Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

sábado, 14 de novembro de 2009

DECLARAÇÃO DE AMOR MINERIM

É uma das declarações mais mineiras que já recebi, sô! Bunitim dimais... Numsei diquem, mavale dilê travéis.


"Cês são o colírio do meu ôiu.
São o chiclete garrado na minha calça dins.
São a maionese do meu pão.
O limão da minha caipirinha.
O rechei do meu biscoito.
A masstumate do meu macarrão.
A pincumel do meu buteco.
Nossinhora! Gosto dimais da conta docêis,uai.
Cês são tamém: O videperfume da minha pintiadêra.
O dentifriço da minha iscovdidente.
Óiproceisvê, quem tem amigos assim, tem um tisôru!
Eu guárdesse tisouro, com todo carinho, do lado esquerdupeito!!! Dentro do meu coração!!!
Amoocêis Padaná!!!
Bejim e inté.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget