Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

LUA CHEIA

Como toda boa leonina, regida pelo sol, adoro o mar, a praia, o dourado da pele e de “dourados” na pele.
Sem abandonar meu astro rei, confesso descaradamente: sou fascinada pela lua cheia! Seu brilho, luz e uma certa magia me seduzem e me transforma... Nunca saí uivando por aí, mas que transformações acontecem, ah acontecem! Ontem foi dia de lua cheia...
Como suas quatro fases – nova, crescente, cheia e minguante - vou acontecendo diferentemente em cada uma.
A lua nova marca o início de um novo ciclo, simboliza uma oportunidade de recomeço e crescimento. As idéias que borbulham em nossas cabeças devem ser retomadas para, se possível, serem postas em práticas nas próximas fases. Temos uma tendência de ficarmos mais indecisas e introspectivas – caso ou não caso, viajo ou não viajo, mando meu chefe e o meu trabalho para Júpiter ou fico aqui mesmo na Terra? E atenção: nenhuma tomada de decisão nessa fase é recomendado!
A crescente como o próprio nome já diz, é o período de crescimento, de vencer aqueles obstáculos não resolvidos. Nossas idéias e emoções vão se tornando mais claras... Nos tornamos mais sociáveis e capazes, até mesmo, de perdoar aquela criatura que nos fez debulhar em lágrimas.
Aí é chegada a lua cheia, plena, nos iluminando... Sensação de realização, satisfação garantida ou seu dim dim de volta. Estamos mais receptivas e conseguimos até ver “coelho na lua!” Não se anime taaanto... Pois como dizem por aí : “tudo que é bom dura pouco!" Mas enquanto dura... atinja o nível máximo de sua potencialidade e criatividade!
Com a lua minguante paramos para avaliar aquilo que foi feito. E por favor, sem arrependimentos! Somos desafiadas ao crescimento interno e a querer mudar... Ficamos sensíveis, emotivas, a ponto de três dedos cortados em nossas madeixas, no lugar do famoso “só dois dedinhos nas pontas”, ser motivo suficiente para romper relações com nosso cabeleireiro de anos.
Das fases lunares fica o seguinte: enquanto renovamos nosso compromisso com o curso da vida, o curso da vida renova-se em nós, em qualquer fase. Mas cá entre nós: prefiro ficar potencialmente vendo “coelho” em dia de lua cheia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget