Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

domingo, 13 de dezembro de 2009

AS PRECIOSAS COISAS BANAIS



“Regina querida, o que é banal, o que não é vendido, o que não ama, o que não quebra. É o que te desejo. Amor, Mary”.
Essa foi a dedicatória recebida por mim num livro de crônicas da Mary Figueiredo Arantes, Mary Design, ou simplesmente, para mim: Mary Amada. Livro que em cada detalhe têm um tanto de sua autora: capricho, criatividade, delicadeza, magia, simplicidade na complexidade da vida! Uma mistura de letras que extrai, de cada mirada do banal, uma preciosidade, que olhos comuns não conseguem enxergar. Até pena de galinha d’angola ela colocou dentro do meu, pode? Mary pode! Mary pôde estar sentada, por horas, recebendo todo mundo como cada um. Transformou uma samambaia na mais tropical das cerejeiras. Salpicou o teto numa revoada de pássaros brancos em clima de liberdade e paz. Tratou com São Pedro um dia ensolarado que, há muito, não víamos em Beagá. Alimentou com rapadura, biscoitos, pipoca, frutas, sucos e pinga da boa, as bocas das almas mais exigentes. Conseguiu - só ela sabe como - manter a tranqüilidade no coração que ainda chorava. Choro de quem perdeu um amor de 92 anos, mas que transforma as lágrimas em puro encantamento. Só mesmo sendo artista. Mary pode. Pôde nessa madrugada me deixar "garrada" no seu livro, até chegar no Tião de Diceu/Diceu de Tião, última crônica, que me fez desejo de quero mais... Ela me brinda com seu Amor, de artista-gente-artista única, desde minha adolescência (Artistas e suas loucuras). E hoje sou eu, que na banalidade de gratidão, brindo à sua vida: FELIZ ANIVERSÁRIO AMADA! 13/12/2009

5 comentários:

  1. to dentroooooooo......rs....
    essa é a dedicatória que ela escreveu pra mim: "Júnia querida, este livro é uma tentativa de me passar a limpo,com o furor, o melhor de mim, e, é ela que te ofereço"
    estou encantada com sua maneira de escrita, muito espontanea. beijos

    ResponderExcluir
  2. Eii Júnia
    Que bom vc aqui!!!!YES!!!Que dedicatória heim??? Brigadim pelo elogio.
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir
  3. Um Feliz Natal!!!!!!

    Na oportunidade estou convidando você para conhecer meu blog de humor,"HUMOR EM TEXTO".

    É de graça!

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  4. Banalidade é viver a simplicidade de uma vida feliz.
    Bjs.
    ______
    Lhe convido para ler as duas publicações que edito:

    Leia também ->JORNAL AFOGANDO O GANSO/ http://afogandooganso.blogspot.com - Jornalístico, informativo, sarcástico, debochado, verdadeiro e interativo.

    -> RIO ENTERTAINMENT/ http://jafogandooganso.wordpress.com - Um espaço dedicado ao Rio de Janeiro, com seu lazer, cultura, turismo e entretenimento.
    Leia e vamos interagir...
    Grato.

    ResponderExcluir
  5. Paulo e Guará
    Bem vindos...Obrigada pela visita e vou lá conhecer vcs sim e interagir! Tôdentro.
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget