Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

terça-feira, 1 de março de 2011

ESQUENTANDO OS TAMBORINS NA FEIRA

Beagá é cheia de feirinhas. A mais famosa, que começou no diminutivo, era hippie, ficava na Praça da Liberdade e hoje é uma das maiores feiras de artesanato da América Latina. Acontece aos domingos em vários quarteirões da Avenida Afonso Pena e milhares de feirantes e compradores, de todo o Brasil vive dela. Tem a das flores, toda sexta-feira, que quando quero deixar a casa com um toque especial vou sempre. E aos sábados a de antiguidades e comidas numa das avenidas – particularmente – mais lindas: Bernardo Monteiro.  A gente acaba se esquecendo delas ou só nos lembramos quando buscamos algo específico. Mas, quando se têm hóspedes torna-se ponto turístico.  Nesse último sábado ela estava preparada para aquecer os tamborins pré-carnavalescos. Nem careço de dizer que por aqui o carnaval é tão VIVO quanto à operadora de telefonia móvel. Só funciona em alguns pontos da cidade com os blocos de bairro. Onde moro tem um que também saiu nesse último sábado. Chama-se Santo Bando, mas essa santa aqui já não sai desde sua canonização. Tôfora!
Voltando a feirinha de sábado. Chegamos lá por acaso e acabei tendo um caso nostálgico com ela. Foi aí que percebi, mais ainda, como o tempo anda fugitivo. E que não adianta correr atrás dele. Ele sempre nos escapa!
A avenida Bernardo Monteiro e as formiguinhas deixando ela limpinha... Olha que beleza as árvores!
Esse pedaço é da feirinha de antiguidades e adoro ouvir os senhores conversando com os clientes e historiando suas mercadorias. Já presenciei até briga por conta de desconfiança... 
Rádios, relógios, telefones, caixas, santos,lampiões, bules e canecas convivem harmoniosamente.
                        Prataria, cristais, compoteiras, vasos e sei lá mais quê!

Aqui me lembrei da sogra, podem acreditar, BACANÉRRIMA, e sua coleção de xícaras de porcelana...limogenes, chinesa, japonesa, portuguesa, espanhola... Quando ela faleceu foi dividida entre suas três noras. As minhas ficam guardadas numa "cristaleira moderna". E o medo de quebrá-las?! Afff...

Banca com jornais, revistas, cédulas e moedas antigas. Minha irmã disse que se lembrava quando nosso pai dava um Tamandaré (não era nem nascida, que fique claro!) pra ela levar pra escola... E eu: era como se fosse um real? Putz...cê num comprava nada, heim?!

Aqui já é a parte dos comes, bebes e batuques que começariam às 13 horas até as 18h. Dali a pouco tempo era uma muvuca de gente e nem uma cadeira livre!
Foi essa bunitinha, de nome Lúcia, que abastecia a mesa e foi com ela que descobri que a Feirinha de Antiguidades mudou de nome... FEIRA TOM JOBIM. Quando e por que a bunitinha não sabia, mas faz tempo moça! Aí eu acabei de apaixonar cum ela... moça é delicadim dimaiiisss, né não?
Essa é a barraca do Maurílio, ou melhor, da Perereca. Purcausidiquê? Por conta dessa batida na garrafa de coca-cola...cachaça mineirinha, maracujá e outras coisinhas mais que ele não podia me contar...segredo da perereca rsrs. Mas ele agradô tanto dessa santa, que deu esse copo 0800 preu. Acordei hoje.
E esse casalzinho pseudo afro? As cores do avental diz algo? Barraca italiana. Aliás você tem acarajé, bolinho de feijão, comida mineira, pastel de angu, espetinhos até de camarão! Fica a gosto do freguês. E eu, bem... eu fico com a nítida sensação de débito para com meus hóspedes! O que parece de início uma generosidade pela doação do que é meu, anfitriã, ao outro, hóspede, vai gradativamente tomando outra forma. É sair da "mesa da vida" tocada de uma forma singular.Iguaria assim a gente carrega com leveza!(RR)

29 comentários:

  1. Belo horizonte é show com suas feirinhas!
    Adorava todos os fins de semana curtir sábado no Bairro Santa Efigenia e domingo na Afonso Pena.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. ôh se gostei! Amo essas feirinhas , as belezas , guloseimas,coisas antigas e a alegria que se faz nelas. Aqui em sampa eu frequentava com o ex as feiras de antiguidades, era um passeio enriquecedor. Adorei o post. Montão de bjs e abraços

    ResponderExcluir
  3. NOSSA QUE LEGAL ESSA FERINHA....MEU DEUS SE EU MORASSE AI ...ADORO FEIRINHAS..AQUI NA MINHA CIDADE TEM UMA FRAQUINHA MAS TEM..DE VEZ ENQUANDO A GENTE VAI LA VER AS COISAS...MAS GOSTO MUITO DESSAS GRANDES...MEUUSS DEUSSSSS ADOREI AS PORCELNAS...OS RADIOS ANTIGOS...E OS BULES COLORIDDOS..AS BARRCAS DE COMIDA...DE FEIRINHAS SÃO MUITO BOAS NÉ?QUE LEGAL...SEUS HOSPEDES DEVEM TER ADORADO O PASSEIO...LINDO RE...GOSTOSO DE VER E LER ESTE POST..
    BEIJOS
    OTILIA

    ResponderExcluir
  4. Olá, Regina!
    Ficarei esperando você me levar lá!!kkkkkk
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  5. Aqui em Belém, é sagrado todo domingo ir para uma feira a céu aberto, onde vende-se em sua maioria produtos paraenses... É sagrado que todo paraense vá aos domingos a essa feira... E tbm serve de ponto de encontro, para vc conversar com amigos...Enfim, vi sua postagem e lembrei...

    Bjuxxx linda...

    ResponderExcluir
  6. Aqui perto, na cidade de Teresópolis, também tem uma feirinha de artesanato, com comidinhas e tudo, mas essa é de capital, parece ser bem maior...
    Bonita reportagem você fez...
    Hoje postei um texto meio "encucado" pra você analisar...
    Nada sério!
    A atriz do "teu" filme foi premiada! Com uma madrinha assim...só podia, né?
    Legal a nova foto!
    Abraços !

    ResponderExcluir
  7. Regina, moro em frente a uma .. que acontece toda quinta e é ótimo, pamonha e pastel sempre dá hora.. e várias outras iguarias típicas aqui do nosso Goiás.
    Muito bom!...

    beiJO querida minha....

    ResponderExcluir
  8. Hehehe... Santa Rêzina da Grória do Santo Bando.. Canonizada , Era o que me faltava! rssss

    MeusDeuses... Nem sei qual escolho depois desse impacto de fé que tive...Nusss!!
    Como um bom apreciador de antigüidades e da boa gastronomia ... Eu diria que ficaria xuxando na PERERECA de maracujá com direito a 0800 e torpedo de bônus nessa tal operadora de deliciamentos,,, rsss

    Lindo tudo, mió quêu vi... e feliz por estar por aqui!
    Deussssssssssssskiajude
    Beijos pereréquentos do Tatto

    ResponderExcluir
  9. Tem que mandar os moços esconder os negocim alcóolico, né fia? Cê num nasceu pra brincadeira não, misericórdia!

    Acordou bem, benhê?

    Que delicinha de feira, me fartaria aí, proseando, vendo tudim bem curiosa. Massa! Quero ir pra tudo quanto é canto que tu posta aqui... Leva eu?

    Só não entendi o porque da sensação de dívida para com os seus hóspedes... Tu é a melhor das anfitriãs, garota.

    Cheiro!

    ResponderExcluir
  10. Lindas essas feirinhas.
    Também por cá as visito, embora menos do que gostava.
    Gosto de rádios antigos, e procuro sempre por eles, rsrrsrsrr, fixação claro.
    Bjs.

    ResponderExcluir

  11. Gostei do tour pela feira em BH. Eu tb gosto muito de feiras. Para mim é um lazer e tanto. Boa terça para vc! bjsssssss

    ResponderExcluir
  12. Re,
    De fato essa feirinha é o máximo. Lembrei-me de tempos passados quando íamos lá p/tomar cerveja e comer acarajé. Havia sempre uma banda tocando música e nos divertíamos muito.
    O passeio deste sábado foi muito gratificante e se o "Hospede" de quem fala for eu, quero que saiba que o passeio foi ótimo e tive momentos muito agradáveis e saudosos.
    Beijuuuusss e obrigadão!!
    Mary

    ResponderExcluir
  13. Adoro feiras e essa é linda! As fotos estão ótimas.
    Mlle Mary

    ResponderExcluir
  14. RÊdimida do carnaval querida do meu coração, sabe do que eu gosto mais nas feirinhas? Você encontra gente que não vê a milênios, é aquela festa, parece que a gente se encontrou ontem, ou gorinha mess... Muito bom feirinha! Beijinhos, Angelinha

    ResponderExcluir
  15. E hoje vi no meu blog, um selinho que a Majoli fez pra mim, transformado em sapo np gelo,. Como será que isso está acontecendo? Nusa cada uma né?! bjs

    ResponderExcluir
  16. - Santa de minha devoção
    - Regininha do pau ôco,
    - Gaivota do Fernão,
    - Te espero atrás do toco
    - Pra te dar um abração...

    - Acho que a última vez que eu fui a uma feira dessas foi no milenio passado... sôdades.

    ResponderExcluir
  17. Santa Rê amada!


    acordou como??cabeça doendo...corpo tremendo?? chá de boldo é bom...rsrs

    Linda...me teletransportei com voce neste passeio riuíssimo em detalhes

    obriagada

    beijocas

    Loisane

    ResponderExcluir
  18. Ei Regina!
    Nunca fui nessa feira, mas viajei nela junto com você. Aliás se tivesse por lá ia fazer uma festa, vi vários objetos nas fotos que são perfeitos para minha casa de campo.
    Gd beijo

    ResponderExcluir
  19. Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh Rê!
    Fiquei até com água nos oio de tanta sodade!
    Eu ia tanto ai!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  20. Oi Regina!

    Adoro essa bagunça das feiras! Há um burburinho de animação que envolve as barracas, os feirantes, os frequentadores... Essa que você postou me lembrou a feira da Benedito Calixto em São Paulo e a feira do Bixiga, também lá. Com suas antiguidades e objetos carregados de história...
    (amei o copo 0800!)

    Beijos

    Carla

    ResponderExcluir
  21. EH! amiga,
    Vc me levou a "trucentos anos atrás" quando vovó morava numa casa da esquina de Bernardo monteiro com Rua dos Otoni. Alías das poucas que não foi para o chaõ. Está reformada. Qta saudade!! Qtas brincadeiras debaixo das arvores e qto namorico gostoso!!!!!
    Valeu voltar naquele tempo. bjos

    ResponderExcluir
  22. Regina: Gosto muito de artesenato, mas não tenho muita pasciencia de andar a ver nas feiras, gostei do texto e das fotos,
    Beijos
    Santa Cruz

    ResponderExcluir
  23. Querida Regina, finalmente te consegui “Visitar”, grande beijinho e boa continuação.

    ResponderExcluir
  24. ai meu deus eu numa feirinha dessa ia morrer de gastar , agora sei pq marido que è mineiro nem me leva nestes lugares - sofro .
    bj

    ResponderExcluir
  25. Deve ser maravilhoso poder passear pelas feras...
    Beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  26. Que delicia amiga...
    Coisas lindas e delicadas, que passeio gostoso.
    Bjos achocolatados

    ResponderExcluir
  27. Olá querida e amada Rê.
    Afortunada por poderes te passear nessa feira que é uma festa em si mesma. Gente, ao ar livre, ver coisas lindas como reportas no que escreves e as fotografias documentam, (refiro-me em particular às antiguidades), mas também a toda a riqueza e diversidade nas bancas. Na próxima edição lá estarei em exposição, como antiguidade que já sou rsrsrs.

    Beijo e kandandos meus a atravessar tanto mar.

    ResponderExcluir
  28. Re
    Sampa tem muitas dessas.
    A gente se espalha e não quer mais sair delas, mesmo de mão abanando.
    Só de ver já sacia.(pelo menos funciona assim pra mim - sou daquelas que, quando vê algo mega fantástico e coça a mão pra comprar, pergunta: Preciso mesmo disso?)
    Sou pãoduranaummmmm.
    controladasimmmmm

    beijinhos

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget