Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

TALENTO NÃO BASTA


Talento, vocação ou dom são palavras que se confundem em suas utilizações apesar de terem significações distintas.Vocação e dom são palavras instigantes. A primeira vem do latim vocare, chamar. Vocação é o seu chamado, a voz interna. Já dom, em inglês, é gift, que significa também presente. De origem latina, a palavra talentu em sua essência significa balança, peso. Também já foi moeda na Roma e Grécia Antiga e citada nas parábolas de Cristo. O dom é um presente que recebemos da vida. É algo todo seu, é uma aptidão natural, genuína e que nos distingue das demais pessoas sem muito esforço. Quando você descobre seu dom, não faz com vontade, faz com paixão; não faz com qualidade, faz com excelência. Dom é mais que talento. Todos nós temos talentos, qualidades que nos dão mais facilidade para desenvolver determinada atividade. Mas a grande sacada é descobrir o dom. E como achar nosso dom? Penso que é ouvindo o nosso chamado, que é a nossa intuição. A voz interna fala conosco, só que baixinho, e, se a gente não parar para prestar atenção, não ouve. Quando a gente descobre nosso dom, faz o que faz movido pela paixão, realiza com excelência e aí ganha muito dinheiro que é só uma conseqüência natural. Clarice Lispector diz “Vocação é diferente de talento. Pode-se ter vocação e não ter talento, isto é, pode-se ser chamado e não saber como ir”. Você já sabe qual é o seu dom? Eu estou tentando ouvir o meu e descobrir como ir!

4 comentários:

  1. Regina

    Adorei o seu post, principalmente porque fico me perguntando porque estou gostando tanto de fazer o meu blog.
    Sempre achei que o meu dom eram os números.Será?
    Acho que estou sendo chamada e já estou até sabendo onde ir...
    Obrigada por esta esclarecedora matéria que todos deveriam ter acesso.

    Beijos

    Lucia

    ResponderExcluir
  2. Lucinha
    Sei que esse ano vc deu uma guinada de 360...
    E eu observo com carinho e amor tuuuuudo que vc está construindo. Eu...bem, conversamos pessoalmente pq é longo. Adoreiii a foto,lindona na fita rsrsrs.
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir
  3. Regina,

    Regina,
    Pois é, vim aqui conferir o seu blog e já coloquei nos meus favoritos. Gostei especialmente do humor (como a fina ironia do Millôr) e da pertinência do assunto da postagem sobre talento e dom. Ontem mesmo estava conversando sobre isso com uma pessoa querida que está meio sem rumo. Sugeri que olhasse para dentro para descobrir qual era o seu dom. Agora, basta indicar seu blog para fechar o assunto.

    Um abraço,

    Iêda

    ResponderExcluir
  4. Iêda
    Obrigada pela visita e fico superrrr feliz que pude "ajudar" de alguma maneira! Essa é minha intenção maior. Volte sempre, pq eu já tôdentro do seu blog.
    Beijuuss n.c
    P.S. Quero combinar com a Bê de conhecê-la pessoalmente.

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget