Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

domingo, 15 de novembro de 2009

DIVÃ PRÁ DOIS



Os motivos são os mais variados possíveis para a busca de uma terapia de casal: tédio, cansados de tantas brigas, nascimento de filhos, infidelidade, desilusão, falta de comunicação, problemas financeiros, etc.
Quando me perguntam se há um momento certo para começar uma terapia de casal, sempre respondo que não! A hora adequada se posso assim dizer, é o reconhecimento de ambos da insatisfação e o desejo de evitar que as crises se tornem crônicas. Na maioria dos casos que já atendi, o adiamento na procura de ajuda se deve a uma resistência dos homens – preconceito – em consultar terceiros. É claro que há exceções.
Também desmistifico a idéia originária, de que a terapia “salvará” o casamento ou evitará o divórcio: a proposta é ajudar o casal a encontrar uma forma harmônica de se relacionar, que ficou perdida em algum lugar. Não há fórmula mágica. Lidaremos sempre com a existência da possibilidade de um salto qualitativo no relacionamento, como também que ambos cheguem à conclusão, de que serão mais felizes separados. Se isso chega a acontecer, mesmo que a dor seja inevitável, é muito provável que o fim se delineie menos traumático, uma vez que ambos puderam se expressar e refletir antes. A decisão não é tomada no auge de mais uma crise. O importante é que, nesse espaço terapêutico, criamos as condições necessárias para que ambos redefinam os próprios desejos e refaçam seus contratos. Quanto ao prazo da terapia, tanto quanto os motivos, variam muito, mas a média é de seis meses, com sessões semanais.

2 comentários:

  1. Thanks for putting the translator now we can read your lovely blog too. Winter is the best season to go to India i. e from November-January.

    ResponderExcluir
  2. Hi
    Your comments are so sweet!!!Thanks... I love to travel around the world. Different culture teaches us to hide a lot of our true feelings. I wish to go to India as soon as possible...it's a dream... and it will becomes true!
    Kisses into your heart

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget