Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

MEU MONINHO

Moinho é uma máquina que serve para moer grãos. Só que para isso se vale de uma grande hélice que por força do vento, da água, ou de qualquer outra força propulsora, faz girar um eixo que impulsiona uma bomba, uma moenda ou, em tempos mais modernos, um gerador de eletricidade. O moinho gira e, sempre que completa uma volta, a hélice do moinho já está realizando outro trabalho, moendo outros grãos…
Preservação da espécie é um impulso dominante entre animais; sem essa condição básica, toda a fauna se extinguiria. Mas é raro esse instinto de proteção à prole apresentar manifestações tão bem elaboradas como nos ninhos dos pássaros. Escolha do lugar, medidas de conforto e segurança para os filhotes são, por assim dizer, uma "preocupação" sofisticada de algumas espécies de passarinhos. E a técnica empregada para a construção do ninho é tão requintada, às vezes, que se poderia supô-la resultante de raciocínio, embora sabidamente não o seja. É arte não ensinada, feita com "intuição". Na maioria das vezes o macho e a fêmea trabalham juntos na coleta de material e na própria acomodação das plumas, fios, ramos, barro e toda a grande variedade de componentes do ninho. Como seria a junção de um moinho com um ninho? O que poderia acontecer num moinho-ninho?  Transforma-se em MONINHO...
Num Moninho coube mais que grãos. Sementes plantadas, cuidadas, acalentadas, por muitos meses, que recheadas de amor brotaram-se em frutos. Sabores diversos: alegria, felicidade, lágrimas, silêncios, risadas, frio, calor, energia fundida e conectada...
Esse Moninho acolheu meu coração, proteção angelical, e envolveu minh'alma. Ali o mundo girou de forma diferente. O tempo parou e com ele o tic-tac do relógio. A cada volta que deu, não era mais o mesmo. Já trabalhava com outra matéria-prima e a força que o fazia girar já não era mais a mesma. Moninho onde, finalmente, fundiram-se essências. E depois de tantas voltas, de energias renovadas posso dizer que ali fui - sou - feliz! (RR)

27 comentários:

  1. que lindo seu post...eu sou apaixonado por moinhos e por "moninhos". esse moinho e moninho, de que lugar são? são tão bonitos!

    lindo post! boa semana!

    ResponderExcluir
  2. RÊ, lindo post e ja estava com saudades de vir aqui mexericar, ainda bem que você ja voltou
    Beijossssssssssssssss

    ResponderExcluir
  3. Depois Cervantes, surge uma nova visão de moinhos...Lindo post!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Muito bom que o seu 'moninho' lhe tenha trazido tanta felicidade, tantas sensações boas e difíceis de explicar. Afinal, quando se constrói um moninho é muito investimento de amor, esperança e alegria. Cuide bem deste moninho, ele ainda abrigará muita coisas, ao longo de sua vida. Beijos, amiga querida.

    ResponderExcluir
  5. Olá Rê Amiga!
    Os seus moinho e ninho transmutaram-se num idílico MONINHO, possibitando uma merecida reforma e repouso à mó na moedura dos cereais.
    Um xião,
    J

    ResponderExcluir
  6. Ôi, Regina!
    Este seu "moninho" deve ser meio mágico, talvez uma entrada secreta alternativa para a toca de coelho onde entrou Alice...
    Você deve ter ido ao País das Maravilhas e nem se deu conta!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. A vida em suas diferentes possibilidades, mas tudo VIDA - que acontece igualzinho vc descreveu, muda a matéria prima extraída das experiências, e não somos mais o que éramos.
    Linda reflexão, amigamada...Rênovada queridona que se mostra em palavras...
    Uma semana bonita e especial pra vc...bjo com carinho!

    ResponderExcluir
  8. Olá Rê!
    Lindo o post e curiosa a sua "construção" !
    Menos que na Holanda, claro, Portugal já foi um país de moínhos (de vento e de rio)! Muitos deles foram desaparecendo, mas aqui ou ali lá se vão encontrando alguns "moninhos" !
    Que excelentes locais para se fugir ao bulício da vida citadina !
    Continua a ser feliz, Rê !!!
    Beijão.
    .

    ResponderExcluir
  9. A minha visão dos moinhos é bem mais lúdica. Dia desses confeccionei um em E.V.A pra compor a mesa do aniversário de minha sobrinha. E tinha hélices no formato de borboletas. Ficou até bonitinho o bichinho...

    Bom ter você de volta, moça.

    Embora eu tenha pensado que você analfabetou (antes de ler a postagem, pelo MONINHO)... Folgo em saber que não analfabetou coisa alguma... Rsrsrs.

    Beijos, moça-alegria

    ResponderExcluir
  10. QUE COISA LINDA ESSE MONINHO TANTO O MOINHO QUANTO O NINHO AMBOS TEM A FUNÇAÕ UM DE PREPARAR O ALIMENTO PARA A MATERIA E OUTRO PREPARANDO PARA O ESPIRITO POIS NO NINHO A GENTE ENCONTRA O ALIMENTO .AMOR, PROTEÇÃO, VIDA EM FAMILIA E NO MOINHO OS GRAOS ..SE TRANSFORMAR EM ALIMENTO..OS DOIS SIGNIFICAM VIDA COMO O CUIDADO COM O MEIO AMBIENTE COM A VIDA A FLORA A FAUNA..NESSE SEU MONINHO ALEM DA CONTRUÇÃO BELISSIMA MUDADA DE UMA FUNÇÃO PRA OUTRA EU VI TAMBEM MESMO QUE POR FORA MUITO ACONCHEGO E MUITO AMOR..
    BJS
    QUE BOM QUE VOLTOU QUE BOM QUE TA INDO LA NO MEU ESPAÇO...
    OTILIA

    ResponderExcluir
  11. Olá, Regina!
    É sempre bom ler ssuas sábias e inspiradoras palavras, inda mais agora revigoradas!!
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  12. Rê, querida!!! Saudades de enveredar por aqui! Lindo o "moninho"! :)

    Queria ver estas sua doce inspiração e sábias palavras também sobre o tema TEMPO, que tal? Fica a dica! ;)

    Quero aproveitar para te convidar a participar da promoção do Viaggio Mondo e concorrer a agendas 2011 recheadas de fotos incríveis dos 40 países que visitei. Não deixe de vir e convidar também sua tchurma!! :)

    Te aguardo!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. oba...Revigorada é tudo que desejo que sintas...Minha linda, tão bom te sentir feliz...sua energia atravessa o mar e chega até meu coração.
    Bjos de luz e achocolatados

    ResponderExcluir
  14. Que a sua felicidade seja eterna.

    Beijinho.

    ResponderExcluir
  15. Maravilhoso texto, na forma e no conteúdo!
    Adorei, Regina!
    Adoro a sua maneira de contar...
    Enorme abraço, querida!

    ResponderExcluir
  16. Re

    que saudade que eu tava de ler suas coisinhas...e viajar nos "teus lugares"


    beijocas

    Loisane

    ResponderExcluir
  17. Sonhei com Querunbins zombeteiros
    Com um Arcanjo em eterna luta com o mal
    Sonhei que a chuva era o pranto dos deuses
    Sonhei que o amor tem um caminho fatal

    Descobri que as nuvens são carruagem de água
    Que os anjos afinam as harpas de madrugada
    Que as gaivotas em terra são pronuncio de borrasca
    Que a razão de um justo não vale quase nada



    Doce beijo

    ResponderExcluir
  18. - A Rê não analfabetou, Milene... ela neologizou, como vc fez com seu "analfabetar" e eu esou fazendo com meu "neologizar". Se a moda pega, o Aurélio vai ter trabalho.
    - E que coincidência, Rê! Hoje cedinho, notei um caga-sebo (um "bem-te-vi" em miniatura) construindo seu ninho numa samambaia pendurada, cujas folhas ao vento me lembraram moinhos de água...

    ResponderExcluir
  19. Que bom seu regresso!

    Sabe que há muitos anos tentei comprar um moinho? Pois foi...

    Seja muito feliz, sempre,

    Um beijo, meu bem

    ResponderExcluir
  20. Olá, Rê...
    Navegando pela internet, achei este seu espaço...
    Olha, muito bom o seu blog, suas idéias, sensibilidade e seu bom gosto...
    Parabéns pelo trabalho! Estou te seguindo.
    Saudações,
    EDU (http://edurjedu.blogspot.com)

    ResponderExcluir
  21. Olá, minha primeira vez aqui em seu Blog creio eu, parabéns, está brilhante e voltarei decerto muitas mais vezes para um olhar mais atento!!!
    Abraços e que tenha uma óptima semana, Zé Maria

    ResponderExcluir
  22. Regina: Lindo Post adorei, eu pensava que moinhos de vento só haviam em Portugal e na Holanda, tenho um poema precisamento com o titulo moinhos de Vento.
    Beijos
    Santa Cruz

    ResponderExcluir
  23. Edu e Zé Maria: sejam muito bem-vindos ao nosso Divã! Se acheguem, aconcheguem e façam parte. Aqui é quiném coração de mãe: espaço, carinho, amizade e AMOR prá todos!!! Voltem sempre que quiserem, e saibam que quando restornarem terão um lugar reservado, com muiiiito carinho, para cada um de vocês.
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir
  24. Oie..Regina, querida! Vim agradecer a sua visitinha lá no Sítio e acabei por conhecer o seu lindo blog! Achei muito interessante esta correlação que fizeste. Eu, apesar de ser da área das exatas, adoro a psicologia! E pensadora que sou, pus-me a mirabolar: a gente nasce (no ninho)...o tempo passa, mudam os ventos(moinho) e a gente voa..(para o nosso moninho). Adorei! Beijocas gaúchas. (Quero por tudo, conhecer Minas!)

    ResponderExcluir
  25. Regina, e ja vou chamando de Rê,..kkk.. gostei do post e do blog.Os moinhos fascinam, encantam, qdo vc falou de morar em um moinho, eu já construi o senário.... único.
    BJ passe pelo mercado mais vezes.
    Ricardo

    ResponderExcluir
  26. Ricardo seja mais que bem-vindo ao nosso Divã! Mininu fiquei tão feliiizzzz com a prosa de hj, ganhei minha manhã e em breve vai sair alguma coisa escrita, principalmente, prás mininas amadas minhas daqui e desse Brasil enoooorrrrme!rsrs Xácumigo que vou voltar (o filtro ficou perfeito, diga ao Tiago,ok?)nessa Líder do mercado. Enquanto isso...não deixe de vir aqui me visitar!
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget