Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

quinta-feira, 19 de maio de 2011

EDUCASSÃO SEM CONSTRANGIMENTO


Descobri que o Bom Dia Minas era visto por muitos quando fui convidada - pela emissora - para falar sobre relacionamentos amorosos, impasses, facilidades e como construir e viver uma vida a dois. Parece fácil, mas não é. Assunto para outro(s) dia(s). Na época não contei para ninguém, pois o medo de dar vexame na telinha era bem maior que a prática de anos atendendo casais. Além disso, é tão cedo – 06:30 da manhã – que não acreditava que alguém ligasse a TV para assistir noticiário local nesse horário! Assim que liguei o celular montes de telefonemas e torpedos diziam que não fiz feio. Com uma mudança na minha agenda diária nessa última terça-feira assisti a ele e na sequência ao Bom Dia Brasil. Fui fisgada com a seguinte chamada: Aboliu-se o mérito e agora aprova-se a frase errada para não constranger.Alexandre Garcia comenta o livro de português, abonado pelo MEC, que defende que não há o errado na língua portuguesa, mas o inadequado. Êita Brasiiilll nosso: tão adequado... tão educado. Mas bacana mesmo foi esse comentário de Alexandre que compartilho com vocês:
"Na semana passada, foi distribuído para quase meio milhão de alunos um livro de português que defende um novo conceito sobre o uso da língua portuguesa. Não teria mais certo ou errado, e sim adequado ou inadequado, dependendo da situação. O Ministério da Educação esclareceu que a norma culta da língua portuguesa será sempre a exigida nas provas e avaliações.
Quando eu estava no primeiro ano do grupo escolar e falávamos errado, a professora nos corrigia, porque estava nos preparando para vencer na vida. É notório que o conhecimento liberta, forma eleitores e contribuintes conscientes, gente que cresce e faz o país crescer.
É notório que o conhecimento vem pela educação na escola, em casa e na vida. E é óbvio que a raiz de tudo está na capacidade de se comunicar, na linguagem escrita que transmite e difunde o conhecimento e o pensamento. Isso é o que diferencia o homem dos outros animais.
A educação liberta e torna a vida melhor, nos livra da ignorância, que é a condenação à vida difícil. Quem for nivelado por baixo terá a vida nivelada por baixo.
Pois, ironicamente, esse livro se chama “Por uma vida melhor”. Se fosse apenas uma questão linguística, tudo bem, mas faz parte do currículo de quase meio milhão de alunos. E é abonado pelo Ministério da Educação. Na moda do politicamente correto, defende-se o endosso a falar errado para evitar o preconceito linguístico.
Ainda hoje, todos viram o chefão do FMI algemado. Aqui no Brasil, ele não seria algemado porque não ofereceria risco. No Brasil, algemas constrangem os detidos. Aqui, os alunos analfabetos passam automaticamente de ano para não serem constrangidos. Aboliu-se o mérito e agora aprova-se a frase errada para não constranger.
A Coreia saiu arrasada da guerra através de duas ou três décadas de educação rígida. A China, que há poucos anos estava atrás do Brasil, sabe onde está indo a razão de 10% ao ano do PIB: com educação rígida, tradicional, competitiva e premiando o mérito. Aqui, estamos apontando para o sentido contrário." (Alexandre Garcia)


25 comentários:

  1. Com um bufão desses como Ministro da Educação que abusou de esmerdalhar a pasta no governo do molusco, que defeca incompetência... "Vivemos num grande país" ou não vivemos?

    BJ.

    ResponderExcluir
  2. Não acredito numa coisa dessas! Cresci aprendendo a falar corretamente, e estou ciente de que podemos nos utilizar da adequação vocabular, dependendo de a quem nos estamos dirigindo. Quer dizer, não precisamos falar com um porteiro da mesma forma com que falaríamos com um reitor de universidade. Aceitar os erros de português sob a carapuça do "inadequado" é ridículo, realmente seria um "nivelar por baixo". Ao invés de colocar desta forma, por que não ensinar o português correto?
    Tantos anos para aprender a falar corretamente para chegar a um retrocesso?
    Estou ultrajada!

    http://escrevoparaviver.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. - A reação a essa aberração é uma berração geral. A tal da "aprovação automática" já foi condenada por pais de alunos que seriam "beneficiados"; e por isso o nosso imperscrutável MEC busca impavidamente outros caminhos para obter o mesmo resultado: O EMBRUTECIMENTO DOS FUTUROS CIDADÃOS E ELEITORES. Objetivos? Talvez inconfessáveis, talvez pura incompetência.

    ResponderExcluir
  4. Rê, este é o país onde não se usa algemas para não constranger o ladrão!
    Daqui a pouco, nem vai se poder mais chamar ladrão de ladrão, pois isto será considerado "preconceito"!
    Os únicos que podem ser constrangidos neste país são as pessoas honestas e alfabetizadas!
    Estamos quase no Camboja de Pol Pot!
    Mas, acho que os que promovem essa onda de "deixa pra lá" tem um objetivo: a imbecilização e alienação do seu eleitorado, que assim, será garantido!
    Será que tem vaga pra mim na Nova Zelândia?
    É melhor enfrentar um vulcão ou um tsunâmi do que uma avalanche de má fé!

    ResponderExcluir
  5. Eu assisti a essa matéria e não entendi o benefício que tal aplicação pode trazer aos alunos... É como assinar, aceitar e declarar total incompetencia do Brasil para com a Educação.
    Mas, pensando bem... um país ignorante é um país cativo, e assim, ninguém é constrangido, não é?
    Enfim...
    Beijos, Loira Linda !

    ResponderExcluir
  6. CONCORDO COM SEU TEXTO.
    EU TIVE UMA INFÂNCIA PRIVILEGIADA, MAS COM MUITAS DIFICULDADES PARA ESTUDAR. TUDO DEVIDO À DISTÂNCIA QUE MORÁVAMOS DA ESCOLA. pOR ISSO VALORIZO MUITO A EDUCAÇÃO E FICO TRISTE COM QUEM NÃO PODE E NÃO APROVEITA A CHANCE DE ESTUDAR. FICO MAIS INDIGNADA AINDA COM NOSSOS GOVENANTES, QUE PREFEREM A POPULAÇÃO IGNORANTE DE TUDO, PRINCIPALMENTE DO CONHECIMENTO.
    ÓTIMA SEMANA.
    ACHO QUE VOU PASSAR A TE SEGUIR
    BJ

    ResponderExcluir
  7. O famoso politicamente correto na berlinda novamente, acho que todo ser humano merece respeito sim e o regionalismo existe no país, mas realmente temos que ensinar todos igualmente, e formando melhores cidadãos para o Brasil do futuro.

    ResponderExcluir
  8. É aí regina e aqui!!!! Cá é igual!! Não há qualquer exigência e o novo acordo ortográfico vai servir de desculpa para muita coisa... não é só a falta de cultura de mérito, é falta de responsabilização na aprendizaem individual. E É triste que os maiores responsáveis dos ministérios da educação, só se interessem pelas estatísticas dos que passam de ano de qualquer forma, sem os preparar de facto, para as exigências da vida... Beijinho

    ResponderExcluir
  9. Oi Rê. Tenho acompanhado de perto esse imbroglio todo e dá vergonha de morar nesse país. O Estado tutor que resolve e decide o que é bom para seus cidadãos, herança maldita dos tempos de ditadura e que os 8 anos de lulismo copiaram e vem tentando enfiar goela abaixo do país, como uma maldição. O politicamente incorreto deixou de ser opção e passou a ser obrigatório ser politicamente correto, seja lá o que isso traga de desvantagens e aberrações para nosso povo! Vergonhoso e aviltante! beijos,

    ResponderExcluir
  10. O sujeito contemporâneo se encontra em apagamento.
    Sujeito em dissolução. O "não sujeito" contemporâneo que acomete os tempos.
    Modernos? Não sei.
    Falei disso outro dia no Identidade de pensamento...


    E esse programa passa aqui em patos de minas, nao?
    Queria assistir ao programa, admirar e aprender!

    beejo, linda! òtimo texto!

    ResponderExcluir
  11. Olá, Regina!
    "Quero ver quem paga pra gente ficar assim!"
    Bjs!
    Rike.


    P.s.: eu também acordaria cedo pra vê-la. Seria um ótima maneira de começar bem o dia!!!!

    ResponderExcluir
  12. "A escola é a única alavanca capaz de elevar o povo ao nível da moral."

    Beijo meu.

    ResponderExcluir
  13. Nem pudia tá EU aqui comentando isso... rss

    - Mas depois da reportagem sobre a situação do ensino no Brasil ( Reporter SBT )... Fiquei entusiasmado em promover os primeiros ponta-pés na EDUCAÇÃO.... Essa geração de adolescentes mutilados do saber são fruto de pais inconsequêntes de nossa(minha) geração... Não quero passar essa imagem derrotista e analfabeta de atitudes para meus netos "se é que terei um dia us macaquinhos né?".. rss

    Estou fazendo minha parte...
    DeusssssssssssKeMeAjude
    Tatto

    ResponderExcluir
  14. Tenho acompanhado, através dos blogs que freqüento, que o nível do que se escreve decaiu, tanto em qualidade, quanto na forma. As pessoas simplesmente reproduzem seus erros, seus vícios de linguagem. Sou de uma época em que as Escolas não davam essas regalias que dão hoje aos alunos. Você só tinha um meio de ser aprovado: estudando (e muito!). Hoje, aluno manda mais que o professor, classe cada vez mais humilhada. São as conseqüências. De quê? Bem, prefiro nem falar, pois sempre haverá um exaltado para defender o que não se pode defender.

    Abraços do Gaúcho.

    ResponderExcluir
  15. Língua Portuguesa: um ente agonizante. Já não se fala quase nada, tudo substituído pelos estrangeirismos cada vez mais numerosos, e o pouco que se fala 'pode ser falado errado', para não constranger(?!) Tenho uma amiga que diz que os basileiros se comunicam com apenas 400 palavras usadas pela Rede Globo; eu acho que nem isso. Um dia estaremos falando uma língua mortinha da silva ortiz. Lamentável... Bjins, Angelinha

    ResponderExcluir
  16. Você apareceu na TV??? Me mande um autógrafo urgentementeeeeeee... Ter amiga, loira,linda e famosa, não é todo dia, meu bem.

    Lá na escola uma professora do 4º ano me disse hoje que alguns dos seus alunos estão num grau de alfabetização que lhes permitem identificarem as vogais. E no 4º ano não há mais reprovação, os alunos prosseguem automaticamente.

    Quer dizer, o que vier por aí não causa mais estranheza, pois o que importa na verdade são as malditas estatísticas, mentindo que no Brasil não há reprovação e o sistema de ensino funciona. Então, tudo é possível. Tudo é permitido... E nóis tá tudo lascado.

    Beijos...

    ResponderExcluir
  17. Olá, Rê amiga!

    Até pensei, quando comecei a ler, que estaria a falar de Portugal...!
    Aqui, desde há uns bons anos atrás,que se instituiu o culto do facilitismo, do não traumatizar os meninos com provas e exames, do passar para o ano seguinte mesmo sem saber o mínimo exigível.
    E acabou tudo muito mal, em particular para os que concluíram a escola, mas de lá saíram analfabetos...que mais tarde descobrem que a vida cá fora, a sério, se não compadece com isso.
    Batota nunca é solução, nunca leva a lado nenhum; é pura ilusão, demagogia e irresponsabilidade de quem dirige.
    Espero que não vão por ai...!
    Este tema dava uma dúzia de posts, mas é melhor ficar por aqui...

    Beijinhos amigos; bom fim de semana.
    Vitor

    ResponderExcluir
  18. meu Deus o absurdo dos absurdos isso.
    Com uma educação tão carente como a nossa agora ainda isso.
    Onde vamos parar?
    Brasil...
    Beijos achocolatados

    ResponderExcluir
  19. Já fiz e refiz várias buscas a procura desse que não é um programa é um evento, Bom dia Minas com Regina Rozenbaum.
    É Show
    E o tema molezinha Relacionamentos Amorosos.
    Já enlouqueceu muita gente.
    Agora que você já sabe que não fez feio.
    Não pagou nenhum Mico.
    Disponibilize o vídeo.
    Alguma tia sua deve ter gravado, eu tenho certeza!
    Bjs.
    Wilma
    www.cancerdemamamulherdepeito@blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Olá Amiga Rê,
    Grato pela visitas e comentários especiais ao Dr. Belarmino.
    Diz bem: O conhecimento liberta. Não é com facilitismos que lá chegamos, pois é nas escolas que está sentado o futuro dum país.
    Um xião.
    Jorge

    ResponderExcluir
  21. Bom día, Rê!

    Concordo plenamente com esta pozissão do governo. Afinal, o que intereça é qui o noço povo si comunique entri si. Êci negósso de falar direito é coisa de intelequitual metido a besta. I por ôtro lado, (aqui tem vírgula?) si nóis temu um governo qui pensa pela gente, pra que qui a gente tem que si preocupá com essas coisa, num é mermo?

    Meu Deus! Onde isso tudo vai parar?

    Meu carinho,
    Anderson Fabiano

    ResponderExcluir
  22. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  23. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  24. Bem, achei essa proposta absurda, bizarra; Também já tinha visto; Tomei um choque, paralisei mesmo; Não consegui alcançar o raciocínio disso, não. Coisa esquisita.

    E, eu nem imaginava que tratava-se de uma celebridade. rs.

    Boa semana

    p.s..: atrapalhei-me e tive de remover os coments. desculpa.

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget