Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

RESPOSTA

“Purifica o teu coração antes de permitires que o amor entre nele, pois até o mel mais doce azeda num recipiente sujo”
(Pitágoras)
Amor é isto: a dialética entre a alegria do encontro e a dor da separação. 
De alguma forma a gota de chuva aparecerá de novo, o vento permitirá que velejemos de novo, mar afora. 
Morte e ressurreição. Na dialética do amor, a própria dialética do divino.
Quem não pode suportar a dor da separação, não está preparado para o amor. Porque o amor é algo que não se tem nunca. É evento de graça.  Aparece quando quer, e só nos resta ficar à espera. E quando ele volta,a alegria volta com ele. E sentimos então que valeu a pena suportar a dor da ausência, pela alegria do reencontro.(Rubem Alves)
(Imagem:www.mylittle.paris.com)

25 comentários:

  1. Bom Dia, Regina!
    Tinha que ser o meu escritor favorito a deixar estas palavras de aconchego e consolo.
    adorei!
    beijos cariocas

    ResponderExcluir
  2. Reencontro...é isso irmiga amada, o tema que está tb em pauta e no meu coração - família , e ela é este estar junto, despedir, tornar a juntar e despedir...a gente aprendeu que (sobre)vive assim, e que assim é....

    Um beijo de chegada, pra nunca de ti me despedir, até que o tempo escoe nossa passagem desta vez, e prontas estaremos para voltar, um outro dia... ecoando na eternidade, o amor!

    ResponderExcluir
  3. Pra não ficar só nisso não depende apenas de mim... é preciso haver reciprocidade; a amizade não tem preço e é insubstituível em nossa vida! Te aguardarei!Volte sempre! Abraço fraterno e carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. A vida é isto, encontros e separações. Dediquei ontem, um post a um encontro em viagem. De outra forma também refere-se a este seu tema.
    bjs,

    ResponderExcluir
  5. Regina, por motivos óbvios me encontro na mesma situação que vc...meu filho também vai nessa "viagem"...de fato a dor da separação é tanta quanto a alegria de vê-los partir felicíssimos...

    ResponderExcluir
  6. Rêzinha darling, a ausência também alimenta o amor, ainda mais esse seu, que é de mãe. Você sabe o que essa experiência significa e consegue soltar sua menina, para voar mais longe. Meu pai, por exemplo, não conseguiu. E eu perdi uma oportunidade que nunca mais recuperei. Vamos cuidar de você durante este ano, combinado? Até o reencontro. Beijos, Angelinha

    ResponderExcluir
  7. Linda reflexão,Rê!!!um beijo praiano,chica

    ResponderExcluir
  8. Para quem ama, não será a ausência a mais certa, a mais eficaz, a mais intensa, a mais indestrutível, a mais fiel das presenças ?

    Beijo.

    ResponderExcluir
  9. Estou também pensando em escrever sobre o amor... Mas a preguiça dele.

    Essa tua saudade será preenchida pelas lembranças, pela contagem do tempo pra que passe rapidinho, pelas notícias, a voz, o mimo, o amor imensurável... Né não?

    Beijos, Rezininha.

    ResponderExcluir
  10. Voa, andorinha Preta, voa alto,
    Com as asas que a Leoa te dotou;
    E tu, Leoa-Coruja, ri e chora,
    Pois és parte desse mundo, aqui e agora,
    Para o qual essa andorinha se criou.

    Ficas intimada, Leoa, a manter-nos informados sobre as peripécias desse voo triunfal!

    Beijos. Abraços. Carinhos.

    ResponderExcluir
  11. E muito gostoso caminhar por aquiseu blog tem uma energia muito boa!
    Fico feliz que curta minhas tirinhas isso é muito gratificante!

    ResponderExcluir
  12. Amiga nem preciso dizer mais nada. O texto ja diz tudo. levei e postei no face.
    Obrigada por compartilhar comigo . Amei. Bjos achocolatdos

    ResponderExcluir
  13. Rê Amiga,
    Após os percalços aqui nos reencontramos com novo élan e... alegria.
    Nós somos comandados por algo que nos supera.
    Na separação há um misto de dor e angústia. O coração doi, por vezes, dá ordem para ignorar o sintoma que será superado pela alegria do reencontro.
    Um xião

    ResponderExcluir
  14. O amor vem sim e de mansinho...
    Não precisa sequer de pedir, basta que seu coração esteja pronto e ele vem sem ser chamado,verdade !!

    ResponderExcluir
  15. O amor nunca terá explicação...ele é um sentimento louco,,,que toma tudo,,,deixa pouco no lugar,,,mas é tudo que queremos...que almejamos e sonhamos...beijos e beijos de bom final de semana.

    ResponderExcluir
  16. Purificar o próprio coração, acredito, somente o amor purifica. Se amar é o caminho. Afinal, como amar se nem se sabe o que é amor?

    Um beijo, de coração!!!

    ResponderExcluir
  17. Bela citação de um escriba incrível,Regina am,adérrima e fraterna migona,como dizem os portugueses!

    bzuz no corazon

    Regina e Ricardo

    ResponderExcluir
  18. Querida amiga

    Amar
    é entregar
    sonhos aos cuidados
    do outro,
    sem saber,
    se os cuidados
    são os mesmos
    que dedicamos
    a quem amamos.

    Lindo...


    Que a chama da alegria
    esteja sempre acesa em ti.

    ResponderExcluir
  19. Oi Rê, o amor verdadeiro é sempre aquela entrega purificada, sem nenhum teor de mágoas.

    Ótima blogada!
    bjs lindona e ótimo findi pra ti e família.

    LU :)

    ResponderExcluir
  20. Pode até ser verdade, mas quando o reencontro é com o mesmo amor, a dor é menor.:)

    Bom dia, querida Rê.
    Vim trazer-te um beijinho, agradecer-te pelos simpáticos comentários e dizer-te que a nossa porta por cá continua aberta. Podes, por isso, tratar da viagem.:))
    Continuo em modo "pause", embora não tanto como dantes, mas continuo viva.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  21. Um belo sábado pra ti minha amiga querida...paz e carinho sempre...beijos.

    ResponderExcluir
  22. Olá!
    Bom dia!
    Sim! É verdade!
    Sentir o amor por si só é o que conforta no momento da saudade. Pois, ele sozinho nos faz sentir grandes, enormes, imensos. Porém, temos que sim, estar preparado para os revés, DESTE MESMO AMOR!
    Obrigado pelo carinho da visita!
    Muito feliz com as palavras!
    Muito obrigado!
    Bom final de semana!
    Beijos carinhosos!

    ResponderExcluir
  23. Para quê mais palavras? Já tudo aqui foi dito: primeiro pela belíssima postagem (o que nos leva à meditação); depois pelos comentários de alento que lhe deixaram.
    E, acredite, não há nada melhor que deixar voar nossos rebentos e vivenciar novas experiências. Ficarão melhores seres humanos pois cimentarão sua autonomia e compreenderão melhor outros mundos!
    Bjos :)

    ResponderExcluir
  24. Separação é quase sempre sinónimo de dor, sobretudo quando envolve os nossos filhos, porque amor maior não há.
    Força Regina, porque a verdade,é que só este amor sobrevirá a tudo.

    Beijo

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget