Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

domingo, 15 de agosto de 2010

NOITES COM SOL

Uma das coisas que me recordo - com sabor saudade - era da varanda da casa de minha mãe. Lá aconteceram muitos encontros, descobertas sem cobertas, amizade nascida, protegida e abençoada pelos anos. Varanda aberta para novidades, sem limite de idades.  Era só se achegar. Quantas rodadas de prosa, divagações mais exclamações que interrogações!?! Prazer de viver... com viver. Varanda de poesias, literatura, música, vinho "Chapinha", lua cheia ou minguante. Eram noites com sol, milagres de amor acompanhados dos meninos Beto, Flávio, Lô, Milton, Tavinho, Toninho, 14BIS. Risadas e lágrimas secadas... quando se deixava entrar o sol! Um domingo ILUMINADO para cada um de vocês!!!

Noites Com Sol

Flávio Venturini
Composição: Flávio Venturini / Ronaldo Bastos
Ouvi dizer que são milagres

Noites com sol
Mas hoje eu sei não são miragens
Noites com sol
Posso entender o que diz a rosa
Ao rouxinol
Peço um amor que me conceda
Noites com sol


Onde só tem o breu
Vem me trazer o sol
Vem me trazer amor
Pode abrir a janela
Noites com sol e neblina
Deixa rolar nas retinas
Deixa entrar o sol


Livre será se não te prendem
Constelações
Então verás que não se vendem
Ilusões
Vem que eu estou tão só
Vamos fazer amor
Vem me trazer o sol
Vem me livrar do abandono


Meu coração não tem dono
Vem me aquecer nesse outono
Deixa o sol entrar
Pode abrir a janela
Noites com sol são mais belas
Certas canções são eternas
Deixa o sol entrar
  

11 comentários:

  1. Um domingo iluminado a vc também!!!!!!!

    Bjuxxxx no coração!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Olá RÊ!

    O baú das memórias, esse nunca o deitamos fora.De vez em quando sabe bem abri-lo, remexê-lo, procurar ... certos do que lá iremos encontrar.
    A canção é muito bonita; haverá quem não goste de se aquecer ao sol da noite...?

    Beijinhos amigos; e bom domingo - com muito solinho!

    Vitor

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde, Regina amadérrima.

    Que linda a casa e que saudade da minha Minas, do frio de Poços em que adorava tomar sorvete na Mimi e sentar na praça, ia ao sitio em Águas da Prata e era tudo tão bom, afinal eu era criança e o que sabia do mundo era o que me cabia...

    Beijo aí que vontade de comer doce de sidra ou doce de leite!!!!

    Renata

    ResponderExcluir
  4. Taí o meu amigo de novo! Viu como as letras são msgs cifradas? Amo esta canção de paixão. Quanto ao vinho Chapinha você me remeteu de volta a um tempo tb especial para mim! Bons tempos tb, hein? Não sou saudosista, apenas guardo as boas lembranças. Cada tempo tem seu sabor e sua beleza. Beijos, minha linda.

    ResponderExcluir
  5. Oi Re linda,
    vai lá no Memórias, teu comentário...virou um outro post:
    A saga da inveja-capítulo 2
    Espero que goste!
    Beijinhos!!!!

    ResponderExcluir
  6. A memória é o espelho onde observamos os ausentes .

    "Duvida da luz dos astros,
    De que o sol tenha calor,
    Duvida até da verdade,
    Mas confia em meu amor."

    William Shakespeare.


    Beijinho.

    ResponderExcluir
  7. Hola,

    que linda la casa, no me extraña que tengas saudades.
    Y por lo que cuentas... que bueno es sentir nostalgia, no?
    Es señal que allá fuiste feliz!

    Saludos,

    Sergio.

    ResponderExcluir
  8. Ai, Rê, que delícia de rememorações vc fez...invocando as tuas, me fez abrir a portinha das minhas imagens, cheias de sons de risos e muito assunto variado...dependia da turminha que se reunia, ouvíamos histórias antigas, ou, se éramos os mais jovens, trocávamos agonias, dúvidas, ideias...choro e riso, "pito", promessas...vida vivida, com emoção, próximos uns dos outros, participantes das histórias, espectadores curiosos em alguns momentos. Ô saudade...ai, ai...

    Bjão, queridona. Linda música vc escolheu, minha amiga!!!!

    ResponderExcluir
  9. Carlos, mininu-poeta, amado!
    Agora que já são 22hs posso afirmar: tive um domingo ILUMINADO e reforço meu desejo para toda a semana vindoura.
    Beijuuss n.c.

    Vitor, amigo, amado!
    Em momentos de fragilidade parece-me que essas memórias me dão FORÇA.
    Beijuuss n.c.

    Renatinha, mineirinha, amada!
    Êita que Poços amo de viverrr. Se soubesse como fazer enviava doce de leite, goiabada cascão feita em casa (no fogão de lenha) e o legítimo queijo de minas prá adoçar ainda mais essa doçura de amada minha.
    Beijuuss n.c.

    Ângela, iluminada, amada!
    Pois eu sou, amiga. Não de querer voltar no tempo etc e tal... de trazer comigo, como escrevi ao Vitor, uma FORÇA sem explicação, de tempos os quais a convivência se fazia real e onde as pessoas tinham mais disponibilidade umas para as outras.
    Beijuuss n.c.

    Izabel, iluminada, amada!
    Ficou bacanérrimo, aliás como tudo que faz, compartilha conosco.
    Beijuuss n.c.

    Manuel, poeta, amado!
    Ah meu querido, sempre confio, sempre confio e por tanta confiança me esparramo no chão...aff.
    Beijuuss n.c.

    Sérgio, amado!
    Fui, fui muiiiito e mesmo não morando mais nessa casa ainda sou!
    Beijuuss n.c.

    Dê, moça linda de viverrr, amada!
    Usou uma palavra perfeita: deliciosas lembranças que como já respondi me dão muita FORÇA por variados motivos. Em tempos atuais ando bem saudosista messsmo e de todas as FORÇAS me agarro e me reuno. Essa música, como a de amanhã são... DELICIOSAMENTE ESPECIAIS!
    Beijuuss, ILUMINADOS, n.c.

    ResponderExcluir
  10. Minha querida amiga, que bela varanda essa da sua recordação, com tanta gente bonita, realmente devem ter sido Noites de Sol. Amo de paixão Flávio Venturine. Tenha uma linda semana..Beijocas

    ResponderExcluir
  11. A varanda da sua casa darling, era a copa da minha. Ótimos tempos, que não voltam mais, mas quanta lembrança boa e quanto aprendizado!
    bjos
    eidia
    www.qouevivipelomundo.blogspot.com

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget