Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

domingo, 13 de dezembro de 2009

CONSERVADA X


Cheguei à academia ontem mais cedo. Estava super animada: uma noite de quinta-feira especial (vou postar depois) ainda na memória, além de já ser sexta-feira. Rathão, o professor, ainda arrumava a sala para o nosso, exaustivo, circuito mix. Pedi se poderia colocar a música, para já ir entrando no clima da maratona de exercícios que me aguardavam. Com sua resposta positiva e o CD já separado, me dirigi ao som, peguei o dito cujo e li na capa: “Músicas 2008 para a 3ª. Idade”. Pisquei os olhos como se desejasse enxergar melhor ou acordar de um pesadelo. Não teve jeito... Estava muito bem escrito e eu realmente não estava sonhando. Como assim? De quarentona conservada sou elevada, automaticamente num piscar de olhos, à categoria de IDOSA? Mesmo sabendo e já tendo escrito que as mulheres de sessenta, hoje são as de cinqüenta, essas as de quarenta e assim vamos descendo na escala dos números, doeuuuuu!!! Os motivos são vários: acho horrível essa nomenclatura para aqueles que já fizeram sessenta; nunca soube que música fosse categorizada por idade e por último, mas não menos importante, as minhas amadas colegas na faixa dos vinte, foram, injustamente, incluídas no mesmo balaio de idade. Contei meu drama, na academia inteira, que resultou claro, em muitas gargalhadas. Fui fazer a aula, ouvindo o CD para terceira idade e Rathão dizendo que não tinha nada com isso, que comprou o CD do “cara”, que não sabia o porquê do “cara” ter escrito isso, etc. e tal. E qual não foi minha surpresa para as ditas canções de fitness para idosos: Rita Lee, Lulu Santos, Tim Maia, Marina, todos REMIXADOS (nem sei como escreve)!!! Na batida, ritmo, gosto da moçada. Então ta: as músicas são antigas, pois são bacanérrimas, mas vamos dar uma maquiada nelas para não parecer tão velhas assim e chamá-las carinhosamente de "músicas para a terceira idade." Ou assume que são velhas, antigas, como preferir, e que a moçada adooora, ou criem músicas tão legais como antigamente e vamos curtir. Já podia ficar com esse “up grade” rápido e instantâneo na minha vida cronológica, mas o dia estava só começando... Como era sexta... era dia de ir à minha manicure. Quando estou lá, queixando daqueles cantinhos horríveis e dolorosos dos meus pés, Madá, muito séria diz: Sabe Rê, com a idade vamos arrumando mais calosidades, aparecendo coisinhas que antes não tínhamos.
Emudeci. Nada mais a declarar, a não ser: viva a primeira, segunda, terceira, quarta, quinta... idade! Mas, lembrem-se, sempre muito bem conservada!

2 comentários:

  1. Pronto!!!! Tô aqui para te ajudar no protesto... Somos totalmente bem conservadas e muito longe da terceira idade....Chega de músicas antigas!!!!
    Vamos malhar ao som de trance e relaxar ouvindo um reggae... kkkk.
    Gostou dessa, minha futura ex-sogra????
    Beijocas

    ResponderExcluir
  2. Clarinha
    Até que enfim vc chegou prá me ajudar no protesto rsrsrs. Mas deixa o fêssor comigo!
    Beijuuss n.c. da sua ex-futura-sogra

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget