Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

domingo, 12 de junho de 2011

DESSE AMOR DIÁRIO

Faz um ano que, nessa mesma época, dediquei aqui uma semana para as comemorações do dia dos namorados. Escolhi músicas, poesias diversas que falavam de e para o amor. Recebi comentários lindos de amados que vivem - particularmente - seu amor. É... o amor é sempre nosso! Vive conosco e, tantas vezes, convive no outro sem que se dê conta. Muito vivi desse sentimento liberto. Cativeiro nunca houve para contê-lo. Esparramo sensações inexplicáveis em sonhos reais. Um ano se passou e com ele tantas mudanças. Muda o coração? Muda o amor? Não! De “muda” só mesmo esse silêncio que aconchego e esquento sob a manta de nome AMOR. Esse ano, para celebrar o amor, escolhi trechos de poetisas. Escrito por mulheres que tinham esse sentimento na ponta de suas almas e nas vivências diárias. Desejo a cada um de vocês, amados meus, um domingo amorosamente bem vivido!

"Porque eu fazia do amor um cálculo matemático errado: pensava que, somando as compreensões, eu amava.Não sabia que, somando as incompreensões é que se ama verdadeiramente”. (Clarice Lispector)

"Todos os dias, quando acordo, vou correndo tirar a poeira da palavra amor". (Clarice Lispector)

POEMINHA AMOROSO
Este é um poema de amor
tão meigo, tão terno, tão teu...
É uma oferenda aos teus momentos
de luta e de brisa e de céu...
E eu,
quero te servir a poesia
numa concha azul do mar
ou numa cesta de flores do campo.
Talvez tu possas entender o meu amor.
Mas se isso não acontecer,
não importa.
Já está declarado e estampado
nas linhas e entrelinhas
deste pequeno poema,
o verso;
o tão famoso e inesperado verso que
te deixará pasmo, surpreso, perplexo...
“Eu te amo, perdoa-me, eu te amo...”. (Cora Coralina)

“Nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas”. (Cora Coralina)
"O que a memória ama, fica eterno. Te amo com a memória, imperecível". (Adélia Prado)

“Assim que escurecer vou namorar.
Que mundo ordenado e bom!
Namorar quem?
Minha alma nasceu desposada
com um marido invisível". (Adélia Prado)


"Tenho fases, como a Lua; fases de ser sozinha, fases de ser só sua". (Cecília Meireles)

“De longe te hei-de amar
 da tranquila distância
em que o amor é saudade
e o desejo, constância". (Cecília Meireles)


“Como são belas e misteriosas tuas palavras, Amor!
Eu nãos as tinha pressentido,
eu era como a terra sonolenta e exausta
sob a inclemência do céu carregado de nuvens,
quando, igual a uma chuva torrencial de verão,
tuas palavras caíram da altura em cheio
e se infiltraram em meus tecidos". (Henriqueta Lisboa)

14 comentários:

  1. Um lindo e feliz dia cheio de amor! beijos, tudo de bom!chica

    ResponderExcluir
  2. Preciso agradecer a vc, Rê...não tem ideia, irmiga, da ajuda que me deu...

    Teu post, de arrepiar, enternece e espalha o amor pelas janelas da alma, sempre abertas para sua magnitude e esplendor!

    Um dia lindo pra vc, que o amor faça morada em cada raio de sol a aquecer teu dia!!!
    Bjãzão!!

    ResponderExcluir
  3. - Espero um amor antigo
    - Saudoso do que virá;
    - E sonho sonhar contigo
    - Que o Amor nos amará...

    - Sejam teus todos os dias,
    - As noites, as madrugadas,
    - As horas em que sorrias,
    - Poentes e alvoradas!

    - Beijão, minha querida.

    ResponderExcluir
  4. “Assim que escurecer vou namorar.
    Que mundo ordenado e bom!
    Namorar quem?
    Minha alma nasceu desposada
    com um marido invisível". (Adélia Prado)

    Será que num fui eu que fiz esse poema não? Nunca vi nada tão adequado.

    Mandou bem nas imagens e na escolha dos poemas escritos pela singularidade da alma feminina... Beijos, minha querida romântica.

    ResponderExcluir

  5. Cantinho tá romântico e poético, gostei! Que vc tenha uma ótima semana com muitas alegrias e paz! Um abraço!

    ResponderExcluir
  6. Olá, Regina!
    Muito obrigado, Mensageira do Amor!!kkkkk
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  7. Oi Rê que lindo, curto de mais Clarice Lispector
    adorei todos os poemas.

    eu acho que o dia dos namorados só não é mas romantico pq o comercio tomou conta, e virou quase um amigo ouculto onde trocamos presentes, mas a essência do romantismo ainda esta no ar.

    BJOS Rê

    ResponderExcluir
  8. Lindos!
    acrescentando...
    vc descobre que ama, qdo percebe que faria tudo de novo (Lucimere)

    p.s.: desculpa a ousadia. rs.

    ResponderExcluir
  9. Bela forma de registrar este marco, coisa típica de alguém sensível como você.
    Poesias e textos cheios de sentimentos, contando a forma como cada um encara essa data.
    Abraços, Rê!

    ResponderExcluir
  10. Querida Regina!

    Entre nós não há celebrações tão especiais assim. Dia dos namorados é todos os dias :)
    Acho contudo, lindo esse modo amoroso e tão brasileiro de o celebrar.

    Que tenhas tido um óptimo dia dos namorados.

    Beijão

    ResponderExcluir
  11. A uma Mulher como tu...de outra, Maior que o Amor!

    Saudades! Sim...talvez...e porque não?..
    Se o nosso sonho foi tão alto e forte.
    Que bem pensara vê-lo até á morte
    Deslumbrar-me de luz o coração!

    Esquecer! Para quê?...Ah, como é vão!
    Que tudo isso,Amor, não nos importe.
    Se ele deixou beleza que conforte
    Deve-nos ser sagrado como o pão.

    Quantas vezes, Amor, já te esqueci,
    Para mais doidamente me lembrar
    Mais doidamente me lembrar de ti!

    E quem dera que fosse sempre assim:
    Quanto menos quisesse recordar
    Mais a saudade andasse presa a mim!

    (Florbela Espanca)

    Mil beijos para ti.
    Graça

    ResponderExcluir
  12. sempre bom ler minha amiga de novo... beijo, moça...

    que mais gostei foi esse:
    “De longe te hei-de amar
    da tranquila distância
    em que o amor é saudade
    e o desejo, constância"

    Te cuida... tô precisando falar contigo...

    ResponderExcluir
  13. Quanta belezura junta Rê amada! Poesia e mulher combinam demais da conta! E essa mulherada api, como é boa na arte de escrevinhar sentimentos...amei! Beijos,

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget