Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

terça-feira, 6 de setembro de 2011

SEMPRE UM PAPO

O jornalista Afonso Borges, há vinte e cinco anos atrás, idealizou e criou esse projeto, aqui em Beagá, com a missão de contribuir para o desenvolvimento de políticas de incentivo ao hábito da leitura a fim de formar cidadãos mais críticos. O projeto já ultrapassou os limites de Belo Horizonte e chegou a 23 cidades, em oito estados da Federação, além do Distrito Federal. Com o tempo, vieram outros projetos (Sempre um papo comunidade, nos bairros, programa de TV, biblioteca, portal, etc.) e iniciativas que visam sempre o incentivo à leitura e possibilita, conjuntamente, a associação entre cultura, educação e responsabilidade social. Sempre um papo é a realização de encontros entre grandes nomes da literatura e personalidades nacionais e internacionais com o público, ao vivo, em auditórios e teatros. Já fui a muitos: Adélia Prado, Lya Luft, Saramago, Rubem Alves, Ferreira Gullar, Miguel Paiva, Veríssimo e mais outros que nem me lembro mais. Fazia tempo que não ia. Essas coisas desse senhor implacável que não nos deixa organização suficiente, nem sobras, para as idas. Para comemorar suas bodas de prata organizaram uma mesa imperdível. Convidei Ângela, amaaada, para largar sua cozinha e irmos ouvir Ruy Castro e Heloisa Seixas, Frei Betto, Fernando Morais, Leonardo Boff, Zuenir Ventura, Luis Fernando Veríssimo, mediados por Zeca Camargo. Um encontro desse porte só caberia no Grande Teatro do Palácio das Artes.
E dá-lhe fila dobrando quarteirão para receber a senha de entrada. Parte cansativa e mal organizada para um evento desse tamanho.
Na fila que caminhava igual as de  banco... e Ângela era só sorriso!
E dá-lhe gente de todas as idades, principalmente jovens, o que nos deixou felizes e esperançosas, querendo ouvir. E dá-lhe duas “senhÔras” (Angelinha e eu) pulando cordinha de isolamento para as poltronas dos convidados Vips (não éramos, mas nos categorizamos como tal, tamanho desaforo) e patrocinadores.
Reservadas para nós...as inúmeras, e sem dúvida, importantíssimas pessoas dessa vida: seres do cotidiano nosso de cada dia...você, eu, nós!
Contravenção perdoada para quem só queria ficar mais perto de Luisinho, amaaado meu.
Depois, como os Vips não chegaram, decidiram abrir para todo o público que, na minha humilde opinião, mais importância não há. Somos nós, leitores e frequentadores, que sustentamos  os escritores e o projeto, né não?! Reservar todo o primeiro setor, para patrocinadores, é assinar atestado que somos dispensáveis e que é possível viver só dessas verbas. Até deve ser. Mas, a missão do projeto fracassaria e os escritores ficariam, numa tristeza só, sem ter o retorno de leitores.
Sentadinhas na área VIP e nos sentindo importantíssimas...Afinal, SOMOS messsmo!
Cada um fez sua homenagem ao Sempre um papo, mas quando Fernando Morais elogiando a quantidade de gente que ali se encontrava, mencionou através das presenças da secretária de cultura do governo do estado e nosso prefeito, que novas políticas educacionais, de incentivo à leitura, etc. e tal se efetivadas, em pouco tempo, triplicaria esse público... a audiência aplaudiu em pé. Os professores da rede estadual – em greve por tempo indeterminado desde junho – aproveitaram a deixa e empunharam cartazes e libertaram seus gritos. 
Da esq p/direita: Fernando Morais, LF Veríssimo, Zuenir Ventura, Zeca Camargo, Ruy Castro, Heloísa Seixas, Frei Betto e Leonardo Boff
Já Luis - com seu humor ímpar – mencionando sua dificuldade em falar em público, disse que todas as vezes que Afonso o convidou para o Sempre um Papo transformava-o em Sempre um Parto! Ô dó dele, gente... Meu lindo sofre mesmo, genuinamente, para falar. Tinha vontade de ajudar seus partos. Fazer nascer suas palavras orais sem dores, cesária ou fórceps, tal e qual ele pari suas crias escritas: de um jeito normal e lindo de vir ao mundo. A-DO-RO esse moço.
Fui crente que tiraria fotos, pelo menos com Luis, e conseguiria meus livros autografados e com dedicatória. Desisti. Minha tietagem não é tão grande, quanto imaginei, para enfrentar a muvuca que se formou e mais trocentas horas de fila. 
Sem condições de enfrentamento desse desgovernado populacional...Era gente saindo pelo ladrão!
Fomos embora felizes por esse 0800 em plena segunda-feira, reencontro, e combinadas (né amada?) de fazermos outros programas como esse.

