Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

MÁXIMAS E MÍNIMAS DO CASAMENTO







"Casar pela segunda vez é o triunfo da esperança sobre a experiência". (Pablo Neruda)




"Casar é a metade do divertimento pelo dobro do preço". (Woody Allen)





"Quer conhecer tua namorada... casa! Quer conhecer tua mulher... separa!" (Luiz Fernando Veríssimo)

"Não se case por dinheiro. Há empréstimos bem mais baratos". (Marta Suplicy)

           "O amor é cego, mas o matrimônio devolve a visão".    (Antony Hopkins)

"Na Antiguidade, os sacrifícios faziam-se no altar. Atualmente esse costume perdura". (Nelson Rodrigues)

2 comentários:

  1. Legal!!!!!!!!!! rir é o melhor remédio. Acrescento com as palavras da minha sogra: todo matrimônio tem seu demônio. Deixando de lado as brincadeiras é sempre bom ter um companheiro para partilhar. A caminhada sozinha fica muito longa. Bjus

    ResponderExcluir
  2. Mariza
    Adorei o complemento da sua sogra rsrs E o que vc diz é com certeza uma "verdade".
    Beijuuss n.c

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget