Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

sábado, 1 de agosto de 2009

A GRAÇA DE ESTAR ACOMPANHADA

Já tem um tempo que ando encucada com as novas configurações de casais. De fato com o preconceito em relação às mulheres. Um dos casos é de um conhecido, pra lá de cinquentão, que sempre está com moças no mínimo trinta anos mais jovem. E ele está sempre renovando seu plantel. Ninguém diz nada, a não ser quando ele aparece com alguma, que possui um pânceps de dar “inveja” nas que já tiveram filhos ou já passaram dos quarenta.
Agora, quando uma mulher aparece com um homem nessas mesmas condições – só da diferença de idade - valha-me D’US! E não estou falando das "celebridades femininas" .
Ela não se enxerga?”
“Tem idade pra ser mãe dele!”
“É um menino”.
“É por causa do dinheiro dela”.

Trocando uma idéia sobre o assunto, com um dos meus amados sobrinhos, tive que ouvir, decepcionada, – Ah tia tem dó, é ridícula mulher velha com cara novinho!?!?
Mas homem velho com mocinhas é aceitável, né? Gostaria de saber os motivos... E não me venham com respostas antropológicas, sociológicas, culturológicas. Não há lógica, só emoção.
Danielle Mitterrand diz o seguinte: “É preciso admitir docemente que um ser humano é capaz de amar apaixonadamente alguém e depois, com o passar dos anos amar de forma diferente”.
E Simone de Beauvoir: “Temos amores necessários e amores contingentes ao longo da vida”. Ela e Sartre optaram por não serem regidos por códigos preestabelecidos construindo uma vida à sua maneira.
Quero iniciar uma campanha: Viva feliz hoje”. Só por hoje se apaixone por você, recupere a adolescência perdida se tornando audaciosa, sedutora, jovem – paixão rejuvenesce mais que botox e fazemos uma economia... Se isso incluir um homem 10, 15, 20 ou 30 anos mais jovem que você, lembre-se: é a sua chance de se reinventar, de recuperar o tempo que perdeu, aprisionada, dizendo aos quatro ventos o que podia e o que não podia. É a graça de estar acompanhada por quem você quer!
Vai, vai, vai... amar/vai, vai, vai... chorar/vai, vai, vai... sofrer”. (Vinicius de Moraes)
Na verdade tudo que precisamos é simplesmente VIVER FELIZ HOJE! Você me acompanha?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget