Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

DOISMILEONZE CHEGOU!


Em 31/12/2009 tentei deixar aqui meus desejos para 2010. As dificuldades no manuseio dessas artes disponíveis (só para os iniciados) não permitiram que saísse nem um décimo do imaginado. Ainda bem que ninguém leu! Penso pelo número de comentários lá deixados.
Ao longo desse ano fiz amigos os quais recebi de um tudo. Sempre permeado pelo AMOR, GENEROSA E SINCERA AMIZADE. Se for ou não merecedora de tanto carinho não é questão. Recebo e devolvo somente com aquilo que tenho.
Queria refazer esses desejos - eles permaneceram até hoje - mas de um jeito mais bonito.  Cada um de vocês merece muito mais. Pus minha cara de jacarandá (OBRIAGADA PAI por ela existir e fazer assim acontecer) e fiz uma proposta - irrecusavelmente - indecente para minha, irmigamada, Denise do Tecendo Ideias. Intimidade dá nisso!
- Dêêê, topas fazer uma blogagem, coletiva de duas, de final de ano?! Preciso da sua ajuda e de seu lado artista de ser!
Um tanto de explicativos antes, durante e no depois, pois precisamos engravidar o outro de nossas ideias e sonhos, veio a resposta imediata (nem precisei desperdiçar palavras):
- Tô dentro!
E olha que essa moça já me atendeu inúmeras vezes. Nunca me disse um não!
Emails, prá lá e prá cá, solicitações de: Rê não tens MSN? Skype? Vai facilitar para que eu traduza seu desejo! Dêêê, num me aperta sem abraçar! Chegamos à ante véspera da data.
Afff... Os dias passando, cada uma com suas premências e no recheio delas a persistência e o jamais Dê/sistir e Rê/sistir.
Veio mais uma ideia, ou melhor um apelo sedutor, sôfrego de última hora, nessa cabeça! Já fui, depois disso, até contratada para o Criança Esperança 2011.
Vou tentar pedir (mais essa) pro Peludim, Xipán Zeca, Tatto amado meu, homem dessas e de outras artes também. Será que tenho coragem??? Acabei de pedir algo!!! Ah meu Pai, passa um cadim desse óleo no jacarandá, pleaaaase? Respiro fundo, fundo messssmo e peço toda Rêzina da Grória do meu ser... E ele, é claro, com seu DeusKiajude amoroso me atendeu de imediatto! 
Peludim escreveu de lá, interferências da internet daqui (essa coisa tem vida própria, já disseram e eu assino embaixo!) e ansiedades quase chegando em 2011... acolá!
Aí, quando menos espero, como sonho concretizado, chega esse Tecendo ideias no Divã nosso de cada dia com desejos em forma de sonho-arte Xipán Zeca, me lembrei que:
“Sonho que se sonha só é só um sonho que se sonha só, mas sonho que se sonha junto é realidade!”
Que todos os nossos infinitos sonhos, doismileonze desejos sejam realizados juntos, agarradinhos mesmo e por isso direi: OBRIAGADA, AMO VOCÊS DE VIVERRR!!!


(Clica aí nos corações...)

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

BATE-PAPO DO AGORA OU NUNCA

Gosto de flores o que já não é nenhuma novidade. A grande nova foi sair pela cidade e conseguir - a preços razoáveis e praticáveis - as que queria para perfumar a casa.Brancas, amarelas e grafite. Lírios, copos-de-leite, chuva de prata, girassol e orquídea. Estava fazendo os arranjos enquanto a música tocava e fazia abrir minhas asas do coração e voar...
- O amor é a maior alegria de todas. Esqueça as suas ideias preconcebidas sobre o que é o amor.
- Nem mesmo na véspera do ano novo você me esquece?!
- Você, agora, é capaz de distinguir o amor de verdade de todos os outros falsos conceitos que você achava que tinham relação com o amor.
- Tá de brincadeira, né?  Sou absolutamente incapaz!
- Você viu quanto amor existe na sua vida; você sentiu o quanto o amor pode ser espetacular; você percebeu as muitas formas diferentes que o amor pode assumir e com que facilidade costumou considerar o amor como algo certo.
- Se vi... não enxerguei. Se senti... estou dormente. Se percebi... estou na incerteza das múltiplas formas.
- Pense na sua casa, na sua família, no seu cônjuge, namorado,  num amante, nos seus filhos, pais, parentes, animais de estimação e amigos íntimos; nas pessoas que representam a maior preocupação do seu coração. Pense nas pessoas que, realmente, fazem parte do seu universo. Você não deverá ter dificuldade para encontrar paz e equilíbrio, considerando tudo o que aprendeu neste ano. Este é um momento de perdão, de aceitação ou, no mínimo tolerância.
- Abro minhas asas, solto minhas feras!!!
- Onde houver mal-entendidos ou má vontade, tente restabelecer a paz e harmonia. Deixe que os outros sejam quem eles são. Mostre às pessoas de que você gosta, que na verdade você as ama. Comunique-se e deixe-as comunicar os próprios sentimentos para você
- Ok! Nada de ventroliquismos, nada de portar a não ser a própria voz.
- O amor precisa ser LIVRE! Agora, depende de você salvar o amor na sua vida de tudo o que o está reprimindo.
- Vou me realistar no Exército da Salvação. Pensei que já tinha prestado os anos suficientes para uma merecida aposentadoria!
- Dissemine o seu amor entre as pessoas. Assim deve ser o amor quando é livre. A sua capacidade de criar algo maravilhoso - seu acalentado sonho - as soluções que precisa estão dentro de você. Elas chegarão quando você estiver relaxada e centrada.
- A sementeira parece que secou e você ainda me diz para relaxarrrrr???
- Você estará ampliando o que acha que são os seus limites ao reconhecer e tirar proveito do seu potencial ilimitado. Você vai aprender a diferença entre luta e esforço. E será capaz de criar um sentimento de ordem para si mesma dentro desse mundo caótico.
- To tão cansada... Não enxergo armas para empunhar e nem sei ,se quero mais ,ir para a frente das batalhas!
- Por enquanto simplesmente assuma e sinta tudo o que aconteceu com você e seus familiares durante este ano. Entenda os passos positivos que ele lhe permitiu dar. Seja o que for que tenha aprendido, nunca esqueça. Mantenha os seus sonhos, a sua posição, a sua confiança e o seu otimismo. Leve essas coisas com você quando chegar a meia-noite de 31 de dezembro e você passará para o poderoso ciclo de 2011 que é de trabalho, organização, nova identidade e EVOLUÇÃO.
- Então... FELIZZZZ NOVO ANO BEM NOVO!!!(RR)

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

MEU ANJO

Queria ter asas e como Ícaro, movida em sonho, voar... Queria ter as palavras que faltam e nessa ausência pedi emprestado as do mininu-poeta, amado, Carlos Augusto Matos... Queria acreditar que esse dia vai acontecer... como à espera de um milagre, algo que me desse as "asas" que um anjo precisa para voar e chegar até você quando menos esperasse, me deitar de mansinho e quando acordasse te dizer como te amo e me faz falta os retalhos que de mim aí estão contigo...Pois nos foi prometido, por escrito ,na abóbada celeste, no alar de asas dum anjo... Anjo que sabe voar, mesmo com uma asa só, já que a outra comigo está... E esse par- por hora separado - um dia se juntará. É preciso acreditar. FELIZZZZ NOVO ANO totalmente NOOOOOOOOVO!!!
(Imagem: Arquivo Pessoal)


Anjo Eterno

Com raios solares
ainda estou a te
esperar
Na porta do calvário, ou de casa
Sentado(a) com uma cruz que fiz
Para te glorificar
Nos Andes, voando
sem asa!
No que está por um triz.

Nos teus braços
espero este amor
tão belo
Voando do desmedido céu como anjo
Em forma de anjo

Conjugando verbos não sei se conseguirei
As pregações que não tenho
Em vales do que quero entender
Com serrarias que não posso ter
O que almejo ter

Quero saber quem modelou
a beleza do seu rosto
Do polo pensativo que não me satifaz
Contando sonhos para vê-la(o) aqui
Vivendo oceanos deste amor
Para apenas deixar-me em paz.

Essa saudade são ares perigosos
Pois ela pode me matar
É uma doença sem cura
Sem a tua presença
Para me recuperar

Carlos Augusto Matos



terça-feira, 28 de dezembro de 2010

MUSICANDO A VIDA

Já aconteceu com você ao acordar e assim, sem mais nem menos, começar a cantar uma música? Está tomando o café e entre um gole e outro canta. Vai tomar banho – quem já não cantou debaixo do chuveiro? – e lá vem ela misturada no sabonete. Quanto mais você tenta afastá-la mais chegada a danada fica. Você se esforça, pensa em outras, mas não adianta. Fica pior: agora é só o refrão! Isso quando a gente não mistura as estrofes, troca o ritmo, e recria a letra.
Estive numa festa especial e o tal DJ, contratado, fez uma mistureba de ritmos, épocas, compositores e intérpretes que conseguiu manter a turma toda na pista se espremendo, soltando suas feras e frangas também.  Só depois é que descobri que o cara é uma fera e cobra uma grana para fazer isso que chamei de mistureba. Sou antiga minha gente e de DJs to mais por fora que umbigo de vedete. Voltando à festa, o tal DJ colocou um ritmo que conhecia e não reconhecia. Ao mesmo tempo invadiram a pista de dança dois casais dançando o tal ritmo que me fez babar. Um mix (acho que é o termo atual) de salsa, merengue, forró, lambada, enfim desses ritmos calientes e sensuais. A gente começa a requebrar sem se dar conta. Invasão no corpo tal e qual a música em minha cabeça.
Foi devagar que fui me lembrando de onde ouvi pela primeira vez. Aqui através dos blogues dos amigos portugueses com história de vida ligada a países africanos. E claro lá no blogue da - afinadora de minh’alma - Fatinha. E aqui deixo meu obriagada a essa minina, amada, que pesquisou e me enviou como conseguir as músicas.
Fiquei tão entusiasmada que - entre um berro e outro - pedi ao DJ o nome do CD. As músicas eram daqui, vários intérpretes brasileiros e até sertanejo tinha. Tudo cantado e interpretado no ritmo Kizomba.
Aí, quando menos esperava as músicas me transportaram... Viajei sem fazer check-in e vi um anjo dançando na minha frente. Conseguem imaginar um ser pequenino, de asas enormes, se remexendo em ritmo caliente?  E que gingado tinha! Eu só assistindo, com olhos de puro encantamento, aquela luz brilhando prá lá e prá cá. Foi uma imagem inesquecível que trago juntinha de mim. São vivências que colorem e vão musicando a vida nossa de cada dia. Essa que me faz reafirmar que vale, vale a pena de ser intensamente vivida!!!(RR)
(Imagem: Arquivo Pessoal)

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

OCITOCINAÇÃO DA VIDA

Conhecido também como o hormônio do prazer e hormônio do AMOR, ocitocina, faz um bem sem medidas.... Já fez sua medição hoje? Como está o seu nível? O apelidado Viagra Feminino -quando aumentado em seus níveis- faz com que as pessoas se tornem mais cuidadosas umas com as outras, além de torná-las mais generosas e mais propensas a confiarem umas nas outras. Não é uma substância mágica por mais que seus efeitos possam parecer, requer investimento das partes envolvidas. Seus reflexos podem ser inibidos pelo estresse e ansiedade. Há que se ter cuidado.  Mas certas atitudes podem provocar esse aumento: o “beijo”, o “falar delicadamente” o “toque” ou “contato” corpo a corpo. Minha teoria é que, mesmo virtualmente, conseguimos provocar a produção desse hormônio. Minha proposta:vamos ocitocinar a vida? Eu ocitocino, tu ocitocinas, nós ocitocinamos e aí nessa ocitocinação teremos um prazer - imensurável - de estarmos juntos em 2011, aumentando assim a estabilidade, alegria e felicidade do nosso relacionamento!!! Tá fora ou tá dentro? 

domingo, 26 de dezembro de 2010

EU VIVO POR...

Sem muita filosofia... - a encomenda expedida chegou -
Se eu penso logo existo...
Se existo vivo.
Vivo por... de... para... com... entre... ao lado... no entorno... contorno... lá... cá... fora... dentro... ele... ela... você... nós...

 SIMPLESMENTE VIVO!!! (RR)
(Imagens: Karin Izumi e arquivo pessoal)

sábado, 25 de dezembro de 2010

VOLTANDO PRÁ CASA

Efeitos Natalinos ou "The day after"... Ainda bem que o sujeito estava dipé... Será que conseguiu chegar em casa?!

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

NATAL CONECTADO COM QUEM DEVE SER!

Recebi esse vídeo do meu cunhadinho, amado, Jorge com um puxão de orelhas - carinhoso - de que estou sumidinha. Nessa mesma data estávamos todos nós em HAVANA dividindo a dor do primeiro natal e ano-novo sem mamãe, como também a alegria de conseguirmos estar todos juntos. Hoje o natal será diferente. Bem diferente!!! Estou comigo e isso me é suficiente. Ouvindo os barulhos - não tão harmônicos quanto gostaria - de minha essência. Não ouço Jingle Bens nem Jingle Males. Tento, a apurada escuta, de um coração que sente a carência não do alimento, da cama confortável, da roupa que agasalha, dos presentes trocados. Falta de quem o aquece. Egocentrismo? Ausência do espírito natalino? Pode ser... Como respondi ao email enviado por ele, estaremos conectados pelos  fios invisíveis do AMOR daquele que logo logo nascerá. Mesmo à distância, não estando agarradinha com todos os que amo - e isso inclui cada um de vocês - me sinto ligada, garrada messsmo. Pode lhes parecer estranho, esquisito, mas daqui sinto, recebo e reenvio para todos muita LUZ e AMOR... e que não só nesse NATAL possamos todos viver PAZ. NATAL FELIZZZZ E (DES)CONECTADOS...

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

A Droga da Alegria

Quando meu filho estava no ensino fundamental surgiu a primeira de uma série de drogas aqui em casa. A Droga da Obediência, A Droga do Amor, Droga de Americana. Livros de Pedro Bandeira, paulista e autor de literatura juvenil mais vendido no Brasil (vinte milhões de exemplares até 2006. Fonte: Wikipédia). Nunca os li, mas imagino que deveriam ser deliciosos para um menino de 10 anos. Num piscar de olhos ele já tinha terminado a leitura indicada pelo colégio e me pedia para comprar outro dos mais de 70 publicados. Com minha filha aconteceu o mesmo. E foi a partir de um bate papo com ela que fiquei pensando na Droga da Alegria.
Para estarmos alegres tem que se ter um motivo, já repararam? Para ela passar de ano sem recuperação, ir ao show do Black Eyed Peas, ganhar uma roupa que está babando, faz se sentir radiante de alegria. Sensação que se esvai quando se fecham as cortinas ou depois da estréia da dita roupa.
Com muitos de nós é também assim: a esperada promoção no trabalho, o carro novo, a viagem ideal, o namorado almejado, qualquer coisa palpável e que seja o porquê  -  bem expicativo - de tamanha alegria.
Não se pode estar alegre o tempo todo é bem verdade. Mas, se conseguimos rir das nossas tristezas, divertir com os inadvertidos acontecimentos diários, tenha certeza: há algo de muito errado com você!
Mais que necessário, fundamental é termos respostas para a pergunta de sempre: o que aconteceu para você estar tão alegre?
Alegria não contagia. Pura balela. Já a tristeza é vírus de imensurável solidariedade.
Alegria incomoda, incomoda, incomoda muita gente!
Se cantarmos no carro, no banheiro, na rua é porque temos motivos para tal. Ou seria mais provável, quem canta seus males espanta?
Minha filha estranha, e vai logo me lançando a pergunta quando me vê alegre. Pior é seu assombro quando ouve minha resposta: nada! É só meu compromisso com a vida, e com a alegria de vivê-la em suas “pequenas preciosidades banais”.
Alegria é mesmo uma droga.  Com tantas disponíveis decido por ela! O máximo que pode  acontecer é ter que conviver com seus efeitos colaterais. (RR)
(Imagem: Arquivo Pessoal)... Até a mulher-gato tá olhando abismada para a droga da alegria e se perguntando o porquê?!
  

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

JEITIM VER DE VIDA!!!

                          (Da janela do meu quarto... invasão do final de primavera)

Essa mineiridade panhei, faz tempo, lá do Cláudio do verdevida e é por essa sabedoria de ver de vida, dedo de prosa, que amo de viverrr esses minerim, jeitim simplis di sê!  Sinto que, não só em tempos de final de ano, guardamos no fundo da alma tudo e todos que nos fizeram e fazem bem!
"... Mas, num domingo, alargamos ainda mais a prosa. E foi aí que pude observar mais atentamente o que trazia o Domingos. Falávamos de alguns conhecidos comuns, que já haviam se distanciado e de outros, mais próximos, porém, alterados pelo tempo. E o Domingos concluiu: "Num intendo sô Cláudio, aquele sujeito qui vi no crescimento. Hoje, passa na istrada e parece nem mim inxergá. Nun tenho a égua, nem mula, nem nada, só a bicicreta e a fé em Deus. Num devo nada. Nem uma balinha na venda. Mas cumpreendo que tudo passa, inté as água do rio. E sei que si um dia eu e aquele não nós incontrá, lá bem nu fundo da sua mimória, o que lhi fiz de bão vai ficá".

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

SOLSTÍCIO DE VERÃO, LUA CHEIA, ECLIPSE LUNAR TOTAL!

A mudança já está no ar... Com a chegada da poderosa lua cheia, o eclipse lunar e o alinhamento do solstício de verão - hoje - isto será, apenas, ampliado.
Nosso único propósito aqui na Terra não é, de modo algum, criado ou classificado pelas crenças da sociedade como um todo, e a sociedade não pode nos ajudar a encontrar esta verdade. Pelo contrário, o realinhamento com o nosso verdadeiro propósito aqui na Terra significa o realinhamento com a essência de quem somos: seres espirituais!
Nós, humanos, temos uma clara escolha... O medo ou o amor. Dependendo de como respondamos aos desafios futuros, determinará o nosso futuro coletivo.
Que emoções dolorosas ou desafiadoras do nosso passado estão ainda armazenadas dentro de nós? Na energia deste mês, estes sentimentos aflorarão! Raiva, dor, tristeza, frustração... Estes são grandes exemplos do que devemos liberar do nosso interior, de modo que possamos integrar plenamente a LUZ em nosso ser, e permanecermos em alinhamento com o nosso verdadeiro propósito. Quando enfrentarmos estas emoções desafiadoras, agradeçamos, pois agora somos capazes de liberá-las plenamente na luz, o que nos trará mais leveza!
Compaixão, verdade e amor nos oferecem um caminho através de todos os desafios. Todos nós temos uma inacreditável oportunidade agora para mudar o curso da história para sempre, viver em equilíbrio com a Mãe Terra e uns com os outros.
Enquanto navegamos neste mês, lembremos de que, como humanidade, nós somos todos essencialmente um. Concentremos em estar no momento presente. Respondamos a todas as situações com AMOR, e comecemos a agir de acordo com a nossa verdade interior, de um modo autêntico. (Adaptação feita a partir do site: http://www.ask-angels.com/)

Ela chega, cheia, para sua última aparição nesse ano. Olho para ela e me deixo invadir por sua luz. Foi numa madrugada, tempos atrás, que jogou seu feitiço. De coelho passei a enxergar gato. Alucinação ou delírio? Percepção real de animal inexistente sem nenhum estímulo externo. Real. Tamanha a convicção inabalável em relação a esse gato alucinado. Delirava também. Pois para indivíduos “normais” grande é a impossibilidade de conteúdo plausível. Impenetrável e incompreensível.
Mas a compreensão – dispensável e penetrável - chegou através de versos:
Quando minha essência
  Se junta à tua
  A lua ruboriza
  Nossa existência
  Tua alma é minha
  Minha alma é tua!” (Imagens: arquivo pessoal. Texto:RR. Poesia e Quadro:HR/G)





segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

DESENHISTA CHEIO DE IMAGINAÇÃO

Não canso de dizer que adoro arte. Provavelmente são vocês a estarem dizendo: Ok, CHEGA.... já sabemos!!! A criatividade humana - para mim - é mágica. É através dela que rompemos as barreiras existentes nos órgãos de nosso sentir. Imaginação é a fertilização viva dos nossos sonhos... Cuide bem da sua ao ver o vídeo abaixo!(RR)

domingo, 19 de dezembro de 2010

Recebi essa delícia da minha amada Eli que sempre me presenteia e se faz PRESENTE de todas as formas e em todos os tempos. Me fez lembrar quando minha Preta nasceu com quase sete anos de diferença para o irmão e todos me perguntando se era do mesmo marido!?! O mesmo marido, o paizão, virou um tapete para que ela, com seus pezinhos, não só passasse e repassasse, mas também tripudiasse com a baba. Afff... Hoje colhemos o fruto desse tapete mágico.  Fazer o quê??? Já a saudade do filhote -atualmente- faz atrasar o almoço de domingo, mas não a reunião da família.

sábado, 18 de dezembro de 2010

MUTILAÇÃO DO AMOR

Há quatro meses arrancaram um pedaço de mim e posso dizer que ainda assim tenho que agradecer por ter pedaços que - quando devem - podem ser tirados. Nessa mutilação nunca escolhida – necessária – vai junto também, aquilo que já deveria ter ido, mas que protelamos. Por comodismo, falta de coragem, ou simplesmente medo. Medo de recomeçar e contar somente com o que temos. Como diz a música “vai valer a pena ter amanhecido”. E vale! Com toda a valoração singular atribuída.
Viramos o idealizado direito do real avesso e no meio de todos os revezes seguimos em frente. Às vezes paramos, empacamos, retrocedemos, avançamos quilômetros, respiramos e seguimos. Porque há que se seguir na vida. Essa mesma, ora no direito de uma contramão, do avesso da única via, de pernas para baixo, que vale a pena de ser vivida.
Olho no espelho. E lá refletida a imagem do que restou me espia. Não, não falo de um pedaço de carne, músculo, glândula. É dos beijos não dados, dos corpos sonhados, assanhados, entrelaçados, semespaçoaseparar.  Adorote, amote, e querote bem - tudo sem hífens, do amor desmedido, sem explicações... Amputastes o teu amor. A troca de vivência de essências, odores, calor de dois corpos que exalam muito mais que paixão.
Um dia escreveu da impossibilidade do que era, só por você, já sabido. Criei a possibilidade e conjuguei o plural em singular entrega.
Um dia escreveu que era todinho meu, e que estava em minhas mãos. Isso sim era, somente por mim, já sabido: não há pronomes possessivos que segurem o inseguro viver.
Um dia escreveu AMOTE para além da minha compreensão e hoje lhe respondo: não há entendimento algum quando se mutila o AMOR. Sentimento de um coração fantasma?! Christmas Ghost...(RR)

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

GATOS TÊM SETE VIDAS?

Conta a lenda que gatos têm sete vidas... Não sou chegada a bichanos de quatro patas, mas os selvagens de duas, misericórdia!
Esses últimos, de garras afiadas, não acreditam que nascem equipados com um incrível arsenal. Como os verdadeiros felinos conseguem viver em praticamente qualquer lugar até mesmo onde o deserto se fará, basta acreditar!
Seus sentidos aguçados os alertam - mais que qualquer sofisticado sistema suíço de segurança- para problemas ao seu redor. Por isso não se consegue apanhá-los de surpresa. São exímios velocistas a curta, médias e longas, longas distâncias. Sobem, rapidamente, em árvores, escadas altas e até na lua! Seu corpo flexível e fino, esportista o ajuda a passar em locais bem apertados, que nos dirá os que o espremem em angústia.
Tem o paladar apurado o que faz, diferentemente dos cães, não morrer envenenado com palavras sedutoras de sua única salvação.

Quando cai sete, levanta nove e endireita seu corpo ainda no ar para que tenha um pouso suave se é no chão duro - da realidade da vida - que lhe resta cair.
Mas gato selvagem não se domestica, não há vidros ou janelas que lhe prendam o olhar... Se for encurralado, não faz cerimônia para usar suas unhas!
Com todo esse jeito de ser ainda tem alguma dúvida de quantas vidas um selvagem gato tem? (RR)
(Imagem: Arquivo Pessoal e Karin Izumi)

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

JUMP DA CONSERVA

Nanda nos aguarda terças e quintas para 30’ de sua aula. Pensam que é pouco? Até pode ser para quem não fez 45’ de local antes e com ela fazendo a contagem de cada exercício da maneira mais lenta, lerda, tartaruga possível. Só o intervalo entre cada série passa voando como uma lebre. E quando pergunto se não pode alternar as séries dos exercícios, membros superiores com inferiores, a professora responde do alto de sua competência: não, pois assim a musculatura fica estressada e outras fibras serão trabalhadas. ESTRESSAR??? Mas venho é para relaxar!!!
Carolzinha também intercala o Step com o Jump. Estilos únicos, incomparáveis, só se convergem na malvadeza e nesse sorriso-botox natural dos vinte e poucos anos.
O da Fê é chamado POWER JUMP. Força, garra que perdi e ainda não “rê”encontrei, mas tudo bem... Rebatizo de PRESERVERD MEAT, fica mais coerente.
Que mal haveria de acontecer num mini-trampolim, destinado a realizar o trabalho cardiovascular e  nos fazer sentir como crianças pulando numa cama elástica?  
Bem, se você é portador de alguns dos sinais e/ou sintomas da Síndrome de PIA nem pense em tentar fazer. A saber: labirintite, instabilidade articular (tornozelo, joelhos e quadril) entre outros. Esses ainda não tenho, apesar de possuir um joelho estourado dos tempos do vôlei e uma lombalgia crônica administrável.
Deveria se esperar: uma aula muito divertida, com alto gasto calórico (leia-se: diminuição da gordura corporal total), melhora da resistência geral, aumento da força muscular dos membros inferiores (músculos das pernas), estabilizadores abdominal e lombar, drenagem linfática auxiliando na prevenção e combate à celulite! Observaram o tempo verbal utilizado? DE- VE- RIA!!!
O que vem sendo para mim? Divertida? Claro que sim! Tenho que me divertir ao ver nos espelhos - que rodeiam a sala - meus legumes chacoalhando na conserva. E se esqueço de colocar um top reforçado, no final da aula, tenho que sair em busca do peito perdido. Pois das minhas gordurinhas é que não é.
O alto gasto calórico se fosse medido pelo suor derramado, para bem além do término da aula, estaria Regina Palito.
Prevenir e combater o inimigo número um das mulheres – depois de confortavelmente instalada – só se for à base de preenchimento. Como quando a gente pede no açougue pros mininus rechearem um lagarto.
Fernanda grita: trava, trava tudo! E eu: tá destravado, tá destravado e despencado já faz tempo!
Fernandinha, lindinha da tia, incentiva: é o programa biquíni de lacinho... Verão 2011! E eu: serve um sunquinauuuuummmm? Duas peças quem sabe? E vamos com calma, muito calma nessa horas. Ontem não era projeto filé?! E a(s) música(s) que ela coloca? Bem apropriada para aumentar os batimentos cardíacos e da alma também...
Vem chegando o verão
O calor no coração
Essa magia colorida
São coisas da vida...
As mininas – essas lindezas de vinte e poucos anos – fazem a aula sorrindo mesmo. (O mininu é só a cenoura que faz mover minha conserva e estimula o "sorriso" das colegas)... E eu? Bem, eu sorrio também, pensando o que é que to fazendo aqui?! Relaxando...Desestressando minhas fibras gordurosas...(RR)
(Imagens: Arquivo Pessoal)

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

PROJETO FILÉ 2011 ou NOTÍCIAS DA CONSERVA


No princípio era Garra. Convenhamos: é o que se precisa ter além de muita disciplina para a manutenção de uma conserva. Sou desses tempos. Minha carteirinha de acesso à academia não me deixa mentir e nem se modernizou ao longo dos anos, o que pode ser verificado na foto abaixo (1ª à esquerda). Já a minha conserva...quanta diferença! Mudaram-se a logomarca, o tipo, os proprietários e até mesmo o nome. Idealis. Não, definitivamente não busco mais um corpo ideal que – sem nenhuma modéstia – já tive por obra e graça do Homem lá de cima.
Convivo, ora pacificamente ora em guerra, com tudo que os anos foram atribuindo e distribuindo generosamente. Não carecia de tanto, é bem verdade.

Uma coisa é fato: detesto meus tomates, berinjelas, pepinos, cenouras insistentemente pulando pelas alças do soutien e pelos quadris afora! Tenho truques para disfarçá-los, mas nem sempre eles resolvem. Afinal, são pequenas negociações temporárias desfeitas bem cedinho por uma catraca malvada que é o primeiro desafio a vencer. Pensando melhor, se ela atracasse somente minhas gordurinhas, e não as soltassem jamais, não seria de todo mal.
 Alguns bons lances de escada – nada de elevador vida mansa – chego para meu encontro matinal.
Carol com o rostinho melhor do mundo e esse sorriso - de marvada máquina destruidora de gorduras - nos recebe e sem muita conversa começa o aquecimento:
- Bate/bate, toca/toca, joelho/joelho, avião/avião, aranha/aranha, triplo/triplo...
Imagino, nessas horas, batendo carinhosamente meus legumes, voando para bem longe dali e contraindo, o filhote de canguru proeminente, aquilo que ela insiste em chamar abdômen. Aranha é bicho de muitos pés, ágil, rápida e certeira. Estou bem mais próxima de um canguru, pesado, carregando seu filhote. Cria que não desgarra dessa bolsa confortável nem com trocentos e uns mil abdominais.
Já estou prá lá de aquecida, morrendo de calor, quando a aula propriamente dita vai iniciar. Agora tenho outro desafio a enfrentar: aprender os nomes e significados que ela grita, tanto quanto memorizar a coreografia. Valha-me D’US! Não posso negar que isso ativa a memória de qualquer portador de Síndrome de PIA. As colegas, terapeutas ocupacionais, especializadas em reabilitação cognitiva, estariam sem trabalho se as academias vendessem esse pacote dois em um. É um tal de vai e volta, lounge, rodopia, abre-fecha, cruza-descruza, galopa, toquinho em cima que chego a acreditar que estou em  lugar e aula errada! 

Carolzinha, fofinha da tia, quando observa algum erro solta logo um oioioi, aiaiai, que eu respondo, com um olhar fuzilante: uiuiui!!! Mata a véia, maaaaaata! E ela nem se faz de rogada e num sorriso-botox, de seus vinte e poucos anos, diz: fica maissss, vamolá, não desisti, só mais um pouquinho... Será mesmo que estou numa aula de step?!?
Carolina, marvada, insisti: contrai, respira, concentra, é o projeto filé 2011 que tá chegando...
Concentrar? A conserva já tá no vinagre faz tempo. Contrair? Só se for dores musculares. Respirar? Com o SAMU me aguardando para o resgate. Projeto filé?  É a nova nomenclatura para carne moída 5.0. chegando aí, gente!

Enquanto vou sorvetando por todos os poros fico pensando – olhando as mininas – em como era a academia quando tinha meus vinte e poucos anos. Sobe morro, desce ladeira, caminhar quarteirões até o mais próximo ponto de ônibus, carro (quando tive) sem direção hidráulica e tudo era, realmente, conservado em seus devidos lugares! Bons tempos...
Vermelha feito um peru - sem ainda estar na véspera de natal - ainda tenho o jump para enfrentar com garra. De ideal mesmo só a horizontal que abandonei há uma hora! (RR)
(Imagens: Arquivo Pessoal. Vídeo/YouTube: colaboração da "amiga"-amada Márcia Abobrinha)



terça-feira, 14 de dezembro de 2010

NATAL 2010 DA CASA DO RICHARD

A mim coube-me o arroz com lentilhas. Nossa festa de encerramento de mais um ano de trabalhos é feita assim. Cada um leva o que tem, compartilha o que sabe, doa aquilo que lhe habita. Somos uma pequena grande família. Família essa que agradeço por fazer parte. 
Dos donos dessa Casa já escrevi, aqui, da minha incompreensão em tantos anos abrir sua morada para a mais genuína doação. Lucinha - que no dia anterior se submeteu à sua primeira sessão de quimioterapia - estava lá, presente e presenteando a todos com seu sorriso e bom humor inconfundível. Como isso é possível, Senhor?!
Nosso anfitrião maior – Richard - regendo essa família com sua sabedoria, piadas, alegria, firmeza, gratidão e satisfação por mais um ano de “missão cumprida”. Eu perco o amigo, mas não perco a piada, diz ele a cada um de nós.
Todos os trabalhadores sintonizados em AMOR E LUZ.  O capricho simples da arrumação do nosso jantar coube à Flávia, Junia e também às tantas mãos invisíveis.
Visível era a alegria, risadas soltas, brincadeiras pueris que coloriram essa celebração. E como num arco-íris cada um doa sua cor, seu tom e assim, juntos, agarradinhos mesmo, formamos no céu e na terra ENERGIA COLORIDA.
Sentimos falta de alguns... Mas mesmo ausentes - na presença física - estavam lá muito mais que presentes!
Entraremos de férias a partir desse próximo dia 17. Na realidade somente os trabalhos oficiais das terças e quintas se interrompem. As dezenas de pessoas que lá vão, semanalmente, sentem falta e saudade tanto quanto nós. Ainda não se acostumaram a sentir e perceber que AMOR e LUZ é irradiação constante, jamais interrompida. 
Trabalhadores da LUZ que durante um mês de férias recarregam suas baterias com mais estudos, reflexões. Mas é só o chefe nos convocar - para alguma emergência - que o pelotão se apresenta de imediato.
Eu que tantas vezes fui por ele nomeada “generala 10 estrelas” só posso dizer: OBRIAGADA RICHAAAAARRRRD por mais um ano de aprendizado, constância de AMOR!
Fico aqui - no meu cantinho - só imaginando, fazendo força mesmo, em como seria minha vida sem essa família! (RR)

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

NATAL DIGITAL

Em tempos de evolução "bios natalinos de ser" nada como me encantar com tamanha criatividade! E o melhor: "os tempos mudam, mas o sentimento é o mesmo"! FELIZ NATAL!!!

domingo, 12 de dezembro de 2010

SATSANG 2010

                            “O que for a profundeza do teu ser, assim será
                                               o teu desejo.
                              O que for o teu desejo, assim será
                                               a tua vontade.
                              O que for a tua vontade, assim serão
                                               os teus atos.
                              O que forem os teus atos, assim será
                                               o teu destino.”

O feriado – nessa última quarta-feira - que prometia ser tranqüilo, foi agitado pelas filas no supermercado. Deveria estar calma aguardando a chegada da noite para a, tão esperada, cerimônia de SATSANG.  Já o convite chegou com tempo de sobra:
Venho convidá-los para participarem do nosso Satsang de Natal, no dia 8 de dezembro às 19hs. Este ritual de origem indiana tem como objetivo despertar a consciência para o AMOR, removendo assim os obstáculos que estão impedindo o ser de alcançar sua libertação.  Venha de branco e traga flores e frutos.
Abraços com carinho
Celina Frattezi
Paz para você!!!
Celina é minha mestra Reikiana. Foi com ela, também, que aprendi o que é possível fazermos através de nossas mãos. Um par que se multiplica irradiando ENERGIA AMOROSA numa matemática cósmica. Mãos que não encontram barreiras e que tocam essências.
No início, tudo o que existia era Silêncio, e nele Uma verdade interior e única... Uma verdade mutável a cada instante, a cada momento… Esta cerimônia é uma viagem. Uma viagem profunda ao interior de cada um. Nesta experiência vamos ao encontro profundo de nós mesmos. Através da Verdade do Momento, libertamos a nossa mente e damos espaço ao Amor que habita em nós… Satsang significa estar em companhia da mais alta Sabedoria e Verdade. Ouvindo o Som do Silêncio e o Som da Verdade de cada momento, o nosso Som interior. Meditando, refletindo e discutindo a fonte dessas palavras, podemos assimilar o seu significado e trazer essa lucidez para cada dia que passa na nossa Vida! Dobrando-nos perante a nossa intemporalidade e interdimensionalidade…
Celina nos conta que ao preparar a cerimônia desse ano, o tempo todo esbarrava com algo que a remetia à cura. Precisamos ouvir os sinais... E foi com apurada escuta que ela dedicou a cerimônia desse ano à CURA.
Oramos pelo mundo, por cada um de nossos amados, conhecidos, desconhecidos e reconhecidos, irradiando ENERGIA para os quatro cantos do mundo! A CURA do um que faz parte do TODO... Do TODO que habita cada um de nós!
PRINCÍPIOS PARA A CURA DE ATITUDES (Swami Vishwananda):
1. A essência de nosso ser é amor.
2. Saúde é paz interior. Curar é abandonar o medo.
3. Dar e receber são a mesma coisa.
4. Podemos desprender-nos do passado e do futuro.
5. O agora é o único tempo que existe, e cada instante é para nos doarmos.
6. Podemos aprender a amar a nós mesmos e aos outros perdoando, em vez de julgarmos.
7. Podemos transformar-nos em pessoas que vêem o amor e o que une, em lugar de pessoas que vêem o erro e o que desune.
8. Podemos escolher direcionar-nos para a paz interior, independente do que está a acontecer à nossa volta.
9. Somos alunos e professores uns dos outros.
10. Podemos concentrar-nos na totalidade da vida e não nos seus fragmentos.
11. Sendo o amor eterno, não existe razão para temer a dor e a morte.
12. Podemos sempre ver-nos a nós mesmos e aos outros como seres que ou oferecem amor ou suplicam ajuda.
Quantas coisas em seu olhar... O despertar da consciência; E aquela Paz, que não é desse mundo. E eu vejo você, em espírito. Pois os meus olhos não vêem além... Então, vejo-o com o coração. Enquanto um Grande Amor me chama... E eu penso nas dores da humanidade. Os meus olhos vêem o mundo...Mas o meu coração vê o mundo em seu olhar. Em seu silêncio, eu sinto um abraço sutil. E sei do bem que você faz anonimamente. Ah, Ramana, o mundo não vê você. Mas você vê todo mundo e abençoa a todos. E eu vejo isso em seu olhar, que é só silêncio. Enquanto um Grande Amor permeia a tudo. E eu fico aqui, tímido, igual criança. Como uma pequena estrela olhando o infinito... Admirado, também me lembro de Jesus. Ele ensinava que os olhos são as candeias do corpo. Pois, através deles, se reflete o que está dentro do Ser. E o Rabi estava certo: eles são as janelas da alma. Então, o que dizer do seu olhar? Os seus olhos são candeias do amor iluminando os homens? Ah, Ramana, eu vejo o seu olhar sereno... E novamente penso em Jesus – e no mundo. E o Amor me sussurra algo no coração. E também me lembro de Krishna – e me admiro mais... E a alegria me possui... De corpo e alma. E, de alguma forma, o olhar deles está no seu olhar. Ah, Ramana, o Amor não tem fronteiras ou credo. Só sabe amar... E os seus olhos são candeias, sim. Cheios daquela paz que não é desse mundo. Eu vejo o que um Grande Amor fez com você. Porque o seu olhar atravessa os planos... E abençoa aos homens e espíritos, em silêncio. E eu fico aqui, mais tímido ainda, igual criança. Como uma pequena estrela olhando o infinito... Admirado, com os olhos brilhando igual diamante. P.S.: Ramana, os seus olhos são candeias do amor. E o seu brilho iluminou meu coração, mais uma vez. E eu virei criança-estrela olhando para o infinito. No Amor. Na Fé. Paz e Luz. (Wagner Borges – olhando a vida como o Amor olha... São Paulo, 28 de agosto de 2009.)
E assim, o D'US que habita dentro de mim saúda o D'US que está em você ...NAMASTÊ! Bom domingo!!!


 

sábado, 11 de dezembro de 2010

DIÁRIO DE UM CINQUENTÃO NA ACADEMIA (GINÁSIO PROS AMADOS DE PORTUGAL!)

Meus amados: como ontem tomei umas a mais ("Hoje é sexta-feira
Chega de canseira
Nada de tristeza
Pega uma cerveja
Põe na minha mesa..
." uiiiii sertanejo na veia!!!)
deixo prá esse sábado um esquentamento da minha saga "acadêmica" que rolará na próxima semana... E como hoje é sábado, amanhã é domingo...CARPE DIEM!!!!

Ganhei de presente da minha mulher um vale-training de uma semana de treinamento físico em uma academia perto de casa. Apesar de estar em excelente forma, achei boa a idéia de diminuir a minha “barriguinha”. Fiz a reserva com uma personal trainner chamada Nádia, instrutora de musculação e aeróbica, e modelo de 26 anos.
Me recomendaram levar um diário para documentar o meu progresso, que a seguir transcrevo a vocês:
Segunda-feira:
Com muita dificuldade levantei-me às 6 da manhã. O esforço valeu a pena! Nádia parecia uma deusa grega: ruiva,  olhos azuis, grande sorriso, lábios carnudos e corpo escultural. Inicialmente, Nádia fez um tour pela academia, mostrando todos os aparelhos. Comecei pela bicicleta ergométrica. Depois de 5 minutos, ela me tomou o pulso e se assustou, pois o coração estava muito acelerado. Não era a bicicleta não, era Nádia, vestida com uma malha de lycra coladinha… Curti muito o exercício. Ela me motiva muito, apesar da dor na barriga, de tanto encolhê-la, toda vez que ela passa perto de mim.
Terça-feira:
Tomei café e fui para a academia. Nádia estava mais linda que nunca. Comecei a levantar uma barra de metal. Depois se atreveu a colocar mais pesos!!! Minhas pernas estavam debilitadas, mas consegui completar UM QUILÔMETRO. O sorriso arrebatador que Nádia deu me convenceu de que todo exercício valeu a pena… era uma nova vida para mim.
Quarta-feira:
A única forma como consegui escovar os dentes, foi colocando a escova sobre a pia e movendo a cabeça para cima e para baixo. Dirigir também não foi fácil: estender os braços para mudar as marchas era um esforço digno de Hércules, doía muito o peito e os braços, e minhas panturrilhas ardiam toda vez que eu pisava o pedal da embreagem. Fisicamente impossibilitado, estacionei meu carro na vaga para deficientes físicos, até porque saí do carro mancando… Nádia estava com a voz um pouco aguda a essa hora da manhã, e quando falava me incomodava muito. Meu corpo doeu inteiro quando ela me colocou a cadeirinha de escalada. Para que merda alguém inventa um treco para se escalar quando isso já está obsoleto com os elevadores? Nádia me disse que isso me ajudaria a ficar em forma e a aproveitar a vida e os esportes de aventura… ou alguma dessas promessas.
Quinta-feira:
Nádia estava me esperando com seus horríveis dentes de vampiro. Cheguei meia hora atrasado: foi o tempo que demorei para colocar o tênis. A desgraçada da Nádia me colocou para trabalhar com os pesos. Quando se distraiu, saí correndo e me escondi no banheiro. Mandou um outro treinador me buscar e, como castigo, me colocou na máquina de remar… me ferrei!
Sexta-feira:
Odeio a desgraçada da Nádia. Escrota, anoréxica, anêmica, insuportável e sem cérebro! Se houvesse uma parte do meu corpo que pudesse se mexer sem uma dor angustiante, eu partiria no meio essa desgraçada!!! Nádia quis que eu trabalhasse meus tríceps… E  EU NEM SEI QUE PORRA É ESSA DE TRÍCEPS!!! Como se não bastasse colocar os pesos para que eu os levantasse, ainda colocou aquelas merdas das barras…A bicicleta ergométrica me fez desmaiar e, quando acordei, estava numa maca em frente a uma nutricionista, outra idiota com cara de mal-comida, que me deu uma catequese de alimentação saudável…
Sábado:
A lazarenta da Nádia me deixou uma mensagem no celular com sua vozinha de lésbica assumida, perguntando-me por que eu não fui à academia. Só com a sua voz já me deu vontade de quebrar o celular, porém não tinha força suficiente para levantá-lo, pois até pra apertar os botões do controle remoto da TV estava difícil…
Domingo:
Pedi ao vizinho para ir à missa agradecer a Deus por mim por essa semana que terminou. Também rezei para que, no ano que vem, a desgraçada e infeliz da minha mulher me presenteie com algo um pouco mais divertido, como um tratamento de canal, um cateterismo ou um exame de próstata. (Desconheço a autoria.Fonte: Internet)

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

QUEM AVISA AMIGO É: HOBBY BLOG CLUBE

Já ando passada e repassada: do direito, do avesso, com direito a goma e tudo mais. Escrevo essas, mal passadas, linhas para quem aqui ainda não me conhece (?) de fato. Sou assim... dirritida, doida se preferirem, bipolar (tá na moda) se me aceitarem e intensa se agüentarem. Sou o que sou. Nem mais nem menos e vou tentando, no viver nosso de cada dia, melhorar um cadiquim. Deve tá valendo o esforço!
Em maio desse ano recebi um presente, sem mais nem menos, do time do Hobby Blog Clube que apesar de ter o Gustavo, a Lúcia Carioca e a Beatriz, é o mininu Rike que tecla o blog adiante. Não me perguntem como e muito menos quando lá cheguei. Quinem visita que não avisa que vem, fui e fiquei. Não sei se eles puseram vassoura atrás da porta prá que eu fosse embora (crendice mineira prá quando a gente quer que a visita ligue o desconfiômetro e se vá), mas me parece que não. Foi o primeiro blog que conheci com um humor inteligente, refinado. Coisa simples e como tal chique.
No meio dessa semana (na realidade madrugada adentro) cheia de emoções pela blogosfera – e o Rei que me desculpe, mas ele fica no chinelo com as dele, diante das nossas! – recebo essa indicação, seleção do(s) mininu(s). Só que nem me avisaram. Fui descobrir no blog de minha minina-ternura, também agraciada!!! Nem tive tempo de arrumar vestido pra receber esse prêmio chique. E acrescento: se sou ou não merecedora TÔFORA de  julgar. Agora que ganhei, tá dado e não devolvo nem com reza braba!
Não me perguntem os critérios, foram os deles (e de quem mais seria???) na base do fuçamento. Tudo bem que devem ter dado muita risada com meu lado BIOS de ser, mas ele existe e persiste. E é do jeitinho que escrevo que me acontece. Agorinha mesmo fui desligar o PC e ele emitiu um som novo quinem criança aprendendo a falar. Só que não me encantei nauuuummm! Fui logo gritando pela única ASPONE disponível na casa:
- Preeeeeeeeta corre aqui!
- Que foi mãe?
- O computador tá falando comigo!
-??????!!!!!!!
- Mãeeeee, cê não tava conversando com André não?
- Larga mão de sê boba minina! Mais respeito!!! Foi na hora d’eu disligá.
- Desliga então, mãeeeee... deixa eu ouvir!
Pois não é que vou desligar e meu bebê balbuciante fica mudinho da Silva? Não emite nenhum mã-mã-mã sequer!
Da postagem escolhida pelos mininus, até hoje os entendidos no assunto, não me responderam para quê serve aquele “cadeirante azul” ao lado do verificador de palavras!
Mas, deixando essas questões tão fundamentais para meu crescimento biosférico de ser, o que quero realmente dizer, afinal das contas e no início desse proseamento todo, é mais uma vez: OBRIAGADA! E nem careço, mas vou: amo você(s) de viverrrr!

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

A VIDA



A escuta que atrai e nos trai.
O olhar que traduz e seduz.
O tato que envolve e revolve.
O desejo que move e demove.
A atitude que dita e faz.
O abraço que acolhe e recolhe.
O corpo que vibra e reverbera.
O coração que dispara e ampara.
A alma que agradece:
A VIDA! (RR)
Ocorreu um erro neste gadget