Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

RETORNO

No último post falei do Jerê e é com ele que recomeço... Abrindo a caixa postal, somente do dia 19/08, leio a msg que minha amada Syl me enviou na quinta-feira 13/08, enquanto eu estava voando e meus irmãos trabalhando lá na Casa do Richard. Todos conectados, Marcus tirou a seguinte msg:
"Voar no céu azul
Barco sem rumo
Navegando no espaço.

Voar no céu infinito
Mercê do vento
Serenidade...

Voar assim sem rumo
Sem ter para onde ir
Sem querer voltar.

Indo sempre
Sem ter que chegar.

Voar assim no vento
Relando nas nuvens
Se perdendo no ar
Voar." (JH)

E ela completa:
Claro que arrepiei...
Imaginei você sentada na poltrona do avião, de olhos fechados com a mente e o coração na sala da Casa do Richard.
Espero que receba esta mensagem no dia do seu NIVER.
Renato manda milhões de beijos e aquele abraço apertado.
QUE SEJA TDB!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! ATÉ A VOLTA
minha amiga, amada.
Beijos, beijos, beijos
Syl
A vida é mesmo uma incógnita, portanto, não vale a pena tentar fugir das decepções ou dos êxtases, eles nos assaltarão onde estivermos. Uma dose de enfrentamento com o desconhecido faz bem para qualquer pessoa.
Insanidade que dá gosto de ver, aquela loucura inofensiva de que falo sempre, antes de fugir da mesmice em nome da alegria de viver!
Por um lado, conquistamos tanto e, por outro, estamos nos esvaziando, querendo tudo rápido demais e abrindo mão de aproveitar o que a vida tem de melhor, o sabor, o gosto.
É preciso ter uma certa flexibilidade para evoluir e se divertir na vida.
Seguir nosso desejo é o que nos torna livres, e o desejo é variável, mutante, inclassificável – não pode ser considerado moderno ou antigo, é o que é!
Quero uma primeira vez outra vez.
Um 1º beijo em alguém que ainda não conheço, uma 1ª caminhada por uma nova cidade, uma primeira estréia em algo que nunca fiz, quero seguir desfazendo as virgindades que ainda carrego, quero ter emoções inéditas até o fim dos meus dias. E foi assim que nesses últimos 19 dias vivi... e seguirei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget