Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

domingo, 20 de março de 2011

DES_ALINHAMENTO

Ano passado Karin Izumi (que faz essas imagens bacanérrimas que uso, muitas vezes, aqui) fez essa, atribuindo – equivocadamente- sua autoria a outra pessoa. Fiz a correção e ela – imediatamente - o mesmo. Na época havia prometido que iria escrever algo. Começava, apagava, recomeçava e não sentia que estava bom o suficiente para tamanha profundidade desse sábio. Hoje ainda não sei. Passados tantos dias des_conectada de vocês e plugada num des_alinhamento existencial, de anos, arrisco alguns passos.  
Tudo contribui para certo desalinhamento. Não somos medidos pela regra da felicidade e sim pela regra da eficácia. A felicidade, diz Rousseau, é um estado simples e permanente em que a alma basta a si mesma. Como pode – pergunto – a alma ser eficaz? Vida boa>atividade>fazendo o que gosta>bom humor. Sempre ouvi que fulano ou beltrano é apaixonado com o que faz. E que esse estado leva ao sucesso. Segundo a etimologia, paixão é aquilo em que somos passivos. Somos então tomados, possuídos, dominados pelas paixões. Elas, além disso, nos iludem. O estado da paixão é um estado de engano. Enganos são necessários. A vida em sociedade é feita de inúmeros enganos. São, também, inevitáveis. Não é fácil assumir que se viveu equivocado. Seja na esfera afetivo-amorosa, profissional ou social. A sensação é de certo desconforto. Como um sapato que aperta os pés em pontos diferentes. Vai caminhando, suportando as dores, pois não há como tirá-los. Há momentos que ficam anestesiados e continuamos a trilhar pelas estradas da vida. Bolhas, sangramentos, carne viva em vida(?), nada os detém. Mas chega um dia – a princípio nada belo – que a dormência passa o medo do amanhã não importa e temos que ficar descalços. Num cruzamento qualquer há mudanças e correções necessárias a se fazer. Se eu não sou por mim mesmo, que será de mim?”
Andarilhar é caminhar sabendo que para cada passo há uma transversal, uma esquina onde as pessoas, o outro, sempre oferecem a alternativa de um novo destino. Este destino, que até então era plausível, passa a ser o estado verdadeiramente intencionado. Esse elemento da realidade é o que mais choca nossa mente. Na tentativa de controlar e atar o futuro às nossas decisões, fazemos sempre a opção mental de construir o caminho por meio de nossas deliberações. No entanto, o caminho se faz das interações e não das escolhas e resoluções da vontade. Quem não entende isso se perde, se perde feio. Como um des_orientado, des_ alinhado, não consegue entender como veio parar em um determinado lugar, quando suas decisões apontavam para outro destino.
Anjos são esses seres humanos com os quais interagimos e que nos fazem dobrar as esquinas da vida. Podem ser até coisas e não apenas pessoas, mas estas coisas devem ter algum significado existencial em nossa vida. Os Anjos nos orientam na mudança de rotas nas encruzilhadas, mudanças essas que, quando feitas de forma consciente, com nossa plena presença, nos levam a nós mesmos. “E quando eu sou para mim, que sou eu?” Parece complicado, mas não é. O lugar pode até ser conhecido, mas quando a trajetória não é reconhecida, quando não percebemos os Anjos que nos enviaram para aquele lugar, então o sofrimento humano pode ser intenso.
Ir para si é acolher nosso destino, sabendo que ele não é produto de nossas decisões, mas de nossa interação com a vida. Ir para si é mudar nossa caminhada tantas vezes quantas se fizerem necessárias, reconhecendo as alternativas que se apresentam em nossa vereda. Enfim, não se sentir perdido existencialmente vai depender de quanto vamos reconhecendo desse mundo invisível, de gente que se faz Anjo, de mundano que se faz sagrado. “E se não for agora, quando?" (RR)    

33 comentários:

  1. Olá querida Amiga,

    que bom foi ler-te!
    Hoje chega a Primavera!
    Não só no exterior, mas também no meu interior a esperança começa a florescer...
    o teu texto fez-me ver que estou no caminho certo, ainda que no percurso surjam obstáculos...:)

    Um beijo enorme.

    Bom domingo.

    ResponderExcluir
  2. Rê amada

    que bom que voltou..senti sua falta..preocupei-me

    Mas valeu a pena, que blea viagem fizeste para dentro de tí

    E creio infelizmente, que nunca sberemos onde estão os anjos nem os mundanos

    beijocas

    Loisane

    ResponderExcluir
  3. muito bacana esse texto! tantas vezes os caminhos, a gente os trava, chuta os anjos fora... porque andamos de mãos dadas com a teimosia, a resistencia.
    tb acredito muito que destino é muito mais feito por nós que algo previamente traçado
    bom dia

    ResponderExcluir
  4. Maravilhosas verdades nesse texto! Se não formos por nós, quem será??? Temos que esatar bem pra fazer o bem aos outros e semear o bem! beijos,tudo de bom, lindo OUTONO!chica

    ResponderExcluir
  5. AI Rê...

    como é dificil pensar no que existe dentro de nós...o que queremos que exista dentro de nós...o que queremso que as pessoas existam entre nós...nesse mundinho de desencontros econtros e questionamentos?!!! que fazer quando a gente chega em um caminho e la tem aquelas plaquinhas pra la pra ca aquelas setas nos mostrando a direção que mais nos confundem que nos ajudam?que fazer quando em segundo passa por voce aquela tal felcidade que voce sempre sonhou em forma de um sorriso e voce tem que se fechar por que não pode sorrir pra ela??VOCE SE FAZ\ COLUNA SENDO SOMENTE UMA BALAUSTRE JA VELHA PELO TEMPO? fico a imaginar o balanço mais tarde dessas coisas ..""por qu não segui?por que estacionei?por que não mudei?por que não sorri aquele dia?e assim a vida se finda e as lamentações??voltaremos em outra estção certos que pegaremos o trem mais direto para a tal felicidade...ou a tal paixão...sei la..tambem tenho minhas perguntas pra mim mesma viu??somente ainda não tive coragem de me dar respostas !!
    beijos

    senti sua falta...

    ainda bem que a uai rilles ta funcionando de novo...

    otilia

    ResponderExcluir
  6. Suas dissertações são nobres, nobre mulher!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  7. Fantástico o seu texto! também concordo que temos anjos nos indicando a direção, muitas vezes em forma de "amigos", outras de "momentos", com asas ou não, eles se fazem presente.

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Muito bom seu texto amiga...Existencialismo puro e aplicado..hehehe.
    DEveria pensar em escrever um livrou..ou já o fez?
    Bjos e bom domingo.
    cau

    ResponderExcluir
  9. Olá Regina,

    Ótimo começar o domingo lendo esse seu post maravilhoso!

    Como você faz falta na blogsfera...

    Grande beijo para ti!

    http://omundoparachamardemeu.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. ótimo texto, também areditando eu já anjos nos ajudando a encontrar o caminho, mas as vezes a gente mesmo não se ajuda, teimamos no medo de mmudar e aí ficamos um tanto perdidos... precisamos confiar em nós mesmos e lembrar da fraseque escreveu: Se eu não sou por mim mesmo, que será de mim?
    beijuu
    www.sermulhereomaximo.com.br

    ResponderExcluir
  11. - Rê, minha querida... bem que eu tentei, mas não tive fôlego para mergulhar à profundidade de seu pensamento. Olhei para dentro de mim e vi um vulto parado numa encruzilhada com mil placas indicativas, com um mapa aberto nas mãos e um imenso ponto de interrogação flutuando sobre a cabeça.
    - Há fantasmas que temos que combater sozinhos, há aqueles com os quais temos que conviver e há uns poucos contra os quais podemos contar com a ajuda de amigos, se deixarmos a porta aberta. Eu sei disso. Você mesma - lembra-se? - ajudou-me a exorcizar um ou dois.
    - Há uma travessia para vencer, breve. Mesmo que você possa vencê-la sozinha, eu gostaria muito de - se você me permitir - estar a seu lado. Posso?
    - Abraços, querida.

    ResponderExcluir
  12. Assim como Rodolfo, fiquei um tanto perdida em meio as suas reflexões tão intensas. Li umas tantas vezes. Quis dizer umas tantas coisas... E de fato não sei.

    Penso que os totalmente anjos ou totalmente demônios não existem. Somos todos humanos e falíveis, andarilhos errantes, insistentes na arte de descobrir e viver.

    Que bom que está de volta.
    Espero que fique.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Lindo texto!
    Gostei da análise, gostei do tema (sempre complicado).
    Realmente a vida por vezes parece aqueles labirintos que em miúdos tínhamos de resolver (tipo, para chegar à ilha do ursinho, qual é a linha(das muitas) a seguir?), e de fato qualquer engano na linha levava-nos a todo o lado menos ao "ursinho", o problema na vida real é que muitas vezes já não há volta a dar.
    Mas ... se não tentar-mos, se não tivermos amigos (os tais anjos no meu entender!) para nos darem força para contornar os obstáculos, então ...

    Bjs, nc.

    ResponderExcluir
  14. Vou
    Vou em busca de mim
    na certeza que o caminho que trilho agora é muito melhor
    do que aquele que trilhava antes de aqui chegar.
    O que aprendi aqui
    nenhuma escola me ensinaria
    pois os mestres que tive
    foram os melhores
    e nenhuma faculdade pode pagar.

    O meu coração vai cheio de graça
    neste novo caminho.
    Muitas ideias fui tecendo
    muitas ideias fui trocando
    enquanto tentava manter desperta a minha luz.

    Me deitei neste divã que é a vida,
    recebi muitas respostas às minhas perguntas.
    Segui meu sexto sentido,
    e até me perdi no Japão.

    Permiti que minha alma ficasse zen.
    Li versos de fogo
    no vale do sol encantado.
    E quando a vida dentro de mim se tornou possível,
    abri a arca do auto conhecimento
    e ali vivi momentos
    e descobri a beleza
    e a felicidade
    como numa caixinha
    de boa nova.

    Tomei meu chá das 5,
    lendo as notícias da cozinha e
    sentindo o doce da filosofia.

    Vi as sementes no canteiro
    da quinta
    mostrando a essência de cada flor e,
    continuando assim
    até fadinhas eu vi.

    Vi o delírio de uma bruxa
    num arco íris.

    Senti o vento numa ilha e,
    simples assim percebi
    que penso, logo insisto.

    Aprendi com alguém especial
    que a vida tem a cor que a gente pinta
    e que somos fractais,
    pedaços do grande Todo.

    Entrei na cova do urso,
    frequentei a casa das virtudes,
    naveguei no infinito
    conheci o poeta louco
    e
    ... foi desse jeito que ouvi dizer ...
    entre olhares líricos,
    que há pérolas nos
    pensamentos.

    Aqui encontrei os mentores de luz,
    trabalhei a minha espiritual-idade,
    andei por vários mundos
    sentindo o aroma nosso de cada dia.

    Debaixo da Luz da minha amada Mestra Kwan Yin
    li livros e colhi flôres
    e foi por aí que
    descobri alguns pequenos barulhos internos.

    Por isso vou...


    Vou em busca de mim
    na certeza que o caminho que trilho agora é muito melhor
    do que aquele que trilhava antes de aqui chegar.
    O que aprendi aqui
    nenhuma escola me ensinaria
    pois os mestres que tive
    foram os melhores
    e nenhuma faculdade pode pagar.

    ResponderExcluir
  15. Regina, que bom ver que estás de volta!
    Entretanto, não consegui perceber qual a linha principal deste teu pensamento, já que passeastes por diversas alamedas da mente, como uma criança passeando por uma rua, saltitando e tocando nas árvores, nos postes, nas flores...
    Mas, o importante é poder interagir de novo contigo!
    Abraços, amiga!

    ResponderExcluir
  16. Estou sempre correndo para mim, me recebo de braços abertos.
    Beijos,loira!

    ResponderExcluir
  17. Querida e amada Rê.

    Voltar a um lugar que nos é familiar, nunca é encontrar o mesmo. Há algo sempre a nos surpreender.
    É como parar um pouco no tempo e olhar para dentro, o bastante para reconhecer os pequenos detalhes que mudaram e que fazem a grande diferença.

    Quando não sou por mim, me vejo a realizar no outro. Mas nesse percurso que marquei com miolo de pão para reconhecer o caminho de volta, os pássaros à sua passagem o levaram e me sinto perdido. De todo? Não!
    Se ao chegar ao outro me revejo, então estou a voltar a mim, por outra via que me enriqueceu.
    Se eu for só, por mim, não vai ser agora, nem quando. Não é forma de existência.
    Procurar em nós a energia que não nos locomove por si só, mas em comunhão resulta, tem o retorno que nos encaminha para os bons resultados. Se isso é sucesso não sei.

    Grato pelo teu carinho e companhia na cubata, vim para estar contigo, com todos e voltar a mim com cada pedacinho de vós que aqui encontrei.
    Feliz pelo teu regresso, deixo um kandando e o meu desejo de muitas e boas concretizações.

    ResponderExcluir
  18. Ola Regina,
    Sempre rico seu espaço.
    Vim lhe dar um grande beijo... To tentando postar novamente com mais frequencia... To correndo muito.
    Senti sua falta.
    Beijos,

    ResponderExcluir
  19. Sempre sempre profundo e encantador!!!
    E como sempre adoro sua visita!!!!
    Beijos
    Zu

    ResponderExcluir
  20. Minha lindona amada..
    Intensidade é teu sobre nome...
    Que bom que voltou.
    Vc faz falta, muita.

    beijo meu pra vc...

    ResponderExcluir
  21. Minha belíssima amiga, é muito bom falar contigo novamente. Quanto ao seu post, temos que concordar que vivemos uma vida repleta de ilusões (que nós mesmos criamos!). Mas não tomemos isso como algo ruim, pois é fácil aprender diante da verdade. Difícil, é cair pelo erro e aprender pelo erro. As ilusões são necessárias para a forja da nossa alma que ainda engatinha.

    Tenha uma ótima semana!

    Abraços do Gaúcho

    ResponderExcluir
  22. Minha Querida
    Um texto para reflectir. Viver verdadeiramente significa estar em harmonia connosco próprios, independentemente daquilo que acontece fora de nós.E quando essa harmonia existe de verdade, tudo é influenciado pelo nosso bem-estar interior, seja qual fôr a pessoa com que deparamos ou a situação em que nos encontramos.
    Mil beijos e uma semana muito feliz.
    Graça

    ResponderExcluir
  23. Rê maravilhosa !!
    Sumidinha !!
    Que texto incrível. Com certeza acredito no poder que temos de conduzir a nossa vida, muito mais do que o próprio destino.
    Hoje mesmo nas minhas divagações estava programando meu destino.

    beijo lindona !!

    boa semana pra ti

    ResponderExcluir
  24. Rêzininha da Grória...
    Minha Mêneirona do coração...
    Não jogue esse Macaco que vôsAma numa gaveta fria do esquecimento, Nem faça isso com sigo meRmo..
    Vamos nos abraçar assim como era no princípio e tem que ser AGORA e SEMPRE!!!! POWWWWWW!!!
    Malêntendidos, ciúmêra e frescurébas são passageiras, Nossa AMIZADE vale muitoooooooooooo mais que esses subterfúgios... Nussss Falei chic pracarái!!! rsrsrs
    beijo de xôdades.... AVACAGÁ PORCAMISÈRIA!!

    Deussssssssssssssssssssskiajude
    Tatto

    ResponderExcluir
  25. Os varios caminhos da vida...grande beijo de otima semana pra ti querida.

    ResponderExcluir
  26. Só mesmo o tempo
    Pode revelar o lado oculto das paixões
    O que se foi
    E o que não passará
    Inesquecíveis sensações
    Que sempre vão ficar
    Pra nos fazer lembrar
    Dos sonhos, beijos
    Tantos momentos bons
    Só mesmo o tempo...
    Regina dê silêncio ao seu tempo, para que as respostas cheguem acalmando o seu coração.
    Bjs.
    wilma
    www.cancerdemamamulherdepeito@blogspot.com

    ResponderExcluir
  27. Amada linda..
    Vim só te dar um 'bom dia'...
    Que possamos seguir sempre
    de mãos dadas, mesmo sem saber pra onde
    vamos, o importante é irmos!

    Meio que aprendi com vc muita coisa viu...

    Um beiJO nesse seu coração lindo..
    Um chero nesse Zóio munito e profundo
    de mineira forte e guerreira que és...

    ResponderExcluir
  28. Oi Rê!

    Como diria Guimarães Rosa, o caminho se faz ao caminhar... o que importa não é onde chegamos, e sim a travessia.
    "o caminho se faz das interações e não das escolhas e resoluções da vontade"
    Essa interação é importante para nos ajudar com a jornada. Não estamos sozinhos nesta face da Terra. Como bem diz você, há os anjos!
    Você por certo é um deles. Lindo texto.

    Beijos

    Carla

    ResponderExcluir
  29. Li e reli...como tantas vezes acontece aqui nesse Divã, saio pensativa Rê, a mente povoada de ideias, inquieta...reflexiva.

    Não por acaso deixei aqui um mimo pra vc, pq este é um lugar verdadeiramente especial pra mim.
    Beijo, com carinho.

    ResponderExcluir
  30. Oi Reeeee, li seu texto e amei!
    Bem preciso para o momento que estou vivendo. Estou me descobrindo e aos trancos e barrancos,quando me percebo, me enfrentando. Hehe
    Um beijoo e um queijo!

    ResponderExcluir
  31. Ká, minina amada!
    Que bom que veio ler e gostou. Nem sei bem como saiu...mas foi o que ando vivendo..."aos trancos e barrancos" rsrs
    Beijuuss na alma

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget