... tô de blog novo, outro tipo, mais para reflexão, dá uma passadinha lá pra conhecer...
    http://aminhapazvosdou.blogspot.com/
    Melhoras pra vc florzinha...
    bjos,

    ResponderExcluir
  14. Querida amiga

    As vezes é preciso
    uma gripizinha a toa,
    para nos fazer
    olhar para nós,
    e para o que estamos
    fazendo de nós.


    Que a alegria seja
    um rio a correr
    em tua vida.

    ResponderExcluir
  15. Minha querida

    As mudanças bruscas de temperatura deixa o corpo à mercê das gripes.
    Espero que depressa essa gripe se vá e deixo um beijinho com carinho.

    Sonhadora

    ResponderExcluir
  16. Canja de galinha e cama, f*** o mundo! Mnha receita para curar gripe, mesmo que seja só um refriadinho ou mimimi, por que a gente merece, rs
    Melhoras com chuvas!
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
  17. Eu não sei que tipo de "ite" eu tenho, mas anda me aperreando esses dias.

    Vou soprar um cadim de nuvem daqui pra lá, São Pedro há de se lembrar que já se faz primavera, fechar as torneiras por aqui (embora hoje nao tenha chovido), molhar um cadiquim a sua terra e lá no Centro Oeste também, então ele deixará tudo se manifestar em flores, que já é hora.

    Beijoquinha.
    E cura logo essa gripe aí.

    ResponderExcluir
  18. Querida Re
    Quando os acontecimentos ultrapassam as nossas capacidades de resolução... o melhor é esperar que a Natureza resolva.
    Ela é sábia e sempre dá um geito, embora ultimamente, talvez por força de ser tão maltratada, parece andar de cabeça virada... :)

    Ponha-se boa bem rapidinho, que isso de "estar de molho" é bom para o bacalhau :)))

    Sério, sério, as melhoras, querida.

    Que a Primavera, além das flores, lhe traga uma chuva de benções.

    Bom fim de semana. Beijinhos

    ResponderExcluir
  19. Minha Querida

    Chuva, chuvinha...vem ao meu quintal - como cantava a nossa Linda de Suza!
    O Outono aqui tb entrou seco (quase Verão) mas, na estação do calor, chuveu muito... quem entende estas trocas e baldrocas? A natureza, tal como os homens, andam baralhados...não sei se é pelas "coisas" que andam a cair do céu( felizmente ficou-se pelo Atlântico...) da crise financeira, da ordem alterada de valores ou se a nossa cuca fundiu de vez!
    Que venha essa chuvinha desejada para lavar o ar e mandar embora os micróbios da gripe!!!
    Leite quentinho com mel, um agasalho confortável e uma música doce para embalar a alma e o corpo...enquanto esperam!!
    Beijocas e bom fds.
    Graça

    ResponderExcluir
  20. Aiii como eu queria uma chuvinha..
    daquelas que lava a alma , e fabrica
    sonhos...

    meu beijo pra vc querida minha..

    ResponderExcluir
  21. Chuva traga logo alivio imediato...beijos e beijos de boa semana.

    ResponderExcluir
  22. Olá, RÊ!
    Corrijo o que disse na primeira expressão do comentário anterior, que é em si mesma uma contradição.

    "A mim,também a sinusite e rinite atacam, mesmo quando chove". Agora, sim, está correcto.

    E espero que já tenha arrebitado!
    Beijinhos; Vitor

    ResponderExcluir
  23. Rê, cá também se usa o chover canivetes. Espero que chova. Bjs Tê

    ResponderExcluir
  24. Li esta postagem simpaticamente e não pude deixar de rir porque vc fez a menção da gripe e sobre o imortal Gene Kelly em sua dança no filme "Cantando na Chuva". O que poucos sabem é que Kelly estava realmente gripado e febril quando realizou esta antológica cena, e apesar de esboçar toda simpatia, o dançarino estava realmente mal, e a cena não foi feita em uma única tomada. Eis o profissionalismo de um grande artista.

    Abraços, Regina

    Paulo Néry

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget