Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

quinta-feira, 10 de março de 2011

TEM DIAS...

Já deveríamos ter aprendido que, ao longo da vida, esforçamo-nos o tempo todo. Mesmo quando não nos damos conta. Somos um esforço. No sentido da preservação do nosso ser. Da nossa essência. Da nossa potência. Esse esforço deve compreender, então, os outros e as relações que com eles protagonizamos. Porque as condições desses encontros poderão ser mais ou menos favoráveis à nossa potência. E por isso, muitas das alegrias e tristezas que sentimos são determinadas por elas.
Quer dizer que muito do nosso esforço é para que pensem e digam de nós o melhor possível? Para que nos reconheçam como isso ou aquilo? Será que vale a pena tanto esforço? Não poderíamos simplesmente ignorar?
Amado (a). Já o (a) aconselharam a não ligar para o que os outros dizem a seu respeito. Você até concordou. Mas, logo em seguida, já estava gastando toda a energia possível em busca de reconhecimento. Porque querendo ou não, o outro é mundo sempre presente. E seu potencial entristecedor é considerável. E alegrador também.
Já estou mais convencido (a). Diria você. Mas esta sociedade, tão determinante para a vida boa, não seria apenas o resultado de nossa decisão de viver juntos? Se for assim, quando não estiver agradando, é só mudar. Acabar com ela. E riríamos sós. Afinal, como diz o adágio, quem ri por último ri melhor. (RR)
(Imagem: Karine Izumi)

44 comentários:

  1. Re
    Tem dias ... que fico dias assim óóóóó...
    O que mais me pegou no teu texto foi "preservação", "esforço", "os outros", "reconhecimento".

    Por que necessitamos tanto disso?
    Qual o nosso maior medo?

    ResponderExcluir
  2. Olá, Regina!
    Deveria haver uma maneira, uma máquina do tempo, pra poder pularmos estes dias!
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  3. RODA VIVA
    Chico Buarque

    Tem dias que a gente se sente
    Como quem partiu ou morreu
    A gente estancou de repente
    Ou foi o mundo então que cresceu...

    A gente quer ter voz ativa
    No nosso destino mandar
    Mas eis que chega a roda viva
    E carrega o destino prá lá ...

    Roda mundo, roda gigante
    Roda moinho, roda pião
    O tempo rodou num instante
    Nas voltas do meu coração...

    A gente vai contra a corrente
    Até não poder resistir
    Na volta do barco é que sente
    O quanto deixou de cumprir
    Faz tempo que a gente cultiva
    A mais linda roseira que há
    Mas eis que chega a roda viva
    E carrega a roseira prá lá...

    Roda mundo, roda gigante
    Roda moinho, roda pião
    O tempo rodou num instante
    Nas voltas do meu coração...

    A roda da saia mulata
    Não quer mais rodar não senhor
    Não posso fazer serenata
    A roda de samba acabou...

    A gente toma a iniciativa
    Viola na rua a cantar
    Mas eis que chega a roda viva
    E carrega a viola prá lá...

    Roda mundo, roda gigante
    Roda moinho, roda pião
    O tempo rodou num instante
    Nas voltas do meu coração...

    O samba, a viola, a roseira
    Que um dia a fogueira queimou
    Foi tudo ilusão passageira
    Que a brisa primeira levou...

    No peito a saudade cativa
    Faz força pro tempo parar
    Mas eis que chega a roda viva
    E carrega a saudade prá lá ...

    Roda mundo, roda gigante
    Roda moinho, roda pião
    O tempo rodou num instante
    Nas voltas do meu coração...
    ______
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Olá Regina,

    Tem dias que são complicados mesmo, mas viver em sociedade é isso mesmo não? Cobranças, auto-cobranças etc...

    E que graça teria se não fosse? O prazer de auto-superar-se é tão bom...

    Grande beijo para ti!

    http://omundoparachamardemeu.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. POR MAIS QUE TODOS NÓS TENTAMOS NÃO LIGAR PARA QUE AS PESSOAS PENSAM DE NÓS ...IMPOSSIVEL ISSO!!1POR MAIS QUE SEJAM INDIFERENTES A NÓS E POR MAIS QUE A GENTE LUTE POR TER ESSE SENTIMENTOS DE INDEPENDENCIA DE SENTIMENTOS É IMPOSSIVEL..A NOSSA VAIDADE POR MAIS QUE TENATMOS CAMUFLA LA ELA SEMPRE SE MOSTRA DE UMA MANEIRA OU DE OUTRA NÃO TEM JEITO...E FOMOS CRAIADAS ASSIM..NÉ DESDE CEDO OUVINDO..FILHA O QUE FULANO CICRANO BELTRANO VÃO PENSAR DE VOCE??!! ESSA FRASE É ANTIGA E ATE HOJE A GENTE FALA... INFELISMENTE ENQUANTO NÃO ENTRAR TODO MUNDO NA CAMPANHA PELA VIDA...CADA UM CUIDA DA SUA ..VAMOS VIVER ASSIM NESSA TENTATIVA INUTIL DE TENTAR AGRADAR ATE OS MAIS INSIGNIFICANTES DOS SERES SRSR RSRSRS ESSE DESPRENDIMENTO NÃO É DAQUI DESSE PLANETA TALVES DE OUTRO....AFINAL TODOS QUE ESTÃOA QUI TEM MUITO A MUDAR NÃO É RE??!! TODOS ...

    BEIJOS
    OTILIA

    ResponderExcluir
  6. Mesmo sem querer, nos deixamos atingir e aí ficamos mesmo assim,rsrs beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  7. Como é difícil Rê.
    Te entendo toda. Mas por mais que a gente queira tem sempre o peso da opinião alheia a nos espreitar.
    Que de uma forma ou de outra insiste em nos atingir. Eu ainda não consigo ser totalmente passiva a isso.

    Beijos minha querida !

    ResponderExcluir
  8. - Moça do divã, não se atreva a afastar-se de mim. Sei onde você mora. Sei onde você trabalha. E saberei encontrá-la no mais recôndito valhacouto do planeta - ou da sua alma.
    - E vê se vocês duas entram num acordo. Esse papo tá meio furado.
    - Abraços, Rê.

    ResponderExcluir
  9. - PS: E quando você estiver só... vai rir de que?

    ResponderExcluir
  10. Olá Regina, seu texto é simplesmente maravilhoso, gostei muito do seu blog, estarei sempre por aqui.

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Acho que todos nós procuramos reconhecimento, mas temos que aprender a também que se de 10 pessoas somente uma te desaprova, vc tem mais é que ignorar mesmo e ficar com a maioria, cultivando as opiniões que realmente importam, o problema é quando a família nos desaprova aí realmente é fogo.

    ResponderExcluir
  12. A gente nao deve se preocupar com que os outros pensam.
    Eu penso assim.
    E se tem algo engasgado deve ter coragem de falar sem medo, sem receio da reaçao alheia, pois o nosso desabafo nos da liberdade, e o nosso intimo passa a flutuar, acabando todo stress, vai por mim, rsrs
    Nos temos um personagem na historia que tudo que pensava falava sem medo... E agora ela é tao admirada: Clarisse Spector. Se temos de ser admirada, nos seremos. Se nao formos, entao prove em admirar voce mesma, da forma que voce é, sem precisar ser observada por outros.
    Acho que toda esta reaçao em que exite em nos, no final se chama medo... Eu acho que é. Na verdade a gente tem medo de muita coisa.
    Beijos e abraços

    ResponderExcluir
  13. "O que se leva da vida é a vida que se leva". Essa é uma frase batida, provavelmente de um happer, Túlio Dek, um jovem.

    Você, analista, de carreira vitoriosa, não deve cair na armadilha. Eu perdi muito por querer viver "nos conformes". Agora: "Estou voltando prá casa..."

    Bjos.

    ResponderExcluir
  14. É verdade! A máxima "não somos uma ilha"também se encaixaria aí!
    Mas eu posso ser eu mesmo (sem racionalizar) e trazer para perto de mim apenas aquelas pessoas que me valorizam e me entendem pelo que sou, e consequentemente mantendo o "resto do mundo" distante, não poderia?
    E fazendo isso eu estaria teatralizando?
    Ou apenas sendo eu?
    Acredito que o normal é ser diferente, muito embora essa sociedade diga ao contrário o tempo todo!
    Grnde Abraço!

    ResponderExcluir
  15. Não há dia sem noite. Eles complementam-se...

    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  16. Amada minha linda de viverrrr!
    Compreendo o que diz. Mas sabe o que penso?
    Penso que o que vale de fato é que sentimos...
    E o que somos!

    Um beiJO no Zóio munito de viverrrr...

    ResponderExcluir
  17. Quando li o seu texto, me lembrei duma figurinha que era uma espécie de símbolo da antiga revistinha MAD, o Alfred Neumann!
    Era um sujeitinho com cara de alienado, que só falava: "Quem? Eu? Me preocupar...?"
    Acho que alguém só consegue não se preocupar nem um pouco com a opinião dos outros se for meio alienado, ou se tudo se resumir à opinião de alguém que consideramos um zero à esquerda!
    Senão, acho que fica meio difícil...As interações parecem inevitáveis!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  18. Olá gostaria que visita se meu blog que é dedicado a cultura. Espero que goste nele tenho uma coluna poética aos sábados ás 09 da manhã espero poder contar com sua visita.

    Sucesso em seu espaço.

    Magno Oliveira
    Twitter: @oliveirasmagno ou twitter/oliveirasmagno
    Telefone: 55 11 61903992
    E-mail oliveira_m_silva@hotmail.com

    ResponderExcluir
  19. Oi Rê.. Muito verdadeiro esse post... Me faz pensar. beijos iluminados!

    ResponderExcluir
  20. Amada minha, bem sabemos da luta para ganhar um lugar na vida das pessoas, ser aceito e fazer parte - carecemos da aprovação, da aceitação e do carinho do outro, para sermos um igual...quando somos diferentes.
    Olha que loucura, queremos um lugar, abdicando do nosso, abrindo mão do ser, para fazer-se (apreciado, querido,reconhecido, bem-vindo na vida do outro, no meio social, na tribo...)
    Será que é por isso que ficamos assim óóóóóó...cheios desse desgaste de energia numa luta insana, desumana, profana ao nosso ser sagrado, perfeito e disforme, nessa altura da "guerra"???
    Aff...eu tô assim óóóóó...(Rê)pensando...
    Bjãozão...

    ResponderExcluir
  21. Amiga passa no meu bloguinho. Tem brincadeirinha pra vc.

    beijos !

    ResponderExcluir
  22. jajajaja la imagen es muy graciosa... no creo que te quedes así... jajaja

    Regina, te dejo saludos argentinos,

    Sergio.

    ResponderExcluir
  23. A gente já faz tanto esforço pra tudo, que pra ficar junto carece não! Tem que ser leve, certo? A imagem que você escolheu me fez chorar de rir: a menininha puxando os cabelos é também como me sinto de vez em quando. Arre! Desse jeito num em cabelo que chegue. Beijinhos, Angelinha

    ResponderExcluir
  24. Rê amada

    como é mesmo a musiquinha??

    Deixe que digam que pensem...deixe isso pra lá vemprá cá o que é que tem? eu não tô fazendo nada e voce também...


    rsr

    Beijocas
    amoocê

    Loisane

    ResponderExcluir
  25. 'tem dias e tem dias...óóóóóóóó, rsrsrs mas eu adoro todos eles,é a vida e a vida é toda BOA.
    Beijossssssss lindaaaaaaaa

    ResponderExcluir
  26. Tem dias que a noite é f...
    Mas, é isso, se atreva a rir sozinha... Te catarei pelos cabelos, porque sou dessas, MORDO e quando gosto, ASSOPRO...
    Todo dia eu me esforço... e tem dia que dá e tem dia que não dá, mas eu me esforço...

    Beijos, mordidas e assopros!

    ResponderExcluir
  27. Olá..
    Trago um convite, leia minha postagem e se houver interesse participe e convide teus amigos.
    Digamos assim, Um concurso poético-interativo de nenhuma premiação nem obrigação e muito menos competitivo!.. rss

    Deusssskiajude
    Tatto

    ResponderExcluir
  28. Néia seja muito bem-vinda! Que bom que gostou e gostando volte quando quiser...a gente aperta daqui e dali e prepara, carinhosamente, um lugar para vc! Aguardo seu retorno moça.
    Beijuuss n.c.

    Paulo Cidadão seja muito bem-vindo! Poooode.... a gente pode tudo...ops...quase tudo. Normalidades??? Aqui temos a simples a_normalidade de ser. Obriagada pela visita e volte quando quiser e puder. Já sabe, né? Lugar reservado procê.
    Beijuuss n.c.

    Aymée, amada, que bom vê-la por aqui... E como citou Clarice, respondo com uma outra preciosidade dela que ilustra esse inexplicável sentir que somos: "Sou como você me vê.
    Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
    Depende de quando e como você me vê passar.

    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir
  29. Amiga,

    Creio que a citação da Clarice diz tudo.Resume tudo!

    Beijinhosssss

    ResponderExcluir
  30. Rê esse post tem tudo a ver com uma fase minha que passou... foram fatos e questionamentos bem dolorosos...de tão intenso virou gestação de idéias, procura, transformação pessoal e por fim um filho que está para nascer: um livro. Para mim o "tem dias" foram intensos, então me solidarizo com as entrelinhas do seu texto.rsrs Falando em livro, gostei de (Re)ler nessa época o "O caminho da Auto transformação" da Eva Pierrakos, além da auto-imagem idealizada, as reflexões sobre o ideal de perfeição são bem interessantes.
    Beijinho
    Bia

    ResponderExcluir
  31. Adorei esse post...me identifiquei muito com ele... E adorei seu blog!
    Abraços,
    Déia

    ResponderExcluir
  32. Oi Rê!!

    Tudo bem com você?
    Esse esforço todo que fazemos para ser reconhecidos/integrados à socidade, vale à pena?
    Eu, a cada dia, duvido mais e mais disso. Espero que chegue o dia em que vivamos mais de acordo com o nosso interior do que de acordo com exigências sociais. Claro que viver em sociedade é necessário. Mas até certo ponto.

    Beijos, e boa sorte hoje!

    Carla

    ResponderExcluir
  33. hahaha...pior que é assim mesmo...tem horas que dá vontade de passar um trator por tudo..rsrs

    Aproveito para lhe convidar a participar do sorteio no meu blog Desce Mais Uma!.

    []s

    ResponderExcluir
  34. Amiga,
    eu ando tão ostrinha, tão ostrinha que qualquer opinião minha já seria desqualificada.
    Num destes dias pedi ao meu marido, vamos dar uma volta??? Ele, saltitante, pois está preso aqui comigo há tanto tempo ;)) me perguntou onde eu queria ir. Vamos à Amoedo, ver pisos e outras bobagens que são mais caras e não vou comprar. Fomos, na volta, nova pergunta: Quer ir onde?
    -Telefone, minha casa.(eu pareço o ET).
    Chegamos.
    Ai que delícia!!!Minha caaaaaasa!
    E ele meio triste: mas não aproveitaste nada, não viste pessoas.
    E eu, exultante de alegria, vi sim!!!
    Nos caminhos passamos, até o Recreio do Bandeirantes, por tantas árvores lindas, vários morros verdes, azulados. Senti cheiro do mar...
    Vi sim, muita "gente"!!! Estou feliz!
    preciso falar mais alguma coisa!!!???
    Me analise, doutora bonita, please!
    Beijos doces em tu, que eu amo de viverrrrrr!

    ResponderExcluir
  35. Olá, Rê
    O Homem é um animal intrinsecamente social, e, como tal, vive em sociedade.
    Não pode (e não deve) ignorar o outro, deve respeitá-lo e estimá-lo.
    Isto pressupõe uma sociedade ideal, onde não existe a má língua, a inveja, o rancor.
    Na sociedade em que vivemos existe tudo isso e muito mais; daí que seja necessário fazer adaptações à nossa maneira de viver..

    Até domingo (nesse dia há post novo). Beijinhos

    ResponderExcluir
  36. Olá Andreia! Seja muito bem-vinda!!! Sempre temos dias assim, né? Ainda bem que não são muitos rsrs. Se gostou volte sempre que quiser e puder...já está reservado, amorosamente, um lugar procê.
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir
  37. Olá querida Regina,

    há dias assim... oxalá já tenha passado...:)
    Desejo-te um excelente final de semana.

    Um beijo enorme e obrigada pelo carinho.

    ResponderExcluir
  38. Gostei muito da foto, muito mesmo, rsrsrrs
    Olha, certos dias serão mesmo para esquecer ... ou não.
    Por vezes com eles aprendemos coisas que só passado algum tempo, percebemos.
    Bola prá frente, chuta pró outro lado o problema, pinta a manta com o arbitro, reclama com as bancadas, mas ... não deixes de mandar tudo cá para fora.
    Bjs, nc.

    ResponderExcluir
  39. Amada doutora bonita, amo teus comentários.
    Olha lá no Simples Assim, coloquei as palavras presente que vc me deu!
    Obrigada!

    ResponderExcluir
  40. Oi moça! :)

    Muito bom esse texto! Gosto de textos assim, pois nos fazem pensar.

    Gostaria de te pedir um grande favor. Posso?
    É o seguinte: Não estou conseguindo deixar comentários no blog da nossa amiga Denise (tecendo idéias). Eu até consigo ler todas as postagens dela, mas na hora de deixar o comentário... trava tudo!!!
    Penso que é porque o blog dela está muito pesado, e como o meu computador é dos antigos, fica difícil.
    Por favor, avise isso pra ela, okey?
    Desde já, muito, muito obrigada!

    Tenha um ótimo final de semana.
    Fique bem, fique com Deus.

    Cid@

    ResponderExcluir
  41. Devia ser mais fácil do que é realmente, amiga Regina!

    Digo-me todos os dias a mesma coisa...repito-me para me convencer das minhas propostas e mesmo sabendo-me certa lá caio na mesma asneira de todos.
    Somos animais sociais e sempre acabamos por valorizar o que de nós dizem ou pensam os outros.
    E para colmatar ... cá estamos nós também, sempre prontinhos a julgar...

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  42. Olá RÊ, amiga!

    Obrigado pela visita, carinho e amizade - que sabe lindamente bem.
    Pois é, já deveria ter voltado a estas andanças, mas cometi a proeza, ou burrice ... de ter, entretanto, arranjado uma tendinite nada simpática no ombro direito, o que torna doloroso escrever, por estranho que isso possa parecer.
    Mas já faltou mais, espero eu - a sentir a falta de andar por aqui ...

    Beijinhos amigos, bom fim de semana.
    Vitor

    ResponderExcluir

  43. Eu sofro muito com isso, ser aceita, querer que todos gostem de mim. Impossível agradar a todos. Tem dias que tb fico como a menininha da foto, querendo arrancar os cabelos, que agora por sinal não são mais lisos, tá enrolado que só rs..., parecendo eu, ainda não desenrolei todos os acontecimentos.... bom domingo para vc! Bjsss

    ResponderExcluir
  44. Rê "dizem por ai" que o outro é nosso reflexo no espelho, quem provoca o que em quem é o que me confunde. Estava com saudades imensas de vim aqui, suas palavras sempre sinceras.
    Beijos enormes

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget