Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

domingo, 29 de janeiro de 2012

POESIA POETAS PROCÊ

Eu queria trazer-te uns versos muito lindos
Por Mario Quintana


Eu queria trazer-te uns versos muito lindos
colhidos no mais íntimo de mim...
Suas palavras
seriam as mais simples do mundo, 
porém não sei que luz as iluminaria
que terias de fechar teus olhos para as ouvir...
Sim! Uma luz que viria de dentro delas,
como essa que acende inesperadas cores
nas lanternas chinesas de papel!
Trago-te palavras, apenas... e que estão escritas
do lado de fora do papel... Não sei, eu nunca soube o que dizer-te
e este poema vai morrendo, ardente e puro, ao vento
da Poesia...
como uma pobre lanterna que incendiou!

..................................................................
[Às vezes a gente pira o cabeção...
Meio sem noção diante da emoção.    
Inevitável combinação carregada de atrapalhação!] (ui...perdoem-me os poetas)
O desejo veio solitário...
Mas será que poderia vir acompanhado?!
Alguém pode desejar por mim?
Ensinaram que não.
Inspiro a profundeza de ser e o raso ter...
Ninguém ao lado. Só meu pensamento pensando saudades.
Meus olhos olham pra você isto que você não vê: o sol, a nuvem, a cor, o mar, o céu, a lua. Esta eternidade estável da asa horizontalidade.
Você voa comigo nesta altura. Até um dia pousar verticalidade. (RR)

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

RESPOSTA

“Purifica o teu coração antes de permitires que o amor entre nele, pois até o mel mais doce azeda num recipiente sujo”
(Pitágoras)
Amor é isto: a dialética entre a alegria do encontro e a dor da separação. 
De alguma forma a gota de chuva aparecerá de novo, o vento permitirá que velejemos de novo, mar afora. 
Morte e ressurreição. Na dialética do amor, a própria dialética do divino.
Quem não pode suportar a dor da separação, não está preparado para o amor. Porque o amor é algo que não se tem nunca. É evento de graça.  Aparece quando quer, e só nos resta ficar à espera. E quando ele volta,a alegria volta com ele. E sentimos então que valeu a pena suportar a dor da ausência, pela alegria do reencontro.(Rubem Alves)
(Imagem:www.mylittle.paris.com)

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

APENAS MÃE

Então, finalmente, saiu o subsídio (parte) para que minha Preta vá passar todo esse ano, do outro lado desse mundão de D’us, estudando e trabalhando. Ela ficou mais exultante do que se tivesse passado na 2ª etapa da UFMG (já havia passado na PUC e no CEFET!). Já faz tempo que ela já está lá... Falta mesmo só embarcar o corpo. E a mãe? Bem, sei que essas oportunidades são únicas, de uma aprendizagem e crescimento difícil de explicar aqui, vivência numa diversidade cultural inesquecível, de alçar voos para além das asas protetoras dos pais, etc. e tal. Mas, o que sinto é um bololô na boca do coração e na porta da alma. Afinal, sou mãe e ela é minha minina... Eternamente. Sei também que temos esses recursos todos da modernidade - email, skype, face, MSN – que minimizam a distância. Mas ainda não criaram um que me faça sentir seu cheiro, poder cobri-la em sua cama numa noite friorenta, sentir o brilho de seus olhos bem ao vivo e a cores e nem suas tiradas surpreendentes numa mãe antiga de ser!  Agora corro contra o relógio desse implacável senhor para arrumar tudo: consultas médicas, compras necessárias, kit remédios, limpeza, higiene pessoal, etc. e tais. A lista é longa e além do tempo, o dinheiro é curto! Há que se fazer magia. Não só para conseguir ticar a lista, mas principalmente para administrar as emoções. Segunda-feira de carnaval - dia da partida - já se faz cinzas em pleno janeiro. Que me desculpe Gibran e seu poema-verdade, mas hoje sou apenas uma mãe embolada em emoções.(RR)
Os Filhos (Do Livro "O Profeta")
Uma mulher que carregava o filho nos braços disse: "Fala-nos dos filhos."
E ele falou:
Vossos filhos não são vossos filhos.          
São os filhos e as filhas da ânsia da vida por si mesma. 
         
Vêm através de vós, mas não de vós.          
E embora vivam convosco, não vos pertencem.          
Podeis outorgar-lhes vosso amor, mas não vossos pensamentos,          
Porque eles têm seus próprios pensamentos.          
Podeis abrigar seus corpos, mas não suas almas;          
Pois suas almas moram na mansão do amanhã,          
Que vós não podeis visitar nem mesmo em sonho.          
Podeis esforçar-vos por ser como eles, mas não procureis fazê-los como vós,          
Porque a vida não anda para trás e não se demora com os dias passados.          
Vós sois os arcos dos quais vossos filhos são arremessados como flechas vivas.          
O arqueiro mira o alvo na senda do infinito e vos estica com toda a sua força         
Para que suas flechas se projetem, rápidas e para longe.          
Que vosso encurvamento na mão do arqueiro seja vossa alegria:          
Pois assim como ele ama a flecha que voa,          
Ama também o arco que permanece estável. 
(Imagem: google)

domingo, 22 de janeiro de 2012

O DIVÃ DA REGINA

Em qualquer tempo quando escolhemos um nome - filhos, loja, empresa, bar, restaurante, etc. - revestimos com nossas crenças, significados, desejos e intenções. Sempre as melhores. Lembrei-me de uma conversa com o então presidente do hospital que trabalhei por 16 anos. Dizia-me ele como, com o crescimento e modificações ocorridas na instituição, o nome estava aprisionando e dificultando a apreensão, pelos outros, dessas transformações. Não foi mudado, mas acrescido de “hospital geral” para libertá-lo de seu batismo inicial. Conto isso para partilhar com vocês da mudança ocorrida aqui. Não que o divã tenha crescido sobremaneira, mas por um questionamento que me fizeram – com a melhor das intenções e pela 1ª vez nesses 03 aninhos de vida – e que muito me incomodou!  Não foram inquietudes para modernizá-lo ou coisa parecida. O Divã nosso de cada dia continua com as intenções iniciais dos tempos de seu nascimento e que estão registradas abaixo (escrito em janeiro de 2009). A cada postagem continuarão... todentro ou tofora. Agradeço a todos vocês e a cada um por acolherem o novo nome, compreenderem e continuarem aqui, me ajudando a cuidar e criar - amorosamente - desse nosso divã. OBRIAGADA sempre! 
"Um tempo atrás estava me deliciando com a companhia de uma amiga, quando em função da pergunta feita, ela respondeu: eu? Anota aí www.tofora.com.br! Adorei e adotei para mim. Era a união, bem humorada, entre os tempos modernos e a sabedoria de vida que adquirimos com a maturidade.
Não sei se vocês se lembram, mas nas brincadeiras de infância (da minha época) alguém fazia o convite, levantava uma das mãos com a palma virada para baixo e todos colocavam, rapidamente, um dedo nela dizendo: dentro, dentro. Ninguém queria ficar de fora e naquele bololô, de gritos excitados, nem se sentir excluído. Como as brincadeiras, as roupas da moda, cadernos ou qualquer outra coisa, que mesmo não gostando tínhamos que possuir para nos sentirmos dentro, incluídos. A gente sabe que tem fases que isso é importante. Nos tempos de adolescência ficávamos indóceis se não arrumávamos um programa de fim de semana. Ficar em casa, no sábado à noite era sinônimo de ser esquecida pelo mundo. Todos iguais, que nem leite pasteurizado. Momento de grupo, de falar a mesma língua. E se não se encaixar a regra é impiedosa: está fora, vai procurar sua turma!
Com o tempo, aprendemos a cultuar nossos espaços externos e internos. É maravilhoso olhar para seu apartamento, mesmo que ele não seja próprio, e sentir que ele é uma extensão de você. Que à sua volta estão as suas escolhas, as coisas que você ama, um pouco da sua alma. Que você não só pode como deseja ficar em casa num sábado à noite, absolutamente incluída, com seu livro, filme, fotos, música, vinho.
Não precisamos mais que o outro nos diga que somos o melhor. Não precisamos mais de aplausos, nem nos sentirmos tão amados e muito menos buscar essa segurança que vem de fora. A cada dia ficamos mais assim tôdentro. Aprendemos o pulo-do-gato.
Este blog recebeu assim esse nome para sublinhar as nossas escolhas, o nosso desejo, a nossa singularidade e capacidade de dizermos a qualquer um, em qualquer idade, "tô fora ou tô dentro". A escolha é sempre nossa!"(RR)

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

HELPIMI

Desde que o blogger decidiu se modernizar tô assim...maluca beleza. Não consigo localizar meus rascunhos, programar as postagens, tá tudo misturado, uma bagunça de dar desgosto de ver. Mudanças são necessárias,mas confesso que tenho dificuldades em me adaptar. Não sei vocês. Sabe sua casa, armários, que de alguma maneira você arrumou e quando quer algo vai lá e encontra rapidinho? Aí é como se chegasse uma faxineira do além, com a melhor das intenções - que você não pediu para arrumar - e trocasse tudo de lugar. Você procura pelo martelo e encontra a tesoura. O abridor de latas no lugar do ralador. Cuecas ao invés de calcinhas (e como vieram parar na minha gaveta será um mistério eterno!?)e por aí vai. A única que agradei foi ver, nos blogues de alguns amados, abaixo de cada comentário:responder/excluir. Perguntando minha Mi_nina ternura como fazia para "adquirir" essa possibilidade, respondeu-me ela: não sei, apareceu no meu do nada. É que o blogger me ama mais que tu! Então tá Milene, vou dormir com esse desafeto. Há que se ter paciência diz a voz da modernidade. Mas onde será mesmo que ela foi parar??? Enquanto sigo procurando deixo meus votos: de um final de semana bem tranquilo e com tudo onde deva estar...inclusive você.(RR)
AVISO IMPORTANTE: Tive que mudar a url do divã.Obriagada Xipán amaaado por mais essa ajuda! Conto com a compreensão e o carinho de todos vocês além da tal paciência, para que eu possa fazer todas as atualizações e lincá-los novamente.Não me abandonem e por favor atualizem meu novo endereço e me ajudem a avisar os amigos! Agora o novo endereço é www.divadaregina.blogspot.com Amo vocês de viverrr!!!


quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

VIDA


Tenho um amigo, amado, dos tempos iniciais do divã. Já faz tempo que ele não comenta, mas conversamos por email e conservamos uma amizade iniciada aqui. Conhece-me bem. Sabe de minhas crenças, gostos, desgostos e fé. Recebi dele esse pequeno grande diálogo e partilho com vocês. JC, amaaado, OBRIAGADA!

No ventre de uma mulher grávida estavam dois bebês. O primeiro pergunta ao outro:
- Você acredita na vida após o nascimento?
- Certamente que sim. Algo tem de haver após o nascimento! Talvez estejamos aqui, principalmente, porque nós precisamos nos preparar para o que seremos mais tarde.
- Bobagem, não há vida após o nascimento. E como verdadeiramente seria essa vida, se ela existisse?
- Eu não sei exatamente, mas por certo haverá mais luz lá do que aqui... Talvez caminhemos com nossos próprios pés e comamos com a boca.
- Isso é um absurdo! Caminhar é impossível. E comer com a boca? É totalmente ridículo! O cordão umbilical nos alimenta. Eu digo somente uma coisa: a vida, após o nascimento, está excluída – o cordão umbilical é muito curto!
- Na verdade, certamente, há algo depois do nascimento. Talvez seja apenas um pouco diferente do que estamos habituados a ter aqui...
- Mas ninguém nunca voltou de lá, para falar sobre isso. O parto apenas encerra a vida. E, afinal de contas, a vida é nada mais do que a angústia prolongada na escuridão.
- Bem, eu não sei exatamente como será depois do nascimento, mas com certeza veremos a mamãe e ela cuidará de nós.
- Mamãe? Você acredita na mamãe? E onde ela supostamente está?
- Onde? Em tudo à nossa volta! Nela e, através dela, nós vivemos. Sem ela tudo isso não existiria!
- Eu não acredito. Eu nunca vi nenhuma mamãe. Por isso, é claro, que não existe mamãe nenhuma!
- Bem, mas às vezes quando estamos em silêncio, podemos ouvi-la cantando; ou sentimos como ela afaga nosso mundo... Saiba: eu penso que só depois de nascidos nossa vida será mais “real”, pois ela tomará nova dimensão. Porque aqui, onde estamos agora, apenas estamos nos preparando para essa outra vida... (Desconheço a autoria)

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

O Ciclo do ANO 5 (Parte II/Final)



Depois da parte íntima da casa estar um brinco e eu um caco, reuno as forças restantes para a área social, cozinha e serviço. Se aparecesse alguém, um serzinho qualquer, na minha frente, era bem provável que istapiaria sem motivos(?). Depois nos perguntam o porquê de estarmos cansadas, nervosas e não querermos fazer sexo selvagem amor à noite. Vai entender! Foi quando após um silêncio prolongado, que até me permitia ouvir "todo dia ela faz tudo sempre igual", que escuto a voz calma e mansamente com seus sábios conselhos:
- Permaneça o tempo todo atenta à realidade da sua vida como um todo. É na sua realidade que você deve basear as suas escolhas e fazer as mudanças adequadas. Avalie os aspectos que a seu ver a estão retardando. Você vai descobrir que a maioria deles tem a ver com suas próprias crenças e com os raciocínios limitantes nos quais você insiste porque não aceita que existem alternativas.
- Alternativas??? Deixar o trabalho doméstico pra quem fazer? Fechar os olhos pra sujeira, poeira, roupas pra lavar e aguardar até a próxima sexta?
- Quando se libertar emocional e mentalmente, você verá que não são as pessoas que a prendem. As situações que você acha que estão além do seu controle não a impedem de avançar. A verdade é que é você quem está causando a sua estagnação, por não mudar o que precisa ser mudado dentro de si.
- Mudar mais e mais? Então tenho que marcar umas sessões de análise. Você banca os cu$to$ preu?!
- Fique longe das velhas rotinas e faça algo diferente. Procure novos caminhos. Não se desconcentre nem se limite, pulando de uma coisa para outra sem concluir nada de verdade. Concentre-se no que você quer. A sua curiosidade poderá levá-la as maiores possibilidades ou à decepção.
- Concentrar? O que eu quero? Uma fa-xi-nei-ra (cozinheira,lavadeira e passadeira também) materializada aqui e agora!!!
- A energia do 5 é muito sexual e física. Preocupe-se especialmente com o seu corpo. Cuide bem dele. Respeite-o. Fortaleça-o. Preste mais atenção aos seus sentidos físicos e às suas habilidades. Use seus sentidos de maneira criativa. Descanse e relaxe como se deve. Ame o seu corpo e aumente se conforto físico.
- Hum...sexual é?! Criativamente meus sentidos me dizem que se colocar umas gotas de vinagre misturadas em água + meio limão e esfregão vou conseguir uma bancada de cozinha bem branquinha. Descansar e relaxar? Ah então vou abusar de Xipán... AVACAGÁ sô!
- Este é um ano para realizações, diversão, viagens, expansão e contraste. Seus horizontes estão muito mais amplos agora: portanto, fique livre de rotinas, crenças e atitudes tediosas e corriqueiras.
- Você nem faz ideia como estou me divertindo nesse exato momento. O contraste entre o que já está limpo para o que ainda necessita de limpeza é de uma extensão gigantesca!
- O 5 tem todos os elementos para quem está na “pista da velocidade”. Se partir de maneira confiante, com uma meta bem definida em mente, você poderá relaxar e aproveitar os momentos de muita ação. Os seus sentimentos mais comuns serão de amor, de paz, de alegria e de confiança em si mesma, e não de medo, confusão, perda e esgotamento. Enxergue longe e aproveite este ano de mudança, variedade, aventura, oportunidade e, acima de tudo, LIBERDADE!
- Taquiospariuuu!!! Lá vem você insistindo com esse trem de meta bem definida. Pois lhe informo que a de hoje acabo de realizar. Casa todinha limpa, arrumada pra que na “variedade aventureira” da rotina nossa de cada dia me aguarde - novamente - o amanhã! Agora de-sa-pa-re-ce. Antes que eu lhe afunde na máquina de lavar roupas e posso assegurar: vai ser uma alegria só!!!(RR)
 
-

sábado, 14 de janeiro de 2012

O Ciclo do ANO 5 (parte I)


Sexta-feira é aquele dia que, há quase um ano, aguardo com uma certa ansiedade: faxineira! Deu oito, oito e meia e nada daquela que me alforria aparecer. As nove e vinte o celular toca, ligação a cobrar, e ela me informa (quanta consideração né mesmo?) que não virá. Ok. Quer dizer, depois de uns tantos palavrões praguejados assim que desliguei, passei a mão no arsenal e fui à luta faxina. Fazer o quê?! Ainda estava xingando quando ouvi:
- Bem-viiiiinda ao excitante e imprevisível ciclo do ano 5. Sua energia é a da mudança, da liberdade, da variedade, da escolha, do súbito e inesperado, do incomum e do físico. Este ano será uma verdadeira experiência para você – uma experiência nova.
- Já está sendo.... Nesse exato momento. Balde, vassouras, pano de chão e de poeira é variedade para ninguém botar defeito.
- Agora você se encontra no ponto intermediário de todo um ciclo de nove anos da sua vida. Os primeiros quatro anos ficaram para trás de você. Os quatro anos seguintes ainda estão por vir. As circunstâncias deste ano permitirão que você saiba a diferença entre o que foi no passado, o que é no presente e o potencial que tem para o futuro. Espere que algumas mudanças significativas na sua vida, ou uma sucessão de mudanças menores, a leve a um modo de viver inteiramente novo.
- De mudanças menores posso dizer que comecei lavando os banheiros no lugar de arrumar os quartos.
- Você estará cercada de oportunidades o ano inteiro, mas deverá ser capaz de reconhecê-las quando aparecerem. Isso irá requerer uma mente aberta e aventureira. Aprenda a se definir e a escolher com cuidado entre as várias opções. Escolha só as que têm a ver com os seus desejos verdadeiros, e não só com os seus caprichos temporários. Se tentar tirar proveito de todas as oportunidades que se apresentarem neste ano, a confusão causada pela grande diversidade limitará a sua capacidade de se concentrar. Isso poderá impedir o sucesso em qualquer setor.
- Tô concentradíssima... Esfregando o chão, lavando o blindex, pia e privada.
- Se as suas energias cíclicas pudessem ser vistas como estradas ou rodovias, a rota nº5 seria a mais larga e a mais movimentada. É aí que todo o trânsito busca algumas mudanças de direção. Sem uma meta básica ou um senso de direção, acontecem acidentes e as pessoas se vêem em lugares que não gostariam de estar. Comece com uma ambição definida na mente, um sentimento estabelecido de um destino. Mas seja flexível. Até mesmo os melhores planos podem mudar ou ser mudados sem o menor sinal de advertência. Lembre-se: o 5 é o número do súbito e do inesperado.
- Tô de saco cheio dessa estória de metas. Pronto falei!
- Agora você se encontra numa jornada rápida que está cheia de excitação, oportunidades e ação. É uma aventura na vida. É hora de descobrir o que existe na vida para você, experimentando coisas que não tinha experimentado antes. Uma oportunidade poderá cair direto no seu colo, ou você poderá se surpreender indo de um lado para outro, em todas as direções, enquanto considera se uma determinada mudança de rumo é o que você quer ou não. Será preciso tomar uma decisão e você irá precisar de coragem.
- Já faz mais de um ano que coloquei meu colo em prontidão, mas nesse momento a mudança de rumo é: dos banheiros pros quartos.
- O mundo se abre para você. Ele a convida a viver a vida plenamente. Sim, a vida em si é o que lhe é dado neste ano. Para desfrutar esse dom, talvez seja preciso cometer alguns erros. No entanto, lembre-se de que um erro se transforma em experiência quando a lição que contém é aprendida e não mais repetida. Agora você terá de praticar o processo de aprender com os seus erros e permitir que eles se transformem em experiência.
- A experiência canta... Lerê, lerê, lerê, lerê...
- Por exemplo: Alexander Graham Bell inventou o telefone sem querer. Na verdade, ele estava tentando inventar um aparelho auditivo. Um dos maiores erros que você poderia cometer neste ano seria o de desistir de alguma coisa que lhe interessa muito sem dar a oportunidade de fazer todas as experiências que quiser em total li-ber-da-de. Nem sempre você precisa perder o que tem para conseguir o que quer. É a culpa, disfarçada de medo, que a faz sentir-se dessa maneira.
- Angustiada? Ensandecida com o “como será o amanhã?”
- Relaxe e sinta a liberdade que existe dentro de você, independentemente da situação exterior.
- Tem jeito nauumm. Como relaxar com contas e contas a pagar??? Você me ensina?
- Não rejeite as mudanças que o ano 5 lhe proporciona. Sem mudança, estagnamos. Algumas acontecerão de repente e inesperadamente, enquanto outras serão iniciadas pelo seu esforço. Espere o inesperado. Esteja preparada para tudo. Preocupe-se em sentir-se livre e com sorte. Entenda que você está onde está para poder aproveitar essa experiência!
- E que experiência, hein?! Móveis encerados, chão brilhando e você derramando seus sábios conselhos. Isso é que uma mulher SOR-TU-DA!!! (continua)

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

MODELITO PÓS FIM DE ANO

Ou Maria Abana Banha

A gente sabe que é uma mentira essa estória de que engordamos com os excessos das festas de final de ano. A gente sabe que a verdade se encontra entre o natal até a chegada do próximo natal, ou seja, ao longo de todo o ano. Fico pensando nesses dias iniciais de um novo ano no que deixei de fazer: exercício físico há exatos cinco meses (tudo por conta do tal ombro). Mas me restaram as pernas. Então por que não fui caminhar, caminhar e caminhar? Sei lá! Gostava da academia e de pegar pesado com a turma. É, não agrado de nada solitário. Só de alguns pequenos deleites que agora não vem ao caso. Outra coisa: peguei, melhor, pequei na gula. Minha amiga Angelinha, já apresentada a vocês, passou o ano inteirinho dando dicas bacanérrimas em sua cozinha. Até receitas rápidas, saudáveis, de liquidificador - pra essa cozinheira de meia tigela – me presenteou.  Por que não segui? Sei lá! A falta da doméstica pra fazer aquele grelhadinho acompanhado de legumes ao vapor e uma saladinha básica de entrada, serve de desculpa ideal. Percebo que não tenho disciplina. Onde será que perdi? Se é que um dia a tive. É que sinto um prazer em comer que me perco pelos caminhos... Desde um arroz soltinho e bem temperadinho com um ovo frito por cima até aquele prato sofisticado – feito pelo chef importado - do restaurante ba-da-la-do! Fazer uma boquinha é convite irrecusável. Só me resta enfrentar o espelho e umas questões misturadas que me habitam: a ideia de que valemos o que pesamos? De que nossa respeitabilidade adviria de um senso concreto de acúmulo... Como se para “ter peso” fosse preciso ter peso? Por hora me chegam alguns reflexos/respostas dessa imagem especular. Obesidade tem menos a ver com o conceito magro/gordo, do que com o de leve/pesado. Obeso é aquele que é pesado em diversos níveis. Para tratar nada de regime. Dieta! E entendo que dieta não é uma prática para se ficar mais magro, mas sim para se ficar mais leve. Definitivamente decido pela leveza!(RR)

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

EU GOSTO DE GENTE

Eu gosto de gente que vibra, que não tem de ser empurrada, que não tem de dizer que faça as coisas, mas que sabe o que tem que fazer e que faz. A gente que cultiva seus sonhos até que esses sonhos se apoderam de sua própria realidade. 
Eu gosto de gente com capacidade para assumir as conseqüências de suas ações, de gente que arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, que se permite, abandona os conselhos sensatos deixando as soluções nas mãos de Deus. 
Eu gosto de gente que é justa com sua gente e consigo mesma, da gente que agradece o novo dia, as coisas boas que existem em sua vida, que vive cada hora com bom ânimo dando o melhor de si, agradecido de estar vivo, de poder distribuir sorrisos, de oferecer suas mãos e ajudar generosamente sem esperar nada em troca.
Eu gosto da gente capaz de me criticar construtivamente e de frente, mas sem me lastimar ou me ferir. Da gente que tem tato. Gosto da gente que possui sentido de justiça. A estes chamo de meus amigos. 
Eu gosto da gente que sabe a importância da alegria e a pratica. Da gente que por meio de piadas nos ensina a conceber a vida com humor. Da gente que nunca deixa de ser animada. 
Eu gosto de gente sincera e franca, capaz de se opor com argumentos razoáveis a qualquer decisão. Gosto de gente fiel e persistente, que não descansa quando se trata de alcançar objetivos e ideias. 
Eu gosto da gente de critério, a que não se envergonha em reconhecer que se equivocou ou que não sabe algo. De gente que, ao aceitar seus erros, se esforça genuinamente por não voltar a cometê-los. De gente que luta contra adversidades. Gosto de gente que busca soluções. 
Eu gosto da gente que pensa e medita internamente. De gente que valoriza seus semelhantes, não por um estereotipo social, nem como se apresentam. De gente que não julga, nem deixa que outros julguem. Gosta de gente que tem personalidade. 
Eu gosto da gente que é capaz de entender que o maior erro do ser humano é tentar arrancar da cabeça aquilo que não sai do coração.
A sensibilidade, a coragem, a solidariedade, a bondade, o respeito, a tranquilidade, os valores, a alegria, a humildade, a fé, a felicidade, o tato, a confiança, a esperança, o agradecimento, a sabedoria, os sonhos, o arrependimento, e o amor para com os demais e consigo próprio são coisas fundamentais para se chamar GENTE.
Com gente como essa, me comprometo, para o que seja, pelo resto de minha vida... já que, por tê-los junto de mim, me dou por bem retribuído.
Impossível ganhar sem saber perder.
Impossível andar sem saber cair.
Impossível acertar sem saber errar.
Impossível viver sem saber reviver.
A glória não consiste em não cair nunca, mas em levantar-se todas as vezes que seja necessário.
E ISSO É ALGO QUE MUITO POUCA GENTE TEM O PRIVILÉGIO DE PODER EXPERIMENTAR.
Bem aventurados aqueles que já conseguiram receber com a mesma naturalidade o ganhar e o perder, o acerto e o erro, o triunfo e a derrota. Mário Benedetti/ 1920-2009 escritor, poeta e ensaísta uruguaio.
(Imagem: Karin Izumi)

sábado, 7 de janeiro de 2012

AGRADECENDO AOS REIS

A gente sempre tem o que e quem a agradecer. Quando menos se espera se faz natal, em meses e dias diferentes de dezembro. Papis Noel aparece e ganhamos presentes, mimos e carinhos. Afagos inesperados que nos envolve em esperança. Às vezes ele vem vestido de amigo... Num telefonema, comentário aqui, bate-papo ali, silêncio cúmplice e sacudida amorosa. Outras, ele se reveste numa manhã ensolarada, flor desabrochada, fruto colhido, chuva que lava, corpo sem dores, alimento à mesa, saúde.  E ainda de nossos amados mais próximos: companheiros (as), filhos, irmãos, família! Ontem foi dia de Reis. Numa reunião intimista agradecemos a Baltazar, Belchior e Gaspar e pedimos para esse ano de 2012. Na tradição cristã foi o dia em que os três reis magos levaram presentes a Jesus Cristo. Cada um dos reis magos saiu de sua localidade de origem, ao contrário do que pensamos - que viajaram juntos.  
“Baltazar saiu da África, levando para o menino mirra, um presente ofertado aos profetas. A mirra é um arbusto originário desse país, onde é extraída uma resina para preparação de medicamentos. O presente do rei Gaspar, que partiu da Índia, foi o incenso, como alusão à sua divindade. Os incensos são queimados há milhões de anos para aromatizar os ambientes, espantando insetos e energias negativas, além de representar a fé, a espiritualidade. Melchior ou Belchior partiu da Europa, levando ouro ao Messias, rei dos reis. O ouro simbolizava a nobreza e era oferecido apenas aos deuses. Em homenagem aos reis magos, os católicos realizam a folia de reis, que se inicia em 24 de dezembro, véspera do nascimento de Jesus, indo até o dia 06 de janeiro, dia em que encontraram o menino.”
Romã da Califórnia
Nossa folia de Reis é, de fato, uma cerimônia de gratidão pelo ano que passou e todos os presentes que ganhamos - diariamente - travestidos dessas maneiras diversas. Além disso, invocamos os três, para que nesse novo ano tenhamos “saúde e dinheiro para nossa vida melhorar!” Comemos 03, desprezamos 03 e guardamos 03 sementes, somando nove em nossas carteiras. É um rito místico? Bem provável. Uma coisa é certa: pode até não ter excessos, mas não há carência! Impregnar nossos dias, sempre, de intenção não custa nada. Que assim seja para todos nós... Um ano abençoado com saúde e abundância próspera. E digamos OBRIAGADA!!! (RR)
(Fonte: Wikipédia. Imagem: Net e arquivo pessoal)

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

CAVALARIA SELADA

As galinhas estão em cada cantinho da "vila"
Adoro viajar. Se pudesse escolher uma compulsão, um consumismo desmedido, um vício pra todas as horas, seria sem titubear conhecer cada cantinho desse mundão de D’us. Por vários motivos, principalmente o tal dinheiro, já iria terminar 2011 sem ter ido nem ali do lado (tipo Rio ou Sampa). Eis que Papis Noel, transformado em irmã (uma das cinco), chegou com um presentão. Toda cavalaria selada (tô uma amazona de 1ª...só cês vendo!): uma semana inteirinha na praia!
Carece escrever alguma coisa?!
Não uma praia qualquer. Um lugar de águas verdes, translúcidas, muito sol, coqueiros, comidas deliciosas e galinhas... Porto de Galinhas em Pernambuco.
Piscinas naturais onde nem precisa ser praticante de mergulho pra ver as espécies

A janganda me trouxe e mergulhei!!!
Inevitável foi me perguntar estirada na espreguiçadeira, tomando uma caipirosca de graviola, suco de caju fresquinho ou água de côco gelada, com o marzão aos meus pés, se era merecedora. 

Essa era de morango...pq a de graviola não dei tempo pra clicar!
Questionamentos à parte mergulhei fundo nas águas e gratidão! Só não agradeço os tantos quilos acumulados, mesmo caminhando muito pela praia, por conta de minha curiosidade gourmand gula.

Dá pra perceber a textura desse peixe? Hummm


Esse estava escondido pelos champignons e castanhas de caju
  
A moça "chef" culpada pela ceia de natal e claro, pelos kgs a mais

Umas das muitas tortas feitas pela "culpada".
Esse nosso país é mesmo maravilhoso. Fico encantada com os sotaques, cores, sabores, artesanato, ritmos, e o povo. Gente que faz acontecer! 
Segurando o queixo por conta da decoração...conchas, lustres feitos com fibra de côco, fuxico e muita mais.

 Chegar no quarto todos os dias e encontrar as toalhas limpas e arrumadas assim?
Lagosta feita com toalhas foi a 1ª vez que vi!

O mesmo não posso dizer dos preços praticados. Mi-se-ri-cór-dia!!! Não é à toa que dizem que viajar pro exterior é muito mais barato do que por aqui. Uma água de côco, por exemplo, custar R$6,00?! Eu, numa terra que não tem coqueirais, pago R$2,00 no sacolão! De qualquer maneira deixo de lado as cifras, pra ficar com esse gosto, inconfundível, que dá na alma: vida vividamente vivida!

Tava agradecendo ao bom velhinho...pq à mana fiz todos os dias e sempre!
Eu bebo sim...e tava vivendo! Inté parece rss


domingo, 1 de janeiro de 2012

VOCÊS ESTÃO AÍ?

Primeiro dia de um novo ano! O terceiro desse Divã que começou com uma intenção e hoje não se "define" mais nela. Penso que o que acontece, realmente, num espaço terapêutico é isso... Uma miscelânea de temas, questionamentos, descobertas, emoções, resumidas numa única palavra: VIDA! E é ela que se faz presente em cada postagem. Nesses anos muitos passaram por aqui, deixando um tanto de si. Derramei por aí pedaços de mim. Aprendi coisas antes inimagináveis. Ri, gargalhei, enfureci, tomei as dores, chorei, entristeci, encantei, abismei, não compreendi, entendi, alegrei, rezei, silenciei, amei... Sobretudo fiz amigos e reencontrei irmãos. Sempre achando incrível como isso é possível??? se dá, através dessa telinha! GENTE que faz toda a diferença nesse divã NOSSO de cada dia. Então, como faltam palavras (sempre assim nesses momentos de sentido intenso...sempre)  me apropriei da letra do Rei, pra dizer de minha gratidão em tê-los aqui nesses 03 anos de vida/Divã. São tantas emoções que envolvo-as embriagada: OBRIAGADA! AMO VOCÊS DE VIVERRR!!! E vamu que vamu, juntim e garradim messs ao longo desse 2012. (RR)

Quando eu estou aqui
Eu vivo esse momento lindo
Olhando pra você
E as mesmas emoções
Sentindo...

São tantas já vividas
São momentos
Que eu não me esqueci
Detalhes de uma vida
Histórias que eu contei aqui...

Amigos eu ganhei
Saudades eu senti partindo
E às vezes eu deixei
Você me ver chorar sorrindo...

Sei tudo que o amor
É capaz de me dar
Eu sei já sofri
Mas não deixo de amar
Se chorei ou se sorri
O importante
É que emoções eu vivi...


Mas eu estou aqui
Vivendo esse momento lindo
De frente pra você
E as emoções se repetindo

Em paz com a vida
E o que ela me traz
Na fé que me faz
Otimista demais
Se chorei ou se sorri
O importante
É que emoções eu vivi...


Ocorreu um erro neste gadget