Fonte: (www.sempreumpapo.com.br)

17 comentários:

  1. Baum d+. Adorei e quero repeteco! Bjins, Angelinha

    ResponderExcluir
  2. Que bacana! Sabes que sou viciado em eventos deste tipo; adoro beber do conhecimento destas abençoadas criaturas.

    Adorei; abração,

    Rodrigo Davel

    ResponderExcluir
  3. Adorei vê-las juntas e felizes.
    Nesse verdadeiro Manjar de Cultura.
    Enxerida que sou me senti lá.
    Bjs.
    Wilma
    www.cancerdemamamulherdepeito@blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi moça do zóio munito.
    Vim ti ver, matar um pouquinho da xodade ducê..
    Ta lindissima na foto, elegância
    eis que teu nome é Rê....
    Sem contar que cultura é tudim
    de baummmm né...

    beijo linda minha...

    ResponderExcluir
  5. maravilhos ver e sentir o cheiro do saber, da leitura e dos livros.Momentos raros de puro prazer cultural. Regina, que linda de pretinho básico.Belo post.Mil bjs.

    ResponderExcluir
  6. Rsrs... Eu comentei em off com uma amiga nossa (não vale ciumar da Denise, tá?) que seus nos seus textos vc parece ter levado a gente nos seus programas. Massa isso. Eu tive nesse evento, tu não me viu não? Tive aí, adorei a palestra toda, só não curti muito o intermediador, mas tá valendo...

    Beijo.
    E obrigada por me levar sempre nessas viagens incríveis.

    ResponderExcluir
  7. Pois então, viajamos todas juntas...rsrsrs

    Sabe Rê(zininha_mada_minha), vc compartilha teu crescimento, teus assombros, as aflições, as glórias, as bençãos, os momentos de alegria, as indignações...e nessa corrente mágica formamos elos indissolúveis de afinidades, acarinhamentos, aprendizado e dádivas que não nos cabe - por isso, dividimos.

    Obrigada por tudo isso...bjãozão, flor do dia!!!

    ResponderExcluir
  8. Re, adorei seu programão, queria ter ido junto!
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
  9. Adorei a sua foto com a Angela. Vocês estão lindas

    ResponderExcluir
  10. Vocês, nas fotos - e principalmente em teu texto - são duas adoráveis molecas atrás da banda que passa... senhora banda!
    São VIP - Vim Impor Presença.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  11. Puxa, deve ter sido muito legal um evento assim em companhia amiga.Isso é muito legal,não? um beijo,boa noite!chica

    ResponderExcluir
  12. Olá, RÊ!

    Convívio e cultura, também são uma forma de alimentação. Quem deles gosta, não passa sem eles - e já vi que por aí foi coisa que não faltou...

    Beijinhos amigos.
    Vitor

    ResponderExcluir
  13. Que diliça! pena que em Nikiti não tem dessas coisas...ô cidadezinha atrasada pra esses programas culturais, vôte!
    E vc, que linda hien moça? Fez 5.1 e tá parecendo uma jovem de 40...lindona, mais que nunca!
    iso mesmo, aproveita a vida,amiga...qq dia tô aí, distribuindo meus " humildes otógarfos"...quem sabe? beijaço,

    ResponderExcluir
  14. Oi Re..
    Desculpa minha ausencia..estava viajando..

    Que programa mais bacana!!
    Queria estar a ai com vc...rs

    Lindo evento...parabéns pelo compartilhamento..
    E vc..tava linda!!
    bjkas

    ResponderExcluir
  15. Que deliciaaaa heim Rê, nem ligamos pros contra tempos, depois, porque na hora ô raiva sô desse povo, que não sabe fazer bem os eventos.
    Adorei seu caminhar por lá e ri de vc rss, pulando fila de Vip rss e de Luis com seus partos rsss a ter que falar em publico.
    Esse fim de semana vou a Bienal do Livro, aiii, já tõ até cansada só em saber o que vc passou, mas não perco por nada, vou me perder por lá.

    beijos e abraços apertadinhos e ótimo fim de semana.
    Meu carinho.

    ResponderExcluir
  16. Você detonou o evento e no final disse que quer mais? Não entendi.

    ResponderExcluir
  17. Caro anônimo
    Normalmente não respondo a quem não assina o que escreve. Contudo, por ter por esse projeto e seu idealizador grande apreço, vou fazê-lo. Não, não detonei o evento. Ficar numa fila, desde as 18hs até as 19h, para receber uma senha acreditando que assim conseguirira um bom lugar foi uma escolha pessoal, mas que "detona" com as pernas e humor de qualquer um. Adentrar o grande teatro e ver todo o 1º setor "reservado e fechado" para convidados especiais é, no mínimo, desrespeitoso para com aqueles senhores e senhoras (nem tão jovens) que ficaram de pé, você não acha? Fiz pontuações em relação a uma logística que pode e deve ser melhorada. E por acreditar nisso quero mais...sempre...um papo!
    Regina Rozenbaum

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget